Categoria: Esporte

FELIPE MELO É CONDENADO A PAGAR R$ 48 MIL A JORNALISTA CHAMADO DE “CORNO”

A quantia não fará nem cócegas na conta bancária do pitbull. Renato Maurício Prado é aquele comentarista que fez uma brincadeira com o Galvão Bueno e, depois de duramente repreendido pelo famoso narrador, acabou defenestrado do SporTV. A notícia é do iG:

Felipe Melo foi condenado a pagar R$ 48 mil ao jornalista Renato Mauricio Prado após dizer que o profissional era “corno, chifrudo, babaca e covarde”, em 2013. De acordo com o próprio jornalista, o jogador ficou bravo quando o profissional disse que que o Flamengo estaria interessado em sua contratação.

“Ele me injuriou em post publicado no seu perfil no Facebook”, disse Renato. O processo correu inicialmente na 32ª Vara Cível, onde a juíza Adriana Costa dos Santos, em sentença publicada no dia 18 de janeiro de 2016, deu ganho de causa ao jogador e condenando o jornalista a pagar R$ 3 mil reais a Felipe Melo , a título de indenização.

O jornalista recorreu à segunda instância e teve uma nova decisão, em que Renato teve que pagar os R$ 3 mil mas Felipe Melo foi condenado a pagar R$ 20 mil como ressarcimento moral. 

Desde então, houve recursos das duas partes, mas, segundo Renato, a única alteração ocorrida no acórdão final foi quanto à data em que juros e correção monetária sobre os valores determinados deveriam ser aplicados. Ficou decidido também que do valor inicial da indenização de Renato seria abatida da indenização do jogador (R$ 3 mil), ou seja, o jornalista pagaria R$ 17 mil.

Sobre esse valor foram aplicados juros e correção monetária referentes ao longo período das escaramuças judiciais. Por conta disso, Felipe Melo agora terá que pagar R$ 48.446,54, além de R$ 6.511,44 para o advogado do jornalista.

RECORDAR É VIVER: EM RARÍSSIMA DERROTA, CAJ PERDE DE TRÊS PARA O FFC

O vídeo não tem data, mas deve ser dos anos 90. Segundo o ex-centroavante Porquinho, o zagueirão que levou um chapéu do atacante do FFC seria o Serjão Torpedo, mas eu acho que é pura maldade. O Serjão, capitão e xerife do nosso glorioso CAJ, jamais levaria um chapéu daqueles. Confiram:

CORINTIANOS OCUPAM AVENIDA PAULISTA PARA IMPEDIR MANIFESTAÇÃO DE BOLSOMINIONS

Deu no portal da revista Fórum:

Um grupo de torcedores do Corinthians se reuniu na Avenida Paulista na tarde de sábado (9) em ato em defesa da democracia. A mobilização foi convocada com o objetivo de impedir um protesto de bolsonaristas que aconteceria no mesmo local.

Segundo o jornalista Fernando Morais, a manifestação ocorreu de forma relâmpago. “Como se tivessem surgido do nada, cada um vindo de um lugar diferente, corintianos fizeram uma manifestação-relâmpago pró democracia na avenida Paulista, na hora e no local em que bolsominions planejavam um ato de apoio ao Genocida. El curingón es fueda”, escreveu.

A página Antifa Hooligans BR compartilhou a imagem, que foi celebrada por torcedores de outras equipes. Os torcedores carregavam uma faixa “Somos Democracia”, que fez recordar a Democracia Corintiana do Dr. Sócrates.

CASAGRANDE DEFENDE RAÍ QUE PEDIU RENÚNCIA DE BOLSONARO E FOI CRITICADO POR CAIO RIBEIRO

Boa Casão! A notícia é do portal Terra:

Walter Casagrande Jr., comentarista da Globo e ex-jogador do Corinthians, se posicionou ao lado de Raí e contra o colega de emissora Caio Ribeiro, no debate sobre a volta do futebol após a pandemia do coronavírus e as ações do presidente Jair Bolsonaro em frente à crise de saúde.

Na última sexta, Raí afirmou que o São Paulo é contra a volta do futebol neste momento, enquanto o número de casos e mortos pela covid-19 cresce, e fez muitas críticas ao presidente Jair Bolsonaro, sugerindo que o mandatário deve renunciar. Pouco depois, ao participar do programa Globo Esporte, Caio Ribeiro opinou que o dirigente e ídolo do São Paulo deveria falar apenas de futebol. Neste sábado, Casagrande apoiou Raí e considerou que Caio foi ‘antidemocrático’.

“Eu penso exatamente como o Raí. Sou contra a volta do futebol, neste momento. Todos os dias, as mortes aumentam no país. É um absurdo pensar nisso. Já falei diversas vezes sobre esse assunto. Numa Democracia, todas as pessoas podem e devem expressar suas opiniões, sobre qualquer assunto, independentemente da sua profissão. Ninguém pode querer censurar a fala do outro e determinar qual o assunto que se pode falar. Isso, no meu entender, é antidemocrático”, escreveu Casagrande em suas redes sociais.

“Enfim, o Raí representou com orgulho o seu irmão, Sócrates (Magrão) e não tenho dúvidas de que ele falaria as mesmas coisas. Cobra-se muito, das pessoas do futebol, a falta de participação e de opinião. O Raí é um dos poucos que se posicionou. Parabéns Raí! Você seria um grande companheiro na Democracia Corinthiana. Antes de qualquer polêmica, deveriamos nos unir e ser mais solidários, nesse momento tão crítico pelo qual passa a humanidade”, completou o ídolo do Corinthians.

MORRE GERSON VICTALINO, EX-JOGADOR DE JALES E RECORDISTA DE JOGOS PELA SELEÇÃO BRASILEIRA DE BASQUETE

Gérson Victalino jogou aqui em Jales por três temporadas, de 1990 a 1994, pela equipe do Ipê-Banespa. No time de Jales, a camisa dele era a de número 6, o mesmo número da camisa que ele vestia na seleção brasileira.

Em novembro do ano passado, o Jornal de Jales publicou mensagem do ex-jogador aos amigos que deixou em Jales, na qual ele – já com a doença – dizia acreditar em milagres vindos de Deus e pedia aos jalesenses para inclui-lo em suas orações.

A notícia é do jornal gaúcho Zero Hora:

Gerson Victalino, jogador de basquete que mais vezes vestiu a camisa da seleção brasileira nas grandes competições (foram 63 em Olimpíadas, Mundiais e Jogos Pan-Americanos), morreu na madrugada desta quarta-feira (29), em Minas Gerais, aos 60 anos.

Ele sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença do sistema nervoso que causa paralisia progressiva dos músculos.

Gerson começou no basquete aos 18 anos e fez sua estreia como profissional em 1979, pelo clube Ginástico, em Minas Gerais. Iniciou sua trajetória na seleção brasileira em 1981 e defendeu o país em três Olimpíadas (Los Angeles-1984, Seul-1988 e Barcelona-1992).

Sua maior glória esportiva com a equipe nacional foi nos Jogos Pan-Americanos de 1987, quando a geração comandada por Oscar e Marcel bateu os Estados Unidos em Indianapolis.

O pivô defendeu ainda Monte Líbano, Corinthians, Lençóis Paulista, JALES, Manresa-ESP, Sport-PE e Remo, onde se aposentou em 2002.

No início do ano, ao ser homenageado pela CBB, ele falou sobre sua luta contra a doença: “Passo por um problema temporário. Sei da gravidade, mas também sei que as lutas vêm na nossa vida para lutarmos e mostrarmos nossas forças”.

PELÉ CONFIRMA: PALMEIRAS NÃO TEM MUNDIAL

Palavra de rei ninguém contesta! Deu no UOL:

Ainda com limitações para andar, Pelé voltou a negar que esteja com depressão e disse estar bem de saúde. À CNN Brasil, o tricampeão mundial com a seleção brasileira disse apenas que preferia ter chegado à entrevista sem o andador e comentou sobre futebol, infância e racismo.

“Inventaram que eu estou deprimido, mas não é verdade”, disse Pelé. Recentemente, seu filho Edinho havia dito que o pai estaria “bastante fragilizado em relação à mobilidade” e que esse problema estava causando “uma certa depressão”. Edinho se corrigiu posteriormente.

