Categoria: Cidade

FRASES

“Confesso que não tenho andado muito pela cidade, mas tenho andado o suficiente para, como muitos, me revoltar com o descaso ao ver a imundície, a falta de administração, o abandono e o caos em que ela se encontra”.  (Marco Antonio Poletto, em seu artigo semanal publicado no jornal A Tribuna).

 ——————————————————————————————————

“Muitos dos que reclamam do impeachment do paraguaio Fernando Lugo jamais se importaram com suas vítimas de assédio sexual, inclusive menores, nas quais o então bispo fez incontáveis filhos”. (jornalista Cláudio Humberto, em sua coluna diária publicada em vários jornais). 

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “TRE-SP cassa vereador Odenir Vieira, de Aspásia, por infidelidade partidária”

Folha Regional: “Trezentos alunos recebem certificados do Samuzinho”

Jornal de Jales: “Jales pode ter quatro candidatos à Prefeitura”

A Tribuna: “Tucanos rompem acordo e decidem apoiar Nice”

Na Folha Noroeste, destaque para a sessão de julgamentos do TRE-SP, de terça-feira, quando foram cassados os mandatos de cinco vereadores – por infidelidade partidária – entre eles o vereador de Aspásia, Odenir Vieira. Outras manchetes: “Urânia promove a 2ª Semana do Meio Ambiente“; “Estado vai investir em creches e ônibus escolares para a região“. Na coluna FolhaGeral, o editor-chefe Roberto Carvalho informa que o presidente da Câmara, Luiz Henrique Viotto, o Macetão, marcou a convenção do seu partido, o PSD, para o dia 30 de junho.

Na Folha Regional, o destaque foi a cerimônia de entrega de certificados aos professores e alunos das escolas municipais que participaram do Projeto Samuzinho. O evento aconteceu na quarta-feira, no Teatro Municipal. Outras manchetes: “Aluno da FATEC participará de intercâmbio nos Estados Unidos“; “Milhares de pessoas lotaram a Praça da Matriz na festa junina“. Na coluna Ella, destaque para a estudante uraniense Kamila Quatrina, clicada pelas lentes do fotógrafo Marcos Oliveira. Ela confidenciou que é fascinada por TV e livros.

No Jornal de Jales x, destaque para as convenções municipais que definirão os nomes dos candidatos a prefeito em Jales. Segundo o jornal, Flá-Garça e Nice-Pedro Callado serão as prováveis dobradinhas das oposições. Outras manchetes: “Juiz condena promotor de justiça por má-fé“; “Vice-presidente da OAB defende Exame da Ordem“. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que a proximidade do fim do mandato está fazendo bem ao prefeito Humberto Parini, o qual estaria emitindo sinais de alívio em conversas de padarias.  

Em A Tribuna, o principal assunto foi a atitude do PSDB de Jales, que, depois de fechar um acordo informal com o DEM e o PMDB, com vistas ao pleito eleitoral de outubro, resolveu mudar de lado e emplacar um tucano como vice da pré-candidata Nice Mistilides, do PTB. Outras manchetes: “Polícia Federal investiga quebra de sigilo bancário de jalesenses“; “Licitação de R$ 3 milhões continua suspensa“. Na coluna Enfoque, a informação de que o vice-prefeito Clóvis Viola(PPS), foi procurado por emissários tucanos, durante a semana, que buscam apoio para a candidatura Nice-Pedro Callado.  

LUÍS ESPECIATO E ZICO PRADO VISITAM COOPERATIVA DE CATADORES DE LIXO RECICLÁVEL

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara Municipal:

A Cooperativa Regional Solidária de Catadores de Resíduos Sólidos de Jales – Coopersol, recebeu na tarde da última quinta-feira, dia 21 de junho, a visita do deputado estadual Zico Prado, do Partido dos Trabalhadores (PT) que esteve na entidade na companhia do vereador Luís Especiato.

De acordo com o vereador Especiato, ele e o presidente da EcoAção, Edson, já haviam feito o convite para que o deputado Zico Prado conhecesse o trabalho realizado pelos associados da Coopersol, o qual prontamente atendeu a solicitação.

A Cooperativa foi criada no ano de 2010 a partir de um grupo de catadores de materiais recicláveis e, hoje, é a maior e mais bem organizada cooperativa de catadores da região.“Para ter uma idéia, a reciclagem em Jales quase dobrou em um ano, passando de 9% para 16% de todo o resíduo reciclável produzido em nossa cidade”, contou o vereador Luís Especiato ao deputado Zico Prado.

“Quero agradecer ao convite realizado pelo vereador e amigo Luís Especiato e pelo Edson, da ONG EcoAção e destacar a minha felicidade em conhecer os cooperados que aqui se apresentaram. Parabenizo ainda a organização da cooperativa e principalmente os trabalhos realizados por eles que vem a contribuir com uma área muito importante que é a preservação do meio ambiente”, enfatizou o deputado.

