Arquivos do autor: cardosinho

HOMEM CAI EM BURACO E FICA EM ESTADO GRAVE

O problema dos buracos parece que é geral. Um dia desses, noticiamos que um caminhão caiu em um buraco, em Votuporanga. Aqui em Jales, o caso mais grave talvez tenha sido de uma amiga, a Fernanda, que, há alguns dias, torceu o tornozelo ao enfiar o pé em um buraco do asfalto. O caso da manchete acima aconteceu em São José do Rio Preto e foi noticiado pelo DiárioWeb, neste sábado:

(por Augusto Fiorin)

Está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Austa, em Rio Preto, o comerciante A.P.S., 39 anos. Ele sofreu traumatismo craniano ao cair com sua bicicleta, às 22 horas de ontem, em uma cratera na Rua Benedito Sufredini, no bairro São Deocleciano.

O estado de saúde do paciente é considerado gravíssimo. Segundo boletim de ocorrência registrado no Plantão Policial, com a queda, a vítima teria batido fortemente a cabeça, provocando a lesão. O frentista S.O.S., que trabalhava em um posto de combustíveis próximo ao local, viu o acidente e acionou o Resgate do Corpo de Bombeiros, que levou A.P.S. ao Austa.

A bicicleta ficou destruída. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, uma equipe da Secretaria de Serviços Gerais já esteve no local para verificar o buraco e tomar providências. Foi registrado boletim de ocorrência e o caso será investigado pelo 3. Distrito Policial.

O curioso nessas histórias é que sempre tem um frentista por perto prá acionar o Corpo de Bombeiros ou o SAMU. No caso acima, as iniciais do nome do frentista – S.O.S. – veio bem a calhar.

JALES: UMA ADMINISTRAÇÃO ANESTESIADA

O atento companheiro Murilo Pohl repercutiu em seu blog uma matéria que está na Folha Noroeste, edição de hoje. Diz a manchete que “Saracuza assina convênios que totalizam R$ 1,4 milhão“. Na matéria – ilustrada com a foto ao lado, onde aparece também o gerente da Caixa Federal, filial de Jales, João Carlos Dácia – está sendo dito que o prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza(PP), assinou nove (09) convênios com o governo federal, totalizando o valor citado na manchete.

Claro que o Murilo – e eu também – ao destacar essa matéria, não o faz apenas porque tenha algum apreço pela ordeira população de Urânia. Nós o estamos fazendo, pelo que nela está implícito. Afinal de contas, vocês já leram em algum dos jornais da nossa cidade, neste começo de ano, ao menos uma noticiazinha onde o prefeito Humberto Parini apareça assinando convênios? Claro que não leram! Até onde se sabe, a recém-instalada secretaria de Comunicação não conseguiu produzir nenhuma notícia sobre isso, muito provavelmente,  porque não foi assinado nenhum convênio mesmo. A Comunicação, já dissemos, é importante, mas ela sozinha não faz milagres.

Em um post anterior, falamos de Fernandópolis que, neste início de ano, já assinou vários convênios, totalizando pouco mais de R$ 13 milhões. Agora é Urânia quem está nos deixando prá trás nesse quesito. Querem outro exemplo da pasmaceira em que vive a administração municipal? O jornal Folha Regional, que publica os atos oficiais da maioria dos municípios da região, trouxe em sua edição deste final de semana, apenas quatro (04) publicações da Prefeitura de Jales, o mesmo número, por exemplo, das publicações da Prefeitura de Dirce Reis

A matéria completa da Folha Noroeste pode ser lida no Blog do Murilo.

RUA CARLOS DRUMOND DE ANDRADE

“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra …”

(Carlos Drumond de Andrade)

Se, ao invés de ficar ouvindo conversa de bêbados na praia de Copacabana, resolvesse andar pelas ruas do Jardim Arapuã, aqui em Jales, principalmente, pela rua que leva o seu nome, certamente que o poeta Carlos Drumond de Andrade encontraria muito mais do que uma pedra no meio do caminho. Encontraria várias pedras, buracos e costelas dos mais variados tamanhos e matizes.

Os moradores da Rua Carlos Drumond de Andrade já não sabem mais o que fazer. Um deles, o Onivaldo, me disse que se mudou para Jales há apenas dois anos, mas que, nesse período, já viu seus vizinhos organizar dois abaixo-assinados, sem, no entanto, conseguir sensibilizar o prefeito Humberto Parini. Onivaldo e os outros vizinhos não entendem porque a rua onde moram está tão esquecida. “Nós pagamos impostos como todos os outros cidadãos. Já falamos com vereadores, mas ninguém conseguiu convencer o prefeito.  A Prefeitura andou recapeando aquela avenida ali prá baixo. Por que não trouxe o recape até aqui?“, pergunta ele.

As fotos abaixo demonstram que Onivaldo tem motivos para estar descontente com a administração, mas mesmo assim ele consegue manter o bom humor: “passar de carro pela nossa rua, é só prá quem não tem problemas de coluna“, diz ele. Onivaldo faz bem em manter-se bem humorado. Afinal, como diria Drumond, ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.

CASAIS BRIGAM 312 VEZES POR ANO, DIZ PESQUISA

Do Blog do Renato César Pereira:

Uma pesquisa feita na Grã-Bretanha com 3 mil pessoas indicou que os casais brigam em média 312 vezes por ano – principalmente às quintas-feiras por volta das 20h.

O levantamento, encomendado por um varejista online de artigos e peças para banheiros, sugeriu que a esmagadora maioria das brigas se origina de motivos banais, como deixar pelos na pia, entupir o ralo do chuveiro com cabelo e “surfar” entre canais de TV.

“Todos os casais brigam, mas ver o quanto eles discutem por causa de coisas simples, como as tarefas domésticas, nos faz abrir os olhos”, disse o porta-voz, sobre a pesquisa, Nick Elson.

As razões dadas por homens e mulheres refletem algumas já conhecidas e proclamadas diferenças no comportamento dos sexos.

Enquanto elas reclamam que os parceiros não trocam o papel higiênico quando este termina nem abaixam a tampa do aparelho sanitário, eles ficam nervosos quando as parceiras demoram para ficar prontas e reclamam sobre as tarefas domésticas.

Deixar as luzes acesas, acumular entulhos e não recolher as xícaras espalhadas pela casa após o chá ou café também são razões citadas por ambos os sexos para as brigas.

E se as mulheres ficam mais frustradas com os hábitos dos parceiros, a pesquisa indicou que são eles que mais buscam a separação por motivos banais.

A notícia completa e os dez hábitos que mais irritam homens e mulheres podem ser vistos aqui.

“REVITALIZAÇÃO” PARALISADA POR FALTA DE PAGAMENTO

As obras de “revitalização” do centro comercial da cidade, iniciadas em abril de 2010, estão paralisadas desde o final de dezembro. A informação foi passada a este aprendiz de blogueiro por um dos sócios da empresa Miranda & Alves Ltda, responsável pela execução da contestada “obra”, que inclui a troca do calçamento, o plantio de palmeiras imperiais e a instalação de quiosques no canteiro central da Avenida Francisco Jalles.

Segundo o empreiteiro, a Prefeitura estaria com os pagamentos bastante atrasados, fato que estaria causando prejuízos à empresa, levando-a a paralisar os serviços. “Nós não podemos continuar trabalhando de graça”, disse ele. “Nós estamos devendo R$ 40 mil prá firma que nos forneceu os tijolinhos vermelhos e precisamos receber prá podermos quitar a nossa dívida, mas a Prefeitura não está pagando nem os aditivos que foram feitos”, completou o sócio da Miranda & Alves Ltda.

