Arquivos do autor: cardosinho

PREFEITO FLÁ E AUTORIDADES PARTICIPAM DE POSSE DOS NOVOS CONSELHEIROS TUTELARES

A notícia é da Secretaria Municipal de Comunicação:

Ato realizado na manhã de sexta-feira, 10, marcou a posse e diplomação dos cinco novos Conselheiros Tutelares e os cinco suplentes eleitos para o mandato que se estende de 2020 a 2024.

O evento foi realizado na sede do CIEVI, na presença do prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, do promotor de justiça Cleiton Luiz da Silva, do vice-presidente da Câmara Municipal, João Zanetoni, da presidente do CMDCA, Meire Kelly de Souza dos Santos e da chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Assistência Social, Luana Lourenço da Silva.

Foram empossados Marilene Bonadio Antunes (762 votos), Alexandre Aprecido de Oliveira (556 votos), Sandra Emer Barros Pereira (464 votos), Domingos Aparecido Pedro (382 votos) e Eliezer Ferraz de Almeida (346 votos).

Também foram empossados os suplentes Alírio Pozzobon (306 votos), Sérgio Aparecido Gomes (290 votos), Katia Aparecida Constantino da Silva (278 votos), Dione Francislei Jodas da Silva (274 votos) e Paulo Henrique de Souza (265 votos).

A eleição ocorreu no início do mês de outubro do ano passado, na Escola “Profa. Elza Pirro Viana”. Concorreram ao pleito 20 candidatos. Ao todo, 1973 eleitores compareceram às urnas, mesmo com a participação não sendo obrigatória. Cada eleitor pôde votar em até 05 (cinco) candidatos. Foram apurados 6.010 votos válidos, sendo 16 nulos e 3785 em branco.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, o principal destaque é a visita que o novo dirigente regional de ensino, Geraldo Niza da Silva, fez ao prefeito Flá Prandi na quarta-feita, 08, mesmo dia em que ele foi empossado no cargo, substituindo a ex-dirigente Marlene Jacomassi. Geraldo nasceu em Aparecida D’Oeste e tem 59 anos, 34 dos quais dedicados à Educação. Ele será responsável por 33 unidades escolares em 25 municípios da região. O novo dirigente regional foi professor, professor coordenador, vice-diretor de escola e diretor designado, todos esses cargos exercidos na DRE de Jales. Nos últimos sete anos, ele exerceu o cargo de supervisor. Flá parabenizou o dirigente e desejou sucesso em sua nova jornada.

Destaque, também, para a história de superação e transformação do trabalhador rural Jocelino Cavalcante Martins, que chamou a atenção e virou notícia na TV Tem, na última semana de dezembro de 2019. Para ajudar no tratamento contra o câncer de mama da esposa, Rosa Silva Martins, ele decidiu colocar em prática os conhecimentos adquiridos em dois cursos oferecidos pelo Fundo Social de Solidariedade de Jales e iniciar uma nova etapa em sua vida. Jocelino decidiu deixar a roça para ficar mais tempo ao lado da esposa, depois que ela foi diagnosticada com câncer. Para garantir o sustento da família, ele está produzindo os pães, rocamboles e pudins que aprendeu a fazer nos cursos do Fundo Social.

Na coluna FolhaGeral, o eclético redator, revisor e editor-chefe Roberto Carvalho comenta que o jornal não recebeu nenhuma informação – oficial ou extraoficial – sobre o futuro político do vice-prefeito Garça. Ou seja, a coluna não sabe se Garça vai ou não vai participar da disputa eleitoral deste ano, buscando sua reeleição como vice na chapa que deverá ser encabeçada pelo prefeito Flávio Prandi. Segundo Roberto, a incerteza com relação às intenções de Garça estaria contribuindo para o surgimento, nas rodas de discussões políticas, de outros nomes que poderiam disputar as eleições como vice de Flá.

NOVO SALÁRIO MÍNIMO DEFINIDO POR BOLSONARO PERDE PARA INFLAÇÃO

Não custa lembrar que nos 14 anos em que vigorou a política de valorização do salário mínimo, implantada por Lula, o aumento do salário mínimo foi de 283,8%, enquanto a inflação alcançou 120,2%.

Isso significou um aumento real de 74,3% no salário mínimo, em 14 anos. Resumindo: se Lula e Dilma tivessem utilizado o mesmo método de reajustes de Bolsonaro, o salário mínimo, hoje, seria de R$ 597,00, ao invés de R$ 1.039,00. Mas os aposentados que ganham o mínimo e votaram em Bolsonaro nem sabem disso.

