Arquivos mensais: Março 2018

JOÃO BOSCO E ROBERTA SÁ – “DE FRENTE PRO CRIME”

Dia desses li notícia sobre um estudo realizado por uma entidade internacional, onde se diz que, das 50 cidades mais violentas do planeta, 17 estão aqui no Brasil. O estudo diz, ainda, que as 17 cidades brasileiras são responsáveis por 34% dos homicídios ocorridos nas 50 cidades mais violentas. 

Uma estatística da qual não se pode ter nenhum orgulho. Da mesma forma, não podemos ter orgulho da total indiferença como nós brasileiros estamos encarando a violência nossa de cada dia. O sofrimento alheio já não nos causa indignação e, ao contrário, até nos aborrece. 

Um exemplo? Na semana passada, em uma padaria da cidade, um sujeito reclamava a plenos pulmões da repercussão que se deu ao assassinato da vereadora Marielle Castro. Na opinião dele, o caso de Marielle deveria ser tratado com o mesmo desinteresse dispensado aos outros 160 assassinatos diários que o Brasil registra, em média. 

A bem da verdade, essa indiferença não é de hoje. Há mais de 40 anos,  precisamente em 1975, João Bosco e Aldir Blanc trataram do tema em “De Frente Pro Crime”. A letra da música narra um assassinato visto de uma janela e a indiferença que a tragédia provoca nas pessoas que se aglomeraram em torno do defunto. 

Diz a letra que, ante a aglomeração em torno do corpo estendido no chão, um camelô se aproveita para “vender anel, cordão e perfume barato”, enquanto uma baiana prepara “um bom churrasco de gato”. No final, o próprio narrador, também indiferente, fecha a “janela de frente pro crime” e vai tratar de sua vida.

No vídeo abaixo, João Bosco e Roberta Sá – acompanhados pelo Trio Madeira Brasil – cantam a cada vez mais atual “De Frente Pro Crime”.

 

HOMEM INVADE ENCENAÇÃO DA PAIXÃO DE CRISTO E “SALVA” JESUS

Houvesse um só gaúcho no Monte Gólgota e a história poderia ter sido outra.

Aconteceu na cidade de Nova Hartz, no Rio Grande do Sul, na Sexta-feira Santa, dia 30.

Durante a encenação da Paixão de Cristo, na Praça do Trabalhador, um sujeito invadiu o palco e desferiu um golpe de capacete no ator que interpretava um soldado romano.

O cidadão salvou Jesus da cruz, mas foi em cana.

A TRIBUNA: SANTA CASA FARÁ ‘AUDIÊNCIA PÚBLICA’ PARA EXPLICAR DESLIGAMENTO DE AR CONDICIONADO EM QUARTOS DO SUS

No jornal A Tribuna deste final de semana, destaque para o caso dos aparelhos de ar condicionado desligados na Santa Casa de Jales, que já foi parar até na telinha da TV. O provedor Júnior Ferreira disse ao jornal que “ninguém desliga o ar condicionado de um hospital porque quer”. Segundo a matéria, Júnior pretende realizar uma reunião aberta à comunidade – uma espécie de audiência pública – na próxima terça-feira, quando serão dadas explicações e fornecidos detalhes técnicos sobre os motivos que levaram a direção do hospital a desligar parte dos condicionadores de ar.

O jornal está destacando, também, decisão da Justiça local que julgou procedente a ação ajuizada pela ex-prefeita Nice Mistilides, na qual ela está cobrando o 13º salário relativo ao período em que ela comandou a Prefeitura, de janeiro/2013 a fevereiro/2015. A sentença do juiz Fernando Antônio de Lima, publicada na terça-feira, 27, reconhece que “o décimo-terceiro salário é direito de todos os trabalhadores, inclusive os agentes políticos”, e determina que a municipalidade pague o benefício – calculado em R$ 24,2 mil – à ex-prefeita.

