Arquivos mensais: Janeiro 2018

BLOG DA CAROL GUZZO: “A TÁTICA NAZISTA NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA”

Estou adicionando à lista de links aí do lado o blog da Carol Guzzo, a fim de que os prezados leitores possam acessá-lo com mais facilidade. Ex-assessora de comunicação da Santa Casa de Jales, a Caroline criou o seu blog neste início de ano com o objetivo, entre outras coisas, de repercutir os artigos que ela vem escrevendo  semanalmente para o Jornal de Jales.

A talentosa jornalista está morando atualmente em Uberlândia(MG), onde retomou a carreira de modelo publicitário, fazendo comerciais para uma rede de supermercados. No artigo publicado no domingo passado, a Carol trata da malsinada reforma da Previdência. Ei-lo:

A TÁTICA NAZISTA NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Como dizia o Ministro da Propaganda durante o governo de Adolf Hitler, Paul Joseph Goebbels, “uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”. Assim acontece com a propaganda sobre a reforma da previdência, na qual o Governo Federal alega que as mudanças devem ocorrer para superar o déficit de bilhões de reais, que na verdade não existe, e você está mais uma vez sendo enganado.

O alegado rombo divulgado para justificar a supressão de diversos direitos previdenciários, duramente conquistados a partir da redemocratização brasileira, que resultou na edição da Constituição Federal de 1988, é uma história muito antiga, que teve início ainda na época em que o país era governado por Getúlio Vargas, que utilizou recursos do caixa previdenciário para construir pontes, estradas, entre outras coisinhas a mais que não poderiam ter sido financiadas com esse dinheiro.

Além disso, a legislação brasileira permite que o Governo Federal, por meio da Desvinculação das Receitas da União, possa retirar 20% de receita previdenciária e aplicá-la em qualquer finalidade, contribuindo, ainda mais, para aumentar o “rombo previdenciário”.

Assim, todo esse alvoroço quanto ao déficit não passa de uma mentida descarada, dado que o Brasil não tem nenhum déficit na previdência social, mais do que isso, sobra muito dinheiro no sistema público que hoje garante aposentadorias e pensões a 32 milhões de trabalhadores.

A desculpa é que com a mudança da previdência eles irão investir em educação, saúde e outras ladainhas. Mentira! Esse dinheiro não pode ser aplicado em finalidade diversa da seguridade social. Pode ser que eles queiram mudar para garantir mais dinheiro em seus bolsos.

Aliás, com a mudança proposta, para você se aposentar integralmente precisará trabalhar 40 anos da sua vida, caso contrário receberá parcialmente, ou seja, a maioria da população terá de trabalhar ainda mais para se aposentar. Basta o que pagamos de impostos absurdos para os bonitos e agora temos que ralar mais para proporcionar aos seus cofres no exterior maior conforto.

Está cada vez mais decepcionante morar em um país onde a classe rica sempre sai melhor. Não é por acaso que o governo perdoou bilhões relacionadas aos REFIS, afinal os empresários estavam com uma dívida gigantesca com a União e como eles não precisam de dinheiro resolveram perdoar. Coitadinhos dos ricos e milionários. E nós, minha gente, temos que pagar por todo o erro do país, para eles somos pobres e desentendidos dos assuntos políticos, por isso não investem em educação, pois temem que acordemos para os absurdos praticados rotineiramente.

GOVERNO TEMER QUER AUMENTAR A IDADE PARA APOSENTADOS E DEFICIENTES POBRES SE APOSENTAREM

De vez em quando, nem a Folha de S.Paulo consegue esconder quem serão os maiores prejudicados com a reforma da Previdência:

O governo Michel Temer planeja elevar a idade mínima para idosos pobres receberem benefício assistencial, caso consiga aprovar a reforma da Previdência neste ano, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pela política.

Militares, que são responsáveis pela maior parte do deficit da Previdência, no entanto, estão fora dos planos da reforma.

O secretário-executivo da pasta e ministro em exercício, Alberto Beltrame, disse que a ideia é aumentar para 68 anos a idade mínima do BPC (Benefício de Prestação Continuada), que hoje está em 65 anos.

“A idade do BPC, em aprovada a mudança da idade da Previdência, tem que subir um pouco”, afirmou. “O que estamos falando aqui é de colocar em torno de 68 anos.”A explicação para a mudança, segundo Beltrame, é que manter a idade do BPC em 65 anos “pode ser desestimulante à contribuição” à Previdência.

O benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 954), é pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. Para receber, é necessário que a renda familiar por pessoa seja inferior, hoje, a R$ 238,50.

ORQUESTRA SINFÔNICA DE JALES ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS PARA NOVAS TURMAS

A notícia é da Secretaria Municipal de Comunicação:

A Orquestra Sinfônica de Jales está com inscrições abertas para músicos e alunos que possuam ou não conhecimento musical e que desejam integrar o grupo. O período de inscrições se estenderá até o dia 09 de Fevereiro de 2017. 

Os interessados poderão se inscrever no Centro Cultural “Dr. Edílio Ridolfo”. Se preferir pode visitar pessoalmente a recém-inaugurada Sede da Orquestra, o Centro de Educação Musical Avenir Fernandes, na Rua Mississipi nº15 Jardim Estados Unidos, em horário de atendimento público da Prefeitura Municipal de Jales.

Para o prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, a obra foi uma grande conquista para a população jalesense: “a nova estrutura possibilitou um fortalecimento das atividades culturais na cidade e proporcionará conhecimento com excelência”, comentou Flá. 

A Corporação Musical (associação que gerencia as atividades da Orquestra Sinfônica de Jales) fornecerá as aulas, os instrumentos musicais e materiais didáticos gratuitamente. Em contrapartida, os músicos e alunos inscritos deverão zelar pelo patrimônio público e participar das atividades e projetos desenvolvidos dentro da instituição como concertos, apresentações públicas, didáticas e festividades diversas.

 “A instituição compromete-se com a formação do músico, preparando-o para a carreira tanto no âmbito Acadêmico como Profissional. A nossa meta é buscar o aprimoramento musical, social e cognitivo de todos os participantes”, afirmou o maestro Edivaldo de Paula. 

Segundo o maestro Edivaldo, a Corporação Musical fortalece os seus trabalhos em parceria com a Prefeitura Municipal de Jales. E reforçou o convite para novos integrantes virem conhecer a proposta educacional e se tornarem parte atuante da sociedade, através da cultura musical brasileira.

As vagas disponíveis para músicos com experiência são: Flauta Transversal (04), Oboé (01), Clarinete (04), Clarone (01), Sax Alto (02), Sax Tenor (02), Sax Barítono (01), Trompetes (04), Trompas (04), Trombones (04), Eufônio (01), Tuba Sinfônico (01), Contra Baixo Acústico (02), Percussão Sinfônica (05), Violinos (20), Violas (05) e Cellos (05).

As vagas disponíveis para novos alunos que não possuem conhecimento musical e que formarão a Orquestra Sinfônica são: Flauta Transversal (03), Clarinete (05), Clarone (01), Sax Alto (01), Sax Tenor (01), Trompetes (04), Trompas (04), Trombones (02), Eufônio (Bombardino) (01), Tuba (01), Contra Baixo Elétrico (01), Percussão Sinfônica (06), Violinos (12), Violas (04) e Cellos (04).

GAROTO DE JALES ERRA DOIS PÊNALTIS, MAS SÃO PAULO CONSEGUE SE CLASSIFICAR PARA FINAL DA COPINHA

Cotado para integrar o elenco profissional em 2018, o meia Igor Liziero – que já integrou a seleção brasileira sub 17 – vem sendo um dos destaques da equipe sub 20 do São Paulo Futebol Clube que está disputando a Copa São Paulo.

Filho de dois professores que trabalham, atualmente, em Taboão da Serra, Liziero nasceu em Jales e deu seus primeiros chutes por aqui, integrando uma das equipes treinadas pelo professor Délcio José Miorini, conhecido nos campos pelo apelido carinhoso de Zé Bolacha. Aos 12 anos, no entanto, Liziero já estava no São Paulo.

Ele foi um dos personagens do jogo do São Paulo contra o Internacional de Porto Alegre, que começou ontem à noite e só terminou hoje à tarde. O jogo foi interrompido aos 17 minutos do segundo tempo – quando os times empatavam em 1 x 1 – em função da chuva e dos raios que caíam em Barueri, local da partida. Antes da chuva, o São Paulo, que vencia o jogo, teve a chance de fazer 2 x 0, mas Liziero desperdiçou um pênalti aos 27 minutos do primeiro tempo.

