Arquivos mensais: Março 2015

PRORROGADAS AS PRISÕES TEMPORÁRIAS DO EX-PREFEITO DE FERNANDÓPOLIS E DEMAIS PRESOS DA OPERAÇÃO VULPINO

A notícia é da assessoria de imprensa da Polícia Federal:

Após a deflagração da Operação Vulpino, na sexta-feira (27), foram localizados documentos que comprovam a prática de outras fraudes cometidas em detrimento da Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF) que ainda não haviam sido identificadas. 

Além disso, diante da necessidade de realização de novas diligências, análise de documentos, inquirição de testemunhas e acareação entre os presos, a Polícia Federal de Jales/SP representou pela prorrogação da prisão temporária dos indivíduos. 

O juízo da 1ª Vara Criminal de Fernandópolis deferiu nesta terça-feira (31) a representação formulada pela Polícia Federal e determinou a prorrogação da prisão do ex-prefeito de Fernandópolis/SP, L. V. S., do presidente afastado da FEF, P. S. N, e de A. M. O., residente na cidade de Campo Grande/MS. 

Com a prorrogação da medida temporária os envolvidos permanecerão presos por mais cinco dias.

FUNCIONÁRIOS DA PROPOSTA AMEAÇAM FAZER GREVE E PARAR COLETA DE LIXO EM JALES

Segundo fontes confiáveis, os funcionários da Proposta Ambiental Ltda, responsável pela limpeza urbana, estão ameaçando iniciar uma greve na próxima quinta-feira, paralisando os serviços de coleta de lixo e varrição das ruas.

O motivo: eles estão com os salários atrasados. As fontes não informaram há quanto tempo o pagamento dos salários está atrasado, mas ressaltam que a empresa sempre pagou religiosamente “em dia” os seus funcionários.

Ainda de acordo com as fontes, a empresa está alegando que há quase seis meses não recebe um único centavo da Prefeitura. A dívida do município com a Proposta, segundo as informações, chegará a R$ 1,8 milhão depois de fechado o mês de março.

PÉROLA VISITA DEPUTADA PETISTA E SOLICITA RECURSOS PARA HOSPITAL DE CÂNCER

Pérola e Ana (1)

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara:

A vereadora Pérola Maria Fonseca Cardoso (PT) esteve em Hortolândia no dia 20 de março, sexta-feira, onde se reuniu com a deputada federal Ana Perugini (PT), ocasião em que encaminhou solicitações objetivando angariar recursos ao nosso município.

Dentre as solicitações da vereadora, foi apresentado o pedido de liberação de recursos na ordem de R$ 500.000,00 (Quinhentos mil reais) a serem destinados a Fundação PIO XII – Hospital de Câncer de Barretos – Unidade de Jales para investimentos e aquisição de equipamentos.

 Pérola também apresentou à deputada Ana Perugini um ofício do Prefeito de Jales, Dr. Pedro Manoel Callado Moraes, solicitando recursos e união de forças da deputada junto à solicitação para implantação de um campus do Instituto Federal de São Paulo no município de Jales.

E CAIADO DIZ QUE DEMÓSTENES “É APENAS MAIS UM BANDIDO QUE ENFRENTO”

ronaldo-caiado-300x156O senador Ronaldo Caiado – que está sempre na TV posando de paladino da ética e apontando o dedo para as culpas dos outros  – respondeu rapidinho ao artigo de seu ex-colega de DEM, Demóstenes Torres. O artigo, por inteiro, pode ser visto aqui. Abaixo, alguns trechos:

“O comportamento do ex-senador Demóstenes Torres é típico de um psicopata. Cassado pelos seus pares, em seus momentos de alucinação, por não suportar a sua derrocada política e moral, ele tenta lançar mentiras contra mim”.

“Todos me aconselharam a não polemizar com um corrupto, mau-caráter, sem credibilidade, cheio de mágoas por ter sido flagrado num esquema que envergonhou Goiás e o Brasil. Mas minha formação é diferente. Sou preparado e acostumado a enfrentar bandidos”.

“Nunca fui sustentado por Carlinhos Cachoeira nem fui de seu círculo de amizades. Sou um homem desencabrestado. Como médico, atendi um filho dele a pedido de Demóstenes. A criança, que possuía uma displasia, foi a meu encontro acompanhada apenas de sua mãe, ex-mulher de Cachoeira. Encaminhei o paciente para o professor Carlos Giesta, especialista nesse assunto”.

