Categoria: Cidade

PRESIDENTE ELEITO DA ACIJ PROMETE DIÁLOGO EM BUSCA DE NOVAS CONQUISTAS

A notícia é da assessoria de imprensa da ACIJ:

Eleito para um mandato de dois anos à frente da Associação Comercial e Industrial de Jales, o empresário Leandro Rocca Lima acredita que seu grande desafio, além de dar continuidade ao excelente trabalho desenvolvido pelo atual presidente Carlos Roberto Altimari, que passa a ocupar a vice-presidência, será buscar novas conquistas para ajudar no desenvolvimento das empresas e tornar o comércio de Jales cada vez mais importante para toda a região. A posse da nova diretoria está marcada para o dia 1º de março.

Leandro disse que assumir a presidência de uma entidade como a ACIJ é uma responsabilidade muito grande e vai procurar fazer o melhor possível para as empresas do comércio e da indústria, sem divergências, mas com muito diálogo, colocando em pauta aquilo que Jales necessita nesse segmento.

O presidente eleito espera contar com o apoio de toda a diretoria e colaboradores, para as ações que pretende desenvolver, sempre voltadas para os associados, dando continuidade ao trabalho de Carlinhos que trouxe vários serviços, nestes quatro anos em que presidiu a entidade.

“É possível crescer ainda mais, com novos planos que estão em andamento, mas para isso é preciso contar também com apoio dos órgãos públicos, como a Prefeitura e a Câmara e acredito que isso não será problema, pois temos um bom relacionamento nessa área e todos sabem que a população ganha com o fortalecimento do comércio”, afirmou.

O atual presidente da ACIJ acredita que nesses quatro anos conseguiu desenvolver um trabalho onde se destaca principalmente a representatividade que a associação conquistou junto aos empresários, à população e ao poder público. Essa aproximação também aconteceu junto com os associados, segundo Carlinhos, buscando sempre o fortalecimento do comércio e da indústria. O resto foi consequência, como afirmou, lembrando que está muito confiante no trabalho do presidente eleito que deverá dar sequência ao que foi feito nos últimos anos.

Essa confiança ele atribui ao respeito e credibilidade que Leandro desfruta entre os empresários, como um jovem empreendedor, com ótimas ideias que certamente contribuirão para expansão de tudo o que vem sendo feito até agora, com muita transparência, como ele sempre fez.

RÁDIO DE APARECIDA DO TABOADO ARRECADA ALIMENTOS PARA HOSPITAL DE CÂNCER DE JALES

Eu ainda não me acostumei com o novo nome – Hospital de Amor. E, pelo jeito, o pessoal de Aparecida do Taboado também não. A notícia é do portal JP News:

Iniciativa inédita da rádio Cultura FM 105,5 MHz de Aparecida do Taboado – emissora integrante do Grupo RCN de Comunicação – rendeu mais de 2,4 toneladas de alimentos ao Hospital de Câncer de Jales (SP), em menos de uma semana de campanha realizada entre ouvintes e comerciantes da cidade. 

A arrecadação, que visa apoiar a entidade filantrópica ligada à Fundação Pio 12, de Barretos (SP), é relacionada ao atendimento a pacientes de Aparecida do Taboado pelo hospital. “Pensamos em contribuir porque se trata de uma entidade muito importante para os aparecidenses que precisam de atendimento especializado”, disse o gerente da rádio, Nestor Júnior.

A campanha foi realizada entre os dias 6 e 10 deste mês e a entrega ocorreu nesta quarta-feira, dia 14, em Jales. 

“Além de ouvintes, que vinham à rádio trazer um pacotinho de feijão, um de macarrão, por exemplo, tivemos apoio de donos de lojas, bares e pequenas empresas da cidade, como o sr. Hino, dono de um bar no bairro São Luiz. Isso foi maravilhoso”, disse Nestor.

DUAS SEMANAS

Apesar do volume expressivo de arrecadação, as mais de duas toneladas de alimentos entregue ao hospital serão suficientes para abastecer a cozinha por cerca de 15 dias. “Usamos uma tonelada de alimentos a cada semana”, revelou Dara Freitas, responsável pela captação de doações do hospital. 

E tudo chega em boa hora. Dara Freitas disse, também, que o volume de doações sofre uma forte queda sempre após o período de festas de fim de ano. Em dezembro, certamente em virtude do Natal e da maior movimentação financeira, as doações aumentam. “Em janeiro e fevereiro sempre temos dificuldades”, disse. 

