Categoria: Esporte

MULHER DE DUDU APRONTA BARRACO COM SUPOSTA AMANTE DO JOGADOR DURANTE JOGO COM FLAMENGO

Como diria o conhecido narrador: “que fase!!!”. Deu no portal iG:

Uma cena inusitada foi flagrada na partida entre Palmeiras e Flamengo, neste domingo, no Allianz. Segundo o colunista Leo Dias, Malu Ohanna , de 28 anos, mulher do atacante Dudu , do Verdão, teria feito um barraco ao perceber que a suposta amante do jogador estava presente assistindo a partida. Malu já teria percebido a suposta relação entre o jogador e a outra mulher há uma semana.

O caso teria sido descoberto há cerca de uma semana e ela não contava que a moça, que não teve o nome nem o rosto revelados pelo colunista, estaria dentro do estádio acompanhando a partida dentro da área especial para as mulheres de atletas do time.

Ainda segundo Leo Dias, ao perceber que a suposta amante estava ali, Malu teria ido até a moça e xingado ela. O pai da suposta amante teria filmado tudo ao perceber a confusão. Com o clima de desentendimento, alguns torcedores chamaram os seguranças da partida, que afastaram a mulher do jogador.

A coluna ainda revela que o caso não fica apenas nesta situação, que seria uma relação antiga de Dudu , contudo, não foi revelado nenhuma outra informação sobre o histórico do atacante do Verdão fora dos gramados. Dentro de campo, o Flamengo goleou o Palmeiras por 3 a 1, com gols de Arrascaeta e dois de Gabigol.

INTERNACIONAL ALFINETA ARQUIRRIVAL GRÊMIO COM HOMENAGEM A EX-JOGADOR LULA

O Internacional de Porto Alegre(RS) publicou hoje, em sua página oficial, uma homenagem ao ex-ponta-esquerda Lula, campeão brasileiro de 1976. Trata-se, é claro, de uma indireta ao rival Grêmio, que está abraçando Bolsonaro.

Luís Ribeiro Pinto Neto, o Lula, é pernambucano, como o ex-presidente Lula, e, entre 1974 e 1977, integrou um dos melhores times do Internacional de todos os tempos, que tinha Manga, Figueroa, Marinho Peres, Batista, Falcão, Carpegiani e Dario Maravilha, entre outros.

Antes, ele jogou no Fluminense, que também tinha um grande time, entre 1966 e 1973. O ex-jogador está completando 73 neste sábado. Vejam a alfinetada:

 

SAMPAOLI AMEAÇA SE DEMITIR SE TIVER QUE CUMPRIMENTAR BOLSONARO. E TORCIDAS SANTISTAS REPUDIAM PRESENÇA DO BOZO NA VILA BELMIRO

A notícia é da revista Fórum:

O técnico do Santos, o argentino Jorge Sampaoli, estaria disposto a deixar o clube caso seja obrigado a cumprimentar Jair Bolsonaro, que insiste em assistir ao clássico contra o São Paulo que acontece neste sábado (16) na Vila Belmiro. As informações são do Blog do Paulinho, do jornalista Paulo Cezar de Andrade Prado.

Segundo o blogueiro, Sampaoli teve uma “áspera discussão” com cartolas do Santos, deixando claro que é contra o uso da Vila Belmiro como palanque político e que deixará o clube se for obrigado a cumprimentar Bolsonaro.

Informações do Twitter de Lucas Musetti Perazolli, setorista do Santos FC pela Gazeta Esportiva, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está incomodado com a ida de Bolsonaro ao jogo e espera não ter nenhum contato direto com ele.

Sampaoli, que se define como de “centro-esquerda” e peronista e, em eleições argentinas passadas apoiou Néstor e Cristina Kirchner, presidentes entre 2003 e 2015, não aprova o governo de Bolsonaro.

Por seu lado, torcidas organizadas do Santos estão protestando contra a presença de Jair Bolsonaro no estádio do time. A Torcida Jovem do Santos e a Torcida Sangue Jovem protestaram e emitiram notas contra a presença de Bolsonaro.

Segundo a nota da Torcida Jovem, os posicionamentos de Bolsonaro são incompatíveis com a “pluralidade social, racial, étnica e cultural da torcida santista”. A nota cita inclusive a luta contra a ditadura militar por parte da torcida.

A Torcida Sangue Jovem afirmou que Bolsonaro agride “bandeiras plurais” da torcida e do clube que são “alvo de constantes ataques pelos posicionamentos de Bolsonaro”. A nota registra que “repudiamos sua presença [de Bolsonaro] em nossas arquibancadas”.

MARCELO D2 IRONIZA BOLSONARO POR DESMENTIDO DO FLAMENGO: “SAI PRA LÁ FASCISTA! AQUI NÃO, BOZO…”

Se o Bozo mente em coisas tão simples, imagina se ele vai falar a verdade em assuntos mais complicados, como o do Queiroz. Deu na revista Fórum:

Torcedor entusiasta do Flamengo, o músico Marcelo D2 foi ao Twitter para ironizar Jair Bolsonaro, que havia declarado ter sido convidado por dirigentes do clube carioca para assistir à final da Libertadores. Nesta sexta-feira (25), foi desmentido. “Querendo surfar nossa onda! Sai pra lá fascista. Aqui não, Bozo!!!”, tuitou o cantor.

O Flamengo vai disputar a decisão da competição sul-americana contra o River Plate, da Argentina, no dia 23 de novembro, no Chile. No entanto, segundo o jornalista Mauro Cezar Pereira, da ESPN-Brasil, o clube não convidou o presidente e não pensa em fazê-lo.

Em visita à China, o presidente entregou um agasalho do clube ao mandatário Xi Jinping. A assessoria do Flamengo negou ter fornecido o material esportivo.

E já que estamos falando de futebol, que tal ver no vídeo abaixo a comitiva de Bolsonaro, que veio a São Paulo no dia 12 de outubro para ver um jogo do Palmeiras:

POR QUE A CAMISA 24 É “PROIBIDA” NO FUTEBOL BRASILEIRO?

Não sei se ainda é assim que funciona, mas, nos meus tempos de ginasial, os alunos recebiam um número, em cada classe, que era utilizado na hora da chamada. O professor dizia “número 10” e o aluno respondia: “Presente!”. Ninguém queria ser o número 24.

No futebol, que é um meio machista, o preconceito com relação ao número 24 continua. Na Libertadores, onde a numeração obrigatória vai de 1 a 30, o número 24 acaba sobrando, normalmente, para o terceiro goleiro. A notícia é do portal iG:

Você sabia que, dos 20 clubes que estão disputando a Série A do Campeonato Brasileiro, apenas um deles possui jogador usando a camisa número 24? É o Grêmio. E quem utiliza é o jovem goleiro Brenno Fraga .

número 24 é praticamente proibido para os jogadores do futebol brasileiro. E também na sociedade brasileira num âmbito geral. A explicação mais provável e mais plausível para isso é folclórica, cultural e com referência bastante antiga, de mais de 100 anos.

No popular ” Jogo do Bicho “, bolsa ilegal de apostas criada no Rio de Janeiro em 1892 por João Baptista Viana Drummond, a quadra estipulada ao animal veado é a 24ª, contendo os números 93, 94, 95 e 96. Ou seja, o 24, no ambiente machista do futebol, é relacionado a homossexualidade.

Conversamos com o goleiro Brenno sobre o número de sua camisa. “Não foi uma escolha minha de ter esse número, mas também não chegaram em mim e falaram para eu usar. Não vejo problema nenhum, não tenho esse pensamento. O importante é ir para os jogos e ajudar a equipe”, disse o jovem de 20 anos ao iG Esporte .

“Foi o meu número de estreia (no Campeonato Gaúcho deste ano). Estreei em um Gre-Nal, então vai ficar marcado na minha vida como uma coisa boa. Por isso não vejo problema nenhum, é super tranquilo, não tem mistério”, continuou Brenno.

O goleiro gremista disse ainda que nunca foi alvo de piadas ou brincadeiras preconceituosas por conta do seu número. “Nunca. Pelo menos diretamente para mim, não. Nem jogador e nem torcedor, de ninguém”, finalizou.

DATAFOLHA: 1/3 DOS TORCEDORES DE FUTEBOL SÃO FLAMENGUISTAS OU CORINTIANOS

Deu no portal MSN:

Pesquisa nacional divulgada pelo Instituto Datafolha nesta terça-feira 17 aponta o Flamengo como dono da maior torcida do Brasil, com preferência de 20% dos entrevistados. A parcela que se declarou torcedora do clube carioca é um pouco menor do que o total de brasileiros que disseram não torcer por nenhum time (22%).

Em segundo lugar entre os clubes com maior torcida, o levantamento mostra o Corinthians (14%). Em relação à última pesquisa divulgada pelo instituto com essa temática, realizada em janeiro de 2018, o percentual dos que se declararam flamenguistas foi de 18% para 20% (dentro da margem de erro), enquanto o clube alvinegro paulista manteve uma taxa de 14%.

As duas agremiações aparecem com as maiores torcidas em todas as classes sociais e nas cinco regiões do país, quase sempre com vantagem flamenguista. A exceção é no Sudeste, onde o instituto diz que o Corinthians tem 18% das preferências, contra 17% do Flamengo.

As variações em relação á última pesquisa mostram estabilidade nas outras torcidas mais bem colocadas: São Paulo (8%), Palmeiras (6%), Vasco (4%) e Cruzeiro (4%) aparecem na sequência repetindo o desempenho de 2018. O Grêmio teve pequeno crescimento (de 3% no ano passado para 4%), enquanto Santos (3%), Internacional (3%) e Atlético-MG (2%) permaneceram com números iguais.