Hoje, os times voltaram a campo para disputar os 30 minutos que restavam, mas ninguém marcou e a decisão foi para os pênaltis. Liziero foi o encarregado de bater o 5º pênalti do São Paulo, mas, novamente, perdeu o duelo para o goleiro Carlos Miguel, do Inter.

Mesmo com o erro do jalesense, o São Paulo acabou vencendo a disputa de pênaltis e vai disputar a sua décima final de Copa São Paulo. Nas nove decisões anteriores, o São Paulo saiu vencedor em apenas três (1993-2000-2010) e acabou como vice-campeão em seis ocasiões.

O Corinthians – como não poderia deixar de ser – é o time que participou do maior número de finais, desde que a Copinha começou a ser disputada, em 1969: dezoito finais, das quais venceu dez. É o maior campeão, disparado. O segundo maior vencedor, o Fluminense, tem cinco títulos, mas não ganha a Copinha desde 1989.

Já o Palmeiras – o único grande paulista que nunca ganhou um campeonato mundial – é também o único que nunca venceu a Copa São Paulo, título que até o América de Rio Preto já conquistou (2006). O Palmeiras participou de apenas duas finais (1970 e 2003) e perdeu ambas, uma delas para o Corinthians.

Por seu turno, o Santos já participou de cinco finais e foi campeão três vezes, as duas últimas em 2013/14. O Flamengo, que vai disputar a final contra o São Paulo, também já foi campeão três vezes, a última delas em 2016, quando venceu o Corinthians nos pênaltis.  

ARTIGO DO NEW YORK TIMES APONTA PARCIALIDADE DE MORO E DIZ QUE CASO DE LULA NÃO SERIA LEVADO A SÉRIO NOS EUA

Antes que algum comentarista desande a escrever bobagens, convém lembrar que o New York Times não é exatamente um jornal de esquerda. Deu no portal Consultor Jurídico:

As provas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex em Guarujá (SP) estão muito abaixo do que um tribunal dos Estados Unidos exigiria para levar um caso a sério. É o que afirma Mark Weisbrot, colaborador da seção de opinião do jornal americano The New York Times. O artigo com fortes críticas ao processo penal que o ex-presidente enfrenta foi publicado nesta terça-feira (23/1).

Weisbrot afirma que não existe ilusão de que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região seja imparcial. Isso porque o desembargador Carlos Henrique Thompson, presidente da corte, já elogiou a sentença dada pelo juiz Sergio Moro. Além disso, lembra que o chefe de gabinete de Thompson publicou no Facebook uma petição pedindo a prisão de Lula.

Ainda segundo o texto, as evidências no caso do triplex estão muito abaixo do nível exigido por um tribunal dos Estados Unidos para que o caso seja levado a sério, quanto mais para que haja condenação.

“O suborno alegadamente recebido pelo Sr. da Silva é um apartamento de propriedade da OAS. Mas não há provas documentais de que o Sr. da Silva ou sua esposa já tenham recebido títulos, alugados ou mesmo ficaram no apartamento, nem que tentaram aceitar esse presente. A evidência contra o Sr. da Silva baseia-se no testemunho de um executivo da OAS condenado, José Aldemário Pinheiro Filho, que teve a pena de prisão reduzida em troca da colaboração”, afirma o articulista.

O autor diz ainda que a decisão de Moro de condenar supostamente contra o que foi demonstrado pelas provas seria chamada nos Estados Unidos de kangaroo court. A expressão é utilizada para designar um processo judicial injusto, tendencioso ou precipitado que termina em uma dura punição.

Abaixo, a íntegra do artigo:

WASHINGTON – A regra da lei e a independência do judiciário são realizações frágeis em muitos países – e susceptíveis a reversões bruscas.

O Brasil, o último país do mundo ocidental a abolir a escravidão, é uma democracia bastante jovem, tendo surgido da ditadura há apenas três décadas. Nos últimos dois anos, o que poderia ter sido um avanço histórico – o governo do Partido dos Trabalhadores concedeu autonomia ao judiciário para investigar e processar a corrupção oficial – tornou-se contrário. Como resultado, a democracia brasileira agora é mais fraca do que aconteceu desde que o governo militar acabou.

Esta semana, que a democracia pode ser mais corroída quando um tribunal de apelação de três juízes decidir se a figura política mais popular do país, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do Partido dos Trabalhadores, será impedido de competir nas eleições presidenciais de 2018 , ou mesmo preso.

