Categoria: Esporte

GAROTO DE JALES ERRA DOIS PÊNALTIS, MAS SÃO PAULO CONSEGUE SE CLASSIFICAR PARA FINAL DA COPINHA

Cotado para integrar o elenco profissional em 2018, o meia Igor Liziero – que já integrou a seleção brasileira sub 17 – vem sendo um dos destaques da equipe sub 20 do São Paulo Futebol Clube que está disputando a Copa São Paulo.

Filho de dois professores que trabalham, atualmente, em Taboão da Serra, Liziero nasceu em Jales e deu seus primeiros chutes por aqui, integrando uma das equipes treinadas pelo professor Délcio José Miorini, conhecido nos campos pelo apelido carinhoso de Zé Bolacha. Aos 12 anos, no entanto, Liziero já estava no São Paulo.

Ele foi um dos personagens do jogo do São Paulo contra o Internacional de Porto Alegre, que começou ontem à noite e só terminou hoje à tarde. O jogo foi interrompido aos 17 minutos do segundo tempo – quando os times empatavam em 1 x 1 – em função da chuva e dos raios que caíam em Barueri, local da partida. Antes da chuva, o São Paulo, que vencia o jogo, teve a chance de fazer 2 x 0, mas Liziero desperdiçou um pênalti aos 27 minutos do primeiro tempo.

Hoje, os times voltaram a campo para disputar os 30 minutos que restavam, mas ninguém marcou e a decisão foi para os pênaltis. Liziero foi o encarregado de bater o 5º pênalti do São Paulo, mas, novamente, perdeu o duelo para o goleiro Carlos Miguel, do Inter.

Mesmo com o erro do jalesense, o São Paulo acabou vencendo a disputa de pênaltis e vai disputar a sua décima final de Copa São Paulo. Nas nove decisões anteriores, o São Paulo saiu vencedor em apenas três (1993-2000-2010) e acabou como vice-campeão em seis ocasiões.

O Corinthians – como não poderia deixar de ser – é o time que participou do maior número de finais, desde que a Copinha começou a ser disputada, em 1969: dezoito finais, das quais venceu dez. É o maior campeão, disparado. O segundo maior vencedor, o Fluminense, tem cinco títulos, mas não ganha a Copinha desde 1989.

Já o Palmeiras – o único grande paulista que nunca ganhou um campeonato mundial – é também o único que nunca venceu a Copa São Paulo, título que até o América de Rio Preto já conquistou (2006). O Palmeiras participou de apenas duas finais (1970 e 2003) e perdeu ambas, uma delas para o Corinthians.

Por seu turno, o Santos já participou de cinco finais e foi campeão três vezes, as duas últimas em 2013/14. O Flamengo, que vai disputar a final contra o São Paulo, também já foi campeão três vezes, a última delas em 2016, quando venceu o Corinthians nos pênaltis.  

PEDRO GEROMEL, O CAPITÃO AMÉRICA, JÁ JOGOU EM JALES

Matéria desta terça-feira, do portal UOL, relata que pouco antes de tentar a sorte na Europa, o zagueiro Pedro Geromel, do Grêmio, jogou alguns meses em Jales. Eis trechos da matéria:

O zagueiro Pedro Geromel foi o grande destaque do Grêmio na derrota para o Real Madrid, no Mundial de Clubes. Mas pouca gente sabe que o homem que levantou a terceira Taça Libertadores tricolor era palmeirense na infância e quase  desistiu do futebol precocemente para virar bancário.

Filho de uma família de classe média, Geromel sempre teve o futebol como pilar de sua vida desde a infância, quando participava de campeonatos escolares. Por influência de tios e primos, escolheu o Palmeiras como time do coração. Não foi uma escolha totalmente natural, já que dentro de casa a paixão clubística sempre foi dividida: seu pai, Valmir, é corintiano roxo, ao passo que o irmão Ricardo é são-paulino.

Portuguesa e Palmeiras, aliás, foram dois times pelos quais Geromel atuou na época da base. Da Portuguesa saiu após deslocar o fêmur durante um jogo. Do Palmeiras acabou sendo liberado por não ter muitas oportunidades de jogar em partidas importantes. A frustração por não conseguir se firmar no Palmeiras coincidiu com o fim do colegial, e o zagueiro encarou um dilema comum na vida de muitos jovens atletas: seguir o sonho de se profissionalizar no futebol ou seguir uma carreira tradicional.

Seu pai, dono de uma empresa bem estruturada na capital paulista, lhe ofereceu a oportunidade de trabalhar em um banco. Geromel cogitou largar o futebol para virar um “menor aprendiz”. Por pouco o atual capitão do Grêmio não se tornou um bancário.

Resolveu dar mais uma chance ao sonho e foi tentar a sorte em uma equipe de Jales, uma cidade de 50 mil habitantes no interior paulista, onde jogou por alguns meses. Até que um tio de Rodrigo Babu, que era presidente do clube português Chaves, então na segunda divisão, convidou os dois garotos a se aventurar na Europa.

Logo se destacou, ganhou prêmios individuais e finalmente deu certo como jogador, embora nunca tenha sido muito conhecido no Brasil. Foi jogar na Alemanha e na Espanha. Quando estava emprestado ao Grêmio (aonde chegou questionado e sob desconfiança), seu amigo Elias, então no Corinthians, tentou levá-lo ao Parque São Jorge. Mas ele preferiu ficar no Grêmio.

Sua boa atuação na final do Mundial deve aumentar ainda mais o prestígio do homem que levantou a terceira Taça Libertadores pelo Grêmio. E agora ele aparece como o favorito para assumir a quarta vaga de zagueiro na seleção brasileira. Pode ir a uma Copa do Mundo pela primeira vez aos 32 anos.

EM RANKING DA FIFA, CORINTHIANS É O MELHOR BRASILEIRO E ÚNICO BICAMPEÃO MUNDIAL RECONHECIDO

Ao menos no que depender da Fifa, o Corinthians segue absoluto como brasileiro mais vitorioso do Mundial de Clubes. É isso que mostra a mais recente atualização no ranking de campeões da entidade máxima do futebol.

Por conta do título do Real Madrid conquistado no último sábado, a Fifa atualizou seu ranking: os espanhóis se juntaram ao conterrâneos Barcelona como únicos tricampeões mundiais reconhecidos pela entidade suíça.

O Corinthians, na mais nova lista divulgada pela Fifa, é o terceiro colocado – atrás somente dos gigantes espanhóis. O Timão é também o único bicampeão mundial reconhecido. Na sequência, aparecem as equipes donas de um título cada – São Paulo, Internacional, Milan, Manchester United, Inter de Milão e Bayern de Munique (veja ranking abaixo).

A atualização no ranking do Mundial de Clubes apimenta ainda mais uma discussão iniciada em outubro deste ano, quando a Fifa alegou reconhecer os vencedores de Copas Intercontinentais como campeões mundiais. No fim das contas, no site oficial da entidade, campeões mundiais “de verdade” seguem apenas aqueles que triunfaram a partir de 2000.

JALESENSE ESTREIA NO BANCO DO SÃO PAULO F.C.

Igor Matheus Liziero Pereira – o rapaz que aparece coçando a barba na foto acima, à esquerda do Lugano – ou simplesmente Igor Liziero, como começa a ser conhecido no mundo da bola, nasceu em Jales aos 19 de fevereiro de 1998. Está, portanto, com 19 anos, dos quais 08 atuando nas categorias de base do São Paulo.

Jogando na equipe sub-20 do tricolor paulista, ele conquistou três títulos no ano passado (Paulista, Copa do Brasil e Copa Ouro). Antes, já conquistara os títulos da Copa do Brasil sub-15, em 2013, e o Campeonato Paulista sub-17, em 2015, mesmo ano em que ele disputou o Mundial sub-17 pela Seleção Brasileira.

Com a chegada do técnico Dorival Júnior – um treinador que gosta de lançar jovens promessas -, a imprensa esportiva começou a apontar Liziero como um dos prováveis talentos da base são-paulina a ser aproveitado pelo novo técnico. A volta de Hernandes e a chegada de Petros, no entanto, diminuíram as chances de Liziero, que atua como volante. 

Ontem, finalmente, Igor Liziero foi convocado pelo técnico Dorival Júnior para ficar no banco de reservas do São Paulo, no jogo contra o Coritiba. Tudo indica que, em 2018, o jalesense terá a chance de atuar pelo time titular. 

HISTORIADOR PALMEIRENSE DIZ QUE “CORINTHIANS É O MAIOR CAMPEÃO BRASILEIRO”

Desde que o Campeonato Brasileiro começou a ser disputado, em 1971, o Palmeiras foi campeão cinco vezes (1972, 73, 93, 94 e 2016) Os outros quatro campeonatos que os palmeirenses contabilizam para chegar a 09 títulos são de 1960 e 67 (Taça Brasil, onde o campeão fazia apenas quatro ou cinco jogos) e de 1967 e 1969 (Taça de Prata, também chamada de “Robertão”).

Como se pode notar, em 1967 o Palmeiras ganhou dois “campeonatos brasileiros”. A notícia é do portal Meu Timão:

O heptacampeonato brasileiro do Timão gerou um debate para lá de polêmico entre jornalistas e torcedores espalhados Brasil afora: afinal de contas, quem é o maior campeão nacional? Corinthians ou Palmeiras?

A discussão parece estar próxima do fim. Ao menos se levados em consideração os argumentos utilizados por Flavio de Campos, professor de história da Universidade de São Paulo (USP), coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Sobre Futebol e Modalidades Lúdicas (Ludens) e torcedor declarado do Palmeiras.

“O Corinthians é o maior campeão brasileiro porque é o mesmo campeonato disputado desde 1971. Antes disso, temos outros títulos que são importantes e importantíssimos para a formação do futebol brasileiro. Mas a unificação (feita pela CBF) equiparou títulos de natureza diferentes. Em uma reflexão mais ponderada, não faz sentido” declarou Campos, em entrevista concedida ao portal R7, site da emissora de televisão Record.

A lambança histórica é a seguinte: em dezembro de 2010, o então presidente da CBF Ricardo Teixeira acatou um dossiê de clubes que pedia a unificação dos títulos nacionais de 1959 a 1970. Assim, os campeões da Taça Brasil e da Taça de Prata se juntaram “por fax” aos vencedores do Campeonato Brasileiro – criado em 1971.

Os clubes que arquitetaram o dossiê foram aqueles que seriam beneficiados com a unificação: Palmeiras, Santos, Fluminense, Cruzeiro, Bahia e Botafogo. No caso das equipes paulistas, respectivamente, foram acrescentados quatro e seis títulos a seus currículos.

Assim, há quem diga que o Palmeiras tem nove títulos nacionais – e o Santos, oito. No entanto, Campos explica se tratar de um erro “anacrônico” tal análise:

“Não dá para comparar (as competições). Tem que existir categorias históricas diferentes para não se cometer anacronismos (…) O Corinthians conseguiu mais títulos do Campeonato Brasileiro. Qualquer formulação além desta tem uma carga simbólica que alimenta esse tipo de polêmica”, comentou.

“Manipula-se a história com critérios duvidosos e, muitas vezes, anacrônicos para dizer que este ou aquele clube é o melhor da história”, completou.

EX-GOLEIRA DOS EUA ACUSA EX-PRESIDENTE DA FIFA DE ASSÉDIO SEXUAL

A apalpada teria acontecido pouco antes dessa foto. A notícia é do portal Terra:

A ex-goleira da seleção dos Estados Unidos de futebol, Hope Solo, fez uma denúncia a respeito do ex-presidente da Fifa, Josep Blatter, nesta sexta-feira. Em entrevista ao diário Expresso, de Portugal, ela comentou ter sido apalpada nas nádegas pelo antigo dirigente sem o seu consentimento durante a entrega do prêmio Bola de Ouro da Fifa, em 2013. 

Pela descrição da atleta, o ocorrido caracterizaria assédio sexual na legislação brasileira desde o ano de 2009. No caso da Suíça, país em que isso aconteceu, a denominação é “coerção sexual”, com pena que pode chegar a até 10 anos de prisão.

“Eu fui apalpada na bunda pelo Sepp Blatter. Conhece?”, disse Solo, enquanto respondia a respeito dos diversos casos de abuso sexual relacionados ao meio artístico recentemente, como aqueles envolvendo o ator Kevin Spacey, que motivaram o afastamento dele da série House of Cards, da Netflix

Procurado pela reportagem do jornal The Guardian,  da Inglaterra, Blatter classificou a fala de Solo como “alegações ridículas”. De acordo com a americana, o assédio se deu no momento em que ela subia ao palco para entregar o prêmio de melhor jogadora do ano à sua compatriota, a atacante Abby Wambach.

GLOBO E SPORTV DEMITEM JORNALISTAS ESPORTIVOS

Pessoalmente, gosto dos comentários do Luiz Ademar (acima). Ele valoriza os jovens jogadores formados na base do clubes. A notícia é do portal Comunique-se:

Mais de 20 profissionais foram dispensados de três veículos de comunicação mantidos pelo Grupo Globo. Conforme apurado pela reportagem do Portal Comunique-se, as demissões atingem as redações da TV Globo, do SporTV e do site GloboEsporte.com. Na lista, constam nomes de repórteres, apresentadores, produtores e colaboradores de outros departamentos.

Em quantidade, o SporTV é a marca mais afetada. Ao menos 15 funcionários deixam de atuar no “canal campeão”. Funcionária que está na emissora esportiva desde 2004, a apresentadora Vanessa Riche é uma das baixas. Comentarista reconhecido por ser um pesquisador do “futebol caipira”, Luiz Ademar é outro jornalista de saída da emissora, assim como a ex-nadadora Mariana Brochado.

As demissões relacionadas à cobertura esportiva não ficam apenas na emissora especializada. Ex-apresentadora do ‘Esporte Espetacular’ e atual repórter do segmento no Rio de Janeiro, Luciana Ávila encerra o período profissional de 19 anos com o Grupo Globo. Natural de Viçosa (AL), ela passou pela equipe da GloboNews (1998) antes de ser direcionada para o canal da televisão aberta.

Os cortes também atingem um jornalista-executivo que, em duas passagens, soma relação de 30 anos com o Grupo Globo. César Seabra começou na companhia como freelancer do jornal carioca O Globo em 1985 – e permaneceu por lá até 1997, assumindo cargos de repórter, colunista e editor-adjunto. Integrante da turma que lançou o diário esportivo Lance, chegou à TV Globo em 1999 para dirigir a editoria ‘Rio’.

Nota do blog: Até onde se sabe, foram demitidos também o comentarista Rivelino Teixeira e o repórter Pedro Mota, ambos do SporTV. A Bárbara Coelho – ainda bem! – não está na lista de demitidos. E tomara que nunca esteja!

GAROTO DE POPULINA ASSINA CONTRATO COM O SANTOS

Pela foto, vê-se que ele tem “panca” de bom jogador. A notícia é do portal JCNet, de Bauru:

O centroavante Gustavo Lobo, 13 anos, natural de Populina (SP), que foi revelado pelo Centro de Formação de Atletas Foguinho Sports, de Bauru, foi apresentado oficialmente pelo Santos. Após uma semana em avaliação, o técnico santista Juari aprovou o atleta, que chamou a atenção pelo “faro de gol”.

Gustavo vinha atuando no Campeonato Paulista pela Votuporanguense, onde fez nove gols e é um dos artilheiros da competição. Agora, o atleta, que já se mudou para Santos, vem treinando com o sub-13 do Santos, no CT Meninos da Vila, e aguarda o término da primeira fase do Estadual para estrear em seu novo clube.