A iniciativa da Cultura FM incentivou outras emissoras da região Noroeste de São Paulo. Segundo Dara Freitas, dirigentes de rádios de cidades vizinhas a Jales também iniciaram campanhas semelhantes. “Criamos uma onda. Tomara. Graças a Deus”, exclamou Nestor.

“ESQUECIDAS” EM RIO PRETO PELA AMBULÂNCIA DE JALES, MÃE E FILHA QUEREM SER INDENIZADAS PELA PREFEITURA

Uma moradora de Jales, ingressou na Justiça local com uma ação indenizatória contra o município, na qual está pleiteando R$ 30 mil de indenização por danos morais sofridos por ela e pela filha menor, por conta do suposto mau atendimento prestado por uma ambulância da municipalidade.

Segundo o advogado das vítimas, a filha é portadora de artrite reumatoide, uma doença crônica caracterizada pela inflamação frequente das articulações, que causa bastante dor e inchaços na criança, além de afetar também outros tecidos e órgãos. A doença não tem cura, mas pode ser controlada com medicamentos, o que obriga a criança a frequentes tratamentos médicos.

Em maio do ano passado, a doença agravou-se, o que levou a criança a passar por diversas consultas médicas. , a menina foi atendida na Santa Casa de Jales, ocasião em que os médicos solicitaram o encaminhamento da paciente ao Hospital de Base, em São José do Rio Preto, a fim de que a criança fosse atendida por uma especialista em reumatologia.

Em Rio Preto, a menina foi atendida no mesmo dia pela médica Ana Luíza, em consulta que começou às 22:00 horas e só terminou às 01:35 horas do dia seguinte. Ocorreu que, logo após o final do atendimento, mãe e filha procuraram pela ambulância  disponibilizada pela Prefeitura, mas tiveram uma desagradável surpresa, ao constatar que, sem nenhum aviso, o veículo já tinha retornado a Jales.

Sem dinheiro para voltar de ônibus, a mãe ligou para os responsáveis da ambulância e recebeu a informação de que um novo veículo retornaria a São José do Rio Preto até às 03:00 horas da manhã, para buscá-las. O veículo só chegou por volta das 13:00 horas, depois de mais de 12 horas de espera.

Na ação – que tramita na 4ª Vara de Jales – as vítimas sustentam que sofreram dano moral causado pelo município, uma vez que a ambulância da Prefeitura levou as duas até Rio Preto e depois, sem nenhuma explicação, veio embora deixando ambas abandonadas à própria sorte.

Para o advogado das vítimas, era dever do município manter a ambulância à disposição da mãe e da filha, ou, no mínimo, comunica-las sobre o motivo de o veículo precisar retornar a Jales antes de a criança ser atendida, “deixando as autoras desamparadas a 150 quilômetros de casa”.

TIAGO ABRA QUER PROIBIR ROJÕES BARULHENTOS EM JALES

Por essa, nem o nosso mais famoso fogueteiro, o sumidíssimo Matogrosso, esperava.

A Câmara Municipal deverá discutir nas próximas sessões o projeto de lei 39/2018, de autoria do vereador Tiago Abra(PP), que proíbe no âmbito do município o uso de fogos de artifício que causem poluição sonora, como estouros e estampidos, uma reivindicação de ativistas e protetores de animais.

De acordo com o projeto do vereador, a proibição deverá alcançar recintos fechados e ambientes abertos em áreas públicas e locais privados. Em sua justificativa, Abra argumenta que a queima de fogos de artifício causa traumas irreversíveis aos animais, especialmente àqueles dotados de sensibilidade auditiva, como é o caso dos cães e gatos.

“Em alguns casos, os cães se debatem presos às coleiras até a morte por asfixia”, explica o vereador. Segundo ele, “dezenas de mortes, enforcamentos em coleiras, fugas desesperadas, quedas de janelas, automutilação e distúrbios digestivos acontecem na passagem do ano, por exemplo, porque o barulho excessivo para os cães é insuportável e, muitas vezes, enlouquecedor”, continua Abra.

Segundo a argumentação do vereador, não são apenas os animais que são prejudicados pelo barulho dos fogos de artifício. “Esses artefatos podem causar danos irreversíveis às pessoas que os manipulam”, diz ele, baseado em dados da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT.

