Arquivos mensais: Março 2014

JORNAL DE JALES: SANTA FÉ DO SUL GANHA R$ 5,5 MILHÕES COM CARNAVAL

DSC00543O carnaval de Santa Fé do Sul, sabe-se, é um dos mais movimentados da região e atrai turistas de todas as partes do país. E é, também,  um dos principais assuntos do Jornal de Jales deste domingo. Segundo o periódico, a chamada “festa pagã” deverá injetar cerca de R$ 5,5 milhões na economia da nossa vizinha.

Outro assunto destacado pelo JJ é o questionamento que alguns vereadores estão fazendo à prefeita Nice Mistilides, à respeito da não adesão de Jales ao programa Mais Médicos. De acordo com os vereadores, nossas vizinhas Santa Fé do Sul, Fernandópolis e Votuporanga já teriam sido beneficiadas pelo programa.

A “negociação” salarial entre os servidores municipais e a prefeita Nice também mereceu manchete no Jornal de Jales. O jornal destacou que os servidores estão indignados com a contraproposta da prefeita e com uma frase dita por ela sobre índios e caciques.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que a Unimed de Jales, dona do terreno da Facip, está exigindo um aditivo ao contrato assinado entre a BX Eventos e a Prefeitura, onde fique claro que a cooperativa de médicos não terá nenhuma responsabilidade por eventuais acidentes no local, durante a Feira. Prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

MORADORES DO JARDIM PIRES DE ANDRADE ESTÃO PREOCUPADOS COM EROSÃO

DSC00372-PQUma leitora do blog enviou e-mail para dizer que os moradores do Jardim Pires de Andrade, lá perto do Clube do Ipê, estão preocupados com a erosão mostrada na foto ao lado.

Não é o caso de a erosão estar ameaçando engolir as casas deles, mas, segundo a leitora, se nada for feito, o poste que aparece na foto poderá cair a qualquer momento.

E, se cair, diz ela, vai causar problemas em todo o bairro com a falta de energia elétrica. Segundo a leitora, alguns moradores já pediram providências à Prefeitura, mas, transcorridos quase dois meses do pedido, não se fez nada.

Enquanto isso, a erosão continua aumentando.

MORADOR DO SANTO EXPEDITO ESTRANHA DEMORA NA RETIRADA DE ENTULHOS DE OBRAS

DSC00537-ed

DSC00539-ed

Nesta semana, recebi um e-mail enviado por um morador do bairro Santo Expedito. Ei-lo:

Cardosinho há duas semanas esta sendo feita uma reforma nas guias de sarjeta na Rua Peru, no Santo Expedito e também na rua anterior, que, se não me falha a memória, é a Rua Colômbia.

Até aí, tudo bem. Só que, desde o início dessa reforma, as duas ruas foram interditadas com entulho e agora com as guias já quase prontas nada da Prefeitura ir lá limpar o entulho e abrir as ruas. Pra entrar na minha rua preciso ficar dando voltas pelos quarteirões, já que a rua está interditada.

Na verdade, a Prefeitura está construindo dois sarjetões no Santo Expedito, um na esquina das ruas Chile e Peru, e o outro na esquina das ruas Bolívia e Porto Rico.

A demora na retirada dos entulhos, nesse caso, não é desleixo. É uma tática da Secretaria de Obras para impedir que carros e motos passem pelo local, antes da liberação.

Depois do que aconteceu com o sarjetão construído nas proximidades do Almanah, na “Francisco Jalles”, a Prefeitura está sendo mais precavida na hora de liberar os locais reformados. 

Há algum tempo, a Prefeitura construiu um sarjetão (parece ser uma especialidade da administração Nice) na Rua Nova Iorque e os entulhos ficaram por lá durante um mês, impedindo o trânsito da Rua Bom Pastor. Só resta, nesse caso, ter paciência.

