QUEM HÁ DE DIZER

O jornalista Deonel Rosa Júnior, que, em 2009, apoiou a criação da Secretaria Municipal de Comunicação, parece estar um pouco desencantado com a falta de atenção que o prefeito Humberto Parini dedicou à pasta. Na coluna Fique Sabendo, do Jornal de Jales, edição desse final de semana, Deonel recorreu ao compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues para dar o título – ‘Cadeira Vazia’ – da notinha onde ele revelou seu desencanto. Vamos a ela:

“Estão confirmados rumores do final da semana passada: Welton Márcio Cláudio não é mais o titular da Secretaria Municipal de Comunicação. Embora não se saibam os reais motivos que levaram à exoneração de Welton, o que se diz no mercado é que só um milagreiro vai conseguir trabalhar com eficiência com tão poucos recursos disponíveis“.

O grifo é meu. Ao citar a escassez de recursos, certamente que o festejado jornalista não estava se referindo apenas às parcas verbas financeiras destinadas à pasta. Pior do que isso: a Comunicação não dispõe nem de recursos tecnológicos. O prefeito nunca se preocupou em dotar a Secretaria com, no mínimo, um computador adequado ao trabalho que se pretendia realizar.

Isso prá mim não é novidade: eu sempre disse por aqui que o prefeito Parini e o secretário de finanças, Rubens Chaparim não fazem a menor idéia da importância da Comunicação. Assim como não é novidade o que corre por aí sobre a defecção do Welton: uma fonte ligada à Igreja Católica me confidenciou, nesse final de semana, que, além de trombar com Shimomura, o ex-secretário de Comunicação teria entrado em rota de colisão com o poderoso Chaparim.

Como se vê, para sobreviver nessa administração, é importante ser amigo da primeira-dama, mas somente isso não basta. Há que se ter, também, ‘Nervos de Aço’.       

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *