Arquivos mensais: julho 2018

LUIZ HENRIQUE PEDE PROVIDÊNCIAS CONTRA TERRENOS OCIOSOS NO DISTRITO INDUSTRIAL I

E o incansável pré-candidato a deputado federal Luiz Henrique do CAJ – que está prometendo não viajar em aviões da FAB quando assumir sua cadeira em Brasília – não sossega mesmo o facho.

Há alguns dias, ele voltou ao Ministério Público local para, mais uma vez, protocolar um pedido de providências para obrigar a Prefeitura de Jales a adotar as medidas cabíveis em relação aos terrenos ociosos existentes no Distrito Industrial I.

Segundo o futuro parlamentar, alguns terrenos do Distrito não estão cumprindo a função social a que se destinam. Henrique lembra que eles foram doados pela municipalidade há mais de trinta anos visando a instalação de empresas e a geração de empregos, mas, ao contrário disso,  estariam servindo apenas ao abandono e à especulação.

Esta não é a primeira vez que Luiz Henrique recorre ao Ministério Público para denunciar a situação do Distrito Industrial I. Em 2013, ele protocolou uma representação com a mesma reclamação, mas, transcorridos mais de quatro anos, não se tem notícia – segundo o reclamante – de que alguma providência foi tomada.

CHEGA A SÃO PAULO MUSICAL SOBRE ZECA PAGODINHO. FILHO DE JALESENSE É UM DOS MÚSICOS DO ESPETÁCULO

Notícia publicada pelo UOL, nesta quarta-feira, 11, está destacando a chegada a São Paulo – depois de temporada de sucesso no Rio de Janeiro – do musical “Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba”, que conta de forma irreverente a vida e obra de Jessé Gomes da Silva Filho, que todo mundo conhece como Zeca Pagodinho.

O detalhe é que entre os músicos da peça está o violonista Glauber Seixas (o primeiro à esquerda, na foto acima), filho do jalesense Luiz Carlos Seixas – radicado há anos em Ourinhos – e neto de um dos primeiros farmacêuticos de Jales, Bernardino Mendes Seixas.

Glauber – que é compositor e atua também na direção musical da gravação de CDs – vive no Rio de Janeiro desde 2007 e já atuou em shows com Maria Bethânia, Diogo Nogueira, Maurício Carrilho, Cristóvão Bastos, Gilberto Gil (ao lado) e outros. Paulo César Pinheiro, um dos maiores compositores do país, o considera um dos melhores violonistas da nova geração.

Ao jornal Biz, de Ourinhos, Glauber declarou que “participar de um musical é sempre um desafio. Ele ressaltou, também, que a participação no musical proporcionou conhecimento de detalhes da vida de Zeca. “Ele foi feirante, garçom, anotador de jogo do bicho…”, afirmou Glauber. De seu lado, Zeca diz que “eu já vi a peça três vezes e sempre me emociono”.

A estreia da peça, em São Paulo, está marcada para o próximo sábado, no Teatro Procópio Ferreira. O musical vai além de uma simples biografia. Ele retrata a vida de Zeca em dois atos, onde o artista é interpretado por dois atores diferentes.

No primeiro ato, Zeca é apresentado como um sujeito simples, de Xerém, apaixonado por samba. No segundo, ele encontra a fama, mas sem se esquecer de suas origens.

A notícia do UOL, completa, pode ser lida aqui.

PREFEITURA DE URÂNIA ABRE CONCURSO PÚBLICO PARA 13 CARGOS COM SALÁRIOS DE R$ 954,00 A R$ 6,7 MIL

A novidade está pendurada no portal de notícias da Rádio Assunção:

A Prefeitura Municipal de Urânia abriu período de inscrições do concurso público para o preenchimento de vagas e formação de cadastro de reserva para diversos cargos como: assessor jurídico, assistente social, auxiliar de serviços especiais, auxiliar de serviços gerais, cirurgião dentista, escriturário, farmacêutico, médico clínico geral, monitor de práticas esportivas, nutricionista, operador de máquinas, técnico em enfermagem e técnico em radiologia. 

As inscrições já começaram e devem ser realizadas através de formulário de inscrição, disponível no endereço eletrônico www.setaconcurso.com.br, até o dia 29 de julho de 2018. 

Após a finalização da inscrição, um boleto será gerado, e o pagamento da taxa de inscrição que varia de R$ 35,00 a R$ 70,00 deverá ser efetuado até a data de vencimento do mesmo.

As provas objetivas serão realizadas no dia 19 de agosto de 2018, nas escolas municipais de Urânia. A divulgação será feita após a homologação das inscrições.

