Arquivos do autor: cardosinho

POLÍCIA FEDERAL PRENDE SOCIALITE QUE INSINUOU QUE LULA ERA MARGINAL

images-cms-image-000555868

E o bloco dos “moralistas sem moral” cada vez aumenta mais. A notícia é do Brasil 247:

A socialite e empresária Isabel Christine de Mello Távora, proprietária da CVC Manaus, e foi presa pela Polícia Federal quando tentava embarcar para Miami (EUA) com uma grande quantia de dólares em uma mala no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona Oeste de Manaus. Isabel que postou uma foto ao lado de uma placa de sinalização insinuando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era “marginal” foi presa por evasão de divisas.

Ela já havia sido presa na Operação Farol da Colina, deflagrada em 2007 para combater os crimes de sonegação, evasão de divisas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Ela foi condenada pelo juiz federal da 2ª Vara da Seção Judiciária do Estado do Amazonas, Márcio Coelho de Freitas seis anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de 140 dias-multa à razão diária de 5 (cinco) salários-mínimos.

A CRÔNICA DO PASCOALINO E A MÚSICA DO CHICO: “TUA CANTIGA”

Reproduzo, mais embaixo, a crônica “Tua Cantiga” do amigo Pascoalino S.Azords, publicada ontem no jornal Debate, de Santa Cruz do Rio Pardo. Como o título indica, ela trata da nova música do Chico, que pode ser ouvida no vídeo abaixo:

Nos dias que se seguiram à morte de Tom Jobim, em 1994, Chico Buarque declarou que não fazia mais sentido compor, sabendo que o seu maestro soberano não estaria mais aqui para ouvir. Tom não era a musa do Chico, mas a reação dele a cada nova música era o que importava para Chico. O primeiro disco dele que o Tom não ouviu, “As Cidades”, é de 1998 – um respeitável luto de quatro anos, portanto. Na sequência, vieram “Cambaio” (2001), “Carioca” (2006), “Chico” (2011), e “Caravanas”, previsto ainda para 2017. Por ter nos deixado, Tom Jobim perdeu, até aqui, mais de 60 novas músicas do Chico. Aposto um picolé como ele iria gostar de Tua Cantiga, uma das músicas do disco “Caravanas”, que a gravadora já disponibilizou na Internet.

Chico escreveu a letra de Tua Cantiga para uma melodia do pianista e arranjador Cristóvão Bastos. Os dois não compunham juntos desde Todo o Sentimento, de 1987. Para ver que já se passaram trinta anos você não precisa fazer conta de menos, basta ler as duas letras. Com 43 anos de idade, a pessoa costuma pensar que ainda tem uma vida inteira pela frente, que o que passou foi um aperitivo, um treino para o muito que a existência lhe reserva. “Depois de te perder / Te encontro com certeza / Talvez num tempo da delicadeza / Onde não diremos nada / Nada aconteceu / Apenas seguirei, como encantado / Ao lado teu”. É assim que termina a letra de Todo o Sentimento, escrita quando Chico estava cheio de certezas e ainda nem tinha cabelo branco.

Aos 73 anos de idade, aquela mesma pessoa já canta mais grave – sim, a voz também envelhece com o dono da voz. O homem que naquele disco de 1987 ainda chamava suas três filhas de “As minhas meninas”, nome de uma das músicas do disco, agora sabe que está a um passo de se tornar bisavô. Então, ainda que seja para aquela mulher com quem ele sonhava viver como encantado num tempo da delicadeza, ele diz: “E quando o nosso tempo passar / Quando eu não estiver mais aqui / Lembra de mim, ah! nega / Dessa cantiga que eu fiz pra ti”. É assim que termina Tua Cantiga, a última música do Chico.  

Antes desses versos, o homem de 73 anos diz coisas menos terminais. Como “Silentemente vou te deitar / Na cama que arrumei / Pisando em plumas toda manhã / Eu te despertarei”. Ou ainda “Se um desalmado te faz chorar / Deixa cair um lenço / Que eu te alcanço em qualquer lugar”. Mas, evidentemente, esse futuro é muito pouco provável. Mais improvável do que já era a difícil perspectiva de um tempo da delicadeza, trinta anos atrás.

Com disco novo na praça, Chico deverá percorrer o país numa série de shows, como sempre faz. Se você puder ir, vá. É longe? É caro? Compare com o que custa ir ver o Papa acenar da janela do Vaticano. Ver o Chico fica muito mais barato, e nem precisa tirar passaporte!

JORNAL DE JALES: VENDA DO RECINTO DA FACIP PARA EMPRESA DE SÃO PAULO EMPERRA POR CONTA DO PRAZO DE PAGAMENTO

IMG_0441Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo que está destacando a suspensão do laudêmio – aquele tributo cobrado pela família Jalles – conforme decisão do Corregedor Geral do TJ-SP, Pereira Calças. O jornal traz dois textos sobre o assunto. Num deles, o advogado Carlos Alberto Brito Neto explica a decisão. No outro, o professor Sedeval Nardoque – o primeiro a questionar a cobrança do laudêmio – diz que a decisão, apesar de favorável ao interesse público, ainda traz preocupação. O editorial do jornal também trata da decisão sobre o laudêmio e diz que ela ainda poderá ser objeto de eventual recurso dos advogados da família Jalles.

Destaque, igualmente, para outra decisão da Justiça: a da juíza de Urânia, Marcela Correa Dias de Souza, que deferiu o pedido dos advogados de defesa e revogou a prisão provisória do ex-prefeito Francisco Airton Saracuza e os ex-assessores que foram presos em março/abril pela Polícia Federal de Jales. Acusados de pagamentos suspeitos com recursos da chamada “repatriação”, eles tiveram pedidos de habeas corpus negados anteriormente, mas agora – depois de interrogados pela Justiça – poderão aguardar o julgamento em liberdade.

O lançamento do livro do escritor Mário Soler sobre o início da carreira política do prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo; as investigações do Ministério Público Federal (MPF) sobre o acúmulo de cargos por médicos de 22 municípios da região; a largada para a volta ao mundo que um casal de Jales pretende fazer em cima de uma bicicleta; e a instalação, em Jales, de uma unidade da ONG que incentiva crianças e jovens com deficiência a praticar esportes paraolímpicos, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que as negociações para a venda do recinto da Facip, que pertence à Unimed de Jales, estão um pouco “enroladas”. Na quarta-feira, 02, os cooperados da Unimed se reuniram e recusaram a oferta de empresa Gauri Eventos, de São Paulo. A empresa ofereceu R$ 3 milhões em suaves parcelas, mas os cooperados querem receber a grana à vista. O colunista destacou, também, a vinda do frade/escritor Frei Betto a Jales, no dia 10, para uma palestra. Amigo e conselheiro de Lula, foi Frei Betto quem convenceu o ex-presidente a nomear Joaquim Barbosa para o STF.

Em tempo: acabo de descobrir mais um amor platônico do meu amigo Luiz Carlos Seixas (Ourinhos-SP), que, em sua juventude, namorou várias moças sem que elas soubessem. Foi ele mesmo quem confessou a paixão não correspondida, em deliciosa crônica publicada pelo JJ deste domingo.    

CASUARINA E FREJAT – “JÁ FUI UMA BRASA”

Se estivesse vivo – o que, convenhamos, seria um milagre para um fumante inveterado – Adoniram Barbosa (nome verdadeiro: João Rubinato) estaria completando 107 anos nesse domingo. Nascido a 06 de agosto de 1910, em Valinhos, Adoniram foi fazer companhia à sua personagem Iracema – aquela que “travessou” uma rua na contramão e foi atropelada – em 23 de novembro de 1982, vítima de um enfisema pulmonar.

Em 1966, Adoniran Barbosa estava longe da mídia, já que a moda era a Jovem Guarda de Roberto, Erasmo, Ronie Von & Cia, situação que o deixava um tanto quanto chateado. Foi então que ele compôs “Já Fui uma Brasa”, música simples que traz na letra um relato conformado da falta de espaço para um sambista como ele.

Uma das gírias mais marcantes de Roberto Carlos, que simbolizava o estilo da Jovem Guarda dizia “é uma brasa, mora?”. Adoniram, inspirado pela gíria, tratou de construir uma metáfora musical para explicar sua situação: “Eu também um dia fui uma brasa e acendi muita lenha no fogão. E hoje o que é que eu sou? Quem sabe de mim é o meu violão…”.

O último verso da música talvez seja o mais emblemático, na medida em que, à época, soou como um aviso: “E eu que já fui uma brasa, se assoprar posso acender de novo“. Dito e feito!

Adoniran era mesmo uma brasa. E uma brasa versátil, que reacendeu ao se tornar ator das primeiras novelas da TV Tupi e também da TV Record. “Já Fui uma Brasa” é, até hoje, um dos grandes sucessos do João Rubinato. Como mostram, no vídeo abaixo, o grupo Casuarina e o ex-Barão Vermelho, Frejat:

 

PREFEITURA ASSINA ADITIVO PARA FAZER MAIS 32.800 METROS QUADRADOS DE RECAPE

DSC03107-tribuna

A Prefeitura de Jales assinou, há alguns dias, um aditamento no valor de R$ 742,6 mil ao contrato de R$ 3,1 milhões firmado em fevereiro passado com a empresa Conpav Ltda, de Santa Fé do Sul.

Como se sabe, a empresa é a responsável pelo recape de 138 mil metros quadrados de asfalto, que está sendo executado em ruas e avenidas de Jales, financiado pelo empréstimo de R$ 4 milhões obtido pelo ex-prefeito Pedro Callado junto à Agência Desenvolve-SP.

Com os R$ 742 mil do aditamento, deverão ser executados mais 32.800 metros quadrados de recape. Não me perguntem, porém, quais serão as ruas beneficiadas, pois isso eu só vou ficar sabendo durante a semana que está começando.

O que eu sei é que, se depender do prefeito Flá, o Jardim “Euphly Jalles” deverá ser uma das prioridades do recape, o que muito me alegra, pois costumo passear com meus dois cachorrinhos por aquelas ruas e está muito complicado caminhar por lá.

OS ESCOMBROS DA LAVA JATO

braskem1

Quando a Lava Jato foi deflagrada, em março de 2014, o IBGE apontava taxa de desemprego no Brasil de 7,1% no trimestre encerrado naquele mês. Hoje, a taxa no período encerrado em junho chega a 13%, com 13,5 milhões de pessoas sem emprego.

Segundo o diretor de Relações Internacionais e de Movimentos Sociais da FUP, João Antônio de Moraes, só a cadeia de gás e petróleo comandada pela Petrobras perdeu cerca de 3 milhões de empregos: “a Lava Jato fecha os estaleiros, proíbe as empresas brasileiras de disputar licitações e paralisa as obras”.

Mas, vamos ao que escreveu o jornalista Fernando Brito, no blog Tijolaço:

Aí em cima, recortes dos jornais de hoje, apenas de hoje.

Bastam para desenhar o cenário de devastação do que era, até pouco tempo atrás, a área mais promissora da economia brasileira: o setor de petróleo.

O que deveria ser uma desaceleração temporária, por conta da queda do preço do barril de petróleo, virou uma destruição permanente, uma alienação das riquezas acumuladas por décadas pelo Brasil, o aniquilamento de cidades inteiras que se erguiam com a indústria petrolífera, de indústrias enormes de navios e equipamentos que a exploração do petróleo,  cujo volume ainda cresce pelo que se fez no passado, mas cairá, inexoravelmente, pelo que não se faz hoje.

Porque petróleo não se acha nem se extrai sem perfurar poços, mas isso é um absurdo na “nova Petrobras”. Deixem tudo lá, até que possam chegar os estrangeiros, que por enquanto estão um pouco “apertados” de grana.

Aniquila-se a indústria do petróleo, mas não se investiu contra ladrões públicos, quase todos eles soltos, gozando de suas casas de praia, de campo, de seus condomínios privados.

Nossa mídia e nossos juízes se comprazem morbidamente, como idiotas, da aniquilação de uma indústria imensa, de cujos escombros fazem o patamar de sua autoglorificação.

Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Coreia, Japão, nenhum deles misturou falcatruas governamentais e empresariais com a sobrevivência de suas próprias indústrias.

Aqui, vitais apenas são os privilégios, as pompas, o “sabe com quem está falando” de uma subnobreza imbecil, cuja cabeça tem mais de um século atrás, porque só vê futuro numa colônia, não num país.

Mas tudo vai ficar bem: vamos sucatear os já precários hospitais, as já precárias universidades, vamos tirar um pouco mais dos pobres e um tanto mais dos trabalhadores e provar aos senhores do mundo que somos responsáveis e “limpinhos”.

A TRIBUNA: VEREADOR DESCONFIA DE IRREGULARIDADES NO PAGAMENTO DE HORAS EXTRAS NA PREFEITURA

capa tribuna 06.08.17A principal manchete do jornal A Tribuna deste final de semana destaca o crescimento dos gastos da Prefeitura de Jales com o pagamento de horas extras a funcionários. Segundo a matéria, nos 12 meses de 2016 foram gastos R$ 950 mil, enquanto nos seis primeiros meses deste ano já se gastou R$ 505 mil. Os números estão na resposta a um requerimento do vereador Tiago Abra. A Prefeitura alega que o aumento é consequência do reajuste salarial de 6,8%, enquanto o vereador, de seu lado, classifica o aumento de inexplicável e aponta indícios graves de irregularidades na prestação de horas extras.

Destaque, igualmente, para a Ação de Cobrança que a empresa Proposta Engenharia Ambiental Ltda ajuizou na Justiça para tentar receber uma dívida da Prefeitura de Jales, estimada em R$ 316 mil. A empresa – que foi a responsável pela limpeza urbana e o recolhimento do lixo em Jales, de janeiro 2014 até maio 2015 – está alegando que a Prefeitura pagou apenas parcialmente as faturas relativas a maio e junho de 2014, ainda no governo da ex-prefeita Nice Mistilides, deixando para trás um débito de R$ 222 mil, que atualizados chegam aos R$ 316 mil.

O preço da gasolina nos postos de combustíveis de Jales, que varia de R$ 3,20 a R$ 3,70 mas continua sendo uma das mais baratas do estado; os recursos de R$ 1,5 milhão em emendas parlamentares destinadas ao setor de saúde de Jales; a decisão da Justiça que livra a Casa da Criança de ter que devolver o terreno doado pela Prefeitura à entidade em 1980; a agressão sofrida por uma equipe do canal SBT, durante reportagem em Urânia; e a nova dor de cabeça do prefeito Flá Prandi, que, em menos de 15 dias, teve que mudar duas vezes o local para depósito de resíduos da construção civil, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, os temores do presidente da Acij, Carlos Roberto Altimari, com o novo modelo de “Área Azul” que está sendo proposto pela Prefeitura. Na página de opinião, o palmeirense Pedro Callado relembra alguns ensinamentos do ex-presidente americano Abraham Lincoln, enquanto o santista Victor Pereira escreve sobre a transferência do atacante Neymar do Barcelona para o PSG. No caderno social, a coluna do Douglas Zílio, agora com duas páginas coloridas, está recheada de belas mulheres e seus chibantes óculos escuros.   

VOX POPULI: LULA FOI O MELHOR PRESIDENTE PARA 55% E CONTINUA LÍDER ABSOLUTO NAS INTENÇÕES DE VOTO PARA 2018

images-cms-image-000555665

A notícia é do Brasil 247:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue líder absoluto nas intenções de voto para o Planalto em 2018, apesar da caçada judicial de que tem sido vítima. 

A nova rodada da pesquisa CUT-Vox Populi, realizada entre os dias 29 e 31 de julho, mostra que o ex-presidente Lula lidera as intenções de voto para presidência da República no segundo turno nos quatro cenários pesquisados: contra Jair Bolsonaro (PEN-RJ) ou João Doria (PSDB-SP), Lula alcança 53% das intenções de voto; se os candidatos forem Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ou Marina Silva (Rede-AC), Lula bate ambos com 52% dos votos.

Nesses cenários imaginados pela pesquisa, Bolsonaro teria 17% dos votos. Já Alckmin, Doria e Marina alcançariam, no máximo, 15% do total de votos, cada um.

A intenção de voto espontânea em Lula também aumentou depois que o juiz Sérgio Moro condenou o ex-presidente, sem nenhuma prova, por crime de corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá. Em junho, antes da sentença, 40% dos entrevistados disseram que votariam no ex-presidente. No fim de julho, o percentual aumentou para 42%.

Para Marcos Coimbra, diretor do Instituto Vox Populi, vários dados pesquisa podem explicar porque Moro não acabou com as intenções de voto positivas no ex-presidente.

 “Um deles, muito importante, é que, para 42% dos entrevistados, Moro não provou a culpa de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Para 32%, Moro provou e, outros, 27% não souberam ou não quiseram responder”.

No cenário em que a intenção de voto foi estimulada com Alckmin, o tucano atinge 6% das intenções de voto e Lula, 47%. Bolsonaro tem 13%, Marina, 7%, e Ciro, 3%.

Na estimulada com Doria, Lula tem 48% das intenções de voto, Bolsonaro manteve os 13%, Marina subiu para 8% e o prefeito de São Paulo empatou com Ciro Gomes, com 4%.

Entre junho e julho deste ano, o percentual de entrevistados que apontam Lula como o melhor presidente que o Brasil já teve aumentou de 49% para 55%. O outro nome lembrado é o de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), com 15%.

Além disso, 58% dos brasileiros consideram Lula um bom administrador, 65% dizem que ele é trabalhador e 61% afirmam que a vida melhorou nos 12 anos de governos do PT.

Em contrapartida, o percentual dos que acham que a vida piorou com Michel Temer aumentou de 52% para 61%. Cresceu também o percentual dos que acham que vai aumentar o desemprego no Brasil – de 68% em junho para 72% em julho.

A pesquisa UT/Vox Populi, realizada nos dias 29 e 31 de julho, entrevistou  1999 pessoas com mais de 16 anos, em 118 municípios, em áreas urbanas e rurais de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior.

A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

folha noroeste 06.08.17O jornal digital Folha Noroeste deste sábado está destacando os recursos federais que estão sendo liberados para o setor de Saúde de Jales. Segundo foi divulgado pela Prefeitura, o município deverá receber R$ 1,5 milhão que serão utilizados na construção de uma unidade de saúde no Jardim Monterey e na reforma das unidades de saúde do Jardim Arapuã e da Cohab Roque Viola. Boa parte do dinheiro – cerca de R$ 1,1 milhão – é fruto de emendas parlamentares do deputado federal licenciado Rodrigo Garcia(DEM), o mais votado em Jales nas eleições de 2014 (10.867 votos). Os deputados petistas Vicentinho (114 votos) e Ana Perugini (248) também  destinaram R$ 250 mil em emendas.

O jornal destaca, também, a liberdade concedida pela Justiça ao ex-prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza, e seus quatro ex-assessores que estavam presos desde março deste ano, quando foi deflagrada a Operação “Repartição” da Polícia Federal. Depois de interrogados pela Justiça de Urânia na quinta-feira, 03, eles foram libertados ontem, sexta-feira, e irão responder o processo em liberdade. Segundo o jornal, Saracuza chegou em sua residência por volta das 16 horas da sexta-feira, 04, e foi recepcionado por correligionários e amigos.

Na coluna FolhaGeral, o quase intransponível ex-lateral esquerdo Roberto Carvalho está informando que a Assembleia Legislativa registrou, na quinta-feira, 03, a entrada de alguns projetos de lei solicitando a classificação de 12 municípios paulistas – incluindo a nossa vizinha Estrela D’Oeste – como “Município de Interesse Turístico”. Roberto aproveitou para lembrar que a promessa feita pelo secretário estadual do Turismo, Laércio Benko – quando ele esteve por aqui, em junho passado – ainda não foi cumprida. Para quem não se lembra, depois de tomar umas cajibrinas, o alegre secretário garantiu que Jales estaria classificada como “Município de Interesse Turístico” até o dia 1º de agosto, mas até agora nada.

“TEMER SERVE DE INSTRUMENTO PARA INTERESSES ESCUSOS”, DIZ DOM DEMÉTRIO EM ENTREVISTA

Deu no portal Vermelho:

demetrio112100Em entrevista ao portal da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), Dom Luiz Demétrio Valentini, bispo-emérito de Jales (SP), falou sobre a crise brasileira e disse que o silêncio das ruas não é uma concordância tácita com o que está acontecendo, como alguns querem fazer acreditar. Segundo ele, a aparente apatia “é um sintoma preocupante de que não temos mais esperanças e sinais concretos para recuperar o rumo da caminhada histórica do Brasil”.

“Certamente, estamos vivendo um momento difícil, todos reconhecem, no qual há uma perca da identidade do povo brasileiro. Se torna necessário ajudar o povo brasileiro a reencontrar sua identidade e destino históricos, sua feição cultural, sua tradição e fazer convergir todas estas realidades para recuperarmos um projeto de Nação”, enfatizou o bispo, destacando que o país está esquecendo o projeto de nação.

“Estamos vivendo um momento difícil que se caracteriza, sobretudo, pelo descrédito das instituições e por sua incapacidade em recuperar e superar a pecha sempre crescente da sua falta de legitimidade perante o povo brasileiro”, argumentou.

Ainda de acordo com o bispo de Jales, se há dificuldades de convergências em torno de um projeto de país por outro se criou uma convergência que “assusta”. Ele faz duras críticas ao Congresso Nacional e ao Poder Judiciário, e rechaça a agenda de reformas imposta pelo governo de Michel Temer.

“Há uma espécie de trama que está sendo orquestrada para que isto se torne invisível e leve o Congresso a retrocessos políticos como, por exemplo, o que estamos assistindo com a nova lei trabalhista aprovada e a nova a lei da previdência social que estão propondo. Existe um interesse do liberalismo econômico que está voltando com força, como se a solução do Brasil fosse voltarmos aos tempos da revolução industrial em que se confrontavam os pequenos contra os poderosos, sempre com desvantagem evidente para os pequenos”, reforça.

E acrescenta: “Agora estamos assistindo esta realidade em que os grandes interesses convergiram e o presidente que temos serve de instrumento da execução destes interesses escusos que não são publicados, mas que aos poucos precisamos identificar para nos posicionar diante da crise política que estamos vivendo”.

1 2 3 4 5 1.073