Não há muita pretensão de que o tribunal seja imparcial. O presidente do painel de apelação já elogiou a decisão do juiz de julgamento de condenar o Sr. da Silva por corrupção como “tecnicamente irrepreensível”, e o chefe de gabinete do juiz postou em sua página no Facebook uma petição pedindo a prisão do Sr. Silva.

O juiz de julgamento, Sérgio Moro, demonstrou seu próprio partidarismo em numerosas ocasiões. Ele teve que pedir desculpas ao Supremo Tribunal em 2016 por divulgar conversas telefônicas entre o Sr. da Silva e a presidente Dilma Rousseff, seu advogado e sua esposa e filhos. O juiz Moro organizou um espetáculo para a imprensa em que a polícia apareceu na casa do Sr. da Silva e levou-o para interrogatório – apesar de o Sr. da Silva ter dito que iria denunciar voluntariamente para interrogatório.

A evidência contra o Sr. da Silva está muito abaixo dos padrões que seriam levados a sério, por exemplo, no sistema judicial dos Estados Unidos.

Ele é acusado de ter aceitado um suborno de uma grande empresa de construção, chamada OAS, que foi processada no esquema de corrupção “Carwash” no Brasil. Esse escândalo de vários bilhões de dólares envolveu empresas que pagam grandes subornos a funcionários da Petrobras, empresa estatal de petróleo, para obter contratos a preços grosseiramente inflacionados.

O suborno alegadamente recebido pelo Sr. da Silva é um apartamento de propriedade da OAS. Mas não há provas documentais de que o Sr. da Silva ou sua esposa já tenham recebido títulos, alugados ou mesmo ficaram no apartamento, nem que tentaram aceitar esse presente.

A evidência contra o Sr. da Silva baseia-se no testemunho de um executivo da OAS condenado, José Aldemário Pinheiro Filho, que sofreu uma pena de prisão reduzida em troca da evidência do estado de viragem. Segundo o relato do importante jornal brasileiro Folha de São Paulo, o Sr. Pinheiro foi impedido de negociar a súplica quando ele originalmente contou a mesma história que o Sr. da Silva sobre o apartamento. Ele também passou cerca de seis meses na prisão preventiva. (Esta evidência é discutida no documento de sentença de 238 páginas).

Mas essa escassa evidência foi suficiente para o juiz Moro. Em algo que os americanos poderiam considerar como um processo de canguru, condenou o Sr. da Silva a nove anos e meio de prisão. O estado de direito no Brasil já havia sido atingido por um golpe devastador em 2016, quando a deputada do Sr. Silva, Sra. Rousseff, eleita em 2010 e reeleita em 2014, foi acusada e demitida do cargo.

A maior parte do mundo (e talvez a maioria do Brasil) pode acreditar que ela foi acusada de corrupção. Na verdade, ela foi acusada de uma manobra contábil que temporariamente fez com que o déficit orçamentário federal fosse menor do que seria de outra forma. Era algo que outros presidentes e governadores faziam sem consequências. E o próprio promotor federal do governo concluiu que não era um crime.

Embora houvesse funcionários envolvidos na corrupção de partidos em todo o espectro político, incluindo o Partido dos Trabalhadores, não houve acusações de corrupção contra a Sra. Rousseff no processo de impeachment.

O Sr. da Silva continua a ser o corredor da frente nas eleições de outubro por causa do sucesso dele e do partido em reverter um longo declínio econômico. De 1980 a 2003, a economia brasileira mal cresceu, cerca de 0,2 por cento anualmente per capita. O Sr. da Silva assumiu o cargo em 2003 e a Sra. Rousseff em 2011. Em 2014, a pobreza foi reduzida em 55% e a pobreza extrema em 65%. O salário mínimo real aumentou 76%, o salário real geral aumentou 35%, o desemprego atingiu níveis recordes e a infame desigualdade do Brasil finalmente caiu.

Mas em 2014, uma profunda recessão começou, e a direita brasileira conseguiu aproveitar a desaceleração para classificar o que muitos brasileiros consideram um golpe parlamentar.

Se o Sr. da Silva for impedido das eleições presidenciais, o resultado poderia ter pouca legitimidade, como nas eleições hondurenhas de novembro, que eram amplamente vistas como roubadas. Uma pesquisa do ano passado descobriu que 42,7% dos brasileiros acreditavam que o Sr. da Silva estava sendo perseguido pelos meios de comunicação e pelo judiciário. Uma eleição não-crivel pode ser politicamente desestabilizadora.