O caso do homem de Jales que estuprou a própria filha de 13 anos; a anulação do julgamento que inocentou o promotor Thales Ferri Schoedl, acusado de matar o ex-morador de Jales, Diego Modanez; os planos do prefeito Flá para implantar em Jales a “atividade delegada”, que permite a contratação de policiais militares para ajudar na fiscalização da cidade; a manifestação dos servidores de Meridiano, que foram protestar em frente à casa do prefeito; e o caso de um servidor aposentado de Jales, que está cobrando cerca de R$ 100 mil da Prefeitura, a título de horas extras, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, informações sobre o empréstimo de R$ 11 milhões que o prefeito Flá está pleiteando junto ao Ministério das Cidades. Na página de opinião, o bispo dom Reginaldo Andrietta escreve sobre a Páscoa, enquanto o artigo da Taísa Selis trata de Tecnologia e a crônica do Hélio Consolaro fala sobre as semifinais do campeonato paulista de futebol. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio, que registrou as formaturas das lindíssimas Isabela Rossafa (Arquitetura e Urbanismo) e Amy Casteleti (Direito).   

FLÁ QUER REDUZIR DÍVIDA DE R$ 30 MILHÕES COM INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA À METADE. VEREADORES E CONSELHEIROS QUESTIONAM

O prefeito Flá Prandi mandou para a Câmara o projeto de lei 67/2018, que autoriza a Prefeitura a renegociar o Termo de Confissão e Reparcelamento de Dívida firmado em 2009 com o Instituto Municipal de Previdência, pelo ex-prefeito Humberto Parini. Os juros de 1% ao mês, que são cobrados sobre o montante da dívida, deverão baixar para 0,5% ao mês, sobre o valor de cada parcela.

Segundo o prefeito, a mudança visa adequar a situação da dívida – de quase R$ 30 milhões – a uma portaria do Ministério da Fazenda, que permite a repactuação em novas condições. De acordo com Flá, os juros da dívida negociada por Parini custam cerca de R$ 215 mil mensais à Prefeitura. Com o novo parcelamento, os juros cairão para algo em torno de R$ 115 mil por mês.

O projeto deverá ser aprovado pela Câmara, mas a negociação com o Instituto não parece tão simples assim. Os conselheiros do Instituto, que não tinham sido consultados sobre o assunto, já se reuniram e não parecem dispostos a aceitar todos os cálculos que estão sendo feitos pelo Executivo. Um desses cálculos reduz a dívida de quase R$ 30 milhões pela metade, ou seja, para algo em torno de R$ 15 milhões.

E mesmo na Câmara, onde Flá é apoiado pela imensa maioria dos vereadores, o assunto promete alguma polêmica. Na semana passada, por exemplo, os vereadores Tiago Abra(PP) e Chico do Cartório(PMDB), encaminharam um requerimento ao prefeito solicitando informações pormenorizadas sobre as dívidas com o Instituto Municipal de Previdência. Eles dizem temer que o Instituto vá ser prejudicado com a renegociação.

BOLSONARO É UM DEPUTADO IMPRODUTIVO, DIZ FOLHA

O PIG tenta, agora, desconstruir o monstro que ele criou. Deu no blog do Esmael:

A Folha, que torce por Geraldo Alckmin (PSDB), sacaneia hoje o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) mostrando suas faltas nas sessões obrigatórias da Câmara e nas comissões temáticas.

“Dos 119 dias com sessão de presença obrigatória no ano passado, que majoritariamente se concentram entre as terças e quintas-feiras, Bolsonaro faltou 16 sem justificar —13,5% do total, segundo dados da Câmara.”

No afã de provar que Bolsonaro é um parlamentar improdutivo, o jornalão ainda cravou:

“Nas comissões em que é membro titular, o deputado participou ainda menos em 2017. Apesar de a presença não ser obrigatória nessas sessões, Bolsonaro esteve ausente, sem justificativa, em 70% das reuniões da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, área em que manifesta publicamente interesse.”

Em 26 anos de Congresso, Bolsonaro aprovou apenas dois projetos de lei e uma emenda constitucional.