MORADOR DO JARDIM ROMERO RECLAMA DE BURACOS EM FRENTE À SUA GARAGEM

DSC00411-ed

DSC00542-ed

O amigo Toninho Santiago, depois de muitos anos morando em Aparecida D’Oeste, resolveu se mudar para Jales.  Aparentemente, ele ainda não se arrependeu da mudança. Mas, se as coisas continuarem como estão, não demora e ele estará arrependido.

Há alguns dias, o Toninho enviou um e-mail reclamando dos buracos existentes na continuidade da Avenida “Francisco Jalles”, ali no Jardim Romero. Alguns buracos situavam-se bem em frente à garagem do Toninho. E, para piorar, tem também um poste na frente da garagem dele.

“Além disso, tem o acúmulo de águas paradas, propícias à proliferação do mosquito da dengue”, escreveu o amigo.

Na semana passada, estive lá no Jardim Romero e fotografei a frente da casa do Toninho. É a primeira foto lá de cima. A segunda foto foi feita ontem e mostra que, à falta de providências da Prefeitura, ele improvisou uns entulhos para tapar parte dos buracos.

Sei não, mas acho que daqui a alguns dias o Toninho terá que – a exemplo daquele morador lá do Jardim Pires de Andrade – investir um dinheirinho em alguns metros de concreto. 

MOÇA DO ‘REVISTA DE SÁBADO’ SERÁ A NOVA REPÓRTER DO CQC

naty-graciano-nova-reporter-do-cqc-1393702999598_615x470A atriz, repórter e apresentadora  Naty Graciano, do programa “Revista de Sábado”, da TV Tem, será a nova  integrante do time de repórteres do CQC, da TV Bandeirantes. A novidade está na coluna do Flávio Ricco, no UOL.

Ela foi contratada depois da desistência do jornalista mineiro Fred Melo Paiva, que seria uma das novidades do programa nesta temporada. Fred desistiu do novo emprego por razões pessoais.

Naty Graciano esteve em Jales no ano passado, onde gravou algumas reportagens para o “Revista de Sábado”. A matéria com os bumerangues do Zé Carlos do Xadrez, por exemplo, pode ser vista aqui.

A SOCIÓLOGA QUE DISSE NÃO À REVISTA VEJA

Os meus oráculos – Chico Melfi e Marco Poletto – vão gostar dessa notícia que está correndo na internet.

A socióloga Sílvia Viana, procurada pela revista Veja para uma entrevista sobre essa idiotice que se chama BBB 14, deu a resposta que muita gente gostaria de dar. Vejam. Ou melhor, leiam:

“Respondo seu e-mail pelo respeito que tenho por sua profissão, bem como pela compreensão das condições precárias às quais o trabalho do jornalista está submetido. Contudo, considero a ‘Veja’ uma revista muito mais que tendenciosa, considero-a torpe.

Trata-se de uma publicação que estimula o reacionarismo ressentido, paranoico e feroz que temos visto se alastrar pela sociedade; uma revista que aplaude o estado de exceção permanente, cada vez mais escancarado em nossa “democracia”; uma revista que mente, distorce, inverte, omite, acusa, julga, condena e pune quem não compartilha de suas infâmias – e faz tudo isso descaradamente; por fim, uma revista que desestimula o próprio pensamento ao ignorar a argumentação, baseando suas suposições delirantes em meras ofensas.

Sendo assim, qualquer forma de participação nessa publicação significa a eliminação do debate (nesse caso, nem se poderia falar em empobrecimento do debate, pois na ‘Veja’ a linguagem nasce morta) – e isso ainda que a revista respeitasse a integridade das palavras de seus entrevistados e opositores, coisa que não faz, exceto quando tais palavras já tem a forma do vírus.

Dito isso, minha resposta é: Preferiria não.”

A TRIBUNA: SERVIDORES MUNICIPAIS PODEM PARAR DEPOIS DO CARNAVAL

capa tribuna 02.03.14Eis a capa de A Tribuna deste final de semana. O jornal destaca, em matéria  escrita pelo Alexandre ‘Carioca’  Ribeiro, o embate entre a prefeita Nice Mistilides e os servidores municipais, por conta da reposição salarial.

Ainda nessa seara, o jornal traz outras matérias  mostrando que, na nossa Prefeitura, os gastos com pessoal aumentaram 20% em 2013, enquanto a arrecadação de tributos ficou abaixo das previsões.

A construção de uma rotatória na Avenida “João Amadeu”, nas proximidades do Proença Supermercados, e a inundação do novo trevo da rodovia “Euphly Jalles”, durante chuva da semana passada, são outros destaques de A Tribuna.

As novidades da CEI dos Uniformes, que está investigando a compra dos uniformes escolares de 2013, bem como os possíveis resultados da Sindicância aberta pela Prefeitura para apurar o sumiço de um semáforo, são outros assuntos deste final de semana.

E, pra terminar, temos ainda os artigos do vice-prefeito Pedro Callado e do grande filósofo contemporâneo Marco Poletto, a prestigiada coluna social do Douglas Zíllio, e, é claro, aquela coluninha sobre política e outras inutilidades, escrita por este aprendiz de blogueiro.

EM BIRIGUI, HOMEM É ESPANCADO E AMARRADO EM POSTE

A notícia é do portal Terra:

Moradores de um bairro de Birigui, no interior paulista, espancaram um homem de 29 anos e o amarraram num poste de energia elétrica. Rodrigo Antônio Miro estaria sob efeito de entorpecentes e revoltou moradores do Parque das Nações, na periferia da cidade, ao mostrar o pênis para pessoas que passavam pela rua Basílio Baffi, na noite dessa quinta-feira. 

“Ele estava xingando, ameaçando e agredindo fisicamente quem passasse pela frente. Estava muito nervoso, agredindo a todos. Até que mostrou o órgão genital para as pessoas no meio da rua, o que revoltou um grupo de rapazes que estava por perto. Foi quando teve início uma briga”, contou o comerciante Antônio Lúcio Moraes.

Segundo ele, os rapazes espancaram Miro e depois de o amarrarem a um poste de energia, chamaram a Polícia Militar para socorrê-lo. “Ele apanhou bastante, parecia estar sob efeito de entorpecentes”, disse.

Ao chegarem ao local, por volta das 22 horas, os PMs encontraram Miro muito ferido, principalmente no rosto. Ele foi levado ao pronto-socorro e como ainda continuava muito agressivo foi preciso aplicar calmantes para sedá-lo. Segundo a Polícia Militar, embora tenha cumprido pena por roubo, o rapaz não tinha mandado de prisão contra ele. 

O caso foi o segundo do gênero registrado em Birigui neste ano. Na noite de 6 de janeiro, o desempregado Fabrício da Silva, de 21 anos, foi flagrado quando roubava uma casa na Vila Roberto, também periferia da cidade. Moradores conseguiram rendê-lo. O rapaz foi amarrado a um poste e enquanto a Polícia Militar não chegava, foi reconhecido e espancado por outros moradores do bairro que supostamente também tinham sido vítimas de furtos praticados pelo rapaz.

NOS ESTADOS UNIDOS, DEFUNTO DÁ UM CHUTE E ESCAPA DE SACO NA FUNERÁRIA

A notícia é do iG:

Um diretor de funerária em Mississippi, nos EUA, tomou um susto nesta semana quando um homem, tido como morto, deu um chute para escapar do saco onde estava pouco antes do início do procedimento em que seria embalsamado, relatou uma TV local. “Para resumir, ele não estava morto”, disse o diretor Byron Porter à TV WAPT na quinta-feira à noite.

O homem, Walter Williams, tinha sido declarado morto na quarta-feira depois que o legista foi à sua casa em Lexington e disse que seu corpo não tinha mais pulsação. Ele foi então levado para a funerária.

“Eu estava lá e vi eles colocando o corpo no saco e fechando o saco”, disse Eddie Hester, sobrinho de Williams, à emissora de TV. Paramédicos levaram Williams para um hospital local, onde ele recebe tratamento. “Não sei quanto tempo ele vai ficar lá, mas ele está de volta agora. Isso é o que importa”, afirmou Hester.

1 14 15 16