“Em relação às minhas campanhas, que Demóstenes torne público onde Carlos Cachoeira teria participação. Os dados estão divulgados para quem quiser conferir. Ameaça, Demóstenes, é coisa de bandido. Torne público o que você diz ter contra mim”.

“Eurípedes Barsanulfo, amigo de meu pai, tem o hábito de jogar, mas eu jamais soube da participação dele em esquema de caça-níqueis. Não acredito que ele tenha envolvimento com isso. Demóstenes mente porque sabe que eu jamais poderia ter interferido num assunto que eu sempre enfrentei com coragem”.

“Além de psicopata, Demóstenes é mal-agradecido. Estive em toda a sua campanha de 2006, até quando ele abandonou uma carreata em Cristalina, porque as pesquisas indicavam que não teria mais chances vencer. Demóstenes me disse para continuar a campanha porque ele já estava derrotado. Bateu em retirada”.

“Tenho 65 anos de idade e posso andar de cabeça erguida em todos os lugares do País, com coragem de enfrentar meus opositores. Nas manifestações do dia 15 de março, estava em São Paulo me recuperando de uma cirurgia. No dia 12 de abril, estarei em Goiânia, em praça pública. E você, Demóstenes? Estará trancafiado”.

“Na minha vida, as cicatrizes são no peito por enfrentar os adversários de frente. Não sou como Demóstenes, fugitivo e subserviente a seus patrões”.

DEMÓSTENES SUGERE QUE CAIADO TERIA USADO DINHEIRO DA CONTRAVENÇÃO EM CAMPANHAS

demostenestorresO clima está esquentando em Goiás. Demóstenes Torres – lembram-se dele? – resolveu sair do silêncio depois de ser criticado pelo ex-companheiro de partido, o Ronaldo Caiado, na revista Veja.

Ele escreveu um longo artigo para o jornal goiano Diário da Manhã onde só não chama Caiado de santo. O título do artigo é sugestivo: “Ronaldo Caiado, uma voz à procura de um cérebro”. Abaixo, alguns trechos:

“Fiz uma opção íntima, a partir das turbulências que enfrentei, de permanecer em silêncio até que a justiça desse o veredito final e me aclamasse inocente, como de fato sou”.

“Hoje, lamentavelmente, saio do ostracismo a que me tinha recolhido para enfrentar declarações dadas ao “painel” da revista Veja, em que o Senador por Goiás, Ronaldo Caiado, afirma que sou uma grande decepção em sua vida e um traidor”.

“Ronaldo fazia sim, parte da rede de amigos de Carlos Cachoeira, era, inclusive, médico de seu filho. Mas não era só de amizade que se nutria Ronaldo Caiado, peguem as contas de seus gastos gráficos, aéreos e de pessoal, notadamente   nas campanhas  de 2002, 2006  e 2010, que qualquer um verá as impressões digitais do anjo caído. Siga o dinheiro”.

“Ronaldo Caiado é chefe de um dos mais nocivos vagabundos de Goiás, o delegado de polícia civil aposentado, Eurípedes Barsanulfo, que era o melhor amigo de Deuselino Valadares, o delegado de polícia federal que fez um “relato”, segundo “Carta Capital”, onde me acusava de ser beneficiário do jogo do bicho”.

“Ronaldo Caiado é um oportunista. Muitos que vivem fora de Goiás devem imaginar que ele é um coerente, uma figura emergida dos anseios das ruas, um puritano. Qual o quê! Na atividade política é um profissional de lupanar. Dois fatos podem elucidar seu caráter de Fouché”.

“No pior declínio moral, chegou a ser filmado no palanque da candidata Vanusa Valadares, mulher do hoje prefeito Eronildo Valadares em Porangatu. Portanto, quadrúpede que é, tinha suas patas, simultaneamente, em 3 canoas”.

“Quem pensa que Ronaldo Caiado é espontâneo se engana. Tudo é meticulosamente calculado. Por que ele não veio para as ruas de Goiânia na passeata e preferiu São Paulo? Porque em Goiânia seria vaiado. E por que São Paulo? Porque era mais fácil de mentir. O desafio a mostrar uma filmagem dele no meio dos manifestantes na Avenida Paulista em São Paulo. Só aparecem coisas periféricas”.

“Você diz em seus discursos que Caiado não rouba, não mente e não trai. Você rouba, mente e trai”.

“Você deveria ir pra Brasília em seu cavalo branco, estacioná-lo na chapelaria do Senado e subir à tribuna para fazer o que já faz: relinchar, relinchar”.

