Categoria: Cidade

JARDIM ELDORADO TEM DOIS CASOS SUSPEITOS DE LEISHMANIOSE

Amanhã, terça-feira, a equipe do Centro de Zoonoses de Jales deverá iniciar a coleta de sangue em cerca de 50 cães, no Jardim Eldorado. Essa é uma das medidas que serão tomadas, por conta do aparecimento de 02 casos suspeitos de leishmaniose naquele bairro, envolvendo uma criança de 10 meses e uma adolescente de 14 anos, nas ruas Margarida Tostes de Siqueira e Guido Parminondi.

Na semana passada, a coleta foi no Jardim Paraíso, onde os exames feitos em um rapaz de 24 anos com sintomas da doença, morador da Rua Cacique, apresentaram “corpúsculos sugestivos para leishmaniose”. No Jardim Paraíso, cerca de 40 cães tiveram o sangue coletado. Por outro lado, a equipe da Sucen espalhou armadilhas em alguns bairros da cidade e constatou que o Jardim Alvorada é o paraíso do mosquito palha.

Como se vê, a situação da leishmaniose, em Jales, é preocupante. Sobre o assunto, recebi um e-mail da advogada jalesense, radicada em São Paulo, Elaine Cristina de Alcântara, cujo teor reproduzo abaixo. Vale a pena ler:

Sou a Elaine! Aquela que teve a gata envenenada no mês de setembro e o Senhor publicou minha reclamação em seu blog. Realmente ela foi envenenada por um vizinho que tinha um galinheiro nos fundos do seu quintal que, além de matá-la, ainda ajudava a proliferação do mosquito palha. Assunto do qual trato nesta carta.

Li seu post sobre a leishmaniose publicado em seu Blog no dia 20/12. Infelizmente, o que o seu amigo lhe disse não é mentira e Jales, infelizmente, está com surto dessa doença, sem que, contudo, as autoridades tomem as medidas corretas para o combate ao mosquito transmissor.

Minha irmã, Michelle Aparecida de Alcântara, que terminou o curso de Medicina Veterinária neste ano, em seus estudos sobre a doença (forma epidemiológica, prevenção e tratamento), ao frequentar várias palestras ministradas por Doutores especializados no assunto, afirma que houve discussão sobre a forma incorreta como as autoridades sanitárias vem tratando da questão na cidade.

Segundo o Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Vísceral publicado pelo Ministério da Saúde no ano de 2006, o município de Jales pode ser classificado como área de situação de surto, pois há relatos confirmados de vários casos de contaminação da doença em humanos, inclusive com 04 óbitos, onde, equiparando tais dados ao número de habitantes, estatisticamente, torna a situação ALARMANTE.

No período de estágio supervisionado no curso de Medicina Veterinária durante todo o segundo semestre do corrente ano, a Michelle relatou que, a cada 10 cães vindos da cidade de Jales que chegavam ao Hospital Veterinário da Universidade Unicastelo em Fernandópolis, oito apresentavam sorologia positiva para a doença.

Dessa forma, a medida correta orientada pelo referido manual não é tão somente o sacrifício dos animais infectados pela doença, como vem ocorrendo, mas sim o combate direto ao vetor, conforme orientação expressa no citado manual, na página 50.

Ademais, segundo a etiologia da doença, seu período de incubação em humanos pode ser longo, ou seja, a pessoa pode estar infectada, mas só desenvolver a doença após 2 anos da transmissão. Assim, mais uma vez o Manual de Vigilância Sanitária recomenda, mas o município não cumpre a determinação que pode ser observada na página 19, para esse tipo de situação. Desta forma, muitas pessoas na cidade podem estar infectadas sem terem desenvolvido, ainda, a doença. Quando começarem os sintomas, Jales terá que engolir o apelido mais triste da sua história!

Enfim, como a questão entra na esfera de Defesa Civil, como membro de uma associação voluntária que trabalha neste ramo (LANDEC – Liga Nacional em Defesa Civil, WWW.landecdefesacivil.org), me preocupo com a situação da minha terra natal e pretendo apresentar seu Diretor-Presidente aos responsáveis da Prefeitura de Jales, colocando à disposição os préstimos dessa entidade na batalha contra os vetores da leishmaniose e da dengue.

Por fim, por todos os moradores da cidade, meus amigos, meus parentes e até por mim que vou estar aí em Janeiro, é que me interesso e muito pela adoção de uma política sanitária séria e definitivamente eficaz contra essa doença. Afinal de contas, como todos, não quero morrer de leishmaniose, nem ver o nome da minha cidade mudar de Jales para “Recanto do Flebótomo”, com a troca da estátua do Euphly Jalles pelo busto um mosquito palha.

Um forte abraço ao povo de Jales e boas festas!!!

FOUR YEARS LATER…

Nada como a proximidade de um ano eleitoral para fazer os políticos – até os mais “travados” – tirar o pé do chão. A placa da foto acima enfeita a Praça “Euphly Jalles” há quase quatro anos. Nela está escrito que o convênio para reforma da Praça se iniciou em 2007, com data prevista para terminar em 2009.

Em 2008, quando concorria à reeleição, o prefeito até começou a reforma. Mas, depois de reformados os banheiros da Praça, a repaginação foi interrompida e nunca mais recomeçada. Agora, temos novidades no caso: o Diário Oficial, de ontem, publicou a contratação, pela Prefeitura de Jales, da empresa Tecnicon Engenharia e Construções Ltda, cuja sede fica no Jardim América, para execução de obras de reforma e adequação da Praça “Euphly Jalles”.

Valor da nova contratação: R$ 64.573,67. Isso significa que não devemos esperar grande coisa. Afinal, se a nossa Prefeitura conseguiu gastar R$ 180 mil na reforma da Praça “João Mariano de Freitas” e ela continua feia e malcuidada, o que poderá  ser feito na Praça “Euphly Jalles”, com apenas R$ 65 mil? Desconfio que vão reformar a reforma dos banheiros.

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Tavinho assina convênios para obras de defesa civil em Mesópolis”

Folha Regional: “Prefeito Parini faz balanço de seus sete anos de mandato e fala de prioridades para 2012”

Jornal de Jales: “Prefeito confirma representação contra promotor de justiça”

A Tribuna: “Jales continua sem equipe de combate à dengue”

Na Folha Noroeste, o principal destaque foi a incursão do prefeito de Mesópolis, Otávio Cianci, ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, onde, em audiência com o governador Geraldo Alckmim, assinou dois convênios no valor de R$ 270 mil. Outras manchetes: “Em clima de Natal praças e ruas de Urânia ganham decoração”; “Santa Casa inaugura nova Central de Esterilização”. Na coluna Folhageral, o editor Roberto Carvalho afirma que o PMDB local sofreu duas derrotas para o vereador Macetão durante o ano de 2011: não conseguiu tomar o mandato do vereador e ainda viu o desafeto ser eleito presidente da Câmara.

Na Folha Regional, a manchete principal foi, mais uma vez, para o prefeito Parini, que, em entrevista, afirmou que os ex-companheiros que deixaram a administração municipal o fizeram “porque tiveram interesses menores contrariados”. Outras manchetes: “Prefeito de Dolcinópolis assina mais dois convênios”; “Crianças da Creche Municipal de Pontalinda receberam presentes de Natal”. Na coluna Ella, destaque para o ousado ensaio fotográfico da belíssima estudante de moda Tamires Raglio, cujo lindo bumbum merecia uma tatuagem mais, digamos assim, delicada.

O Jornal de Jales, que circulou no sábado, também destacou entrevista do prefeito Humberto Parini, onde ele, além de confirmar representação contra o promotor André Luiz de Souza, afirma que a situação das finanças municipais é “bastante confortável”. Outras manchetes: “PT define candidatura de Luís Especiato”; “Peemedebistas da região incluídos no Diretório Estadual”. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que o vice-prefeito Clóvis Viola(PPS) e o vereador Rivelino Rodrigues(PMDB) estariam ensaiando uma tabelinha com vistas às próximas eleições municipais.

No jornal A Tribuna, o principal destaque ficou por conta da preocupação do vice-prefeito Clóvis Viola com a falta de equipe de combate à dengue e com o avanço da leishmaniose em Jales, que contabiliza três novos casos suspeitos, em humanos. Outras manchetes: “TCE multa Parini por contrato irregular com Aderj”; “Pressionado, prefeito entrega 29 casas populares”. Na coluna Enfoque, o jornalista Paulo Reis Aruca repercutiu notícias de bastidores dando conta de que o vereador Rivelino Rodrigues e o ex-vereador Mauro Hélio Lopes poderão ser castigados pela Justiça Eleitoral.  