“Em uma viagem na região de Jales, acompanhei alguns jogos em Dirce Reis (SP) a convite do professor Rodolfo, o Gustavo me chamou a atenção e acabei o aprovando. Em seguida, o encaminhamos para alguns clubes e trouxemos para a disputas de torneios. No último, com a camisa do Foguinho Sports, ele foi campeão, artilheiro e despertou o interesse de vários clubes, entre eles, o Atlético-PR, Fluminense e Grêmio. Mas optamos pelo Santos, pela estrutura e por estar no Estado de São Paulo”, revela Leandro Avila, diretor da Foguinho Sports.

INVICTO, TIME DE BASQUETE MASTER DE JALES DISPUTA FINAL NO SÁBADO

Após encerrar a fase de classificação com uma brilhante campanha, vencendo todos os jogos disputados, a equipe de Basquete Master, categoria acima de 40 anos de Jales, fará a final da 2ª Copa Monte Líbano de Basquete Master.

As disputas serão realizadas em São José do Rio Preto, contando com a participação de outras seis equipes, sendo duas do Monte Líbano, e uma de Catanduva, Cedral e Monte Aprazível, além de Jales.

Com garra e dedicação durante toda a fase de classificação, os números da equipe de Jales mostram seu desempenho em relação aos adversários: durante a fase de classificação, a equipe totalizou 693 pontos convertidos (média de 69,3 por jogo) e sofreu 469 pontos (média de 46,9 por jogo), resultando em uma diferença média de 22,4 pontos por jogo no placar contra seus adversários (224 pontos de saldo de cestas).

O último confronto da equipe jalesense pela fase de classificação, que contribuiu para sua condição de líder invicta, foi contra a equipe de Monte Aprazível, no sábado, 16, ocasião em que derrotou o adversário pelo placar de 72 x 62. Na partida, jogaram e pontuaram: José Bandeira, João Tunussi (06), Márcio Fister (03), Osvaldo Landin Jr. (23), Carlos Birigui (09), Renato Silva (12), Adagoberto Navarro (03), André Salviano (04), Ronaldo Quintern, Gustavo Silva (12) e Fábio Galan (T).

A final da competição será realizada no próximo sábado de setembro, 30, às 14h30, na sede do Clube Monte Líbano, em Rio Preto, tendo como adversária a equipe anfitriã e atual campeã da competição.

NA COREIA DO SUL, LULINHA DIZ TER MAIS MEDO DE POLÍTICOS BRASILEIROS DO QUE DE KIM JONG-UN

Lulinha o outro

Lulinha era considerado uma das “joias” do Corinthians. Ele marcou mais de 300 gols, atuando nas categorias de base do Timão, mas, quando chegou ao profissional, não teve muita sorte. A notícia é do blog do Rafael Reis, no UOL:

Um dos principais jogadores estrangeiros do futebol da Coreia do Sul, o meia Lulinha não perde o sono com a possibilidade de o país onde vive desde o ano passado ser atacado pela Coreia do Norte.

O mais famoso dos 18 brasileiros que atuam por lá afirma viver totalmente despreocupado na Ásia, mesmo com a escalada de tensão na região e o risco de um conflito nuclear entre a ditadura de Kim Jong-un e os EUA, aliados históricos dos sul-coreanos

KIM afp_f9956“Vou ser sincero, parece que nada disso está acontecendo por aqui. Ninguém comenta nada sobre o tema. A vida está normal. Para falar a verdade, fico mais preocupado com meus pais no Brasil do que com a situação aqui na Coreia. A guerra no Brasil é pior, tem roubo, assalto e os políticos”, afirma o meia de 27 anos.

Promessa de craque das categorias de base do Corinthians na década passada, Lulinha chegou à Coreia do Sul em maio de 2016, depois de rodar por Bahia, Ceará e Botafogo e outros clubes. Desde então, vem convivendo com a preocupação da família em relação à sua segurança.

“Sempre que minha mãe vê alguma coisa na TV, ela me liga saber como estou. Quando fico sabendo de algo, é porque ela me ligou ou porque vi em algum jornal brasileiro. As pessoas daqui não falam sobre isso.”

1 2 3 29