Arquivos mensais: Fevereiro 2017

JORNAL DE JALES: VEREADORES NÃO TOPARAM APROVAR GASTOS COM FACIP

capa JJ 05.02.17Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, gentilmente enviada pelo Velho Brasa. A manchete principal diz que “não vai ter Facip com dinheiro público”. A notícia – ótima por sinal – diz que o prefeito Flávio Prandi resumiu a justificativa para a decisão de não realizar a festa, afirmando que “governar é definir prioridades”. Segundo o prefeito, o orçamento anual do município contempla apenas R$ 100 mil para a manutenção do recinto da Facip e os vereadores – prenhes de razão – não estavam dispostos a aprovar uma suplementação para cobrir os gastos de R$ 300 mil que a Prefeitura teria somente com a reforma do local da festa.

O JJ destacou também o primeiro ano de trabalho do bispo dom Reginaldo Andrietta à frente da Diocese de Jales, completado no dia 31 de janeiro. Em entrevista ao jornal, o bispo disse que “todos nós, seres humanos, somos seres políticos, afinal vivemos em sociedade, tendo portanto, responsabilidades cidadãs”. O bispo disse ainda que “Cristo não foi neutro no seu contexto histórico. Ele atuou de maneira contundente, apontando princípios para a vida em sociedade”.

Os objetivos da nova diretoria da Associação dos Engenheiros da Região de Jales (AERJ), que incluem a busca de maior participação comunitária; as condições do Banco do Brasil para o financiamento aos produtores rurais neste ano; a parceria firmada entre o Colégio Ferreira Prado e a escola de Inglês CCAA de Jales; e o relato de uma jalesense – que viralizou nas redes sociais – sobre a ausência paterna na criação da filha, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que o ex-vereador Gilbertão foi efusivamente recebido em uma padaria da cidade. Gilbertão – que tem passado a maior parte do tempo em seu rancho, em Aparecida do Taboado – disse ao colunista que ainda tem algumas pendências a serem resolvidas e que não vai descansar enquanto não acertar as contas com setores da administração anterior.

POR DETERMINAÇÃO DO CADE, JBS FECHA FRIGORÍFICO EM SANTA FÉ DO SUL COM 600 TRABALHADORES

jbs santa fé do sul

O amigo Ilson Colombo, com quem conversei ontem, disse que os políticos de Santa Fé do Sul estão se movimentando para tentar sensibilizar os conselheiros do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e evitar que a JBS encerre suas atividades na cidade. 

O Cade é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Justiça. Cá entre nós, é lamentável que, com os índices de desemprego nas alturas, um órgão do governo federal argumente filigranas burocráticas para fechar um frigorífico e desempregar mais de 600 pessoas, inclusive trabalhadores aqui de Jales.

Esta não é, porém, a primeira vez que surgem rumores sobre o fechamento da unidade da JBS em Santa Fé do Sul. Em outubro de 2015, boatos de que a unidade seria fechada levaram políticos – como os deputados Itamar Borges e Fausto Pinato – a interceder junto à direção da JBS, em São Paulo, para evitar que os rumores virassem realidade.

Naquela ocasião, a direção da JBS alegou que o momento econômico vivido pelo país estavam exigindo readequações, mas garantiu que o frigorífico não seria fechado. A situação econômica do país só piorou de lá para cá, mas agora é o tal Cade que está embolando o meio campo. A notícia é do G1:

A empresa de alimentos JBS anunciou o fechamento da unidade de Santa Fé do Sul (SP) nesta quinta-feira (2). Cerca de 600 funcionários devem ficar sem emprego. A empresa opera no processamento de carnes bovina, suína, ovina e de frango e no processamento de couros.

De acordo com a assessoria de imprensa da JBS, o encerramento das atividades ocorre devido à decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que “inviabilizou operacional e economicamente as atividades da planta”.

A assessoria da JBS informa que o volume de produção será transferido para outras fábricas da empresa no Estado, em Lins (SP) e Andradina (SP). A empresa atuava na cidade desde 2013 e realizava atividades de abate e desossa de bovinos.

Segundo a assessoria, cerca de 620 colaboradores trabalhavam na unidade e oferecerá aos funcionários a possibilidade de transferência para outras unidades. Para os que não manifestarem a opção pela transferência, a JBS promoverá o desligamento, de acordo com a legislação.

O Cade informou à reportagem do G1 que, para preservar a concorrência no mercado e defender o consumidor, impôs condições ao arrendamento da planta de Santa Fé do Sul efetivado pela JBS. Tais condições, de acordo com a assessoria de imprensa, foram negociadas e inseridas em um acordo, assinado pelo conselho e pela empresa. “Em outubro de 2016, o Cade constatou que essas condições não foram integralmente cumpridas pela JBS e pelo descumprimento do acordo a empresa foi obrigada a não operar a planta e devolvê-la ao arrendante”, diz a nota.

A TRIBUNA: PREVISÃO DE GASTOS – R$ 300 MIL – COM PREPARAÇÃO DE RECINTO FAZ PREFEITO FLÁ CANCELAR FACIP

capa tribuna 05.02.17No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete também destaca o cancelamento da Facip 2017, anunciado pelo prefeito Flávio Prandi durante entrevista coletiva concedida na quinta-feira, 02. Segundo o jornal, o prefeito levou em conta “a impossibilidade de aplicar recursos financeiros na festa, sem desfalcar outras demandas da cidade. Ainda de acordo com o jornal, entre as pessoas presentes à coletiva – incluindo os jornalistas – a aprovação à medida do prefeito era unânime. A matéria dos repórteres Alexandre Ribeiro e Douglas Zílio ouviu diretores de entidades, que também aprovaram a medida.

O jornal traz, também, matéria sobre denúncias de moradores a respeito de obras da Prefeitura que estão abandonadas. Uma dessas obras é o chamado Centro Dia do Idoso, uma espécie de creche para idosos orçada em R$ 619 mil, cuja construção está paralisada há muito tempo. Leitores denunciaram, também, o abandono dos aparelhos da chamada Academia ao Ar Livre para Pessoas com Deficiência. Instalada durante o governo Nice em um canto do estádio municipal, a Academia foi “desinstalada” depois de algum tempo e os aparelhos foram jogados na antiga quadra de tênis que existia atrás do Ginásio Municipal de Esportes.

O aumento de 1.100% nas ocorrências de roubo em Jales; o acidente que envolveu o prefeito Flávio Prandi na rodovia “Washington Luís”, quando voltava de São Paulo, na quarta-feira, 01; o fechamento do Frigorífico JBS em Santa Fé do Sul, que deixará 600 pessoas desempregadas; e a atuação da polícia de Jales que prendeu duas pessoas e apreendeu quase 14 quilos de maconha em um rancho no bairro Guanabara, em Três Fronteiras, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, comentários sobre a aprovação, pelo STF, do 13º salário para prefeitos e vices; na página de opinião, o infatigável Marco Antônio Poletto escreve sobre dona Marisa Letícia, enquanto o santista Victor Pereira relata as trapalhadas envolvendo as negociações do Corinthians com o atacante Drogba. Já o cronista Hélio Consolaro escreve sobre fato registrado em Andradina, onde um motorista teria sido apanhado nu, tentando abusar (sexualmente) de sua cadela. O fato arrancou protestos da Associação Protetora dos Animais de Andradina.  

BRIGITÃO ESTÁ DE VOLTA AO CONSIRJ

brigitão2Fontes fidedignas garantem que José Roberto Pietrobom, o Brigitão, foi convidado pelo prefeito Flá e já aceitou a incumbência de voltar a dirigir o Consirj (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales). Ele deverá reassumir o posto de diretor administrativo – do qual já foi titular por oito anos – na segunda-feira, 13.

Decidir pela volta a Jales não foi fácil para Brigitão. Atualmente, ele ocupa o mesmo posto no Consagra, o Consórcio da região de Santa Fé do Sul, onde, graças à sua competência, desfruta de enorme prestígio.

Brigitão foi diretor administrativo do Consirj durante os oito anos dos dois mandatos do ex-prefeito Humberto Parini (2005-2012) e participou da formatação do consórcio, além de ajudar na implantação da UPA de Jales. Conciliador, ele foi fundamental em vários episódios, especialmente no relacionamento com a Santa Casa de Jales, como registrou o jornalista Deonel Rosa Júnior na edição do Jornal de Jales de 20/01/13.

A direção administrativa do Consirj não foi, no entanto, a primeira incursão do ex-bancário Brigitão na área da saúde. Antes, ele já havia atuado como chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Saúde de Jales, durante a turbulenta administração Guisso-Caparroz-Hilário (2001-2004). 

Em janeiro de 2013, com a chegada da ex-prefeita Nice Mistilides ao poder, Brigitão foi substituído pelo então ex-vereador Henrique Macetão. Mas ele não ficou muito tempo longe da vida pública. Menos de dois meses depois de deixar o Consirj, Brigitão foi convocado pelo prefeito Flavinho, de Três Fronteiras, para ser o diretor municipal de Saúde daquele município.

Sua exitosa atuação na Saúde de Três Fronteiras e, mais do que isso, sua vasta experiência como diretor do Consirj, estimularam o então prefeito de Santa Fé do Sul, Armando Rossafa, a convidá-lo para assumir a coordenação do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região dos Grandes Lagos, o Consagra, cargo que ele vinha ocupando desde setembro de 2013.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

folha noroeste 04.02.17A principal manchete do jornal Folha Noroeste deste sábado traz uma ótima notícia: a possível não realização da Facip 2017. O jornal está noticiando entrevista coletiva concedida pelo prefeito Flá Prandi(DEM), que explicou os motivos que estão levando ao cancelamento da 47ª Facip. Segundo o prefeito, uma comissão designada por ele para analisar a infraestrutura do recinto concluiu que seria necessário investir mais de R$ 300 mil na preparação do local para a festa. Diante disso, ele preferiu descartar a realização da Facip deste ano.

Em outra manchete, o jornal repercute a má notícia que os santafessulenses receberam durante a semana, dando conta do possível fechamento do frigorífico JBS de Santa Fé do Sul. O fechamento, dizem os diretores do frigorífico, é consequência de problemas burocráticos invocados pelo tal de CADE (Conselho Administrativa de Defesa Econômica). Segundo o jornal, o prefeito Ademir Maschio busca uma audiência no CADE para tentar impedir que 600 trabalhadores, no mínimo, fiquem desempregados.

Na coluna FolhaGeral, o incansável Roberto Carvalho, o Pestinha, comenta que “o prefeito Flá Prandi escapa de um desgaste político administrativo sem tamanho ao anunciar o cancelamento da realização da Facip por meio de recursos públicos”. O combativo colunista foi mais longe. Para ele, com a crise financeira que o município atravessa, “Flá não deveria nem ter tocado no assunto Facip, quanto mais nomear uma comissão para a analisar a infraestrutura do recinto”. Segundo o Roberto, “faltou jogo de cintura ao alcaide”.

CARMINHO E HAMILTON DE HOLANDA – “NASCI PRA SONHAR E CANTAR”

Estou voltando! E volto em boa companhia, mostrando um samba inspirado de Dona Ivone Lara, cantado com o sotaque lusitano da cantora portuguesa Maria do Carmo de Carvalho Rebelo de Andrade, ou simplesmente Carminho. De quebra, o auxílio luxuoso do bandolim de dez cordas do genial Hamilton de Holanda.

Filha de uma fadista, Carminho começou a se apresentar ainda criança em uma casa de fados com o sugestivo nome de “Taverna do Embuçado”, de propriedade de sua mãe. Embuçado, diz o Dicionário inFormal, significa “disfarçado”, “dissimulado”, “mascarado”, etc.

Já mocinha, Carminho travou conhecimento com a MPB de Tom, Chico, Vinícius, Milton, Elis e outros, através das trilhas sonoras das novelas brasileiras reprisadas em Portugal. Sua ligação com o Brasil e a nossa música passou a ser, a partir de então, algo permanente. Recentemente, ela gravou um CD só com músicas do maestro Tom Jobim, com participações especiais de Bethânia, Chico, Marisa Monte e Fernanda Montenegro.

No vídeo abaixo, Carminho comprova que nasceu para cantar, interpretando com alma de fadista “Nasci Pra Sonhar e Cantar”. A música é do CD/DVD Sambabook de Ivone Lara.  Vale a pena ver. E ouvir. 

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video 

1 4 5 6