A BONITA DECORAÇÃO DO ‘ATELIER DOS PERFUMES’

Vejam só como são as coisas. Neste ano em que a nossa Prefeitura resolveu investir um pouco na decoração natalina, parece que foram poucas as empresas que decidiram caprichar no visual. O Atelier dos Perfumes foi uma dessas poucas empresas. Mesmo durante o dia, sem as luzes coloridas piscando, dá prá se notar o bom gosto da decoração natalina da loja de perfumes. Confiram:

PARINI DIZ QUE ENTROU COM REPRESENTAÇÃO CONTRA PROMOTOR “ANDRÉ GONÇALVES”

O Jornal de Jales abriu generoso espaço, em sua edição deste final de semana, para que o prefeito Humberto Parini, em entrevista, discorresse sobre seus planos para 2012. Entre outras, coisas o alcaide disse que pretende terminar algumas obras inacabadas, como, por exemplo, a revitalização do centro. Aliás, como já foi noticiado aqui neste blog, o prefeito pretende investir cerca de R$ 197 mil para tentar corrigir as lambanças que foram feitas em nossa principal avenida.

Mas o que chamou a atenção, foi a confirmação, pelo prefeito, de que ele teria entrado com uma representação contra o promotor público da 3ª Vara de Jales, André Luiz de Souza. Segundo o estadista, o promotor “tem agido de forma premeditada e permanentemente(sic!) para me prejudicar”.  Tudo leva a crer, que essa seja apenas uma estratégia de defesa do nosso prefeito, para explicar os processos já iniciados pelo promotor e, principalmente, os que ainda vão chegar por aí. 

O detalhe curioso da entrevista é que o prefeito, provavelmente traído pelo subconsciente, demonstrou ser fã do ator André Gonçalves, que, na novela Morde & Assopra, foi Áureo, o filho de um prefeito moleirão e de uma primeira-dama mandona: na entrevista, Parini se refere ao promotor André Luiz de Souza, de quem já foi amigo, como sendo ‘André Luiz Gonçalves’. 

OS APRENDIZES DE GOEBBELS

Uma mentira repetida várias vezes acaba se tornando verdade‘, dizia o ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels. Longe de mim querer comparar o prefeito Humberto Parini – um estadista dotado de grande senso humanitário, segundo andei lendo – com o pavoroso Adolf Hitler. Mas, ao que parece, alguns assessores do nobre alcaide andaram lendo a cartilha de Goebbels, cuja missão – de acordo com ele mesmo – era meter na cabeça dura das massas a devoção ao Füher.

Vejam a placa da foto. Os propagandistas de Parini espalharam uma porção delas pela cidade. A peça publicitária dá a entender que a administração Parini construiu ou estaria construindo 543 novas casas em nossa progressista city. Nem de longe, a peça lembra que o prefeito prometeu 1.000 casas. Mas onde será que a administração Parini  teria  construído ou estaria construindo 543 novas casas? Só Deus sabe!

O dado concreto é que, em sete anos, Parini construiu e entregou apenas 54 casas, já incluídas as 29 inauguradas nesta semana. No momento, estão sendo construídas mais 60, mas não se sabe se Parini conseguirá terminá-las antes de passar o bastão ao seu sucessor. Se conseguir, ele terá iniciado e concluído 104 moradias em oito anos de mandato.

Onde, então, as 543 casas? Mesmo contabilizando as 368 do conjunto Nova Jales, chega-se a 482 moradias, apenas. É importante reiterar, no entanto, que o conjunto Nova Jales é um empreendimento da Construtora Aradam, que comprou o terreno e está construindo as casas, com recursos próprios e do programa ‘Minha Casa Minha Vida’. É um empreendimento particular, no qual a administração Parini teve pouquíssima participação.

 Além disso, são casas para quem tem renda familiar entre 03 e 06 salários mínimos. As prestações serão bem maiores do que, por exemplo, os R$ 82,00 mensais que se pagará por cada uma das 300 casas inauguradas em Estrela D’Oeste, ou das 422 que estão sendo construídas em Votuporanga, todas elas patrocinadas pela CDHU.

Mas, o que interessa mesmo, é meter na cabeça dura das massas que o nosso premiado estadista é o “cara”. Tenho, porém, a impressão de que nem o Goebbls original conseguiria tal façanha. Muito menos a “especialista” que o prefeito importou de São Paulo.

FAMÍLIAS COMEÇAM A SE MUDAR PARA NOVO CONJUNTO HABITACIONAL

As famílias contempladas com as 29 casas entregues pelo prefeito Humberto Parini, na terça-feira, já começam a se mudar para o novo endereço. Ontem, quarta-feira, muitas pessoas estiveram por lá para dar pequenos retoques em suas respectivas casas. A primeira família a chegar de mudança, é essa da foto acima.

Desde que se casaram, há dezesseis anos, o pedreiro Marques Alves Ferreira e a dona-de-casa Elza de Souza Buck, moravam em dois cômodos, nos fundos da casa dos pais dela, no Jardim Paulista. Eles se mudaram ainda ontem,  depois do trabalho, e, hoje pela manhã, estavam felizes da vida com a realização do sonho da casa própria. Mais felizes que eles, só os dois filhos, a Tainara e o Matheus, ambos corintianos, assim como os pais.  

BOLSA FAMÍLIA JÁ TRANSFERIU R$ 1,5 MILHÃO PARA JALES, EM 2011

Até outubro deste ano, o programa Bolsa Família, do governo federal, já havia transferido R$ 1.535.858,00 para famílias de baixa renda de Jales. Nesse ritmo, o programa chegará ao final do ano transferindo pouco mais de R$ 1,8 milhão para famílias de Jales, valor que representa R$ 130 mil acima do que foi transferido em 2010.

Em outubro, o Bolsa Família tinha 1.764 pessoas recebendo benefícios em Jales. Em Fernandópolis, as 2.240 pessoas cadastradas já receberam R$ 1,8 milhão. Em Votuporanga já foi repassado, até outubro, cerca de R$ 2,2 milhões às 2.666 pessoas inscritas no programa. E em Santa Fé do Sul, o Bolsa Família já rendeu, em 2011, R$ 714 mil pagos a 907 pessoas.

ASSESSORIA DIZ QUE PARINI JÁ INAUGUROU UPAs. ONDE?

Alguém na nossa Prefeitura não está sabendo sobre o que anda escrevendo. Talvez seja a ânsia de mostrar serviço! Depois de propagar, sem nenhum pudor, que o Hospital de Câncer foi uma obra da Prefeitura de Jales, a assessoria do prefeito agora escreveu que, “além do hospital, foram inauguradas novas UPAs – Unidades de Pronto Atendimento do governo federal”.

Quanta besteira! Que eu saiba, a única UPA da cidade ainda está sendo construída. E aos trancos e barrancos, pois, segundo se comenta, alguns serviços apresentaram problemas ainda durante a fase  de  construção.  Aliás, de vez em quando o Diário Oficial publica alguma prorrogação do prazo para conclusão da obra, que, prá variar, está muito atrasada.

É bom que se esclareça, também, que a UPA é um programa do Ministério da Saúde e a sua instalação, em Jales, independeu da vontade ou do prestígio do nosso prefeito. Todas as nossas vizinhas mais importantes – Santa Fé, Fernandópolis, Votuporanga, etc – ganharam as suas UPAs. Jales foi, se não me falha a memória, a última a ganhar a sua. Votuporanga, por exemplo, inaugurou a UPA – essa da foto, lá de cima – em abril passado.

Portanto, se você ouvir dizer por aí que a UPA foi mais uma conquista do nosso estadista – assim como o AME e o Hospital de Câncer – não acredite! Com relação à UPA, a participação mais importante do prefeito Parini foi na escolha do local. Pessimamente escolhido, por sinal. Para quem não sabe, a nossa UPA está sendo construída à beira da ferrovia – na foto, os trilhos estão cobertos pelo mato – em lugar de difícil acesso.

PARINI CONTRATA EMPRESA DE VOTUPORANGA PARA TERMINAR REVITALIZAÇÃO DO CENTRO

Agora vai! O prefeito Humberto Parini está contratando a empresa Ferrari Costa Construções Ltda, de Votuporanga, para tentar consertar a lambança cometida no centro da cidade com as tais obras de revitalização. Segundo o Diário Oficial do Estado, o contrato foi assinado ontem, dia 20 de dezembro, depois de homologada a licitação realizada na modalidade Tomada de Preços.

Deu-se ao objeto do contrato o nome de “execução de reestruturação das obras de revitalização do centro da cidade de Jales”. Como se vê, um nome bem pomposo para a tentativa de corrigir as cacas feitas no centro comercial, principalmente nas calçadas.

A novidade vai custar R$ 197.739,88, que é quanto a Ferrari Costa Construções Ltda está cobrando pela “reestruturação”. Mas não se assustem se, no meio das obras, aparecer algum aditivozinho aumentando o valor contratado. 

1 448 449 450 451 452 454