VEREADOR TUCANO DIZ QUE QUEM VAI A BARES DE MADRUGADA “É CORNO OU DELINQUENTE”

Tenho amigos notívagos e posso garantir: delinquentes eles não são. Deu no Paraíba Debate:

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Anselmo Pereira (PSDB), afirmou durante uma audiência pública, que “quem frequenta bares de madrugada é corno ou delinquente”. A reunião debatia um projeto de lei que pretende reduzir o horário de funcionamento de bares e restaurantes da Capital. Pereira confirmou a frase, mas informou em nota que ela foi “retirada de seu contexto”. A fala repercutiu nas redes sociais.

No comunicado, enviado pela Diretoria de Comunicação da Câmara Municipal de Goiânia, o vereador informa que estava em uma “discussão pessoal e acalorada” e que a mesma “não representa o todo do seu pensamento”. 

Ainda conforme o texto, “Anselmo também pede desculpas a todos que se sentiram ofendidos pela frase, mais uma vez, descolada de seu contexto e explica que a maior preocupação sempre foi a segurança de todos os cidadãos”.

De acordo com informações do site da Câmara, a audiência pública aconteceu no dia 16 de março. No entanto, nos últimos dias postagens têm repercutido nas redes sociais criticando as declarações feitas por Anselmo Pereira. Em uma das publicações, um advogado disse “este ambiente social [bar] não tem o condão de macular minha idoneidade moral ou a de ninguém”.

Outro usuário também criticou a fala e o projeto. “Essa lei é um retrocesso, estamos caminhando rumo ao militarismo com horário imposto para nos encontrarmos com nossos amigos e beber, comer e conversar”.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste, deste sábado, a manchete  principal trata do faturamento da Cooperativa de Produtores Rurais – Coopercitrus – que cresceu 100% nos últimos quatro anos, chegando, em 2017, a R$ 3,2 bilhões. Os números foram apresentados no dia 15 a mais de 400 cooperados e colaboradores, durante Assembleia Geral Ordinária da Cooperativa. A Coopercitrus conta com mais de 34 mil cooperados e sua estrutura inclui postos de combustíveis, 24 shoppings rurais e 32 concessionárias de tratores e máquinas da Valtra, New Holland e JCB.

O jornal está destacando, também, a participação das mulheres brasileiras na política, que está evoluindo mas ainda não é das maiores. Se as coisas continuarem no ritmo atual, o número de mulheres no comando dos nossos municípios só será igual ao de homens daqui a 20 anos, em 2038. Há vinte anos, 744 mulheres concorreram ao cargo de prefeita e menos de 200 foram eleitas. Em 2016, das mais de duas mil candidatas a prefeituras, apenas 639 conseguiram o cargo. Os nordestinos, tidos como machistas, são os que mais elegem mulheres para comandar prefeituras. 

Na coluna FolhaGeral, o implacável editor chefe Roberto Carvalho está  noticiando um fato raríssimo: a condenação de um tucano. Segundo o colunista, a Justiça condenou o ex-prefeito de Santa Fé do Sul (SP), Antônio Carlos Favaleça (PSDB), por improbidade administrativa. Ele foi denunciado  por irregularidades na contratação de shows para duas festas de peão, as Ficap’s de 2009 e 2010. Na sentença, divulgada na semana passada, Favaleça foi condenado ao pagamento de multa no valor de quase R$ 119 mil e teve os direitos políticos cassados por cinco anos.

FACIP TERÁ “DESAFIO DO BEM” EM PROL DO HOSPITAL DE AMOR

A notícia é da assessoria de imprensa do HA:

O Hospital de Amor Jales, em parceria com a AVCC – Associação de Voluntários de Combate ao Câncer de Jales, vai realizar o tradicional Desafio do Bem, durante a Facip Rodeio Show, promovida pela Gauri Eventos, que acontece de 19 a 22 de abril. 

O convite para desenvolver o desafio partiu dos organizadores do evento, que se colocaram à disposição do hospital, com o objetivo de mobilizar o público do evento, assim como empresas e o comércio em geral a fazer doações em prol desta entidade que atende pacientes de todo o Brasil, sem cobrar nada pelo tratamento de referência oferecido.

O Desafio será entre o peão Leandro Henrique Machado, de Nova Esperança/PR e o touro “Voltei pra te ver” da Cia FBULLS. “Será um embate que promete agitar o público da festa e aflorar a solidariedade”, afirmou o empresário e diretor da Gauri Eventos, Paulo Stoque.

Para a gerente do hospital, Camila Venturini, “essa é uma ótima oportunidade das pessoas ajudarem o hospital. Será um momento de descontração, alegria e amor ao próximo. Vamos contar também com a ajuda imprescindível da nossa eterna parceira, a AVCC, que estará com seus voluntários por toda a festa recolhendo as contribuições. Contamos com a ajuda de todos que prestigiarão o evento.”, finalizou Camila. 

O Desafio será realizado no último dia de festa, no dia 22, durante o rodeio. Em seguida, acontecerá o show da cantora Marília Mendonça.Para informações sobre como patrocinar o Desafio, basta ligar para o setor de captação de recursos, através do telefone: (17) 3624-3910. 

ÓRGÃOS PÚBLICOS, AUTORIDADES E SOCIEDADE CIVIL PARTICIPAM DO LANÇAMENTO DA CAMPANHA DO AGASALHO

A notícia é da Secretaria Municipal de Comunicação: 

A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Jales (FSS), Glauciane Pontes Helena Franco, na companhia do prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, reuniu autoridades, representantes da sociedade civil organizada, imprensa e comunidade, para o lançamento da edição 2018 da Campanha do Agasalho. O evento foi realizado na Sala de Reuniões anexa ao gabinete do prefeito na tarde de quarta-feira, 28 de março. 

Glauciane explicou que a campanha se estenderá por todo o mês de abril e que serão distribuídos em torno de 80 pontos de coleta pela cidade, trinta a mais que no ano passado. “Também promoveremos diversas ações de sensibilização para que as pessoas levem suas doações até os pontos de coleta e o sucesso do ano passado possa se repetir. Por isso contamos com a ajuda de todos vocês”.

A presidente do Fundo Social ressaltou que na cidade existe um número significativo de famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e até de precariedade e que aguardam ansiosamente por esse momento da Campanha do Agasalho. Glauciane Franco lembrou que entre os dias 2 e 20 de abril, será realizado o cadastro das famílias que irão receber as roupas arrecadadas e que no dia 23 de abril será o início da distribuição das peças, feitas por agendamento.

Ainda não é possível prever se o inverno será rigoroso, mas de acordo com a primeira-dama e presidente do FSS, Glauciane, é preciso se antecipar e prevenir que famílias passem frio na estação mais gelada do ano. “A população da cidade, até por não estar acostumada a períodos muito frios, não tem agasalho suficiente para enfrentar o inverno. Vamos contar, mais uma vez, com a generosidade da população para atender os menos favorecidos. O empenho e a união de todos nós são fundamentais para o bom resultado da Campanha do Agasalho”.

O prefeito Flá frisou que a Prefeitura Municipal sempre estará apoiando as ações do Fundo Social de Solidariedade e aproveitou para agradecer a presença de todos que prestigiaram o lançamento da Campanha. 

A Campanha do Agasalho 2018 vai contar com o apoio e o envolvimento da iniciativa privada, de órgãos públicos, como Polícia Militar, Civil, Florestal e Federal, Corpo de Bombeiros, SABESP, além de todas as Secretarias Municipais, entidades assistenciais, igrejas e escolas.

“Não posso deixar de agradecer imensamente a todos vocês que estão aqui, aos envolvidos nas ações da Campanha do Agasalho 2018, colaboradores, parceiros, à Prefeitura e também fazer um agradecimento especial ao senhor Azizi Miguel João, uma pessoa de grande coração, que vai nos ceder um amplo espaço físico na Rua 6, nº2370, bem próximo ao Fundo Social, onde acomodaremos as peças arrecadadas e faremos a entrega das roupas. Não pagaremos nada pelo prédio, nenhuma taxa e nem aluguel. Foi um gesto de solidariedade e de amor. Muito obrigada”, finalizou Glauciane.

1 2 3 11