Talvez o mais importante, o Brasil se reconstituirá como uma forma de democracia eleitoral muito mais limitada, em que um judiciário politizado pode excluir um líder político popular de se candidatar a cargos. Isso seria uma calamidade para os brasileiros, a região e o mundo.

MODERNIZAÇÃO CHEGA ÀS DELEGACIAS DE POLÍCIA DE JALES E SANTA FÉ DO SUL

A notícia é da assessoria de imprensa da Polícia Civil de Jales:

As Delegacias de Polícia de Jales e Santa Fé do Sul estão entre as 12 Delegacias Seccionais do Estado de São Paulo escolhidas pelo Governo do Estado para receber o novo sistema de informatização das unidades policiais, sendo as primeiras a serem beneficiadas na região do DEINTER-5 – São José do Rio Preto.

Esse processo de modernização, ora conquistado pela Delegacia Seccional, consiste na reforma da infraestrutura das redes elétrica e lógica das delegacias, gerando estabilidade e melhoria no tráfego de dados e a substituição dos equipamentos de informática. Isso já está sendo feito e deverá ser finalizado ainda neste mês de janeiro com o apoio da Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo), em contrato firmado com o Departamento de Inteligência da Polícia Civil (DIPOL), órgão diretamente vinculado à Delegacia Geral de Polícia (DGP).

Segundo o Delegado Seccional, Charles Wiston de Oliveira, tais mudanças trarão um melhor desempenho para os sistemas informatizados da Polícia Civil, como o INQUÉRITO POLICIAL (que receberá novo formato, eletrônico, interligado com o Poder Judiciário), o LEAD (programa de legitimação/identificação de pessoas com interação à distância a um banco de dados remoto da Polícia Civil), o RDO (plataforma digital de elaboração de boletins de ocorrência) e o DETECTA (serviço de monitoramento policial por meio de imagens captadas por câmeras eletrônicas).

A Prodesp também participará do processo com a alocação de dois funcionários, que atuarão no plantão de atendimento e serão responsáveis pela primeira orientação aos usuários, os quais, mediante acompanhamento e orientação dos Delegados de Polícia e dos policiais civis das repartições envolvidas, poderão registrar boletins de ocorrência e auxiliar na elaboração de outros documentos. A empresa também será responsável pela cessão de suprimentos e outros materiais, bem como por eventuais reparos nos equipamentos.

Recentemente, a Delegacia Seccional de Polícia de Jales adquiriu em uma Ata de Registro de Preços 180 (cento e oitenta) novos e mais potentes computadores para suprir as necessidades de suas delegacias de polícia, os quais já estão sendo preparados distribuídos gradativamente e logo serão colocados em funcionamento.

A aquisição vem também ao encontro do projeto de implantação do Inquérito Policial Eletrônico nas unidades da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Tal modelo baseia-se em um sistema eletrônico para a estruturação de inquéritos policiais e seu encaminhamento ao Fórum, o mesmo sistema utilizado pelo Poder Judiciário. Com isso, os procedimentos policiais passam a ter vinculação direta com o sistema forense, possibilitando um desenvolvimento procedimental e uma tramitação mais rápida entre a Delegacia de Polícia e os Juízos de Direito, de modo que as decisões sejam tomadas e despachadas mais rapidamente.

As vinte e duas delegacias vinculadas à Delegacia Seccional de Polícia de Jales já se preparam para o recebimento destes novos computadores e na implantação do novo sistema.

CÂMARA DE PONTALINDA REJEITA PEDIDO DE CASSAÇÃO DO PREFEITO ELVIS

Com o plenário totalmente tomado por populares, a Câmara Municipal de Pontalinda reuniu-se na quarta-feira, 17, para fazer a leitura e votar o relatório preliminar da CEI aberta para apurar supostas infrações político-administrativas e crimes de responsabilidade cometidos pelo prefeito Elvis Carlos de Souza(PTB).

Ao final da sessão, que durou mais de uma hora, o relatório do vereador Mathias Duarte Viel(PP) – que inocentou o prefeito – foi aprovado com seis votos favoráveis e três contrários, redundando no arquivamento do pedido de cassação do mandato de Elvis.  

O pedido de cassação foi protocolado na primeira quinzena de dezembro passado. Nele, o vereador Fernando Donizeth França(PSD) – baseado em relatório do Tribunal de Contas do Estado – acusava o prefeito de ter cometido diversas irregularidades em 2016, o último ano de seu primeiro mandato, entre elas a apropriação indébita de valores descontados dos salários dos servidores municipais e não repassados ao INSS e ao Instituto de Previdência Municipal.