Questionado sobre a infância e o time para o qual torcia, Pelé revelou simpatia pelo centenário Bauru Atlético Clube, mas admitiu ter tido certa relação com o Corinthians, rival de seu ex-clube Santos.

“Meu irmão era palmeirense. Nós jogávamos botão juntos e eu ficava com o [time do] Corinthians. E sempre perdia”, lembrou. “Mas eu dizia: meu time é o BAC [como é conhecido o Bauru], e meu time de botão é o Corinthians”.

Sobre o polêmico título de 1951, considerado um mundial para os palmeirenses, Pelé foi categórico: “Não é um campeonato mundial. Não era um torneio como os torneios [mundiais] disputados hoje, como os que o Santos ganhou”, comparou.

TÉCNICO DO OLÍMPIA É DEMITIDO NO INTERVALO E TIME REAGE NO SEGUNDO TEMPO

O caso é raro, mas acontece de vez em quando no futebol paulista. Em 2010, o então técnico do Oeste de Itápolis, Paulo Comelli, pediu demissão no intervalo de um jogo. Ele teria sido pressionado por um diretor de nome curioso – Cidão Magnata – a fazer alterações no time, que estava perdendo. A notícia de hoje é do UOL:

Mais perto da zona de rebaixamento do que da zona de classificação da Série A3 do Campeonato Paulista, o Olímpia anunciou hoje (1) a demissão do técnico Alexandre Ferreira depois de oito partidas em pouco mais de um mês.

O mais inusitado em todo este caso é que o comandante foi informado da decisão do clube no vestiário do estádio Tereza Breda durante o intervalo da partida contra o Primavera pela oitava rodada do torneio. Foi assim: ele dirigiu o time no primeiro tempo, mas não no segundo.

A justificativa do Olímpia para a saída do treinador é a “sequência de resultados negativos”: duas vitórias, três empates e duas derrotas antes do jogo de hoje, que o time perdia por 2 a 0 no primeiro tempo. Após a demissão no intervalo, a equipe voltou sob o comando do auxiliar Paulinho Fonseca e igualou o placar.

De acordo com o ex-técnico, o motivo da demissão foi uma tentativa de interferência na escalação por parte do diretor de futebol Antônio Delomodarme, mais conhecido como Niquinha. O dirigente teria orientado duas alterações na equipe, mas o técnico só estava disposto a fazer uma.

TORCIDA DO COLO COLO REPUDIA CONTRATAÇÃO DE FELIPÃO, APOIADOR DO SANGUINÁRIO PINOCHET

7 a 1 para os chilenos. A notícia é do portal Fórum:

A torcida organizada Antifascistas De La Garra Blanca, que reúne torcedores da equipe do Colo-Colo, do Chile, declarou guerra à possibilidade de a equipe contratar o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari.

Os fãs do time postaram, em suas redes sociais, uma nota de repúdio ao treinador, que fez elogios ao ditador sanguinário, general Augusto Pinochet.

Em nota, a torcida diz que está pronta para “declarar guerra à chegada de Scolari e de qualquer um que abrace práticas e ideias fascistas”.

Um trecho da nota se refere a Felipão como “um sujeito nefasto, que não teve vergonha de louvar o genocida Pinochet e de indicar que, às vezes, são necessárias violações de direitos humanos para se manter a ordem”.

Segue a nota: “É isso que queremos para o Colo-Colo? Principalmente agora, que sob a tirania de Piñera mataram e mutilaram os nossos irmãos e irmãs, sob o mesmo pensamento colocado por este nefasto sujeito: a chamada ordem pública. Nós dizemos não! Não ao fascismo no Colo-Colo!”

Felipão afirmou, em entrevista à rádio Jovem Pan, em 1998, que Pinochet fez muita coisa boa também”. Em relação aos muitos casos de tortura e morte no período da ditadura chilena, o brasileiro disse que “há determinados momentos que ou o pessoal se ajeita ou a anarquia toma conta”.

TENISTA BRASILEIRO BANIDO DO ESPORTE POR CORRUPÇÃO ERA ‘CIDADÃO DE BEM’

Já dizia um pensador, cujo nome me foge à memória: “Onde houver um moralista, há um hipócrita. E, não raro, um corrupto”. Deu no Diário do Centro do Mundo:

O brasileiro João Souza, conhecido como Feijão, ex-número 1 do Brasil, foi banido do tênis profissional pelo resto da vida.

Também foi multado em US$ 200 mil.

Feijão, 31 anos, foi considerado culpado em casos de manipulação de resultado em torneios das séries Challenger e Future no Brasil, no México, nos Estados Unidos e na República Tcheca.

Entre outras presepadas, a TIU, Unidade de Integridade do Tênis, relata que ele pediu a outros atletas que não dessem seu melhor dentro de quadra.

Feijão, já foi 69º no ranking da ATP estava suspenso desde abril.

Em 2018, deu entrevista para o UOL sobre seu candidato nas eleições.

“Bandido não vai ter vez com ele, velhão”, disse.

Adivinhe quem era:

Bolsonaro na cabeça, malandro. Trocar seis por meia dúzia? Não vou trocar seis por meia dúzia. Haddad? Tá de brincadeira. Tiveram 16 anos para governar, não fizeram merda nenhuma, o país está um lixo, o dólar passou de R$ 4,30.

Cara, eu parto dos seguintes princípios: o cara [Bolsonaro] tem a ficha limpa; não tem rabo amarrado com ninguém; o cara é a favor de porte de arma, que eu também sou; ele é praticamente a favor da pena de morte, e também sou…

Os artistas ficam aí dizendo “ele não, ele não”… Lógico. Vão perder a mamata da Lei Rouanet. Qualquer showzinho que eles façam, é tudo aprovado pela Lei Rouanet. Óbvio, vai acabar a mamatinha. Lei Rouanet, aprovado pelo governo do “campeão” do Lula. 

Ah, “que ele é racista e machista”. Ele vai fazer o quê? Matar os gays? Não vai. Vai bater nos negros? O cara quer ajudar, velho. Está de coração lá. O cara é rico, milionário, não vai querer roubar. Tem a ficha limpa. Estou postando coisas dele porque gosto dele. Eu me identifiquei muito…

RECORD É CONDENADA A PAGAR INDENIZAÇÃO A EX-GOLEIRO DO GUARANI

A Rede Record de Televisão, do bispo Edir Macedo, foi condenada a indenizar o ex-goleiro do Guarani de Campinas, Sérgio Neri, em R$ 150 mil. A sentença é do juiz Valdeci Mendes de Oliveira, da 4ª Vara Cível da Comarca de Marília(SP).

O juiz considerou ofensiva uma reportagem sobre a carreira do ex-jogador, exibida pela Record, em 2018. A reportagem tratou do envolvimento de Neri com o álcool e para ilustrar a matéria, a Record utilizou-se de atores que representavam o ex-goleiro vivendo em estado de mendicância.

Para o juiz, a liberdade de expressão e de informação possui limites, não podendo ultrapassar os princípios da dignidade da pessoa humana. As cenas da Record mostravam um homem sentado no chão, com uma garrafa ao lado, levando os telespectadores a acreditar que se tratava de Néri.

Sérgio Néri iniciou a carreira no Guarani e começou a ganhar destaque no Campeonato Brasileiro de 1986, no qual o Guarani foi vice-campeão. Em 1988, Sérgio Néri voltou a viver grande momento no Guarani, ao disputar o título do campeonato paulista com o Corinthians.

O Guarani perdeu, é claro, ficando com o vice-campeonato paulista. Três anos depois, Sérgio Néri foi negociado para o Bahia, mas não conseguiu jogar o mesmo futebol dos tempos do Bugre. Também atuou em equipes de menor expressão do interior paulista.

A foto lá de cima mostra um dos times do Guarani da época de Sérgio Neri, com craques como Ricardo Rocha, Evair, Marco Antônio Boiadeiro e João Paulo. O grandalhão agachado, ao lado do Evair, é o Tite, atual técnico da seleção brasileira.

1 2 3 35