“Me deixe em paz Senador. Continue despontando para o anonimato. É o seu destino. Não me move mais interesses políticos. Considero vermes iguais a você Marconi Perillo e Íris Rezende. Toque sua vida, se fizer troça comigo novamente não o pouparei. Continue fingindo que é inocente e lembre-se que não está na sarjeta porque eu não tenho vocação para delator. Tome suas medidas prudenciais e faça-se de morto”.

“Ronaldo Caiado jamais conseguiu terminar de ler um livro. Por sua formação francesa, o mais perto que chegou do fim foi “O menino do dedo verde”, mas o achou muito “profundo”. Ronaldo Caiado é só uma voz à procura de um cérebro”.

JUSTIÇA: JALESENSE MINISTRA CURSOS DE MÉTODOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS

edson edgar-IMG_20150328_143250494_HDR

Ultimamente, há todo um esforço de setores envolvidos com a Justiça para gerenciar os 100 milhões de processos em andamento no Brasil. Desde 2010 (Res 125-CNJ) foi instituída a “Política Pública Judiciária de Tratamento Adequado de Resolução de Conflitos”, que, se implementada adequadamente, provocará uma profunda transformação, substituindo a atual “cultura da sentença” pela “cultura da pacificação”.

Com a sanção do novo Código de Processo Civil neste mês de março (entra em vigor daqui a um ano), a tendência é que mecanismos como a conciliação e a mediação passem a ser utilizados com mais frequência, mesmo porque a “audiência prévia de conciliação/mediação” passará a ser obrigatória.

Como Instrutor de cursos e Supervisor de estágios credenciado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) nosso amigo Edson Edgard Batista, que é serventuário da Justiça, tem participado intensamente desta “nova” etapa do Judiciário brasileiro. Ele tem andado pelo Brasil afora ministrando cursos e supervisionando estágios.

Palavras dele a este aprendiz de blogueiro: “com muito esforço temos tentado avançar, procurando uma formação mais adequada, participando de eventos e organizando cursos de formação. Sou associado do IPROMESC (Instituto de Profissionais em Métodos de Solução de Conflitos), que é a primeira organização no  Brasil credenciada junto ao CNJ e TJ/SP para desenvolver esses trabalhos”.

Edson Edgar destacou, também, o trabalho que vem sendo feito em busca de parcerias. “Temos procurado ainda estabelecer parcerias com outros organismos e Instituições de Ensino: estamos negociando com UNINOVE-São Paulo; Instituto Mauá-Santo André-SP e com a UNIP (que tem campus por todo o Brasil), no sentido de impulsionar o desenvolvimento da Política Pública”.

VEREADORES QUESTIONAM INSTALAÇÃO DE ‘GUARD RAIL’ NA MARGINAL IZAURA BERTO VENTURINI

Sessão 1498

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara:

Os vereadores Gilberto Alexandre de Moraes, Jesus Martins Batista, Luís Fernando Rosalino, Pérola Maria Fonseca Cardoso e Rivail Rodrigues Júnior, apresentaram, na última Sessão Ordinária, realizada na segunda-feira, 23 de março, o Requerimento nº 39/2015, que requer do Executivo e do Departamento de Estradas de Rodagem – DR.9 informações sobre a possibilidade da retirada do “guard rail” instalado no final da Marginal Izaura Berto Venturini, nas proximidades da empresa Venturini Mármores e Granitos. 

O documento leva em conta que foi instalado um “guard rail”, pelo DER, no final da Marginal Izaura Berto Venturini, nas proximidades da empresa Venturini Mármores e Granitos, no perímetro urbano de Jales e que é desconhecida a razão de tal “guard rail” que impede o acesso de veículos à Rodovia Euclides da Cunha – SP-320, impondo a estes um retorno extenso e incômodo. 

Também é considerada que já foram encaminhados ofícios ao Departamento de Estradas de Rodagem – DR.9 de São José do Rio Preto, sendo que o último ofício, não respondido, data de 18 de dezembro de 2014. 

Desta feita, o Requerimento, aprovado por unanimidade, foi encaminhado ao Poder Executivo e ao diretor do Departamento de Estradas de Rodagem – DR.9, de São José do Rio Preto, Sr. Everson Guilherme Grigoleto, que deverão responder, dentro de suas atribuições, quais razões levaram à instalação de “guard rail”, pelo DER, no final da Marginal Izaura Berto Venturini.

Caso este “guard rail” não seja de extrema importância, se haverá a possibilidade de sua remoção, liberando o acesso da Marginal Izaura Berto Venturini à Rodovia Euclides da Cunha – SP-320, visto que o mesmo causa grandes transtornos aos que trafegam por aquela região da cidade.

UM POUQUINHO DE ALGUMAS COISAS

DSC02230

O simpático buraco da foto enfeita a paisagem da Rua Nove, bem em frente ao Fórum Trabalhista de Jales. O Fórum é visitado diariamente por pessoas, incluindo advogados, de toda a região e até de outras regiões do estado. Bem pertinho dali, o asfalto da Avenida Integração – com o devido perdão pelo péssimo trocadilho – está se desintegrando.

Agora, a boa notícia: segundo fontes, a Prefeitura deverá realizar ainda nesta semana uma licitação para aquisição de produtos asfálticos, a fim de iniciar uma operação tapa-buracos. Se a chuva deixar.

A Prefeitura de Jales teve que desembolsar quase R$ 200 mil no início deste mês, para pagar os direitos trabalhistas dos ex-assessores de primeiro escalão da prefeita cassada Nice Mistilides, demitidos por Pedro Callado. A ex-secretária de Agricultura, Sandra Gigante, foi quem recebeu a maior indenização: R$ 21 mil.

O vereador André Macetão protocolou nesta segunda-feira, na Câmara Municipal, a defesa escrita preparada pelo advogado Aparecido Carlos Santana. O Conselho de Ética terá, agora, 15 dias para fazer diligências e, se for o caso, ouvir as testemunhas indicadas por Macetão. Depois disso, o Conselho terá mais 10 dias para apresentar o relatório final que será votado por todos os vereadores.

Por falar em Macetão, o ex-vereador Henrique Macetão, que ocupava um cargo de confiança na Prefeitura de Fernandópolis, negou que tenha sido demitido pela prefeita Ana Bim por conta das trapalhadas de seu irmão André. Henrique garante que já tinha pedido demissão do cargo antes da divulgação das famosas gravações do ex-secretário Aldo Nunes.

O prefeito Pedro Callado revogou – ou cancelou – a licitação aberta pela ex-prefeita Nice Mistilides visando a aquisição de um carro novo para uso do gabinete. Segundo o prefeito, não se justificaria a aquisição de um veículo zero quilômetro, uma vez que os carros disponibilizados para o seu gabinete estão em boas condições. Para mostrar que não se tratava apenas de discurso, Callado viajou nesta segunda-feira, para Brasília, de carro.

Um dos mais fiéis assessores da ex-prefeita Nice, demitido por Callado,  recebeu ofertas para voltar a um de seus antigos empregos, mas não aceitou o convite. Ele disse que ainda tem esperanças de ver a ex-prefeita de volta ao cargo. E, nesse caso, ele voltaria também.

O secretário de Obras, Manoel Andreo de Aro, que não é bobo, tratou de destacar um servidor de sua secretaria para fiscalizar os serviços prestados pela empresa do lixo, a Proposta Ambiental Ltda. A fiscalização vem sendo feita inclusive nos finais de semana.

Segundo informações, o Ministério Público de Jales teria mandado ao arquivo morto a denúncia do ex-secretário Aldo Nunes envolvendo a famosa reforma da cobertura da Câmara Municipal. A promotoria teria se dado por satisfeita com as explicações e com a documentação encaminhada pela Câmara. Muito antes de o assunto se tornar público, o ex-presidente Gilbertão já tinha aberto uma sindicância interna sobre o caso e levado o resultado ao conhecimento do MP.

EMPRESA DE CATANDUVA GANHA LICITAÇÃO PARA COLETA DE LIXO

macchioneA empresa Macchione Projeto e Construção Ltda, de Catanduva, foi a vencedora da concorrência aberta pela Prefeitura de Jales para contratação da nova responsável pela coleta de lixo e limpeza urbana no município.

O ex-prefeito de Catanduva, Afonso Macchione Neto (foto), sócio-proprietário da empresa, veio pessoalmente acompanhar a abertura dos envelopes com as propostas de preços das três concorrentes. Além da Macchione – que teve de recorrer à Justiça para continuar participando do certame – concorreram a Proposta Ambiental Ltda e Constroeste Participações Ltda.

A Proposta Ltda ainda tentou, até à última hora, tirar a Macchione do páreo. Na quinta-feira, os representantes da empresa foram à Justiça com um Mandado de Segurança pleiteando uma liminar, mas a medida foi negada pela juíza da 4ª Vara, Maria Paula Branquinho Pini. A magistrada argumentou, entre outras coisas, que a participação da Macchione no certame foi objeto de determinação judicial.