A defesa do prefeito Elvis – que teve dez dias para enviar explicações à Comissão – foi feita pelo advogado João Alberto Robles. Em sua defesa, Robles argumenta que a denúncia apresentada por Fernando era cópia do relatório do Tribunal de Contas do Estado e que o vereador nem sequer aguardou as justificativas do prefeito e o julgamento do TCE.

O advogado argumentou, ainda, que as supostas irregularidades cometidas por Elvis estão sendo cuidadosamente apuradas pelo Ministério Público de Jales e que a Câmara deveria, portanto, aguardar o parecer final do Tribunal de Contas e a conclusão do inquérito aberto pelo Ministério Público.

O vereador Fernando França, que, de forma precipitada, utilizou um relatório preliminar do TCE para pedir a cassação do prefeito Elvis, também está sendo alvo do mesmo TCE, que julgou ilegal a sua admissão como contador concursado da Câmara de Aspásia.

O Tribunal apontou irregularidades no concurso da Câmara de Aspásia, realizado em 2013 pela empresa Persona Capacitação Ltda, de Fernandópolis, cujas donas foram presas em junho de 2015 e condenadas a 08 anos de prisão por fraudes em concursos públicos. Além de Fernando, aprovado para o cargo de contador, o concurso aprovou também a irmã de um vereador de Urânia para o cargo de tesoureira. 

GASTOS DE VEREADORES DE JALES COM VIAGENS AUMENTARAM 75% EM 2017

Os gastos com viagens dos vereadores jalesenses cresceram 75% em 2017 – primeiro ano da atual legislatura – na comparação com 2016. No ano passado, nossos nobres edis fizeram 17 viagens que custaram pouco mais de R$ 17,5 mil aos cofres públicos, enquanto em 2016 os gastos totalizaram pouco menos dos R$ 10 mil.

Não é o caso, porém, de concluir que a Câmara atual – que possui sete vereadores estreantes – é menos econômica que a Câmara anterior. Ocorre que, normalmente, vereadores costumam viajar menos em anos eleitorais, como foi o caso de 2016, pois dedicam boa parte do ano às suas campanhas.

Se a comparação for feita, por exemplo, com 2013 – o primeiro ano da legislatura anterior – os números irão mostrar que os vereadores atuais estão sendo bem mais econômicos que seus antecessores. Naquele ano, quando os combustíveis e as diárias de hotel custavam bem menos, os vereadores fizeram 42 viagens e gastaram nada menos que R$ 31,4 mil, quase o dobro do que se gastou em 2017.

A viagem mais cara de 2017 custou R$ 5,1 mil e foi realizada em fevereiro, quando uma comitiva de vereadores esteve em Brasília para visitas ao DNIT, ao Ministério da Educação e a alguns deputados federais, incluindo Paulo Maluf(PP). Brasília foi o destino de outras duas viagens, que custaram mais R$ 3,3 mil. A maioria das viagens realizadas em 2017 teve como destino a capital do estado, São Paulo.

Os vereadores que mais viajaram em 2017 foram Luiz Henrique Viotto(PP), o Macetão, e Bismark Kuwakino(PSDB), que participaram de 08 viagens. Quem menos viajou foi Tiago Abra(PP), que, em setembro, fez uma incursão a Brasília, acompanhado pelo colega Chico do Cartório(PMDB).

 Vanderley Vieira dos Santos(PPS) e João Valeriano Zanetoni(PSB) participaram de sete viagens, duas delas a Brasília. O presidente da Câmara, Vagner Selis(PRB), participou de apenas cinco viagens, assim como Fábio Kazuto(PSB). Já os vereadores Tiquinho(PSD) e Topete(DEM) viajaram apenas duas vezes.

COMERCIANTE DE JALES MORRE EM CONFRONTO COM A POLÍCIA, APÓS MATAR OS PAIS EM ARAÇATUBA

A notícia é do jornal Folha da Região, de Araçatuba:

O comerciante Ademir Magalhães Rondina foi morto pela Polícia Militar após assassinar os pais e ferir a esposa, na manhã deste domingo (21), no bairro Icaraí, em Araçatuba. Os crimes aconteceram na rua Chile. Ele foi baleado na rua Argentina, onde enfrentou os PMs, sendo levado ainda vivo ao pronto-socorro, junto com a companheira, mas acabou morrendo.

