Categoria: Cidade

PREFEITURA DE FERNANDÓPOLIS REALIZA SORTEIO DE 577 CASAS POPULARES

Trabalho escravo à parte, a Prefeitura de Fernandópolis realizou, no sábado passado, o sorteio de 577 casas populares construídas através do Programa Minha Casa Minha Vida. Segundo a notícia divulgada pela Prefeitura, 2.609 famílias fernandopolenses tinham feito a inscrição no Programa.

Reparem na diferença com relação às 368 “casas populares” que o prefeito Humberto Parini diz estar construindo em Jales, através do Minha Casa Minha Vida. Em Fernandópolis, as casas beneficiarão famílias com renda mensal até R$ 1,8 mil e a prestação custará algo próximo de R$ 80,00.

Em Jales, as casas estão sendo construídas por uma empresa privada e não tem essa história de sorteio. Leva quem tiver dinheiro para uma boa entrada. Elas estão sendo vendidas para famílias com renda mensal entre 3 e 6 salários mínimos e as prestações não ficam abaixo de R$ 350,00, podendo chegar, em alguns casos, a algo em torno de R$ 600,00.

Eis aí a vantagem de se ter um prefeito que se dizia amigo do Lula.

PRAZER E COMEMORAÇÃO

O presidente da Câmara, Luiz Henrique Viotto, é um assíduo frequentador de velórios. E está sempre aprontando das suas. No dia em que foi sepultada a mãe de um ex-secretário da administração Parini, Macetão já  ia deixando as dependências do cemitério, quando deu de cara com outro enterro.

Ao chegar na porta do cemitério, o cortejo deu uma parada e o caixão foi aberto para que os familiares se despedissem do finado. Rápido no gatilho, Macetão postou-se ao lado do caixão, colocou uma mão no peito do defunto, levantou a outra em direção ao céu e começou a dizer coisas ininteligíveis, como se estivesse encomendando a alma do falecido  diretamente ao próprio São Pedro. E ele nem conhecia o defunto.

No velório do ex-prefeito Honório Amadeu, que foi realizado na Câmara Municipal, mais uma gafe. A certa altura do velório, Macetão agarrou o microfone e, em meio ao seu discurso mal ensaiado, anunciou, com ar compungido, que era um “prazer” para a Câmara para receber o ex-prefeito.

Pior do que isso, só mesmo o apresentador da Globo, Ivan Moré, que, no dia primeiro de maio, disse que estavam sendo realizados alguns eventos em São Paulo para “comemorar” os dezoito anos do falecimento do Ayrton Sena.    

ABRIGO DE VAGABUNDOS: NO CENTRO DA CIDADE, CASA ABANDONADA VIRA ‘LAR, DOCE LAR’ PARA MORADORES DE RUA

O caso já foi registrado pelo repórter Alexandre Ribeiro, na edição de A Tribuna, de domingo, com direito ao depoimento de uma trabalhadora que passa pelo local todos os dias. A matéria pode ser vista aqui.

Localizada a menos de 200 metros da nossa Prefeitura, a casa onde funcionava a Associação dos Vigilantes de Jales, situada na Rua Sete, esquina com a Dez, encontra-se totalmente abandonada e transformou-se em ponto de encontro para alguns moradores de rua.

A casa faz parte do conjunto de prédios que pertencia à massa falida da Teleoesp, do empresário Francisco Vianna. Levado a leilão, o imóvel teria sido arrematado por um empresário aqui da cidade. Segundo informações, apesar de procurado por fiscais da Prefeitura, o novo proprietário – por sinal, muito amigo do prefeito Parini – não teria tomado nenhuma providência quanto à limpeza do local.

Visto por outro ângulo, é possível constatar um pouco da sujeira do local, que está cheio de caixas de papelão, garrafas vazias e outras coisas. Não bastasse a sujeira, o mau cheiro que o local exala também incomoda quem passa por ali.

Nos fundos da casa, alguns moradores de rua fazem as “refeições” e tomam suas “biritas” em meio a um ambiente de desleixo e sujeira.

De bem com a vida, eles até usam um dos antigos aparelhos telefônicos da Teleoesp para fingir que estão mandando notícias à família. Eldenir, o da frente, disse que veio de Votuporanga para trabalhar em Jales, mas o emprego micou. Os dois do telefone são de Pereira Barreto, mas nem sabem o que vieram fazer em Jales.

HOJE TEM ELEIÇÃO NA SESSÃO DA CÂMARA

Nossos vereadores voltam a se reunir nesta segunda-feira, em mais uma sessão ordinária. A pauta da sessão, distribuída na quinta-feira, anuncia uma estafante jornada de trabalho para os nossos nobres edis: pelo que consta, apenas três projetos serão analisados e, se não houver nenhum pedido de adiamento, votados.

Um dos projetos – de autoria do vereador Rivelino Rodrigues – trata da questão do rebaixamento de guias na cidade e já começou a ser analisado na semana passada. Os outros dois projetos – ambos de autoria do vereador Luís Especiato – dão nome a prédios públicos.

Um deles empresta o nome da ex-primeira-dama Maria Benir Botton Pupim ao recém-inaugurado Centro Comunitário do conjunto habitacional “Pedro Nogueira”. O outro projeto  de Especiato homenageia o falecido senhor Manoel Paz Landim, que saiu de São Raimundo Nonato, no Piauí, para ser um dos pioneiros da fundação de Jales. Esse prédio da foto ao lado, que está sendo reformado para ser a nova sede do Centro de Atenção à Doença Infecto Contagiosa, será batizado com o nome dele.

Antes, porém, de analisar e votar os projetos acima, a Câmara fará mais uma eleição, dessa vez para escolher os novos ocupantes dos cargos de vice-presidente e de 1º secretário. Ah!, e no longo capítulo das homenagens, teremos mais três moções de aplausos. Uma delas, de autoria do presidente Macetão, homenageia os servidores do Cartório Eleitoral pelo esforço despendido nos últimos dias do alistamento eleitoral. 

PARINI SUGERE DOAÇÃO DE NOVO TERRENO PARA CÁRITAS. MAS O LOCAL, DIZEM, JÁ TEM DONO

Durma-se com um barulho desses! A notícia divulgada pelos jornais locais, neste final de semana, dando conta de que o prefeito Humberto Parini teria oferecido uma nova área à Caritas Diocesana, para instalação de um centro de recuperação de dependentes químicos, já está causando algum rebuliço.

Consta que a área sugerida pelo prefeito – uma chácara onde funcionou a Associação Beneficente Monte Sião – já teria dono, com escritura registrada em Cartório. O local tem até nome – Recanto Renovado – e, segundo informações, pertence à Igreja Evangélica Comunidade Renovada.

Por coincidência, nesse domingo o jornal A Tribuna veiculou matéria informando que a Prefeitura de Jales está sendo acionada na justiça, pelos herdeiros do fundador Euphly  Jalles,  por ter cedido a posse de uma área que não pertencia ao município. Segundo os advogados do Espólio, a área de 9.571,50m², cedida pelo prefeito Humberto Parini à empresa Barzimix, pertence à família Jalles. O caso está na 1ª Vara. 

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Saracuza assina convênio de mais de R$ 11 milhões com o Governo do Estado”

Folha Regional: “ACIJ quer mais do que uma simples reforma no Comboio”

Jornal de Jales: “Prefeitura define nova área para o centro de recuperação de dependentes químicos”

A Tribuna: “Ex-funcionários ajuízam ações trabalhistas contra empreiteira”

Na Folha Noroeste, o destaque foi para o prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuzza, que esteve no Palácio dos Bandeirantes, no dia 02 de maio, quando assinou convênio para construção de 172 casas populares, com investimentos de R$ 11,8 milhões. Outras manchetes: “Governo estadual libera recursos para ampliação do CCI em Mesópolis“; “Governador Alckmin assina convênios com municípios da região; Santa Fé do Sul é o maior beneficiado“. Na coluna FolhaGeral, o editor Roberto Carvalho diz que, se o prefeiturável Garça não assumir sua candidatura com convicção, vai abrir espaço para o crescimento de Rivelino Rodrigues.

Segundo o destaque da Folha Regional, o Comboio é um espaço importante para a população de Jales e da região, mas o local precisa ser melhorado para oferecer mais facilidade de locomoção e melhores condições de higiene. Outras manchetes: “Aprovada emenda para reforma do Centro Comunitário de Pontalinda“; “Prefeito de Dirce Reis assina protocolo de intenção para construção de 40 casas“. Na disputadíssima coluna Ella, o destaque é a beleza e a simpatia da jovem Thainá Aparecida Moretti, de 18 anos, fotografada pelo Marcos Oliveira. Ela não disse se tem namorado, mas confessou gostar de passear com os amigos e navegar na internet.

No Jornal de Jales o assunto principal foi a reunião coordenada pelo promotor André Luiz de Souza, onde foi discutida a implantação de um programa regional de recuperação de usuários de drogas. Outras manchetes: “Facip 2012 agradou 79,1% dos frequentadores, revela pesquisa“; “Ex-executivo de multinacional prega conspiração do bem“. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que, com a aprovação do novo  Código Florestal, o ex-jogador Luizão pretende lotear os 20 alqueires de terras que possui na antiga ponte do Taboado, em Rubinéia, transformando a área em chácaras de lazer de alto padrão.

A revitalização do centro voltou a ser destaque em A Tribuna. Segundo o jornal, a empresa que está cuidando da reforma da revitalização estaria sendo acionada na Justiça do Trabalho por ex-funcionários que trabalhavam sem registro em Carteira. Outras manchetes: “Ex-motorista acusa Macetão de pagar almoço de irmão com dinheiro público“; “Eleitores deixam para regularizar títulos nos últimos dias“. Na coluna Enfoque, a informação de que a vencedora da nova licitação aberta pela Prefeitura de Jales para fornecimento da merenda escolar foi a Básica Fornecimento de Refeições Ltda, mas o valor de cada merenda não foi divulgado.  

DOMINGO, NA TRIBUNA: EX-MOTORISTA ACUSA MACETÃO DE PAGAR REFEIÇÕES DE IRMÃO COM DINHEIRO PÚBLICO

O jornal A Tribuna chega às bancas nesse domingo com uma matéria sobre a represtação que o ex-motorista da Câmara, Aparecido José da Silva, protocolou junto à Câmara de Jales, onde ele acusa o atual presidente, Henrique Macetão, de utilizar-se do carro oficial para tratar de assuntos pessoais, além de pagar refeições de seu irmão – André Macetão – com dinheiro público.

Em outra matéria, o repórter Alexandre Ribeiro fala das críticas que alguns vereadores fizeram ao Forum da Cidadania, por conta das sugestões sobre o trânsito de Jales. Tem também uma matéria sobre a empresa  responsável pela “reforma da revitalização”, que estaria sendo acionada por ex-funcionários na Justiça do Trabalho.

E a edição desse domingo traz uma novidade que já está agitando os colunáveis da city: a estréia da coluna social escrita pelo jornalista Douglas Zílio.

PARINI VOLTOU AO TRABALHO NESTA SEXTA-FEIRA

O nosso premiado estadista, Humberto Parini, voltou ao trampo nesta sexta-feira, depois de 15 dias de dolci far niente. Não fosse por alguns atos oficiais que tiveram que ser cancelados, não se teria notado a ausência do prefeito, que aproveitou os 15 dias de folga para fazer um giro pela Europa.

Não se sabe se ele voltou do velho continente com algum prêmio na algibeira. Aliás, já faz mais de um ano que o estadista não coloca um prêmio em sua abarrotada sala de troféus, o que, convenhamos, é algo incomum.

E vejam como é espinhosa a vida de prefeito. A primeira reunião de Parini, após a excursão ao berço da civilização moderna, foi justamente com o promotor André Luiz de Souza, a quem o prefeito classifica – de maneira pouco civilizada – como seu mais tenaz perseguidor.

Segundo noticiado, a reunião tratou do projeto da Cáritas, que pretende construir um centro de recuperação de jovens dependentes de drogas, aqui em Jales. O repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, acompanhou o encontro e, certamente, nos trará os detalhes na edição de A Tribuna, desse domingo.

FEIRA DO LIVRO JALESENSE VAI ATÉ DOMINGO, NO PROENÇA

Começou hoje e vai até o domingo, ‘Dia das Mães”, a 1ª Feira do Livro Jalesense, que reúne as obras de alguns dos mais conhecidos poetas jalesenses. Pela primeira vez, os amantes da poesia encontrarão, em um mesmo local, as obras de autores como a poetisa uraniense Marilene Teubner, e dos jalesenses Rui Rodrigues, André Gandolfo e Fatinha Mussato.

O livro “Porteiras”, escrito pelo meu ex-colega de Banco do Brasil, Celso Antônio dos Santos, é outro que está à venda na Feira. Já o são-paulino Wandisley Garcia – que, além de inspirado poeta, foi um dos mais velozes pontas que atuaram nos campos de futebol de Jales – está colocando três obras à venda: “Fênix”, “Calendário Poético” e “Emoções”.

A 1ª Feira do Livro Jalesense está sendo realizada no Supermercado  Proença, das 09:00 às 21:00 horas. Trata-se de uma ótima opção de presente para o “Dia das Mães”.  

TRABALHADORES DE ENFERMAGEM REIVINDICAM REDUÇÃO DE JORNADA. NICE MISTILIDES APÓIA MOVIMENTO

O Sindicato dos Empregados dos Estabelecimentos de Saúde, com sub-sede em Jales, promoveu uma concentração na tarde de ontem, quinta-feira, na sede da entidade, na Rua Seis, no centro. O evento contou com a presença de profissionais de enfermagem, inclusive a prefeiturável Nice Mistilides

Segundo a vice-presidente do Sindicato, Marta Alves Carvalho, o objetivo da manifestação, que está sendo realizada em todo o Estado de São Paulo, é demonstrar o apoio à proposta de implantação de um piso nacional da categoria e da restrição da carga horária em 30 horas semanais.

Um projeto de lei nesse sentido, de autoria do senador Lúcio Alcântara(PSDB-CE), tramita no Congresso Nacional desde 11 de janeiro de 2000. Segundo avaliação do SindSaúde-SP, o projeto de lei beneficiaria diretamente cerca de 546 mil trabalhadores e geraria 176 mil novos postos de trabalho, além de proporcionar uma redução nos índices de acidentes e de adoecimento no trabalho, que hoje afeta 20% dos profissionais de enfermagem.

Para a prefeiturável Nice Mistilides, que é formada em enfermagem, a redução da jornada para 6 horas diárias é uma reivindicação justa, principalmente considerando-se que, em virtude dos baixos salários, os trabalhadores de enfermagem são obrigados, em muitos casos, a cumprir dupla jornada de trabalho, o que acaba provocando significativo desgaste.

Nice lembrou, também, que a própria Organização Internacional do Trabalho(OIT), órgão vinculado à Organização das Nações Unidas(ONU), recomenda a jornada de 30 horas semanais, argumentando que é melhor para os pacientes e para os trabalhadores.

 

1 363 364 365 366 367 400