A notícia é do UOL:

O reajuste do salário mínimo para 2020 ficou abaixo da inflação oficial do país, o que significa que, na prática, o mínimo perdeu valor. O reajuste foi definido por meio de medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no último dia de 2019, mas ainda pode ser alterado pelo Congresso. Se subir mais, deixa de perder da inflação, mas com o valor atual há essa perda.

O piso nacional passou de R$ 998 para R$ 1.039, um reajuste de 4,1%. O valor foi calculado com base em uma projeção do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado para o ano passado, quando o índice final ainda não havia sido fechado.

Nesta sexta (10), o IBGE divulgou o índice oficial acumulado, de 4,48%. Acima, portanto, do que tinha sido projetado pelo governo. Para se igualar à inflação, o salário mínimo deveria ser de ao menos R$ 1.042,71 neste ano.

Como foi definido por meio de uma medida provisória, o reajuste de 4,1% ainda será analisado pelo Congresso, que pode alterar o valor.

 

GILMAR MENDES RECONHECE: MUNDO TEM IMPRESSÃO NEGATIVA DE PROCESSO CONTRA LULA

Deu no Brasil 247:

O ministro do STF Gilmar Mendes endossa o argumento já utilizado por vários juristas a respeito da fragilidade e inconsistência do processo que sentenciou o ex-presidente Lula de forma arbitrária. “Mundo tem impressão negativa de processo contra Lula”, disse ele  em entrevista ao Poder em Foco, do SBT.

“Colegas com quem a gente conversa no mundo todo, na França, em Portugal, na Espanha, têm uma impressão negativa da condução desse processo por várias razões”, diz Mendes. 

Ele destaca que essa impressão negativa existia antes mesmo do site The Intercept Brasil revelar conversas entre procuradores e o ex-juiz federal Sergio Moro.

PREFEITURA VAI TERCEIRIZAR TRANSPORTE DE PACIENTES PARA BARRETOS E SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

O prefeito Flávio Prandi(DEM) anunciou que pretende terceirizar os serviços de transporte de pacientes para São José do Rio Preto. Pelo menos dois ônibus do município viajam diariamente para Rio Preto, enquanto uma van viaja para Barretos, normalmente com oito a doze pacientes.

Os dois ônibus, adquiridos em março de 2018 com recursos devolvidos pela Câmara custaram R$ 146 mil. Nada mais certo, porém, que o velho adágio que diz “o barato sai caro”. Os dois coletivos vem apresentando diversos problemas mecânicos e, vez em quando, os usuários são obrigados a ficar na beira da estrada esperando por socorro.

Já o ônibus da foto acima, também adquirido com recursos devolvidos pela Câmara, em 2011, foi “encostado” pelo menos por enquanto. Segundo informações, ele estaria precisando de uma repaginação geral e somente o conserto do ar condicionado custaria R$ 35 mil. 

Diante disso e após constatar que um ônibus zero quilômetro custaria cerca de R$ 750 mil à Prefeitura, o prefeito optou pela terceirização. Ele já autorizou a Secretaria de Saúde a solicitar orçamentos para contratação de uma empresa que ficará encarregada de disponibilizar um ônibus, um micro-ônibus e uma van para o transporte de pacientes.

Segundo assessores do prefeito, em Santa Fé do Sul esse tipo de serviço já foi terceirizado há 12 anos. Outras cidades da região, como Votuporanga e Ilha Solteira também optaram pela terceirização, de acordo com os mesmos assessores.

CRÍTICAS A BOLSONARO E GUEDES TERIAM MOTIVADO A DEMISSÃO DA ECONOMISTA-CHEFE DA XP INVESTIMENTOS

Ela deveria ter feito igual ao ex-urubólogo Alexandre Garcia: puxar o saco despudoradamente do governo Bolsonaro. A notícia é da revista Fórum:

As críticas às inconsistências da política econômica de Paulo Guedes, ministro da Economia do governo Jair Bolsonaro, teriam motivado a demissão da economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, que deixa a corretora de valores que tem como sócio o Itaú.

Segundo coluna de Guilherme Amado, na revista Época, as análises da economista em relatórios internos e na coluna que mantém no jornal O Estado de S.Paulo com críticas ao governo causaram um processo de desgaste pelo descontentamento gerado nos sócios Guilherme Benchimol, Gabriel Leal, Beny Podlubny, Marcos Peixto e Carlos Ferreira, que atuam como executivos da empresa, que vendeu 49,9% das ações por R$ 6,3 bilhões para o Itaú Unibanco no finalde 2007.

Em nota, a XP comunicou o mercado que a decisão da saída de Zeina Latif foi “de cunho pessoal”, mas o descontentamento entre os sócios era crescente, diante das críticas da economista a Paulo Guedes.

Na última delas, Zeina Latif criticou o “Pibinho” comemorado por Guedes e Bolsonaro junto ao sistema financeiro. “O Brasil corre o risco da complacência. Tenho dúvida do quão ambiciosos seremos para escapar do risco da mediocridade”, disse em entrevista ao Valor Investe.

Em setembro, a economista já havia criticado a política do governo de aumentar o teto dos gastos. “Abrir esse precedente (mexer no teto) é o equivalente ao sujeito que é viciado e fala: ‘só mais um traguinho’”, disse, em entrevista a O Estado de S.Paulo.

Na entrevista, ela ainda afirmou que não via uma “arrancada para valer de crescimento econômico” e do aumento da cobrança de impostos que deve ser feita pelo governo. “Tem setores em que a carga tributária vai aumentar”, afirmou.

EM TRÊS ANOS, CÂMARA DE JALES ECONOMIZA QUASE R$ 10 MILHÕES

A notícia enviada pela Câmara tem, é claro, o objetivo de rebater as críticas do Conselho Municipal de Saúde. Em contato com este aprendiz de blogueiro, o presidente Tiquinho ponderou que as críticas são infundadas e lembrou que os dois ônibus que transportam pacientes para São José do Rio Preto foram adquiridos com recursos devolvidos pela Câmara.

Tiquinho ressaltou, ainda, que a van utilizada no transporte de pacientes para hemodiálise em Fernandópolis foi adquirida com verbas destinadas pelo deputado Alexandre Leite, a pedido dele, como presidente do Legislativo. Eis o texto enviado pela assessoria de imprensa da Câmara:

Habitualmente reconhecida pelos bons números que apresenta em seus resultados, conforme rankings do Tribunal de Contas do Estado, que sempre traz o Legislativo de Jales como um dos mais econômicos do estado de São Paulo, a Câmara Municipal de Jales comprova mais uma vez a boa gestão e a seriedade com que administra os recursos públicos.

Segundo a regra constitucional, até 7% da Receita Tributária Ampliada do ano anterior do município pode ser requerida à Prefeitura e utilizada pela Câmara. Isto significa dizer que nos três últimos anos (2017 a 2019), o Poder Legislativo de Jales teria direito a um repasse total de R$ 16.979.923,78, que poderiam ter sido recebidos em parcelas mensais (duodécimos).

Esse valor, conforme manda a legislação vigente, deve ser utilizado no próprio Legislativo, em despesas como manutenção de suas atividades rotineiras e da estrutura física, pagamento de salários de seus servidores e subsídios dos vereadores, bem como em demais despesas inerentes à atividade legislativa.

A grande maioria das casas legislativas do país se utiliza, senão da totalidade, de um percentual bastante significativo do duodécimo a que tem direito.

Como o Legislativo de Jales historicamente mantém uma estrutura bastante enxuta, desse montante, na atual legislatura, ou seja, nos últimos três anos, somente 46% (quarenta e seis por cento) foi utilizado. Portanto, do que lhe é de direito, somente R$ 7.738.909,82 foram utilizados pela Câmara Municipal de Jales para o custeio e investimento em todo o trabalho Legislativo.

Isso significa dizer que não foram repassados ou foram devolvidos aos cofres da Prefeitura Municipal de Jales, nesses três anos, um montante total de R$ 9.241.013,96.

O Poder Legislativo, de acordo com a lei, não pode destinar os recursos de sua economia para qualquer outra finalidade que não seja a devolução aos cofres da Prefeitura Municipal. Esta, por sua vez, pode utilizá-lo para qualquer finalidade.

Em acordos entre Vereadores e Prefeito Municipal, parte desses recursos foi investido pela Prefeitura em aquisição de veículos para a frota municipal e destinado a entidades do município. O restante foi utilizado pela Prefeitura em suas ações rotineiras.

Além disso, muitas outras verbas foram solicitadas por Vereadores ao Estado ou à União, por meio de Deputados Estaduais e Federais, para serem destinadas a entidades do município, aquisição de veículos ou investimento em infraestrutura urbana.

Dados financeiros que demonstram a economia da Câmara Municipal podem ser conferidos no quadro abaixo e estão disponíveis para consulta no site oficial do Poder Legislativo (www.jales.sp.leg.br).

HOMEM MORRE AO TENTAR AJUDAR AMIGO INFARTADO EM JALES

Curiosamente, essa notícia não foi divulgada ou comentada em nenhum órgão de imprensa de Jales. A história está pendurada no site Região Noroeste e em vários outros portais de notícias da região. Será verdadeira?

Dois trabalhadores de uma cooperativa de reciclagem de Jales morreram após ambos infartarem praticamente ao mesmo tempo. O caso foi registrado na segunda-feira, dia 6.

Os dois amigos trabalhavam na coleta seletiva de produtos recicláveis quando um deles teve um infarte fulminante. O amigo tentou socorro à vítima acabou infartando também.

Os dois foram sepultados nessa terça-feira, dia 7, na cidade de Jales.

CURSOS DO FUNDO SOCIAL AJUDAM TRABALHADOR RURAL A MUDAR DE ROTINA PARA AJUDAR ESPOSA COM CÂNCER

Da Secretaria Municipal de Comunicação:

A história de superação e transformação do trabalhador rural Jocelino Cavalcante Martins chamou a atenção e virou notícia na TV Tem, afiliada da Rede Globo, na última semana do mês de dezembro de 2019. Para ajudar no tratamento contra o câncer de mama da esposa Rosa Silva Martins, decidiu colocar em prática os conhecimentos adquiridos em dois cursos oferecidos pelo Fundo Social de Solidariedade de Jales e iniciar uma nova etapa em sua vida.

Jocelino sempre foi trabalhador rural. Há dois anos conheceu Rosa, com quem se casou cinco meses depois. Quando foi diagnosticada com câncer e foi orientada a não ficar muito tempo sozinha em casa, Jocelino decidiu deixar a roça e ficar ao lado da esposa, mas para isso, precisava incrementar a renda familiar e garantir o sustento da família.

“Foi quando decidi mudar de vida e utilizar os conhecimentos que adquiri em cursos do Fundo Social de Solidariedade. Fui acolhido por toda a equipe do FSS e participei de dois cursos, de pães e de doces. Os professores foram muito dedicados e carinhosos e isso pode fazer toda a diferença em nossas vidas. Hoje eu coloco em prática tudo o que aprendi com todas as pessoas que convivi no Fundo”.

Há quatro meses o ex-trabalhador rural precisou fazer novas escolhas e enfrentar as mudanças. “Deixei o meu trabalho no campo, mas hoje estou perto da minha esposa, que já fez cirurgia e esta afastada do trabalho. O Fundo Social me deu essa oportunidade de poder trabalhar em casa e estar perto dela. Faço meus pães, rocamboles e pudim e saio para vender, recebo muitos elogios e estou muito feliz”, disse Jocelino.

A esposa Rosa ressaltou: “Meu esposo é um presente de Deus. Foi Deus que mandou este homem bom para mim”.

“Estou começando devagar, aos poucos, mas graças a Deus tudo está dando certo. Quem sabe começo a crescer ainda mais. Aproveito e indico os cursos do Fundo Social de Solidariedade para as pessoas que necessitam, aos que querem aprender um novo ofício, uma nova profissão e contribuir com a renda da família. Isso pode ser transformador, como foi no meu caso”, disse Jocelino.

A primeira-dama de Jales e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Glauciane Pontes Helena Franco ficou feliz ao saber que os cursos oferecidos no FSS continuam sendo importantes na vida dos alunos.

“Em três anos já ofertamos mais de 6.000 vagas em cursos, oficinas e capacitações gratuitas que tem proporcionado conhecimento e novas oportunidades na vida das pessoas que necessitam e de famílias carentes de nossa cidade. Fico extremamente feliz e satisfeita quando percebemos que tudo isso tem poder transformador. Vamos continuar trabalhando para que histórias como a do seo Jocelino se repitam”.

APÓS REPERCUSSÃO NEGATIVA, FLUMINENSE DE FEIRA DE SANTANA DESISTE DE CONTRATAR GOLEIRO BRUNO

A moça da afiliada da Globo na Bahia falou e disse. A notícia é da Veja:

O Fluminense de Feira, equipe que disputa a primeira divisão do Campeonato Baiano, desistiu da contratação do goleiro Bruno Fernandes, de 35 anos, que cumpre pena em regime semiaberto domiciliar pelo assassinato de Eliza Samudio, em 2010.

Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, 7, o presidente do clube, Ewverton Carneiro, conhecido como Pastor Tom, admitiu que a decisão foi tomada depois da repercussão negativa do eventual acerto.

Assim que a notícia do interesse por Bruno se espalhou, torcedores do clube demonstraram revolta nas redes sociais. Um  editorial de Jessica Senra, apresentadora da TV Bahia, afiliada da Rede Globo, foi o que mais repercutiu. Nele, a jornalista critica a escolha do Fluminense de Feira de dar uma nova oportunidade ao goleiro Bruno. Assista abaixo:

1 2 3 4 5 1.368