Arquivos mensais: Janeiro 2016

PREFEITURA DE DOLCINÓPOLIS TERÁ 30 DIAS PARA REPASSAR À CAIXA FEDERAL OS VALORES DESCONTADOS DE SERVIDORES

E quanto ao prefeito irresponsável que deixou de repassar os valores à Caixa Federal? Será que vai mesmo responder pelo crime de apropriação indébita? A notícia é da assessoria de comunicação do MPF:

Após ação do Ministério Público Federal em Jales, no interior de São Paulo, a Justiça Federal determinou, em caráter liminar, que o Município de Dolcinópolis repasse à Caixa Econômica Federal, em até 30 dias, os valores de empréstimos consignados feitos por 85 servidores. Apesar de ter realizado os descontos na folha de pagamento, a municipalidade não transferiu os valores ao banco, que negativou indevidamente os nomes dos funcionários. A liminar determina também que a Caixa retire os nomes dos cadastros de proteção ao crédito, como, por exemplo, Serasa. 

Questionado pelo MPF durante o processo, o Município de Dolcinópolis esclareceu que estaria passando por um período de grande desequilíbrio financeiro, o que a impossibilitou de saldar suas obrigações e transferir os valores devidos à Caixa. Em janeiro de 2015, o banco registrava cinco parcelas em atraso, referentes aos empréstimos consignados dos servidores da cidade, apesar de a administração municipal ter se comprometido a quitar a dívida até o fim do ano passado. 

Para o procurador da República José Rubens Plates, responsável pela ação, ao não repassar os valores retidos de seus servidores, a Prefeitura de Dolcinópolis feriu o princípio da moralidade administrativa e o dever da boa-fé. A Caixa Econômica Federal também lesou os mesmos princípios da administração pública visto que inscreveu o nome dos clientes em cadastros de proteção ao crédito mesmo sabendo que a responsabilidade pela falta de pagamento era do gestor municipal.

Como resultado, os servidores tiveram sua dignidade violada e seus interesses econômicos prejudicados. Ao ter seus nomes indevidamente negativados, os consumidores sofreram constrangimentos e restrições de crédito, mesmo após o valor mensal do empréstimo consignado ser descontado de seus salários. Por isso, o MPF também pediu na ação que, ao final do processo, o Município de Dolcinópolis e a Caixa sejam condenados a reparar os danos materiais e morais causados aos servidores, em valor não inferior a R$ 1 mil, para cada inscrição indevida.

NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO COMEÇOU A VALER ONTEM

Ficou mais complicado escrever. A notícia é do portal Terra:

As regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa são obrigatórias no Brasil a partir de ontem, 1º de janeiro. Em uso desde 2009, mudanças como o fim do trema e novas regras para o uso do hífen e de acentos diferenciais agora são oficiais com a entrada em vigor do acordo, adiada por três anos pelo governo brasileiro.

Assinado em 1990 com outros Estados-Membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) para padronizar as regras ortográficas, o acordo foi ratificado pelo Brasil em 2008 e implementado sem obrigatoriedade em 2009. A previsão inicial era que as regras fossem cobradas oficialmente a partir de 1° de janeiro de 2013, mas, após polêmicas e críticas da sociedade, o governo adiou a entrada em vigor para 1° de janeiro de 2016.

Principais mudanças:

Entre as principais mudanças, está a ampliação do alfabeto oficial para 26 letras, com o acréscimo do k, w e y. As letras já são usadas em várias palavras do idioma, como nomes indígenas e abreviações de medidas, mas estavam fora do vocábulo oficial.

O trema – dois pontos sobre a vogal u – foi eliminado, e pode ser usado apenas em nomes próprios. No entanto, a mudança vale apenas para a escrita, e palavras como linguiça, cinquenta e tranquilo continuam com a mesma pronúncia.

Os acentos diferenciais também deixaram de existir, de acordo com as novas regras, eliminando a diferença gráfica entre pára (do verbo parar) e para (preposição), por exemplo. Há exceções como as palavras pôr (verbo) e por (preposição) e pode (presente do indicativo do verbo poder) e pôde (pretérito do indicativo do verbo poder), que tiveram os acentos diferenciais mantidos.

O acento circunflexo foi retirado de palavras terminadas em “êem”, como nas formas verbais leem, creem, veem e em substantivos como enjoo e voo.

Já o acento agudo foi eliminado nos ditongos abertos “ei” e “oi” (antes “éi” e “ói”), dando nova grafia a palavras como colmeia e  jiboia.

O hífen deixou de ser usado em dois casos: quando a segunda parte da palavra começar com s ou r (contra-regra passou a ser contrarregra), com exceção de quando o prefixo terminar em r (super-resistente), e quando a primeira parte da palavra termina com vogal e a segunda parte começa com vogal (auto-estrada passou a ser autoestrada).

BLOGUEIRA PEDE DESCULPAS AOS MORADORES DE ASPÁSIA

A blogueira Elisama Azevedo, de São Paulo, que havia publicado um post com críticas à brava gente de Aspásia, postou outro texto, neste sábado, em que pede desculpas pelo mal entendido. Vamos a ele:   

aspásiaSei que muitos de vocês estão se sentindo ofendidos com meu post sobre Aspásia, por essa razão decidi escrever uma nova postagem com pedidos de desculpas por ter me excedido nos comentários.

Com relação a Jales, não tenho do que reclamar (tirando o episódio do assalto e do fotógrafo) sempre me dei bem com todos lá e adoro a cidade. De qualquer forma se alguém se sentiu ofendido, peço desculpas.

Quanto a Aspásia, eu ouvi sim comentários que me chatearam bastante então resolvi desabafar. Acontece que eu não soube me expressar e fui infeliz em minhas palavras onde pareceu que eu estava generalizando toda a cidade, não foi minha intenção pois tenho pessoas ali que admiro e quero bem. Não é justo a maioria levar culpa por causa de uma porcentagem mínima e vocês nem precisavam ficar sabendo disso. Por essa razão, peço desculpas mais uma vez a todos vocês!

CASAL FAZ SELFIE COM INCÊNDIO EM DUBAI E CAUSA REVOLTA NAS REDES SOCIAIS

A notícia é do portal da Rede TV:

20160102100347HQ3EpHBWQRUm incêndio tomou conta do hotel luxuoso “The Address Downtown”, em Dubai (Emirados Árabes), na noite de quinta-feira (31), deixando moradores locais apreensivos. Contudo, um casal decidiu utilizar o acidente como “plano de fundo” de uma selfie e a imagem acabou revoltando usuários das redes sociais.

Publicada no Instagram pelo internauta “AR Alateeqi”, a selfie mostra a dupla sorridente enquanto as chamas consomem o edifício. “Feliz ano novo minha querida Dubai. Que Deus abençoe você e te mantenha segura, você sempre nos surpreende com grandes fogos de artifícios”, escreveu Alateeqi.

A foto acabou revoltando os usuários. “Selfie mais inapropriada da história”, comentou um internauta. “O quão estúpido ou maldoso é este casal tirando uma foto em frente a um incêndio?”, questionou outro.

Segundo a polícia local, aproximadamente 60 pessoas ficaram feridas e uma pessoa idosa morreu devido a ataques cardíacos.

O QUE A IMPRENSA ESCONDE SOBRE AS COMPRAS DE NATAL

image8-600x315

O texto é do economista Carlos Fernandes, no DCM:

A última semana do ano nos deu uma percepção mais clara da distância entre os dados econômicos e a maneira como eles são divulgados pela grande imprensa nacional de acordo com os interesses de ocasião.

É sabido que a movimentação das compras de Natal é um forte termômetro para medir o quão aquecida está a economia do país e o poder de compra dos brasileiros.

A partir desses dados podemos ter uma idéia, apesar de que ainda insuficientes, da como andam o orçamento familiar e a capacidade de endividamento das famílias como um todo.

Com a divulgação dos números pela ALSHOP – Associação Brasileira de Lojistas de Shopping, os grandes portais de imprensa se apressaram em veicular em letras garrafais a queda de 1% nas vendas e o seu pior Natal nos últimos 10 anos.

Logo se viram obrigados a reconhecer que as vendas efetuadas no mercado eletrônico tiveram um aumento inimaginável de 26% no mesmo período. Por si só, já seria um motivo de comemoração e não de penúria como quiseram levar a crer. Mas o fato é que os números vão além.

O que apresentaram como uma queda de 1% refere-se exclusivamente ao período de 1 a 24 de dezembro em relação ao mesmo período. Se observarmos a trajetória anual em termos nominais, de janeiro a dezembro as compras em shopping centers tiveram um aumento de 1,7% em relação a 2014.

Além disso, a grande mídia também considerou desnecessária a informação de que em 2015 o país presenciou a abertura de mais 19 shopping centers em todas as regiões. Destaque para o Sudeste e Nordeste com 8 e 7 novos empreendimentos, respectivamente.

Com isso, houve um aumento no número de lojas em operação em todo o Brasil: 1.042 novas lojas para ser mais exato. No fim, o que alardearam como o apocalipse do Natal na verdade é o resultado de um saldo positivo de 30.400 novos empregos com carteira assinada nesse setor especificamente.