“Nos últimos vinte anos foram registrados 122 óbitos por acidentes com fogos de artifício, sendo que 23,8% dos acidentados eram menores de 18 anos. Afora os óbitos, mais de 7.000 pessoas sofreram lesões em razão do uso de fogos de artifício, nos últimos anos, segundo o Ministério da Saúde”, justifica o vereador.

O projeto do vereador prevê a aplicação de penalidades para os infratores, ou seja, para aqueles que soltarem rojões em festas ou comemorações. Se for um cidadão em particular, a pena prevista é uma multa de duas Unidades Fiscais do Município (UFM’s) , o que corresponde, atualmente, a R$ 402,34. Se o infrator estiver relacionado a algum evento de qualquer natureza, a multa será de oito UFM’s, ou R$ 1.609,36.

Projetos parecidos com o do vereador Tiago Abra já foram propostos em outras cidades, como Campinas(SP), Barra do Piraí(RJ) e Belo Horizonte(MG). Em Campinas, o projeto já foi aprovado pela Câmara e sancionado pelo prefeito em janeiro de 2017. No entanto, ao sancionar a lei, o prefeito campineiro, Jonas Donizete, vetou o artigo que previa multa aos infratores. Para ele, é preciso conscientizar a população antes de aplicar punições.

Projeto parecido está tramitando na Câmara Federal. Com o número 6.881/17, o projeto de autoria do deputado federal Ricardo Izar(PP-SP), conhecido defensor da causa animal, proíbe o uso de fogos de artifício com estampido em todo o território nacional e prevê pena bem mais dura que o projeto de Tiago Abra. Além da multa, a propositura de Izar propõe a pena de detenção de 03 meses a 01 ano para os infratores.

E o assunto já está chegando também aos senadores. O site do Senado Federal lançou consulta pública sobre a proibição da venda de fogos de artifícios barulhentos e rojões em todo território nacional. A justificativa é que os produtos prejudicam a paz e a tranquilidade de crianças pequenas, idosos e enfermos, bem como a de animais. A consulta vai até o dia 17 de abril de 2018 e pode ser acessada aqui

JORNAL DE JALES: COM AJUDA DE DEPUTADOS, FLÁ ESPERA CONSEGUIR R$ 2 MILHÕES PARA REFORMA DA PRAÇA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete diz que o prefeito Flá Prandi(DEM) espera conseguir logo os recursos financeiros para reformar a Praça “Euphly Jalles”. O projeto de reforma, como se sabe, foi elaborado por três arquitetas de Jales que realizaram o trabalho gratuitamente, como voluntárias, e o apresentaram na terça-feira, 06. O prefeito disse, na ocasião, que, com o apoio do vice-prefeito Garça, não vê dificuldades para conseguir junto a deputados federais os cerca de R$ 2 milhões necessários para reformar a praça. E na quarta-feira, 07, Flá já estava em Brasília reivindicando verbas junto aos deputados Rodrigo Garcia(DEM) e Baleia Rossi(MDB).

O jornal está destacando, também, a performance da estudante jalesense Gabriela Módulo Molina, de 20 anos, que conseguiu ser aprovada em oito faculdades de medicina. Nos vestibulares de cinco dessas faculdades, Gabriela classificou-se entre os dez primeiros colocados. Para o jornal, Gabriela tornou-se o símbolo de uma geração que leva os estudos a sério, desmentindo o imaginário popular segundo o qual os jovens de hoje “não querem nada com nada”. Em entrevista, a estudante disse que ainda não escolheu a área da medicina em que pretende atuar, mas já pensou em Endocrinologia.

O reajuste salarial dos servidores municipais definido em negociações realizadas na quinta-feira, 08; o desprendimento do jovem Marco Aurélio Delgado, que ganhou um Fusca e doou o valor do prêmio ao Lar dos Velhinhos de Jales e de Santa Albertina; a eleição da nova diretoria da ACIJ; a inauguração da loja de conveniência do Auto Posto Pupim; a final do campeonato aberto de Futsal; e o 2º Mutirão da Oftalmologia de Urânia, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que, por conta do aumento do IPTU, o vereador Vanderley Vieira dos Santos(PPS), o Deley, foi alvo da verve de um contribuinte gozador. O contribuinte lembrou que, quando da aprovação do reajuste pelos vereadores, Deley, a pretexto de tranquilizar a população, afirmou em entrevista que o aumento seria correspondente ao valor de uma Coca-Cola. Dia desses, ao cruzar com o vereador, o debochado contribuinte observou, em tom de blague: “Deley, o litrão de Coca-Cola chegou…”, referindo-se ao carnê do IPTU.

POLÍCIA MILITAR DE JALES PEGA LADRÃO NO PULO

Esse foi pego literalmente no pulo. A notícia é do portal A Voz das Cidades:

Policiais militares de Jales realizavam patrulhamento ostensivo e preventivo na área central da cidade quando visualizaram o criminoso pulando de dentro de uma construção na Rua 12.

Com o indivíduo foram localizadas uma rede de vôlei e uma faca, ambas furtadas de uma loja de materiais de esporte mediante arrombamento de uma janela.

Os policiais fizeram contato com o proprietário da loja e o informaram sobre o furto.

Os produtos foram devolvidos ao proprietário e o criminoso, que possui várias passagens pelo crime de furto, foi encaminhado à Cadeia Pública de Santa Fé.

A TRIBUNA: CRÍTICAS À ESCURIDÃO LEVAM PREFEITURA A SUBSTITUIR LÂMPADAS QUEIMADAS EM AVENIDAS

No jornal A Tribuna deste carnavalesco  final de semana, o principal destaque é para as negociações salariais entre o Sindicato dos Servidores Municipais e o prefeito Flávio Prandi, que voltou de Brasília na quinta-feira, para participar da assembleia geral marcada para a Câmara Municipal. Ao final, os servidores públicos municipais aceitaram a proposta de 3,5% de reajuste salarial, que significa um aumento de 1,29% acima da inflação  medida pelo IPCA. O acordo prevê, também, um aumento do valor pago no vale alimentação, que subiu de R$ 210,00 para R$ 245,00. A matéria diz que a assembleia não contou com número expressivo de servidores. Entre os vereadores, o único ausente foi Tiquinho.

Destaque, igualmente, para a iniciativa da Prefeitura, que está substituindo as lâmpadas queimadas nas luminárias ornamentais de algumas avenidas. Como se sabe, o problema os pontos escuros em alguns setores da cidade vem sendo alvo de recorrentes críticas da população. Enquanto não define a contratação de uma empresa privada  para cuidar desse serviço, a Secretaria de Planejamento iniciou, na semana passada, a substituição das lâmpadas. Os serviços começaram no prolongamento da Avenida “Francisco Jalles”, nas proximidades do Hospital de Câncer.

A apresentação do projeto de revitalização da Praça “Euphly Jalles”; os motivos que causaram o substancial aumento no preço dos aluguéis de caçambas, em Jales; o projeto de lei do vereador Tiago Abra, que proíbe fogos de artifícios com estampido em eventos; a volta das discussões, na Câmara, sobre a venda do aeroporto municipal; e a indenização que está sendo pedida na Justiça por uma mãe que levou a filha para uma consulta no Hospital de Base, em São José do Rio Preto, e foi abandonada – juntamente com a filha – pela ambulância da Secretaria Municipal de Saúde, são outros assuntos de A Tribuna, que está completando 30 anos de fundação.

Na coluna Enfoque, informações sobre a possibilidade de “entrar água” no acordo que previa a “doação” da sede da Aderj para a Prefeitura, em troca de dívidas; na página de opinião, a crônica do Marco Poletto é sobre a Quarta-feira de Cinzas, enquanto o artigo do ex-prefeito Pedro Callado – “Dois pesos e duas medidas” – fala da maneira diferente como a imprensa trata o tema “desemprego” nos governos Dilma e Temer. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para o aniversário da Erika Rossafa.

CINCO EMPRESAS PARTICIPAM DA LICITAÇÃO DA ZONA AZUL DE JALES, MAS APENAS UMA É HABILITADA

A Prefeitura realizou, na quinta-feira, 08, a abertura dos envelopes de documentos (habilitação) das empresas interessadas na licitação para concessão dos serviços de implantação, operação, gestão, controle e manutenção do sistema eletrônico de estacionamento rotativo (Zona Azul) em Jales.

Cinco empresas estão participando da concorrência, mas, depois da análise da documentação, apenas uma das concorrentes – a ASG Engenharia Ltda – foi habilitada pela Comissão de Licitação. As outras quatro empresas não teriam atendido algumas exigências do edital da licitação.

Agora, as empresas inabilitadas terão cinco dias úteis para recorrer contra a decisão da Comissão. Só depois de analisados os recursos – se houver – é que será aberto o envelope (ou envelopes, caso alguma empresa obtenha êxito em seu recurso) com a(s) proposta(s) financeira(s). E só depois disso é que saberemos, afinal, quanto nos será cobrado por uma ou duas horas de estacionamento na chamada área azul.

Desde maio de 2013, quando assinou um contrato de dez anos com a Prefeitura de Araçatuba, a ASG Engenharia Ltda é a responsável pela Zona Azul “Capital do Boi Gordo”.

Recentemente, a ASG Engenharia foi inabilitada em uma licitação na cidade de Itapira e, através de recursos, inclusive na Justiça, conseguiu atrasar a contratação da vencedora – a Zona Azul Brasil Serviços Ltda, de Leme – em nove meses.

A Zona Azul Brasil é, por sinal, uma das empresas inabilitadas na licitação da nossa Prefeitura. Não se surpreendam se ela, agora, resolver dar o troco, interpondo recursos para atrasar a implantação do estacionamento rotativo eletrônico em Jales. 

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

A edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado traz como principal destaque as eleições para escolha da nova diretoria da Associação Comercial e Industrial de Jales (ACIJ). Na verdade, a nova diretoria – tendo Leandro Rocca Lima, o Bife, como presidente – já está escolhida e deverá apenas ser referendada pelos associados nas eleições programadas para a próxima quinta-feira, 15, das 09:00 às 16:00 horas. De acordo com o estatuto da ACIJ, a diretoria da entidade deve ser renovada através de eleições realizadas sempre nos anos pares, como é o caso de 2018. A posse da nova diretoria está marcada para o dia 1º de março.

O jornal está destacando, também, que o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco – ou o “Angorá” da lista de propinas da Odebrecht – anda preocupado com os preços dos combustíveis. Ele teria solicitado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que investigue os preços cobrados ao consumidor. De seu lado, o presidente Michel Temer também estaria preocupado com o assunto e diz que vai colocar a Polícia Federal para investigar. O presidente descobriu que “quando tem aumento nas distribuidoras, os postos também aumentam, mas, quando tem redução, eles não reduzem”. (Obs.: vai ver que é porque os postos sabem que o governo reduz 0,2% num dia para depois aumentar 0,5% no outro).

Em sua diligente coluna, a FolhaGeral, o combativo editor-chefe Roberto Carvalho está sugerindo que a Prefeitura de Jales contrate trabalhadores braçais através de uma Frente de Trabalho – como tem sido feito em algumas prefeituras da região – para fazer um urgente mutirão de limpeza na cidade. Segundo o colunista, a cidade está precisando de uma limpeza geral para amenizar o atual aspecto de abandono. Roberto diz que a grama conhecida como “pé de galinha” está brotando por toda a cidade, tanto na área central como em áreas mais afastadas, o que, para ele, deveria ser motivo de vergonha.

NOVA ENQUETE: VOCÊ APROVA A VENDA DO AEROPORTO E DO ESTÁDIO MUNICIPAL?

O jornal A Tribuna deste final de semana traz reportagem sobre a volta – na Câmara Municipal – das discussões em torno da venda do Aeroporto Municipal.

Quatro vereadores – Chico do Cartório, Topete, Tiquinho e Macetão – estão sugerindo ao prefeito Flávio Prandi que o Aeroporto seja dividido em lotes, os quais seriam vendidos pela própria Prefeitura. Os vereadores calculam que o local daria uns 250 lotes, que renderiam mais de R$ 25 milhões ao município.

O dinheiro, sugerem os nobres edis, seria utilizado na construção de um novo aeroporto, em lugar mais afastado da cidade, e na melhoria dos distritos industriais e de alguns bairros, como o Jardim do Bosque.

O prefeito Flá parece ter gostado da ideia e já teria confidenciado a amigos que o Estádio Municipal poderia ser colocado no pacote de vendas. O prefeito diz que o aeroporto está atrapalhando a instalação de novas empresas e a ampliação de outras. E o loteamento do estádio permitiria a abertura de ruas que ajudariam a melhorar o trânsito daquela região. 

A Secretaria de Planejamento já estaria inclusive fazendo um estudo sobre os custos para colocação de uma arquibancada com 4.000 lugares no Poliesportivo do Paraíso, que substituiria o estádio.

O elétrico Betto Mariano publicou, ontem, no portal A Voz das Cidades (aqui), matéria afirmando que o prefeito já estaria até fazendo contatos com os donos de aeronaves para tratar do assunto.

E você, o que acha? Dê sua opinião na nossa nova enquete, aí do lado direito.

1 2 3 4 393