Por volta das 6h55, a PM foi acionada, sendo informada, inicialmente, de um possível assalto. Quando uma equipe chegou ao local, Rondina estava em um terreno baldio, na rua Argentina, ensanguentado. Os policiais passaram a conversar com ele, para tentar convencê-lo a se entregar.

Rondina, então, arremessou tijolos, quebrando o vidro da viatura e ferindo um PM. Alterado, ainda se aproximou dos policiais e não parou, fazendo com que tivessem de disparar tiros para contê-lo. Ele foi socorrido ainda vivo, mas morreu no hospital.

Rondina tinha um comércio de tintas em Jales (3M Tintas, na Rua Nove). Ele, a esposa e uma filha moravam na casa dos pais e estavam com problemas financeiros. O casal estaria usando antidepressivos. Ele teria surtado depois de uma reunião familiar feita no sábado (20) para discutir a situação.A mãe dele, Marineuza Magalhães Rondina, foi assassinada na cozinha; o pai, Wilson Rondin, na sala. A esposa sofreu cortes na mão e abdome; foi atendida e liberada.

Na residência morava ainda uma idosa de 96 anos, avó dele, que está acamada, e a filha do casal, que tem 12 e presenciou os crimes. Uma arma de fogo, também foi usava durante o surto.

A PM apreendeu na casa uma faca de serra usada nos crimes, uma corda, uma espada e uma arma de fogo carregada com seis munições, três delas deflagradas. Rondina se mutilou e ainda tentou se matar.

No terreno onde atacou os PMs, a cerca de 400 metros da casa, ele foi encontrado sentado e ensanguentado. A equipe afirma que fez disparos na intenção de contê-lo. Como já estava bastante ferido, não se sabe se ele morreu pelos tiros ou pelas lesões.

JORNAL DE JALES: MACETÃO DIZ QUE VAI PROVAR SUA INOCÊNCIA NO CASO DOS ‘ARQUIVOS DESLIZANTES’

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete diz que o prefeito de Estrela D’Oeste, Antônio Valter dos Santos(PHS), conhecido popularmente como Antônio Escrivão, renunciou alegando falta de sintonia política. Escrivão resolveu reescrever sua curta trajetória política, surpreendendo amigos, assessores e moradores ao anunciar, na sexta-feira, 19, sua intenção de renunciar ao cargo. Em entrevista à Rádio Alvorada, Escrivão reconheceu que estava encontrando dificuldades para administrar a Prefeitura. Ele foi eleito em 2016 com 53% dos votos válidos, derrotando o então prefeito Pedro Itiro(DEM), que buscava seu quinto mandato.

Destaque, igualmente, para a prevenção contra a febre amarela em Jales. Segundo a secretária de Saúde, Maria Aparecida Moreira Martins, o problema da febre amarela está sob controle no município, onde não foi registrado nenhum caso da doença e não estão faltando doses da vacina. Ela destacou que mais de 80% da população local já foi vacinada e aconselhou os que ainda não tomaram a vacina a procurar uma das unidades de saúde da cidade. Apenas as unidades do Jardim Oiti e do Jardim América não estão vacinando.

O falecimento do meu ex-técnico de futebol e ex-goleiro do Clube Atlético Jalesense, Odassi Guerzoni; o sucesso do serviço de telemarketing da Santa Casa de Jales, que arrecadou R$ 150 mil em um ano; a visita que os alunos do curso de Agronomia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro fizeram a Jales; as chuvas do início da semana, que causaram desabamentos na cidade e foram parar no noticiário nacional; e o compromisso assumido pelo prefeito Flá Prandi, que está prometendo apoio à Escola Livre de Teatro, são outros destaques do JJ deste domingo.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o vereador Luiz Henrique Viotto(PP), o Macetão, foi notificado pela Justiça na última quarta-feira, 17, a respeito da Ação Civil Pública em que é acusado de danos ao erário público ao tempo em que presidiu a Câmara Municipal, em 2012. Segundo o colunista, Macetão não parece muito preocupado com o caso que o envolve com uma organização criminosa comandada pelo vereador Daniel Palmeira, de Catanduva.  Macetão disse ao jornal que não está perdendo o sono e que vai provar sua inocência. Para isso, ele contratou o advogado Carlos Eduardo Gomes Callado Moraes, o Cadinho.    

1 2 3 4 5 6 9