A validade do Concurso Público será de 2 (dois) anos, contados da data de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado pelo prazo máximo de 2 (dois) anos, a critério exclusivo da Prefeitura Municipal de Urânia.

O Edital na integra está disponível no quadro de avisos da Prefeitura Municipal de Urânia e nos endereços eletrônicos www.urania.sp.gov.br e www.setaconcurso.com.br.

“CHEGA DE SAUDADE”, MARCO INICIAL DA BOSSA NOVA, COMPLETA 60 ANOS

Ontem, 09 de julho, foi feriado no estado de São Paulo, mas, reparando bem, deveria ser feriado no Brasil inteiro. Afinal, foi num 09 de julho – e não de abril, o mês cruel – que Vinícius de Moraes finou-se, aos 66 anos de idade, deixando um legado imorredouro à poesia e à música.

Legado que traz, entre outras coisas, “Chega de Saudade“, o marco zero da bossa nova, que nesta terça-feira, 10, está completando 60 anos de sua gravação mais significativa. A sexagenária canção de Tom e Vinícius, composta em 1956, foi gravada pela primeira vez por Elizeth Cardoso, no disco “Canção do Amor Demais”.

Com arranjos de Tom Jobim, o disco de Elizeth apresentou ao mundo a batida diferente do violão de João Gilberto, que, afora “Chega de Saudade”, acompanhou  “A Divina” em outras cinco canções.

A versão definitiva da música de Tom e Vinícius foi gravada, porém, pelo próprio João Gilberto em 10 de julho de 1958, dois meses após a gravação de Elizeth e poucos dias depois que Pelé, Garrincha e Didi – ao contrário de Neymar e Cia – encantaram o mundo, conquistando nossa primeira Copa.

A batida de João também encantou o mundo e elevou a nossa música ao mesmo nível em que Pelé e Garrincha puseram nosso futebol. A versão de João encantou também Gilberto Gil, àquela altura com 16 anos. Gil revelou hoje, no Twitter, que ao ouvir “Chega de Saudade” pela primeira vez em uma rádio de Salvador, ficou tão profundamente impressionado que, naquele momento, decidiu aprender a tocar violão.

“Chega de saudade” ficou tão marcada pela interpretação de João Gilberto, que até mesmo o Ministério da Cultura do incompetente e ilegítimo governo Temer deu sua mancada na manhã desta terça-feira, numa publicação no Twitter. Segundo O Globo, “a mensagem (ao lado), num desses erros efêmeros típicos das redes sociais, chegou a ficar pouco mais de meia hora no ar até ser corrigida”.

Com mais de 80 anos, João Gilberto, que é mais ouvido nos EUA que no Brasil, vive recluso e foi interditado judicialmente pela filha – a cantora Bebel Gilberto – por problemas de saúde e complicações financeiras.

A reclusão não é, no entanto, novidade na vida dele. Antes de gravar “Chega de Saudade”, ele viveu cerca de dois anos com parentes em uma pequena cidade de Minas Gerais, mas, durante quase todo o tempo, permaneceu trancado em seu quarto, inventando os acordes do que seria a bossa nova.

No vídeo abaixo, Gal Costa canta “Chega de Saudade“:

PROVÁVEL VICE DE JOÃO DÓRIA, RODRIGO GARCIA LANÇA EX-PREFEITO DE OLÍMPIA COMO SUCESSOR

O prefeito Flá Prandi estava lá e deverá apoiar Geninho. A notícia é do Diário da Região:

O deputado federal Rodrigo Garcia (DEM) deu mais um sinal de que será mesmo o vice na chapa de João Doria, pré-candidato a governador pelo PSDB. No sábado, 7, ele reuniu assessores na região no escritório político em Rio Preto para comunicar que vai apoiar Geninho Zuliani a deputado federal, transferindo para o ex-prefeito de Olímpia a vaga que seria dele dentro do partido.

Rodrigo também anunciou a data da convenção estadual do DEM para oficializar o apoio da legenda a Doria. Será dia 28, em São Paulo, segundo o presidente do partido em Rio Preto, Roberto Toledo. Mas antes disso, entre os dias 20 e 21, a expectativa é de que Rodrigo já seja anunciado vice na chapa do tucano.

Uma festa está sendo preparada para a ocasião no mesmo hotel em que o DEM antecipou adesão a Doria no último dia 14 de junho, no bairro de Pinheiros, também na Capital. Além de PSDB e DEM, o ato deve contar com a participação dos outros partidos que já anunciaram apoio a Doria, como PSD, PRB e PP.

A única hipótese de Rodrigo perder a vaga de vice é se o lugar for oferecido a Paulo Skaf para ele abrir mão da pré-candidatura a governador para apoiar Doria. Ainda assim, a tendência é que o emedebista fique com uma das vagas de candidato ao Senado.

De acordo com Toledo, o apoio de Rodrigo a Geninho será em todo o Estado. O DEM agora decide quem será o candidato a deputado estadual para fazer dobradinha com o ex-prefeito de Olímpia na região. Estão no páreo, o ex-prefeito de Santa Adélia Marcelo Hercolin e Ernesto Masselani, de Matão. Ambos, assim como Geninho, foram assessores de Rodrigo quando ele estava no comando da Secretaria Estadual de Habitação. Hercolin, por exemplo, dirigia a regional da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) em Rio Preto.

A grande aposta de Rodrigo, no entanto, é em Geninho. “Ele praticamente o elegeu como seu sucessor”, disse um outro correligionário que participou da reunião de sábado com o cacique em Rio Preto.

Geninho, de 42 anos, foi prefeito de Olímpia por dois mandatos sucessivos (de 2009 a 2016). Na sequência foi assessorar Rodrigo em São Paulo, na coordenação do Cidade Legal, programa da Secretaria de Habitação responsável pela regularização fundiária de ocupações residenciais. “Ele fez contatos com prefeitos de praticamente todo o Estado”, afirmou Toledo sobre as vantagens que o cargo pode trazer para a campanha eleitoral do colega.

PEÃO DE SANTA FÉ DO SUL MORRE PISOTEADO POR TOURO EM PARANAÍBA

A notícia é do Diário da Região:

O peão de rodeios de Santa Fé do Sul Uéliton Flávio de Oliveira, de 24 anos, morreu na noite de domingo, dia 8, ao ser pisoteado por um touro durante a semifinal da competição realizada em Paranaíba, Mato Grosso do Sul.

O touro atingiu Uéliton na nuca após saltar do animal ao completar os oito segundos. Ao tocar o chão, ele perdeu o equilíbrio, e a pata traseira esquerda do touro atingiu a cabeça do rapaz.

O rapaz chegou a receber os primeiros socorros, mas acabou morrendo ainda no local. O peão usava capacete e colete, itens de segurança para as montarias.

A morte do peão encerrou as competições e a Polícia Civil foi chamada no local para levantar informações sobre as circunstâncias do acidente. O peão foi enterrado nesta segunda-feira, 9, em Paranaíba, onde estava morando.

Nas redes sociais, familiares e amigos se despediram do rapaz, que era chamado de Flavinho no mundo dos rodeios.

ADVOGADA QUE VIROU PROSTITUTA SE NEGA A FAZER PROGRAMA COM QUEM SE DECLARA FÃ DE BOLSONARO

A jovem cortesã parece ser cheia de melindres. A anã Dafne também é advogada e não tem essas frescuras. A matéria é do portal Universa:

A vontade de fazer muito sexo, ganhar dinheiro e parar de ser assediada por colegas de trabalho fizeram com que a advogada e professora de direito Cláudia de Marchi, de 36 anos, decidisse se tornar “acompanhante de luxo feminista”, como ela se define.

Atendendo em Brasília há dois anos, ela só aceita cavalheiros “com português correto, intelecto de dar inveja” e que lhes deem muitos beijos. Informa que “ama sexo anal”, que detesta ser chamada “de meu amor” e que quem quiser “jantar em restaurante, aquela balela toda”, tem que pagar a mais.

Cláudia está lançando o livro “De encontros sexuais a crônicas – O diário de uma advogada e acompanhante de luxo feminista”. À Universa, ela diz que prostituição é opção e que é feminista, sim, porque é uma “mulher livre, realizando a própria sexualidade”.

Por que decidiu deixar de ser advogada para se tornar prostituta?

Fui muito assediada quando tinha escritório e tive sócios mega machistas, que ganhavam mais do que eu e que não me deixavam ficar responsável por alguns casos, só porque eu era mulher. Aquilo me irritava. Abandonei a advocacia, fui fazer mestrado e me tornei professora da Universidade de Cuiabá. Só que, na faculdade, aconteceu a mesma coisa, assédio por todos os cantos. Nessa época, me separei do meu marido e decidi que o que eu queria mais era fazer sexo.

Quanto você cobra?

A hora são R$ 650, o pernoite, R$ 4.500, e se ele quiser me levar para jantar, aquela balela além de trepar, mais R$ 1.000. Eu janto sozinha, não preciso de companhia de cara desconhecido querendo fazer o bom moço.

O preço sobe quando atende político que rouba muito?

Não. Já saí com vários políticos, mas nunca candidatos a presidente ou governador, porque é muita exposição para mim. E se o cara for de extrema-direita, da bancada evangélica, ruralista ou da bala, caio fora.

Muitos clientes carentes?

Sim. Um deles perguntou se durante a transa poderia me chamar pelo nome da ex. Eu disse que não e que era melhor ele ir embora e só voltar quando estivesse mais estável emocionalmente. Ele me pediu desculpas, pagou e, depois de dois meses, voltou outro cara. Aí nos demos bem.

O que você odeia que um cliente faça?

Odeio que me chamem de amor; nem conheço o cara, como ele pode dizer que me ama? Também detesto homem egoísta na cama. Um dia desses, um cara me chamou para tomar um vinho num restaurante. O programa acabou ali mesmo porque ele tentou me convencer que o Bolsonaro era legal. Falei: “Amigo, depois disso, nem viagra feminino resolve.

JORNAL DE JALES: PREFEITURA TERÁ QUE FORNECER EQUIPAMENTOS E NOVO LOCAL PARA FUNCIONAMENTO DA RECEITA FEDERAL

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, onde o principal destaque é o caso da agência da Receita Federal de Jales, que mexeu com a autoestima dos jalesenses nas duas últimas semanas. Segundo o jornal, a agência vai mesmo ser fechada e no lugar dela será instalado um posto de atendimento. Portaria nesse sentido foi publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira, 06. O prefeito Flá informou que, mesmo com a mudança, o importante é que os serviços continuarão sendo prestados. Para tanto, a Prefeitura terá que fornecer alguns equipamentos e indicar um local para o posto, que poderá ser junto ao Ganha Tempo.

Destaque também para o “6º Concerto Solidariedade, Saúde e Música”, que, segundo o jornal, teve um final apoteótico. O Concerto, que reuniu músicos eruditos e cantores populares, repetiu o êxito de anos anteriores, confirmando que a fórmula caiu no gosto dos apreciadores de música de qualidade. A prova do sucesso foi a reação da plateia que, ao final do espetáculo, aplaudiu os artistas de pé, compensando o enorme esforço do maestro Edivaldo de Paula, regente da nossa Orquestra Sinfônica. 

O esforço da Comunidade Restaurar para se credenciar junto à Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas; a conclusão do curso de Jornalismo por um ex-estagiário do JJ, o jovem Rafael Honorato, atualmente na TV Tem; a final do campeonato paulista da Liga Nacional, categoria sub 16, entre o Jalesense e o Rioclarense, em Rio Claro; a visita da digital influencer e blogueira Mariana Saad ao Hospital de Amor; e a manifestação da deputada Analice Fernandes(PSDB), em resposta ao pré-candidato do PT ao governo do estado, Luiz Marinho, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta os bastidores da contundente reação de autoridades e lideranças jalesenses contra o fechamento da agência da Receita Federal. Segundo o colunista, a reação movimentou até dois jalesenses da mesma geração que estão fora da cidade há muito tempo: Jarbas Elias Zuri Júnior, com trânsito junto ao Escritório da Presidência da República em São Paulo, e o ex-delegado da Receita Federal em Araçatuba, Odassi Guerzoni Filho, com trânsito junto ao atual delegado, Tharsis Bueno. 

MARIA BETHÂNIA – “FERA FERIDA”

Antigamente, tinha lá no Brasil & Cia – o programa que apresento aos domingos na Regional FM – um ouvinte que, pelo menos duas vezes por mês, pedia para ouvir a música “Amiga”, com o Roberto Carlos e a Maria Bethânia.

Quando lançou seu LP de 1982 – esse aí do lado – o Roberto Carlos imaginava que “Amiga”, uma música um tanto comprida (5 minutos e 20 segundos) seria o carro-chefe do disco, ou seja, aquela que tocaria nas rádios e puxaria as vendas. Não foi!

O público e as emissoras de rádio preferiram “Fera Ferida”, música que também tem mais de 5 minutos, mas com uma letra bem melhor. Para os críticos, “Fera Ferida” era a melhor composição do disco e uma das melhores da obra de Roberto e Erasmo Carlos.

Há quem diga que a participação de Roberto na letra foi muito maior que a do Erasmo. É que a música trata do rompimento traumático de um caso de amor e foi composta justamente em uma época em que o primeiro casamento do Rei, com Nice – Cleonice Rossi Braga (1940-1990) – tinha se desfeito.

Em 1987, “Fera Ferida” foi regravada por Caetano Veloso e, em 1993, foi a vez de Maria Bethânia regravá-la no CD “As Canções Que Você Fez Prá Mim”, totalmente dedicado às canções de Roberto e Erasmo. A versão de Bethânia foi tema de abertura de uma telenovela global, com o mesmo nome da música.

No vídeo abaixo, Maria Bethânia interpreta “Fera Ferida”, no show “Maricotinha”:

 

1 2 3 4