Arquivos mensais: Fevereiro 2012

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA OAB DESMENTE MACETÃO

Para este aprendiz de blogueiro, o desmentido da OAB não é nenhuma novidade. Primeiro, porque o presidente da Câmara tem se revelado um grande inventor de inverdades. Segundo, porque não é prática da OAB fazer o tipo de indicação alardeado por Macetão.

Quanto à proposta de se fazer um concurso público para preencher o cargo de assessor jurídico da Câmara, defendida pela OAB, talvez até fosse viável, desde que tivéssemos alguém mais sério na presidência da Câmara. Vamos à Nota de Esclarecimento da OAB, enviada aos advogados de Jales:

A Diretoria da 63ª Subseção de Jales, por seu Presidente, esclarece a todos os(a) Advogados(a), que ao contrario do que esta sendo divulgado pela mídia através das palavras do MD. Presidente da Câmara Municipal de Jales, nenhuma lista de advogados(a) fora apresentada para a prestação de serviço de assessoria jurídica a Câmara Municipal. Na verdade, fomos procurados pelo Presidente do Legislativo para esse fim, porém, não foi possível o atendimento do pedido até porque, não poderíamos proceder de tal forma já que em matéria jornalística firmávamos o posicionamento acerca da necessidade de realização de concurso publico para o cargo, especialmente em razão dos atritos noticiados.
 
Esclarecemos, ainda, que somente não tomamos a medida de divulgação desta nota através da mídia local para que não haja maiores clamores sobre o assunto.
 
É o que tínhamos a esclarecer.
  
Aislan de Queiroga Trigo
Presidente

GREVE DE FOME EM FRENTE À TV GLOBO COMPLETA 48 HORAS E SEGUE ADIANTE POR VÍTIMAS DO PINHEIRINHO

A notícia é do jornal Correio do Brasil, desta quarta-feira:

O jornalista Pedro Rios Leão permanece algemado há 48 horas a um mobiliário urbano, em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, Zona Sul da cidade, e pretende seguir em greve de fome contra a atuação da Polícia Militar paulista em Pinheirinho, no município de São José dos Campos, interior paulista. Sentindo-se “meio estranho e cansado”, o manifestante acredita que seu sacrifício é uma forma de alertar às autoridades para o “crime perpetrado contra uma comunidade pacífica, atualmente refém da PM do governo de São Paulo”.

– “Minha maior arma é o constrangimento porque passa a TV Globo, que simboliza a mídia conservadora e maniqueísta que escondeu o massacre cometido pela polícia e por agentes da guarda municipal de São José dos Campos. Houve mortes em Pinheirinho e ninguém denunciou isso. Minha greve de fome tem o objetivo de denunciar os atos de barbárie cometidos contra uma população desarmada. Meu protesto é para que o governador Geraldo Alckmin seja preso. Que os desembargadores que assinaram a ordem para que a violência ocorresse sejam presos. Que o proprietário daquelas terras, o especulador Naji Nahas seja preso” – protesta Leão.

 A notícia completa pode ser lida aqui.

TÍTULOS PROTESTADOS ATRAPALHAM COMBATE À LEISHMANIOSE

Em setembro, nós informamos aqui no blog, após pesquisa no Serasa, que, nos últimos cinco anos, a Prefeitura de Jales – CNPJ 45.131.885/0001-04, teve nada menos que 47 títulos protestados, além de 02 ações de cobrança e uma negativação em nível nacional através do sistema PEFIN, também do Serasa.

Matéria do jornal A Tribuna, de domingo, joga um pouco de luz sobre as consequências que esse tipo de problema acarreta. Segundo o jornal, a Prefeitura está encontrando dificuldades para comprar uma peça do equipamento de proteção individual (EPI), utilizado pelos servidores que trabalham no combate à leishmaniose. Fontes de A Tribuna dizem que a empresa fabricante teria se negado a vender a peça para a Prefeitura de Jales, depois de consultar o Serasa.

Por conta disso, os funcionários do Centro de Zoonoses estão  impossibilitados de realizar o chamado “manejo químico”, uma atividade que precisa ser feita nos imóveis vizinhos aos casos confirmados da doença.

É o caso, por exemplo, de algumas residências do Jardim Aeroporto, onde foi registrada uma vítima fatal da leishmaniose. Segundo consta, apesar de já ter transcorrido três meses do falecimento da vítima, o “manejo químico” ainda não foi realizado em função da peça que falta ao equipamento de proteção. E o nosso prefeito ainda tem coragem de dizer que sua administração prioriza a saúde.     

1 15 16 17