PREFEITURA DIZ QUE EX-CAMINHONEIRO ESTAVA BÊBADO AO CAIR EM ESCOADOURO D’ÁGUA

Está marcada para o dia 11 de julho a audiência em que o juiz da Vara Especial Cível e Criminal, Fernando Antônio de Lima, ouvirá o ex-caminhoneiro Genésio de Souza Filho (à esquerda), que, em uma noite de novembro do ano passado, caiu em um escoadouro de água, localizado no final (ou seria no início?) da Rua Doze, nas proximidades do campo da Fepasa.

Aquele ponto da Rua Doze, por ser um tanto quanto escuro, é utilizado pelos travestis que circulam ali por perto para atender alguns clientes mais apressados, ou, quem sabe, menos endinheirados. É comum, encontrar-se preservativos jogados pelas redondezas, o que demonstra que os clientes, apesar de apressados e pouco endinheirados, são precavidos. 

Voltando ao caso do senhor Genésio, ao cair ele sofreu algumas pequenas fraturas, tendo que passar alguns dias na Santa Casa de Jales, e, por conta disso, ajuizou uma Ação de Reparação de Danos – no valor de R$ 24 mil – contra a nossa  Prefeitura. Ele alega, entre outras coisas, que caiu porque o escoadouro de água (à direita) é uma obra de engenharia mal acabada.

Agora, o dado curioso: a Prefeitura alega que não tem nenhuma responsabilidade pelo acidente, uma vez que o ex-caminhoneiro estaria bêbado e teria caído ao tentar pular um muro. Não se tem notícia, no entanto, de que tenha sido realizado algum exame de dosagem alcoólica.    

‘ARRAIÁ’ DA SANTA CASA REFORÇA CLIMA DE HUMANIZAÇÃO ENTRE COLABORADORES, PACIENTES E VOLUNTÁRIOS

Ao som do tradicional forró, o grupo de voluntários da Santa Casa (AVOSC), o setor de Serviço Social e Recursos Humanos, realizaram no dia 19 de Junho, o “3º Arraiá da Santa Casa”.

A festa junina teve ainda a participação do sanfoneiro e do Doutor Datrapalhada, Rafael Miguel Fisnack, que agitaram o evento com muita música, alegria e descontração. Uma grande equipe de colaboradores também marcou presença no refeitório, formando seus pares numa quadrilha pelos corredores do hospital.

“Aproveitamos este mês de festa junina para mais uma ação de humanização na Santa Casa. Nosso objetivo foi de transformar o ambiente hospitalar num local mais agradável, levando um momento de alegria para os pacientes”, explicou a assistente social, Maria Angélica Pereira.

O evento teve o apoio da AVOSC – Associação de Voluntários da Santa Casa, que colaborou na organização, decoração do hospital e doação de doces e salgados típicos. “Agradeço a todos que ajudaram para que este ‘arraiá’ fosse um sucesso. Em especial, nossos colaboradores e voluntários que, mais uma vez, demonstraram respeito e solidariedade pelo próximo”, conclui Jihan Said, responsável pelo setor de RH. (por Vívian Curitiba)

NA RUA DEZ, PROBLEMA RESOLVIDO. RESOLVIDO?

Depois de muita reclamação da vizinhança, alguém – não sei se foi a administração municipal – tomou uma atitude drástica para evitar que a casa localizada na esquina das ruas Dez e Sete, na região central da cidade, continuasse sendo utilizada como refeitório e dormitório por alguns moradores de rua. Vejam, acima, como ficou bonito o serviço.

NA RUA NOVA IORQUE, SINAIS EXTERIORES DE INCOMPETÊNCIA

Quem passa pela Rua Nova Iorque não tem muito o que reclamar do asfalto. Afinal, boa parte daquela via foi recapeada em 2008 e ainda está em boas condições. O serviço foi executado pela empresa CBR – Construtora Brasileira, de Santa Fé do Sul. 

Mas, como em tudo o que faz, a administração Parini deixou também  por lá um rastro de incompetência. Por algum inexplicável mistério, ao programar o serviço, a Prefeitura, ao invés de mandar recapear a via inteira, excluiu um trecho situado mais ou menos na metade da rua.

A foto abaixo mostra onde termina o recape e onde começam os buracos. Por coincidência, a fronteira entre o recape e os buracos fica bem em frente aquele ex-açougue que era utilizado como endereço das duas empresas pertencentes a dois amigos da primeira-dama. Cerca de dois quarteirões adiante, o recape teve sequência, restando esse trecho esburacado.       

ADVOGADO CONSEGUE SUSPENDER LICITAÇÃO TAMBÉM EM ORINDIUVA

Está no Diário Oficial do Estado, de hoje: o mesmo advogado – Eduardo José de Faria Lopes – que representou contra o edital da Prefeitura de Jales e suspendeu, temporariamente, a concorrência de R$ 3 milhões, conseguiu suspender, também, uma licitação da Prefeitura de Orindiúva, que estava marcada para esta terça-feira.

As prefeituras terão que empreender uma corrida contra o tempo, pois, como se sabe, as licitações precisarão estar concluídas até o dia 29 de junho, já que os serviços, obrigatoriamente, terão que ser iniciados até o dia 07 de julho, quando começa o período eleitoral. Na verdade, os serviços precisariam, de acordo com a lei, ser iniciados bem antes daquela data, mas, para isso existe o famoso jeitinho brasileiro.

No caso de Jales, a situação, aparentemente, é um pouco mais complicada, pois a modalidade da licitação é a concorrência, que exige prazos legais mais longos. Por exemplo: depois de abertas as propostas de preços, a Prefeitura ainda terá que abrir cinco dias úteis para apresentação de eventuais recursos. Isso quer dizer que, se quiser assinar o contrato até o dia 29, a nossa Prefeitura terá que dar continuidade à licitação ainda nesta semana. 

No pregão, que é a modalidade que está sendo utilizada em Orindiúva,  os prazos a serem obedecidos são bem menores. Não se pode, no entanto, culpar a Prefeitura de Jales pela escolha da modalidade concorrência. É provável que isso tenha sido uma exigência do Ministério das Cidades, que está enviando os recursos financeiros.

PARINI ESPERA QUE SUSPENSÃO DA LICITAÇÃO DE R$ 3 MILHÕES SEJA REVERTIDA NESTA SEMANA

O prefeito Humberto Parini declarou ontem, no Jornal do Povo, da Rádio Assunção, que espera reverter junto ao Tribunal de Contas – até amanhã,  quarta-feira – a suspensão da licitação de R$ 3 milhões. Como já noticiado por este blog, a licitação que prevê o recape, asfaltamento e construção de galerias, foi suspensa pelo TC por conta de uma representação do advogado Eduardo José de Faria Lopes, de São Paulo.

Todo mundo sabe que isso é briga de cachorro grande e envolve muitos interesses ocultos. Ou quase ocultos. O mesmo advogado tem entrado com representações contra licitações também em outras cidades, como Olímpia, por exemplo. Lá, como cá, a Demop Participações Ltda domina as licitações para recape e asfaltamento.

Não duvidem que o caso seja julgado até amanhã pelo Tribunal, como quer o prefeito Parini. O nosso premiado estadista tem muita pressa de resolver essa pendenga, pois conta com as obras previstas nessa licitação para fazer decolar a candidatura de Luís Especiato. 

A Prefeitura de Jales é defendida, nesses casos, pelo escritório Ibanez Advogados Associados, de São Paulo, que tem, entre seus sócios, o advogado Marcos Ibanez, um corintiano fanático, daqueles que ficam roucos depois dos jogos do Timão. Marcão conhece todos os atalhos do Tribunal de Contas, uma vez que sua mãe foi funcionária daquele órgão durante muito tempo

AGORA VAI! – 3

E na Praça “Euphly Jalles”, os problemas que atrasaram as reformas, ao que parece, estavam na placa da obra. Comecemos pelo começo:

Tudo começou em 2007, quando o Ministério do Turismo enviou recursos para a reforma da Praça. As reformas incluíam uma repaginação nos banheiros e a instalação de uma fonte luminosa. Depois de tudo contratado, o prefeito Parini – ou talvez a primeira-dama, que é quem entende de praças – resolveu mudar o projeto. Fez-se apenas a reforma dos banheiros. Repare que o valor do investimento era R$ 81.900,00.

Quase cinco anos depois, em fevereiro de 2012, as reformas foram, finalmente, retomadas. O gênio que se senta à cadeira de prefeito – ou, quem sabe, a primeira-dama – trocou a fonte luminosa por melhorias na iluminação da Praça, construção de estacionamentos e pela troca dos bancos. Os bancos foram retirados antes do aniversário da cidade e, até hoje cedo, não haviam sido repostos. Ah!, repare que o valor do investimento era de R$ 64.573,67.

A obra está paralisada há dois meses, mas, pelo menos, ganhou uma nova placa. A novidade foi instalada na semana passada. As letrinhas da placa são miúdas, mas, com algum esforço, dá pra ver que o “valor total da obra”, ou seja, do investimeno, mudou para R$ 95.106,01. Bom, agora que já está resolvido esse problema das placas, só nos resta torcer para que a “obra” seja, finalmente, concluída.  

1 382 383 384 385 386 427