Ele disse também que o novo secretário de Obras, Manoel Andreo de Aro, já o procurou para solicitar o reinício das obras, mas, garantiu o empresário, “nós só vamos reiniciar os serviços quando recebermos o que nos é devido”. E completou: “se nós não tomarmos cuidado, o nosso prejuízo com essa obra poderá passar de R$ 50 mil“.

A posição da Prefeitura, de não pagar a empresa, está causando o atraso de outra obra, também sob a responsabilidade da Miranda & Alves Ltda, ganhadora da licitação. Trata-se da construção do Ginásio Poliesportivo do Jardim Arapuã, obra estimada em cerca de R$ 300 mil, que já deveria ter sido iniciada, mas encontra-se igualmente paralisada, em função dos problemas entre a empresa e a Prefeitura. O Poliesportivo do Arapuã deveria estar pronto para a realização dos Jogos Regionais, mas dificilmente será inaugurado a tempo. Por enquanto, a Miranda & Alves colocou apenas as placas da obra e fez a terraplenagem do terreno, conforme se pode observar na foto acima.

CLAUDIR PARTICIPA DE MOVIMENTO PELA DUPLICAÇÃO DA EUCLIDES DA CUNHA

Os presidentes das câmaras municipais de Jales, Claudir Aranda(PDT), de Votuporanga, vereador Mehde Meidão Kanso(PMDB) e de Fernandópolis, vereadora Creusa Nossa(PDT), que aparecem na foto ao lado, estiveram reunidos ontem, em Votuporanga, para lançar um movimento regional pelas obras de duplicação da rodovia Euclides da Cunha.

Segundo ficou decidido, os presidentes das casas legislativas de Jales, Fernandópolis e Votuporanga, vão agora intensificar o movimento em suas respectivas micro-regiões, visando obter o apoio das demais câmaras para a campanha que, além de pressionar pelo início imediato da duplicação da Euclides da Cunha, também vai solicitar o cancelamento das medidas que alteraram o limite de velocidade permitido aos veículos de passeio, na SP-320, recentemente diminuído de 100km para 80km por hora.

Claudir Aranda ressaltou a importância de se conseguir o engajamento de todas as câmaras legislativas da região, bem como de todos os vereadores e das demais autoridades interessadas no assunto. Para Claudir, a duplicação da Euclides da Cunha deve ser uma luta de todas as cidades da região e suas respectivas comunidades. “Temos que descruzar os braços e ir em busca desse sonho, ou então vamos continuar vendo outras vidas serem ceifadas nessa rodovia, que já está ficando conhecida como a rodovia da morte”, disse ele ao final da reunião.

EIS O QUINTAL DA PREFEITURA

OU… DE COMO A ADMINISTRAÇÃO PARINI DÁ BONS EXEMPLOS

De vez em quando, ouço pessoas reclamando da limpeza da cidade, principalmente, das calçadas e terrenos vagos, invadidos pelo mato. É natural que as pessoas reclamem, afinal, elas pagam impostos e têm o direito de exigir que a administração municipal preste bons serviços. Por outro lado, vejo o pessoal da equipe de combate à dengue – sob o comando do vice-prefeito Clóvis Viola – se esforçando prá não deixar que o Aedes Aegypti prolifere e faça aumentar os casos da doença em Jales. Muitas vezes, vi o próprio Clóvis – um batalhador – pedindo que a população colabore, limpando seus terrenos e eliminando os pontos que possam favorecer a procriação do mosquito da dengue.

Pois então, dê uma olhada na foto aí de cima e na outra mais abaixo. Pode acreditar, você está vendo o almoxarifado da Prefeitura. Máquinas e caminhões que estão parados há muito tempo, alguns com o capô aberto, deixados à própria sorte e passando a impressão de que estamos diante de um cemitério de sucatas totalmente imprestáveis. Pior ainda: abandonados em meio a um matagal que não poderia jamais estar ali.

E agora a pergunta que você também deve estar se fazendo: como é que nós podemos esperar que uma administração mantenha a cidade limpa, se ela não consegue manter limpo nem o próprio quintal? O que esperar de uma administração que deixa caminhões e máquinas – patrimônios públicos, adquiridos com dinheiro de impostos – abandonados como sucata, para, depois, leiloá-los a preços de bananas? Melhor não esperar muita coisa!

E não se deixe enganar, meu prezado leitor. Sempre que situações como essa são expostas, o prefeito Humberto Parini procura se eximir de culpa. Apesar de centralizador e inoperante, ele nunca se acha culpado de nada. Posso assegurar, no entanto, que a responsabilidade por coisas escabrosas como essa que estamos mostrando, não pode ser atribuída apenas aos funcionários, pois eles trabalham de acordo com as condições e as ferramentas que lhes são oferecidas. E, na administração Parini, o almoxarifado sempre foi tratado como um setor sem importância nenhuma.

COMEÇOU A REFORMA DA PRAÇA DO JACARÉ

A secretaria de Comunicação da Prefeitura distribuiu release à imprensa, dando conta do início da repaginação da Praça João Mariano de Freitas, também conhecida como “Praça do Jacaré”, apesar de o jacaré já ter sido despejado daquele local há algum tempo. Aliás, segundo o projeto elaborado pelo arquiteto jalesense Oswaldo Polízio Júnior, não vai ter mais espaço prá animais ali naquela praça. No local, antes habitado por jacarés, jabutis, tartarugas e outras espécimes da nossa rica fauna, será erguido um pórtico de concreto armado.

Diz o release que, além da mudança na área antes ocupada pelos bichos, serão executadas algumas rampas – inclusive na escadaria do coreto, que receberá nova pintura. Diz também que o calçamento será recomposto nas áreas danificadas; que serão instalados novos modelos de luminárias e que serão feitas melhorias nas instalações elétricas. E tem mais: toda a vegetação de pequeno porte dará lugar ao plantio de novas mudas e os bancos de concreto serão substituídos por bancos de estrutura metálica, com assentos de madeira.

Todos nós conhecemos a competência e a criatividade do arquiteto Vadinho. Resta saber se a empresa responsável pela execução da obra não vai repetir a performance da Miranda & Alves, que está cuidando da “revitalização” do centro. Por falar nisso, a empresa contratada para cuidar da repaginação da praça é a Sanecc – Saneamento e Construção Civil Votuporanga Ltda. O valor da obra, segundo o release da Prefeitura, é de R$ 180 mil e será coberto com recursos do governo federal e do município.

A “REVITALIZAÇÃO” DO CENTRO, SEGUNDO JULIANO MATOS

O amigo Juliano Matos enviou email, que reproduzo abaixo:

Saudações a todos!
 
As fotos em anexo mostram os sintomas de uma mazela anunciada. Afinal, todos sabiam que mais cedo ou mais tarde o serviço de má qualidade executado na obra de revitalização do centro da cidade mostraria a sua cara.
 
A pergunta é: Até quando os responsáveis pelas obras e o poder público fecharão os olhos para este acontecimento? Quantas pessoas mais precisarão tropeçar e cair nos desníveis de uma obra imperfeita?
 
Foram gastos mais de R$300 mil em uma obra que provavelmente terá que ser refeita parcial ou totalmente.
 
Conivência é uma palavra que não podemos aceitar! Principalmente do poder público, responsável pelos gastos do dinheiro público, O NOSSO DINHEIRO!
 
Estamos de olho!
 
Um grande abraço a todos
 
Juliano Matos

E o que é pior: a mesma empresa que está executando esta “obra”, ganhou a licitação para construção do ginásio poliesportivo do Arapuã. Mas sobre isso, falarei em outro post. E agora, as fotos que o Juliano anexou, mostrando local próximo ao Magazine Luiza, às quais acrescento outras duas obtidas por este aprendiz de blogueiro: 

1 1.197 1.198 1.199 1.200 1.201 1.211