Botafogo, Bahia, Fluminense, Sport, Santa Cruz, Fortaleza, Vitória e Ceará aparecem com apenas 1%. Foram ouvidas 2.878 pessoas, todas com mais de 16 anos, em 175 municípios de todo o país, entre os dias 29 e 30 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

NO SÃO PAULO, DANIEL ALVES TERÁ MAIOR SALÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO

A notícia é do UOL:

Daniel Alves terá o maior salário do futebol brasileiro, após acertar sua transferência para o São Paulo. Ainda que as partes não falem oficialmente, valores de salário e luvas podem somar um vencimento mensal na casa de R$ 1,5 milhão – superior ao que é pago atualmente aos principais atletas do país.

Gabigol, Dudu, Diego Tardelli e Fred, por exemplo, têm ganhos mensais que variam entre R$ 1 milhão e R$ 1,2 milhão. Filipe Luis, agora no Flamengo, também se aproxima do quarteto.

Vindo do milionário Paris Saint-Germain, no entanto, Dani irá superar a turma e se consolidar como o jogador mais bem pago do país. O lateral ainda receberá pouco mais de 1 milhão de euros (R$ 4,2 milhões) de comissão pelo acerto.

TRANSMISSÃO DE FUTEBOL NO RÁDIO SE DIVIDE ENTRE ANTES E DEPOIS DE OSMAR SANTOS

Na foto histórica, aparecem Pedro Simon, Ulysses Guimarães, Brizola, Lula, Osmar Santos e Franco Montoro. Fernando Henrique não está na foto, mas também participava dos comícios das Diretas-Já. O texto em homenagem ao Osmar Santos é do jornalista Juca Kfouri, publicado pela Folha de S.Paulo:

Osmar Santos comemora 70 anos neste domingo (28). E por ser quem é, feliz da vida. Há precisamente um mês almoçamos juntos e, como sempre, sua chegada e saída do restaurante foram emocionantes. Ele vem e vai com sua cadeira motorizada que dirige com admirável perícia e é recebido com carinho por todos.

Certa vez, numa sala de cinema, o vi chegar com a sessão já começada e estacionar seu bólido ao lado da primeira fila. Quando o filme terminou, e as luzes se acenderam, a sala, lotada, o identificou e saudou com demorada salva de palmas. Foi comovente. Há quase 25 anos afastado do microfone que usou como ninguém, vítima de um motorista embriagado que tirou dele sua maior riqueza, a voz, Osmar continua popular e querido, reconhecido onde vai.

Não bastasse ter revolucionado o jeito de narrar futebol no rádio brasileiro, a ponto de existir um modo de transmitir os jogos antes dele e outro depois, o palmeirense que botou a Fiel torcida para chorar com a narração do célebre gol de Basílio depois de 23 anos de jejum ainda tem no currículo ter sido o genial mestre de cerimônias da campanha pelas Diretas Já, quando comandou comícios que reuniram multidões como jamais o país havia visto em São Paulo e no Rio.

Poucas pessoas na história da humanidade falaram para tanta gente e durante tanto tempo –sem um incidente digno de nota, tamanha sua capacidade de controlar a massa, tal seu magnetismo de comunicador sem igual. Bastava surgir um burburinho, uma tentativa de vaia para algum orador em palanque que só não reunia os favoráveis à ditadura, e lá vinha ele: “Diretas quando?”. E o povo respondia a plenos pulmões: “Diretas já!”.

“Ripa na chulipa e pimba na gorduchinha”; “um pra lá, dois pra cá, é fogo no boné do guarda”; “tiro-lirolá, tiro-loroto, e que goooool”; “capricha garotinho que o placar não é seu”; “curtindo amor em terra estranha”, quando o jogador era flagrado em impedimento; “sai daí que o jacaré te abraça” são alguns dos bordões consagrado s por ele para renovar a forma de contar o que acontecia nos gramados.

Osmar Santos fazia eco no Morumbi como João Saldanha no Maracanã, não por acaso os dois homenageados em forma de troféus, pelo diário Lance, para os campeões do primeiro e segundo turnos do Campeonato Brasileiro. “Osmar Santos vem aí, garoto bom de bola”, anunciava a vinheta da rádio Globo para alegria da galera.

O locutor virou pintor e se expressa do jeito que dá, com vocabulário restrito, mas compreensível, e a mesma lucidez de sempre, até para estar horrorizado com os dias que correm. Não se queixa, não tira o sorriso dos lábios, exemplo de perseverança. Personagem não apenas da história do futebol brasileiro, mas da história do Brasil.

Abaixo, a narração de Osmar Santos do terceiro gol de Casagrande na decisão do campeonato paulista de 1982, que começou em julho e terminou em dezembro. Naquela época, o Paulistão era mais importante que o campeonato nacional. Casagrande foi o artilheiro com 28 gols.

O Corinthians campeão tinha um jalesense, o lateral Alfinete. Depois do terceiro gol, Osmar Santos fez uma homenagem a Adoniram Barbosa (nome verdadeiro: João Rubinato), que tinha tudo pra ser palmeirense, mas era corintiano. Adoniram morreu três semanas antes da decisão.

 

1 2 3 34