Arquivos do autor: cardosinho

INDIANO FAZ MANSÃO DE 27 ANDARES, MAS NÃO SE MUDA COM MEDO DE MÁ SORTE

A Índia é mesmo um país interessante! Na segunda-feira, ficamos sabendo do caso daquele indiano de 67 anos que tem 39 esposas e ainda quer mais. Hoje nos chega a história de um outro indiano. E não é um indiano qualquer. É, simplesmente, o mais rico deles. Vamos à notícia do G1:

Considerada a mais cara do mundo, uma casa de 27 andares em Mumbai, na Índia, está abandonada porque os proprietários bilionários acreditam que terão má sorte se mudarem para a residência que custou US$ 1 bilhão (R$ 1,76 bilhão), segundo o jornal inglês “Daily Mail”.

A casa foi construída pelo homem mais rico da Índia, Mukesh Ambani, que tem uma fortuna estimada em US$ 27 bilhões (R$ 47,65 bilhões). A mansão vertical chamada “Antilia” tem mais de 37 mil metros quadrados.

Ele desistiu de se mudar para a nova casa por influência da milenar ciência Vastu Shastra, uma versão indiana do feng shui.

VÍDEO: ADMINISTRAÇÃO PARINI INVESTE EM PUBLICIDADE SOBRE EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Parece que o prefeito Humberto Parini resolveu investir um dinheirinho para propagandear a Educação do município, um dos pontos positivos do governo petista de Jales. Vejam, abaixo, o bem cuidado vídeo que está sendo veiculado em emissoras de TV:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

ANDREA ANDRADE, A EX-RAINHA DA MOCIDADE

Vocês conhecem a Andrea Andrade. Eu também não conhecia, mas, de uns tempos para cá, qualquer coisa que a moçoila faça, vira notícia. Hoje, por exemplo, ela foi à praia e resolveu tirar a parte de cima do biquini. Pronto! Foi o suficiente para estar em todos os sites de amenidades.

Para quem não sabe, Andrea Andrade era rainha da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel. Era! Há alguns dias ela foi destronada. Dizem que ela perdeu a coroa por conta de uma briga com o ex-namorado e um dos patronos da Mocidade, o contraventor Rogério Andrade (o sobrenome não é coincidência; é que, além de ex-namorada,  Andrea  também é ex-cunhada de Rogério). 

O motivo da briga? O rapaz não gostou nadica de nada de umas fotos onde a então namorada aparecia de fio dental. Será que ele vai gostar das fotos tiradas nesta quarta-feira? Acho que não, mas, de qualquer forma, vamos torcer para que a Andrea arrume outra escola prá desfilar no carnaval. A notícia de hoje e outras fotos, como a abaixo,  podem ser vistas no Extra on Line.

   

E FOI APENAS A PRIMEIRA CHUVA

A temporada de chuvas parece estar começando. E com ela, deve começar também a temporada dos buracos novos no nosso asfalto. Em janeiro, o prefeito Humberto Parini anunciou uma verba de R$ 8 milhões para recapeamento das nossas ruas, mas, até o momento, foram investidos apenas R$ 2,5 milhões dos recursos propagandeados.  Uma das vias recuperadas  com parte desse dinheiro é a avenida “Paulo  Marcondes”. Ou trechos dela.

Em que pese todo o esforço do nosso premiado estadista para melhorar as condições daquela avenida, bastou uma chuva um pouco mais forte e novos problemas começam a aparecer em trechos que não foram recapeados. É o caso do trecho da foto abaixo, localizado quase na entrada da Transfuga. Repare que a pista do lado de lá parece estar em perfeitas condições. Já a pista do lado de cá… 

ÁRVORES CAEM NA GARAGEM DA EDUCAÇÃO E PROVOCAM DANOS

Como foi dito em um post anterior, o acidente mais grave provocado pelas chuvas de ontem aconteceu ao lado da escola municipal “Osvaldo Soler”, na garagem onde ficam estacionados os veículos do transporte escolar da Prefeitura de Jales. Parte de uma árvore veio abaixo, atingindo um ônibus. Os estragos no veículo, segundo informações, foram pequenos.

Mas a coisa poderia ter sido pior. Dêem uma olha na foto mais abaixo. A árvore da foto também está, ou estava, situada na garagem dos veículos da Educação. Ela, igualmente, não resistiu à chuva e aos ventos de ontem e, por sorte, não caiu sobre nenhum veículo.

TRECHO DA RUA ‘CELSO LUIZ ABRA’ CONTINUA SEM ASFALTO

Lembram-se do buracão da Rua Celso Luiz Abra? Ele foi aberto pelas chuvas de fevereiro de 2011 e provocou a interdição da rua por cerca de dois meses. Somente em abril, a dois ou três dias do início da Facip do Bexiga, a Prefeitura deu conta de tapar o buraco. Afinal, aquela rua é um dos principais acessos ao recinto de exposições “Juvenal Giraldelli”. As fotos lá de baixo mostram o buraco e o serviço executado pela Secretaria de Obras, em abril.