A Macchione ganhou a licitação com o preço de R$ 3,1 milhões por ano, ou R$ 257 mil mensais. O valor proposto pela Macchione poderá significar uma economia de R$ 700 mil/ano, uma vez que o contrato atual, com a Proposta Ltda, é de R$ 316 mil mensais.

Curiosamente, a própria Proposta Ltda apresentou, na licitação, um preço – R$ 3,5 milhões, ou R$ 291 mil mensais – abaixo do que vinha cobrando. Mesmo com a Proposta baixando os seus preços, a contratação da Macchione ainda significará uma economia de R$ 400 mil/ano ou R$ 25 mil/mês.

De seu lado, a Constroeste Ltda, de São José do Rio Preto, foi a última colocada no certame, com uma proposta de quase R$ 4,1 milhões/ano.

A Macchione Ltda começou suas atividades em 1985 e já tem, portanto,  trinta anos de estrada. Ela já foi responsável pela coleta de lixo em cidades como Votuporanga, Barretos e Catanduva. Atualmente, presta serviços em Garça.

Resta-nos torcer, agora, para que a Macchione preste bons serviços. A Proposta Ltda está cobrando mais de R$ 300 mil por mês mas o número de varredoras contratadas pela empresa, por exemplo, está muito abaixo do que estipula o contrato firmado com a Prefeitura.

UM TUCANO EM APUROS: EX-ASSESSOR DIZ QUE PRIMO DE BETO RICHA ARRECADAVA PARA CAIXA 2

beto richa abi aountun

Parece que o “suposto” primo do governador Beto Richa é muito mais do que um primo distante. A notícia é do jornal paranaense Gazeta do Povo:

O fotógrafo Marcelo Caramori afirmou em depoimento ao Ministério Público que o empresário Luiz Abi Antoun seria o grande “caixa financeiro” do governador Beto Richa (PSDB), sendo responsável por arrecadar dinheiro para campanhas eleitorais. De acordo com Caramori, preso em janeiro sob acusação de envolvimento em um esquema de exploração sexual de adolescentes, Abi Antoun teria organizado um esquema criminoso que envolveria a colocação de pessoas em “pontos estratégicos” da estrutura do governo do estado. O PSDB negou todas as acusações.

Em depoimento prestado no dia 5 de fevereiro, Caramori afirma que Abi se incumbe de “bancar campanhas políticas e arrecadar dinheiro proveniente dos vários órgãos do estado”. Nas investigações do Gaeco, assim como nos bastidores da política estadual, Luiz Abi, que é parente distante de Richa, é tido como alguém influente no governo, embora não ocupe cargo na administração pública. Conforme Caramori, Abi teria poder para indicar ocupantes de cargos comissionados “em pontos estratégicos do estado”, como “chefes de fiscalização e das polícias”. Caramori afirma ainda que Abi “exerce fundamental tarefa nesse esquema de arrecadação”. 

Abi é um dos sete indiciados pelo Gaeco na Operação Voldemort, que investiga a denúncia de que o empresário liderou o grupo suspeito de fraudar a licitação que resultou na contratação emergencial da Providence Auto Center, oficina que consertava os carros do governo na região. O Gaeco sustenta que Abi seria o verdadeiro proprietário da Providence e que usaria como “laranja” Ismar Ieger, que aparece como dono oficial da empresa.

No mesmo depoimento Caramori estabelece a relação entre Abi e o ex-inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual, Márcio de Albuquerque Lima, que teve a prisão decretada em outra operação do Gaeco, a Publicanos. A operação investiga um esquema de sonegação que funcionaria na Delegacia da Receita na cidade. Os fiscais e auditores investigados são acusados de cobrar propina de empresários que tinham dívidas com a Receita. Em troca, eles quitariam as dívidas sem que o estado recebesse o dinheiro.

Segundo Caramori, “Lima exerce importante tarefa” no esquema de arrecadação que teria sido montado por Abi. O ex-assessor afirma que a importância de Lima no esquema teria justificado sua nomeação para o cargo de Inspetor Geral de Fiscalização da Receita, em junho do ano passado. A responsabilidade pela nomeação seria do próprio governador.

Lima, que é companheiro de equipe de Beto Richa nas provas automobilísticas das 500 milhas de Londrina, ficou no cargo de Inspetor Geral de Fiscalização até 2 de março, três dias antes do Gaeco cumprir um mandado de busca e apreensão no seu escritório, em Curitiba.

1 2 3 14