Todos os dados acima foram obtidos do próprio relatório da ALSHOP, ou seja, com todas as informações em mãos, a oligarquia midiática brasileira preferiu não informar, ou pior, desinformar o seu público.

Esse é apenas um exemplo do terrorismo econômico que jornalistas sem qualquer compromisso com a realidade dos fatos, ajudam a construir um ambiente desfavorável à retomada do crescimento.

Não estou aqui de forma alguma querendo deixar a entender que não passamos por momentos difíceis ou que todas as dificuldades ora enfrentadas sejam de responsabilidade exclusiva da imprensa nacional.

Passamos sim por momentos de ajustes que demandam medidas sérias e enérgicas. Mas o que se tem visto por parte da grande mídia é uma contribuição monumental para o agravamento da percepção desse momento.

Os fundamentos micro e macroeconômicos do Brasil de hoje são extremamente mais sólidos e consistentes do que nas inúmeras crises que já passamos no decorrer da história.

Para ficarmos num só exemplo, basta dizer que no dia 1.o de janeiro de 2003, quando FHC entregava a faixa presidencial ao presidente Lula, as nossas reservas internacionais somavam 37 bilhões de dólares. No fechamento de novembro de 2015 contabilizamos 357 bilhões de dólares dessas mesmas reservas.

É inegável que 2015 se encerra como o pior ano da era petista e isso a grande mídia brasileira faz questão de tornar claro. O que simplesmente estão nos omitindo é que o pior ano do PT no governo ainda é melhor do que o melhor ano dos governos FHC e Sarney juntos.

E nisso os números não mentem.

BLOGUEIRA DE SÃO PAULO CRITICA POPULAÇÃO DE ASPÁSIA. E SOBROU ATÉ PARA JALES

 Elisama Azevedo, a noiva da foto, mora em São Paulo e tem um blog – Casar é… – especializado em casamentos. Ontem, ela postou um interessante texto, onde cita Jales e Aspásia. Confiram:

aspásiaQuem me acompanha no instagram já deve ter visto vária fotos citando a cidade de Aspásia. Foi lá que passei boa parte da minha infância, quase todas as minhas férias escolares eu estava lá.. gostava de brincar na terra, sentar nas cadeiras de fio enquanto ouvia as conversas das minhas tias, as vizinhas da minha vó iam nos visitar e tudo era muito bom.. coisas que sentia falta pois sempre morei em cidade grande.

Confesso que já pensei em largar tudo e me mudar pra lá mas será que eu seria aceita no comércio, será que seria bem vinda na região? Já tive amigos que se mudaram pra lá, montaram comércio na cidade mas os moradores preferiam comprar em cidades vizinhas do que comprar dele como que de propósito simplesmente pelo fato de “fulano”ter vindo de São Paulo.

Outro fator que me impede de viver bem lá é que para eles, São Paulo não presta, falam mal de tudo que se refere a Sampa. Falar mal do trânsito e da violência eu até entendo mas criticam a comida, criticam o refrigerante, criticam o sorvete e só o que eles tem lá é que presta. Eu penso assim: se tudo o que eles dizem for verdade e só lá tem coisa boa então vivam felizes sem chatear ninguém, sem ter que provar nada pra ninguém…assim como eu não chego lá criticando nada deles. Eu falo por mim,  nunca cheguei lá dizendo: – não gosto da sua cidade, – você é feia,  – aqui não tem isso ou aquilo, então porque eles se sentem na liberdade de detonar o meu estilo de vida?

Emprego Meu pai mesmo era representante daqueles Filtros Europa e vendeu várias unidades em Aspásia até que meia dúzia se doeu, fez a cabeça da cidade inteira e todo mundo veio devolver o produto e pedir o dinheiro de volta.

Segurança Eu já morei em Jales (cidade vizinha) e no meio da noite assaltaram nossa casa e levaram tudo, nos deixaram sem nada… foi aí que meus pais resolveram vir pra São Paulo onde até hoje esse tipo de coisa não aconteceu.

Comércio Quando me casei, contratei um fotógrafo de Jales mas ele não me enviou contrato, errou a data do casamento e não retornava minhas ligações!

Agora me digam a verdade, quem teria direito de criticar alguma coisa por ventura não seria eu? Mas lá acontece o contrário, eles se acham melhor em tudo e vivem dando um jeito de dizer isso todos os dias!

Mais alguém aqui já passou por situação parecida onde o outro faz questão de dizer que só o dele é melhor e só o dele presta?

E vocês, o que acham? A moça tem razão? Será que sofremos mesmo desse “complexo de superioridade”?

Post Scriptum: A Elisama solicitou, educadamente, que a foto dela fosse retirada do post. Está atendido o pedido.

1 11 12 13