Pois bem, passada a Facip do Bexiga, parece que ninguém mais da Prefeitura deu as caras por lá. Como se pode ver pela foto acima, o local continua praticamente do jeito que foi deixado, em abril, sem a reposição do asfalto. E olhem que a tal usina de asfalto da Prefeitura fica a menos de cinquenta metros do local. É só uma questão de desleixo mesmo!

Como já foi noticiado por este blog, o recinto de exposições foi novamente cedido, através de decreto, para que a empresa BX Eventos Ltda realize a Facip 2012. Quem sabe até lá, o empresário Oswaldo Costa Júnior, o Bexiga, use a sua influência e consiga que a Prefeitura refaça o asfalto daquele trecho da Rua Celso Luiz Abra.

O DESCASO DAS AUTORIDADES

Há algum tempo atrás, escrevi uma matéria para o jornal A Tribuna sobre a árvore que estava prestes a cair no bosque municipal. Naquela oportunidade, cheguei a falar com o tenente Montanari, da Polícia Ambiental, cuja sede fica ali nas proximidades do bosque. Eis um trecho da matéria:

“Acho que as outras árvores do local impedem que o vento chegue com mais força até ela, mas não resta dúvida de que o tronco não está em boas condições e uma queda não está descartada”, confirma Montanari. O tenente garante, por outro lado, que a Polícia Ambiental não pode fazer nada. “Infelizmente, isso não faz parte das nossas funções. A manutenção do bosque é uma atribuição da Prefeitura. Cabe a ela tomar as medidas necessárias”

Pois é, a árvore continua em pé, mas um bom pedaço dela já caiu e causou alguns estragos. Hoje, logo pela manhã, recebi um e-mail do amigo Betto Mariano, que reproduzo abaixo:

O DESCASO DAS AUTORIDADES !!!!!

O alambrado destruído que você vê na foto abaixo devido ao tombamento de uma árvore, na ultima terça-feira, com as fortes chuvas, poderia ter sido evitado. A árvore ou o que sobrou dela encontra-se bem próxima da entrada principal da Polícia Ambiental de Jales. No dia 01/09/2011, cheguei a fotografar a árvore e posteriormente alertei a um funcionário da Prefeitura de Jales sobre o risco da queda da árvore, que aparentemente estava podre. O mesmo me disse que a Secretaria responsável já estava sabendo do assunto.

Também liguei para a Polícia Ambiental de Jales e falei com um Sargento, este por sua vez também me disse que estava ciente e que aguardava ajuda do Corpo de Bombeiros para o corte da árvore. Em resumo a árvore caiu, arrebentando todo o alambrado causando prejuízo aos cofres municipais. Quem paga a conta? Lógico nos os palhaços contribuintes, pelo descaso das autoridades.

Outro assunto que não foi esquecido são os BUZINAÇOS dos trens que continuam a acontecer, principalmente nas madrugadas. Já está em fase de Inquérito Policial apuração por Perturbação do Sossego e também no Juizado Especial Cível, Ação por Danos Morais. Só estamos aguardando as ações do Procurador Federal que prometeu reunir prefeitos de toda região para instalação das cancelas para tentar amenizar as buzinas.

A foto da esquerda, abaixo, foi tirada em setembro, enquanto a da direita, já com uma parte da árvore no chão, foi registrada nesta quarta-feira 

A GENIALIDADE DE UM ESTADISTA

O repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, postou notícia no portal Tribuna na Web (veja aqui), onde se lê que, durante a chuva de hoje, os bombeiros receberam seis chamadas. O caso mais grave, diz a notícia, ocorreu no pátio da escola municipal “Oswaldo Soler”. Segundo os bombeiros, parte de uma grande árvore caiu sobre um ônibus, que estava vazio.

Acredito que o acidente tenha acontecido, na verdade, na garagem dos ônibus da Educação, que fica bem ao lado da escola “Oswaldo Soler”. Ali ficam estacionados, ao relento, os veículos do transporte escolar de Jales – ônibus, vans, e até o famoso caminhão comprado pelo prefeito. Na verdade, aquela garagem é mais uma demonstração da genialidade do nosso premiado estadista.

Senão vejamos: em 2008, o prefeito inaugurou, nas proximidades da Facip, um barracão feito pela indústria de sorvetes Ida-yo e doado à Prefeitura como contrapartida do espaço cedido à empresa no Distrito Industrial I. Foi o nosso genial prefeito quem escolheu o local onde a empresa deveria construir o barracão e ele, como grande estadista que é, achou que aquele era o lugar certo para a instalação da benfeitoria.

Pois bem, passados três anos, o barracão está se deteriorando, sem  ter  utilização nenhuma. Aliás, tem sim: a foto acima mostra que ele serve de abrigo para alguns animais, que aproveitam a sombra para um merecido descanso. Enquanto isso, conforme se pode ver pelas fotos abaixo, os veículos do transporte escolar – incluindo o caminhão – repousam ao relento, em um local sem nenhuma estrutura.

Pergunto aos leitores deste modesto blog, que, suponho, não são gênios, nem estadistas: não seria mais racional e lógico que o barracão doado pela Ida-yo fosse construído em um local que pudesse servir,  quem sabe,  de garagem aos ônibus? 

Acredito que esse seria o senso comum, mas acho que devemos dar ao prefeito um desconto. Afinal, os gênios e os estadistas, por incomuns, são, na maioria das vezes, incompreendidos. Galileu Galilei, por exemplo, quase queimou na fogueira da Inquisição por dizer que a terra era redonda e girava em torno do sol.

DOAÇÃO DA NOTA FISCAL PAULISTA RENDE R$ 98,8 MIL PARA SANTA CASA

(por Vívian Curitiba)

A Santa Casa de Jales recebeu R$ 98.878,88 da comunidade através da campanha de doação da Nota Fiscal Paulista. O valor foi liberado para o hospital no dia 06 de Outubro e é referente às doações feitas no primeiro semestre de 2011.

De acordo com provedor do hospital, José Devanir Rodrigues, o Garça, a participação da sociedade foi fundamental e vai fazer a diferença na folha de pagamento dos funcionários. “Vamos aplicar o repasse para completar o pagamento do 13º salário de nossos colaboradores. Muito obrigada a todos que fizeram suas doações.Com a união de todos podemos ter uma Santa Casa cada vez melhor”, disse.

Com a última liberação da Secretaria da Fazenda já totalizam R$ 381.932,03  doados pela população de Jales e região através da campanha da Nota Fiscal Paulista desde o segundo semestre de 2009, quando a Santa Casa aderiu ao programa. Com a doação dos cupons fiscais o hospital já investiu na compra de aparelhos médicos como Cardiotocógrafo e Oxicapnógrafo, além de material de combate ao incêndio, ar-condicionado, carros de limpeza, carros para lavanderia dentre outros ítens.

Doe sua Nota Fiscal Paulista:

Deposite seu cupom fiscal nas urnas disponíveis nos estabelecimentos comerciais de Jales ou no hospital

· Deposite apenas notas e cupons sem CPF ou CNPJ

· Pode ser nota fiscal de qualquer valor e de qualquer estabelecimento comercial

· Se você já é cadastrado no Nota Fiscal Paulista, faça sua doação para a Santa Casa destinando o crédito à entidade 

TRAPALHADA DE CLAUDIR E MACETÃO TUMULTUA FINAL DA SESSÃO DE ONTEM

Se cercar vira hospício, se cobrir vira circo! A frase parece cair à feição para a nossa Câmara Municipal, principalmente depois da sessão de ontem. Estava em votação o último projeto da noite, aquele que cria um novo Estatuto, Plano de Carreira e Remuneração para os Profissionais da Educação Básica do Município. A Câmara, mais uma vez, lotada de professoras.

Antes da votação, interrompeu-se a sessão para, em uma reunião entre vereadores e representantes das professoras, tentar-se um acordo para que o projeto não fosse novamente adiado. A reunião foi uma idéia do vereador Especiato, que, em estratégico discurso, arrancou aplausos das professoras ao posicionar-se, antecipadamente, contra um novo pedido de vistas (adiamento) ao projeto.

Reiniciada a sessão, colocou-se em votação o pedido de vistas do vereador Jota Erre. Deu-se, então a lambança. Ao contar os votos contrários, o presidente da Câmara, Claudir Aranda, não contabilizou o vice-presidente Macetão, que estava de pé, ao seu lado. Se tivesse contabilizado Macetão, a votação ficaria empatada (5 a 5) e o pedido de vistas teria sido rejeitado, passando-se, então, à votação do projeto.

O erro só foi percebido depois de encerrada a sessão, quando, a fim de fazer média com as professoras, Macetão correu até elas prá dizer que havia votado contra o pedido de vistas, embora seu voto tenha sido contabilizado como favorável. O vereador teria feito melhor se, na hora da contagem dos votos, tivesse alertado Claudir para o erro, mas, como gosta de escrever um conhecido advogado, preferiu “quedar-se silente”. 

No rádio, Claudir explicou que não contabilizou Macetão, pois o mesmo havia dito – antes da votação – que era favorável ao pedido de vistas. A versão de Claudir deve ser verdadeira, pois um vereador confirmou a este aprendiz de blogueiro ter ouvido o diálogo entre o presidente e o vice-presidente.

Resultado da trapalhada: o vereador Especiato, que era contra o adiamento, foi embora cuspindo marimbondos; as professoras, que, mais uma vez, deixaram de ver a novela prá acompanhar a sessão da Câmara, foram embora frustradas; e o vereador Macetão, que não conseguiu agradar ninguém, foi embora chamuscado.

Aliás, não é a primeira vez que Macetão apronta confusão: há dois anos, na votação de um veto do prefeito, ele discursou contra o tal veto e, na hora de votar, foi favorável. Mas Claudir também já aprontou das suas: em 2008, ele foi um dos vereadores que mais pressionou a Mesa da Câmara por um aumento no salário dos nobres edis. No dia da votação, sabendo que o aumento seria aprovado, Claudir, espertalhão que é, votou contra. 

1 1.057 1.058 1.059 1.060 1.061 1.223