Arquivos mensais: outubro 2018

JORNAL DE JALES: APOIADOR DE BOLSONARO, EX-VEREADOR RIVELINO RODRIGUES PENSA EM DISPUTAR PREFEITURA DE JALES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca a votação do candidato Jair Bolsonaro em Jales, que superou a média nacional. Jales – que. em 1968, foi uma das três cidades do estado que elegeu um prefeito não apoiado pela ditadura – deu 16.319 votos (62,89% dos válidos) para Bolsonaro e apenas 3.021 (11,64%) ao petista Fernando Haddad. A matéria ressalta que o candidato Luiz Henrique Moreira foi o mais votado em Jales para deputado estadual, com 8.248 votos. No total, Luiz Henrique obteve 25.098 votos e não foi eleito. Já o Delegado Sakashita obteve 3.063 votos em Jales e 6.992 no total.

O jornal está destacando, também, a prisão de um comerciante de Jales, acusado de sequestro, espancamento e tentativa de estupro contra uma jovem professora de Santa Fé do Sul, que veio à cidade em busca de emprego. M.S., dono de uma lanchonete em Jales, foi presa na terça-feira à noite, depois que a Polícia Militar foi avisada por vizinhos que ouviram gritos de socorro vindos de uma casa no Jardim Guarani. A delegada Maria Letícia Camargo, da Delegacia da Mulher, disse que o mais impressionante foi o estado em que a jovem ficou, com muitos ferimentos, principalmente na cabeça e no rosto.

O projeto aprovado pela Câmara de Jales para impedir a presença de vereadores bêbados durante as sessões; o casamento, em Jales, de dois idosos – ele católico, ela evangélica – que se conheceram através de um site de relacionamento; o leilão previsto para este domingo, aqui em Jales, em prol do Hospital de Base, de Rio Preto; as comemorações do Dia da Criança na biblioteca municipal; e as discussões em torno do novo Plano Diretor do município, que terão sequência nessa segunda-feira, 15, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que as manifestações de apoio recebidas pelo ex-vereador Rivelino Rodrigues – que andou contestando opiniões do bispo dom Reginaldo Andrietta a respeito das eleições presidenciais – o teriam deixado bastante animado. Tão animado que Rivelino já cogita tocar em frente o projeto político pessoal, que inclui a disputa pela Prefeitura de Jales. Nesta edição do JJ, Rivelino está publicando um novo texto onde contesta as opiniões de pessoas que defenderam o posicionamento do bispo. 

LADY GAGA E TONY BENNETT – “THE LADY IS A TRAMP”

Na quinta-feira, 11, estreou nos cinemas o filme “Nasce uma Estrela” (A Star is Born), cujos protagonistas são Bradley Cooper – no papel de Jackson Maine, um cantor famoso, porém decadente – e a extravagante Lady Gaga, no papel de Ally, uma cantora muito talentosa, porém insegura (ela se achava feia).

Essa não é a primeira atuação de Lady Gaga (nome verdadeiro: Stefani Germanotta) como atriz. Na verdade, ela até já ganhou um Globo de Ouro de melhor atriz por seu papel na série “American Horror Story: Hotel”.

Também não é a primeira vez que “Nasce uma Estrela” é encenado. Em verdade, esta é a quarta versão desse drama musical. A primeira versão é de 1937, com Janet Gaynor e Fredric March. A segunda é de 1954, com Judy Garland e James Mason.

A terceira versão, de 1976, traz Barbra Streisand e Kris Kristofferson nos papeis principais. Nas três versões, a personagem principal se chama Esther. A diferença é que, nas duas primeiras, Esther sonha em ser uma grande atriz. E na terceira versão, a Esther interpretada por Barbra queria ser uma estrela da música.

Na quarta versão – essa que está estreando – a personagem de Lady Gaga não se chama Esther, mas, assim como a personagem de Barbra, também sonha em fazer sucesso como cantora.

Falando em sucesso, a versão de 1976 consagrou várias canções de Barbra Streisand, principalmente “Evergreen”. De seu lado, a trilha sonora da versão recém-estreada também promete: em poucos dias, ela já ocupa o primeiro lugar das paradas britânicas.

E não é para menos! Quem assistir ao filme verá, logo no início, uma interpretação arrebatadora de Lady Gaga para o clássico francês “La Vie em Rose”(aqui).

Fiquemos, porém, com a interpretação de outro clássico, que não está na trilha sonora de “Nasce uma Estrela”. Trata-se de “The Lady is a Tramp”, que Lady Gaga canta com Tony Bennett.

O vídeo me foi sugerido pelo amigo Manoel Carlos Martinez Iglesias, jalesense que há muito tempo está radicado em Brasília, onde foi gerente da agência do Banco do Brasil localizada no Palácio do Planalto.

FEMINICÍDIO: EM TRÊS DIAS, CINCO MULHERES FORAM ASSASSINADAS NO INTERIOR DE SÃO PAULO

E o Bolsonaro ainda quer botar mais armas nas mãos dessa gente de bem. A notícia é do portal MSN:

Cinco mulheres foram vítimas de feminicídio nos três últimos dias no interior de São Paulo. Em um dos casos, o marido matou a mulher e a própria filha (ao lado), alegando que ela o havia traído. No caso mais recente, na manhã de sexta-feira, 12, um engenheiro de 45 anos matou a ex-mulher de 46 e se suicidou, em um condomínio de luxo, em Sumaré.

Segundo a polícia, ele tinha ido à casa buscar os dois filhos para passar com eles o Dia das Crianças. Antes de atirar na ex-esposa, ele pediu aos filhos de 10 e 6 anos que fossem brincar na casa de um vizinho, de acordo com o depoimento do mais velho.

A polícia foi chamada por vizinhos, que ouviram o barulho dos tiros. Os policiais encontraram os corpos no quarto da casa. Os dois tinham tiros na cabeça e uma arma estava próxima do corpo do engenheiro. As crianças foram colocadas sob o cuidado de familiares. De acordo com a polícia, o engenheiro não tinha histórico de violência e era descrito como pessoa calma. O casal havia se separado recentemente, mas não havia registro de agressão ou desentendimento mais grave. As mortes estão sendo investigadas.

Na noite de quinta-feira, 11, a balconista Thaís Fernanda Scaramussa, de 30 anos, foi morta com um tiro dentro de casa, no bairro Recreio São Judas Tadeu, em São Carlos. O suspeito de ter cometido o crime é o ex-marido da vítima, Assis Rocha, de 40 anos, que foi candidato a vereador na cidade em 2016 pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB). Ele foi visto saindo do local e está foragido. O pai da vítima arrombou a porta e encontrou a filha já morta. O casal estava separado havia uma semana. Antes de ir à casa da ex, Rocha deixou a filha pequena do casal com um irmão. Segundo a Polícia Civil, ele é procurado e ainda não constituiu advogado.

Em Jundiaí, a jovem Alícia Jenielba Pereira dos Santos, de 22 anos, foi assassinada quando esperava o ônibus em um ponto, no bairro Jardim das Tulipas, nesta quinta-feira, 11. Ela levou tiros nas costas e no rosto. Uma ex-namorada da jovem é suspeita de ter cometido o crime, na companhia de um amigo. Os dois estão foragidos.

Conforme a Polícia Civil, testemunhas relataram que a suspeita deixou o trabalho na companhia de um rapaz um pouco antes da hora do crime e retornou algum tempo depois. Antes de fugir, ela teria confessado a autoria do crime a uma conhecida. A arma possivelmente usada no crime foi achada na casa do rapaz.

Em São José dos Campos, um homem matou a mulher, Liliane Silva Rodrigues, de 35 anos, e a própria filha Larisa Vitória, de 13, no prédio onde moravam, no Bosque dos Ipês, na madrugada de quarta-feira, 10. O suspeito foi preso quando tentava se jogar de uma passarela, no Jardim Aquarius. Ele confessou os crimes e disse que atirou após discutir com a mulher, mas a filha entrou na frente da mãe e também acabou atingida. A motivação teria sido uma suspeita de que a mulher o havia traído. Os dois eram casados havia 15 anos. A arma usada no crime foi encontrada em um bueiro. O homem está preso.

EX-CRAQUE FRANCÊS CRITICA JOGOS DO BRASIL NA ARÁBIA: “AGORA ENTENDO PORQUE VOTAM NO BOLSONARO”

Em nações que já passaram pelo flagelo do fascismo e do nazismo, as pessoas não conseguem entender o Brasil votando no Bolsonaro. A notícia é do UOL:

O francês Eric Cantona criticou o fato de a seleção brasileira ter aceitado jogar na Arábia Saudita, um país acusado de ser autoritário e com violações de direitos humanos. Em um vídeo postado em seu Instagram, o ex-jogador diz agora entender o porquê de as pessoas estarem dispostas a votarem em Jair Bolsonaro (PSL) para a presidência – o candidato convive com acusações constantes de ser autoritário.

“Quando vejo a seleção brasileira de futebol aceitar jogar um amistoso na Arábia Saudita – por muito dinheiro, tenho certeza -, consigo entender por que milhões de brasileiros estão dispostos a votar em Bolsonaro”, afirmou Cantona, que colocou na legenda a hashtag “#EleNão”, do movimento contrário a Jair Bolsonaro.

A Arábia Saudita convive no momento com o desaparecimento de um jornalista local. Jamal Khashoggi sumiu após entrar no consulado do país em Istambul, na Turquia. O Governo de Riad chamou de “mentirosas” e acusações “sem fundamento”, as informações sobre o possível assassinato do jornalista dentro do consulado.

Neste sábado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, exigiu a verdade sobre o desaparecimento de Jamal Khashoggi.

A seleção brasileira está na Arábia Saudita para dois amistosos. O primeiro aconteceu na última sexta-feira (12), quando os comandados de Tite venceram os donos da casa por 2 a 0. Na terça-feira (16), o adversário será a Argentina.

PREFEITURA DE VITÓRIA BRASIL DIZ QUE ALUGUEL DE PRÉDIO É RESPONSABILIDADE DOS CORREIOS

Júlio Santana, procurador jurídico da Prefeitura de Vitória Brasil, deu a versão da municipalidade para a falta de pagamento do aluguel do prédio onde funciona a agência dos Correios daquele município. Ei-la:

Nota de esclarecimento

A Prefeitura Municipal de Vitória Brasil, informa que o convênio para locação do prédio onde se encontra em funcionamento os Correios venceu em 31 de dezembro de 2016, não sendo o mesmo renovado, pois foi oferecido e aceito pelos Correios outro prédio de propriedade do Município para instalação e funcionamento da agência, sem custo para o Município, ficando a cargo do correio a devida adequação do prédio.

O proprietário do imóvel onde atualmente funciona os Correios foi devidamente comunicado que a partir de 01 de Janeiro de 2017 a responsabilidade pelos alugueis seriam dos Correios. Ocorre que, para surpresa da prefeitura, no início desse ano, fomos informados que o correio não estava fazendo os devidos pagamentos.

Em razão disso, o procurador jurídico do município e o chefe de gabinete da prefeitura foram até a sede dos Correios em Bauru, para tratar do assunto, onde ficou novamente decidido que a responsabilidade dos aluguéis enquanto não fosse reformado o prédio cedido pelo Município, seria do correio.

Nota do blogueiro: o dono do prédio, senhor Jair Gobati, confirmou ao blog que pretende entrar com ação de cobrança dos alugueis contra a PREFEITURA. Ele alega que o imóvel foi alugado pela municipalidade e não pelos Correios.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, o principal assunto ainda é a história do bafômetro, que a Câmara Municipal andou cogitando comprar para avaliar as condições de vereadores que, vez em quando,  participam das sessões em estado de aparente embriaguez. O presidente do Legislativo, Vagner Selis, o Pintinho, desmentiu a aquisição do bafômetro. Ele explicou que o projeto aprovado quase por unanimidade – Macetão foi a exceção – não prevê a compra do aparelho e, ao contrário, apenas promove uma adequação no Código de Ética, que não estipulava nenhuma punição aos vereadores que comparecessem “mamados” às sessões.

As eleições de domingo passado também são destaque na Folha Noroeste. Levantamento do jornal mostra que a votação dos deputados Itamar Borges(MDB), Carlão Pignatari(PSDB) e Analice Fernandes(PSDB), todos reeleitos, caiu bastante em 24 municípios da região de Jales e Santa Fé do Sul. Analice, por exemplo, teve 20.017 votos em 2014,  nesses 24 municípios, e agora em 2018 sua votação caiu para 9.828. Já Itamar Borges teve 27.882 (2014) e caiu para 18.815 (2018). Carlão Pignatari, de seu lado, caiu de 11.237 (2014) para 6.643 (2018). Juntos, os três deputados perderam quase 24.000 votos na região.

Na coluna FolhaGeral, o estatístico redator-chefe Roberto Carvalho diz que o eleitorado brasileiro deu uma dura e justa resposta aos políticos nas eleições deste ano, principalmente aos velhinhos do Senado. O colunista lembra que, nestas eleições, estiveram em disputa 54 vagas para o Senado e que 46 dessas vagas serão ocupadas por novos senadores, o que significa uma renovação de 85%. Roberto lembrou, ainda, que 24 dos atuais senadores foram rejeitados pelos eleitores, entre eles os veteranos Edson Lobão(MDB-MA), Cássio Cunha Lima(PSDB-PB), Eunício Oliveira(MDB-CE), Romero Jucá(MDB-RR), Roberto Requião(MDB-PR) e Cristovam Buarque(PPS-DF).

 

A TRIBUNA: SEM CONSEGUIR SE ELEGER DEPUTADO, LUIZ HENRIQUE JÁ FAZ PLANOS PARA ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2020

No jornal A Tribuna deste final de semana prolongado, destaque para as eleições de domingo passado, quando Jales, mais uma vez, não conseguiu eleger um deputado para chamar de seu. O candidato local Luiz Henrique Moreira, o mais votado para deputado estadual em Jales, falou sobre o assunto ao repórter Alexandre Ribeiro e criticou a preferência do prefeito Flá Prandi e do vice-prefeito Garça por apoiar candidatos “estrangeiros”. O outro candidato nativo – Delegado Sakashita, o terceiro mais votado em Jales – também deu entrevista ao jornal e disse que, “sem eleger um deputado estadual, Jales continuará sem prestígio e recebendo apenas o que sobra de outras regiões”.

O jornal destacou, também, as reclamações de moradores que estariam indignados com a Prefeitura. Segundo eles, a administração não permitiu – a pedido do vereador Deley – que servidores braçais deixassem de limpar uma praça, para ajudar na limpeza da ESF do Roque Viola, invadida pela água e a lama trazidas pelas chuvas da quarta-feira, 10.  O vereador desmentiu que tenha pedido a limpeza da praça para realização de uma festa e disse que os serviços foram solicitados, na verdade, por um padre que rezaria uma missa no local.

A decisão do ministro Gilmar Mendes, que manteve preso o empresário Roberto Santos Oliveira, ex-marido da ex-tesoureira Érica Carpi; a decisão da ministra Rosa Weber, que mandou a Prefeitura pagar o décimo-terceiro salário pleiteado pela ex-prefeita Nice Mistilides; os resultados das eleições de domingo em Jales; o caso da professora que veio a Jales à procura de um emprego e foi sequestrada e estuprada por um comerciante; e a repaginação de algumas praças da cidade, que está sendo realizada pela Prefeitura, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) confirmou multa de 500 Ufesp’s (R$ 12,8 mil) ao ex-prefeito Humberto Parini, por conta de uma licitação realizada em 2008. Na página de opinião, o estudante de jornalismo Lucas Rossafa comenta a falta de um deputado genuinamente jalesense, enquanto o ex-vereador Rivelino Rodrigues – eleito três vezes em coligações do seu partido com o PT – confessa, em artigo-resposta ao petista Luís Especiato, que nunca votou no PT. No caderno social, destaque para o 3º baile solidário do Rotary Clube e para a coluna do Douglas Zílio.  

PREFEITURA DE VITÓRIA BRASIL NÃO PAGA ALUGUEL DE PRÉDIO E AGÊNCIA DOS CORREIOS PODERÁ SER FECHADA

Notícias vindas de Vitória Brasil dão conta de que a agência dos Correios daquela cidade poderá fechar a qualquer momento, com graves consequências para a população. A agência é correspondente do Banco do Brasil e, com o fechamento, os idosos que recebem suas aposentadorias através do banco terão que “se virar nos trinta”. 

Segundo as informações, Prefeitura e Correios firmaram um contrato para funcionamento da agência por 20 anos – de 2010 a 2030 – no qual a municipalidade se incumbiria de disponibilizar um prédio. Para cumprir o contrato, a Prefeitura alugou o prédio da foto. 

Ocorre que, em janeiro de 2017, a Prefeitura teria rompido o acordo com os Correios, rescindindo unilateralmente o contrato de locação do prédio e, de lá para cá, não mais pagou o aluguel. O proprietário já teria inclusive recorrido à Justiça com uma ação de despejo e com cobrança dos 20 meses de aluguel atrasado. 

A população, é claro, está preocupada com o desfecho do caso, pois, segundo se comenta, se a cidade perder a agência dos Correios, não conseguirá recuperá-la tão cedo. 

Tentei contato com assessores da prefeita Ana Lúcia para ouvir a versão da Prefeitura, mas, provavelmente por conta do feriado, eles não estão atendendo.

MÃE MORRE ASFIXIADA PELA FILHA E PELO GENRO EM PETRÓPOLIS

Ela ficará presa uns seis ou sete anos, com direito a umas saidinhas no “Dia das Mães”. A notícia é do portal MSN:

A estudante Paloma Vasconcelos, de 21 anos, está presa desde o último sábado, 6, acusada de matar a própria mãe asfixiada, em casa, após usar formol para deixá-la sem reação. Paloma morava com a mãe – a empresária Dircelene Botelho Garcia (foto acima), de 51 anos – e o padrasto em uma casa de três andares em Petrópolis, na Região Serrana fluminense. Segundo a Polícia Civil, Paloma confessou o crime, que praticou junto com o namorado, Gabriel Molter, de 26. Ele também está preso.

Ainda de acordo com a polícia, Paloma alega que em 2017 engravidou do namorado e a mãe a obrigou a abortar.

“Ela diz que a mãe a levou a Cabo Frio (município da Região dos Lagos), fez o aborto e a partir dali ela começou a pensar no que faria para matar a mãe”, afirmou Cláudio Batista Teixeira, delegado da 105ª Delegacia de Polícia (Petrópolis).

Nos últimos meses, Dircelene passou a notar o sumiço de dinheiro que escondia no próprio guarda-roupas. Por isso, ela e o marido, o comerciante português Manoel da Silva, de 68 anos, instalaram uma câmera oculta, voltada para o guarda-roupas. Essa câmera, que Paloma desconhecia, permitiu à polícia esclarecer o crime, cometido no dia 2.

Naquele dia, o namorado de Paloma entrou escondido na casa – a presença dele estava proibida pela mãe dela, desde uma discussão ocorrida cerca de um ano atrás – e ajudou Paloma a imobilizar a mãe. Como ela reagia, o casal usou formol para deixá-la zonza. Depois, a filha tentou dar uma injeção de ar na mãe, para produzir uma embolia, mas não conseguiu. Teria então recorrido à asfixia, segundo a polícia.

Antes de ficar entorpecida pelo formol, a mãe teria pedido à filha para não ser morta. Quando a mãe disse “Não me mata, filha, sou tua mãe e te amo”, a filha respondeu “Eu não tenho mãe”. Esse foi o último diálogo entre elas, conforme a polícia.

O namorado de Paloma usou um estetoscópio para confirmar que a mãe dela havia morrido. Depois, o casal passou a alterar a cena do crime. Segundo a Polícia Civil, a filha chegou a maquiar a mãe e a trancou no quarto, provavelmente saindo pela janela, para levar à falsa conclusão de que a morte teria sido causada por um enfarte.

“Desfizeram a cena do crime e o marido achou que a mulher tinha sofrido um enfarte. A filha vestiu a mãe, pintou seu rosto e colocou o corpo sobre a cama para simular uma morte por causa natural. Quando há asfixia, geralmente há luta corporal. Mas nesse caso não havia sinais evidentes de ferimentos nem no corpo da filha da vítima nem no de seu cúmplice. Acredito que o formol tenha feito a vítima desfalecer, ficando mais fácil a prática da asfixia mecânica”, contou o delegado André Prates Fraga, também da 105ª DP.

Quando o padrasto chegou em casa, verificou que a porta estava trancada, entrou pela janela e encontrou a mulher sem reação. Chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), cujos profissionais constataram a morte, inicialmente por causa indeterminada. O laudo médico constatou a asfixia.

1 2 3 6