Categoria: Geral

ENFERMEIRAS COLOCAM MENSAGENS NA JANELA DE HOSPITAL PARA AVISAR FAMÍLIA QUE PAI MORREU

Deu no portal Notícias ao Minuto:

Duas enfermeiras dos cuidados intensivos do Catholic Medical Center em Manchester, New Hampshire (EUA), tiveram de recorrer à janela do hospital para avisar os cinco filhos de Rene Johnson, que ele tinha morrido.

Utilizando papéis, as duas profissionais transmitiram a mensagem aos familiares do homem através de mensagens escritas.

“Ele agora está em paz” e “lamentamos muito” foram as duas mensagens enviadas.

Kevin Johnson e os seus irmãos passaram grande parte dos últimos dias no estacionamento do hospital onde o pai estava internado com Covid- 19, pois era a única forma que tinham de manter-se próximos do progenitor e transmitir-lhe força.

Após a notícia da morte do pai, os cinco filhos pretendem manter as vigílias ao hospital, desta vez com um novo intuito: apoiar os profissionais de saúde.

“Há pessoas ali dentro que precisam de alguém. Vamos fazer sinais. