PREFEITURA CONTRATA EMPRESA PARA AUDITORIA CONTÁBIL NA MERENDA ESCOLAR DE 2001 A 2005

O jornal Folha Regional, responsável pela publicidade dos atos oficiais da Prefeitura de Jales, publicou, neste final de semana, que a municipalidade está contratando, por R$ 25 mil, a empresa Trindade & Casemiro Auditoria Ltda, para analisar e elaborar relatório referente à merenda escolar servida entre os anos de 2001 e 2005. Nesse período, que inclui o primeiro ano do governo Parini, a alimentação escolar ainda era preparada e fornecida pelo município. Em 2006, sobreveio a terceirização.

A Prefeitura espera que, de posse do relatório a ser elaborado pela Trindade & Casemiro, ela possa fornecer as informações que estão sendo solicitadas pelo Ministério Público sobre o período anterior à terceirização. Sabe-se que a Prefeitura tentou responder a algumas perguntas da promotoria, mas não conseguiu, pois não tinha os números da merenda escolar.

Conforme é sabido, o prefeito Humberto Parini baseou-se em um relatório preparado em 2005, pela empresa GV Consult, ligada à Fundação Getúlio Vargas, para justificar e preparar o processo de terceirização. Segundo o levantamento da GV Consult, coordenado pelo professor Antonio Luiz de Carvalho, o município fornecia, em 2005, cerca de 5.400 refeições diárias, a um custo unitário de R$ 1,24. Nessa época, havia 698 crianças sendo atendidas pelas creches e 8.679 alunos matriculados nas escolas municipais e estaduais. O cálculo da GV Consult considerou a evasão escolar (30%) e a rejeição à merenda (7% nas creches e 48% nas escolas).  

Curiosamente, em 2008, quando o número de alunos já havia diminuído bastante, a empresa Gente chegou a “servir” inimagináveis 9.000 refeições diárias. Atualmente, depois de suspeitas e denúncias de superfaturamento na quantidade de refeições servidas e após a contratação da Starbene Refeições, a média de merendas consumidas diariamente caiu para cerca de 6.000, conforme declarações da secretária da Educação, professora Élida Barison.

Outra curiosidade: o estudo feito pelo professor Antonio Luiz de Carvalho, no qual o prefeito Parini baseou-se para terceirizar a merenda, não foi pago pela Prefeitura de Jales. Por outro lado, este aprendiz de blogueiro ligou, há algum tempo, para a GV Consult e foi informado que a empresa não trabalha de graça. Suspeita-se que o estudo tenha sido pago pela Gente Ltda, interessada na terceirização da merenda. No site da GV Consult, a relação de clientes inclui várias prefeituras, inclusive a de Fernandópolis, além de diversas empresas fornecedoras de merenda, como a Gente Nutrição Ltda. Já a Prefeitura de Jales não consta da relação de clientes da empresa.

3 comentários

  • Roberto Injustus

    Isso tá me cheirando mal, blogueiro. Pagar R$ 25 mil por uma auditoria que pode ser feita em menos de 15 dias? Os documentos estão todos lá na Prefeitura. Será que, com aquele monte de assessores, não tem ninguém capaz de fazer esse relatório? E essa empresa? Será que vai fazer um relatório prá valer ou vai fazer o relatório que interessa a quem está pagando por ele? Sei não, mas acho que tem algo de podre no ar… Tomara que o Ministério Público esteja atento!

  • chico

    Esmola quando é muito grande o Santo desconfia.

  • Anônimo

    Acho uma pouca vergonha de todos os lados, a começar por esse Cardosinho, que agora mete o pau na merenda escolar de Jales, mas qdo ele estava lá no depto de licitacoes quando a prefeitura contratou o serviço nao viu que havia algo errado e depois como assessor bem na secretaria que administra a merenda deve saber bem dos serviços oferecido. Vai dizer que saiu do cargo publico porque viu coisas erradas e não admitia ou por ser marido da vereadora Prof Tatinha, que virou oposição do prefeito, por não ganha a presidência da câmara de vereadores… Não e bem assim… Todos tem algum interesse!!! MP fique atento nos seus delatores…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *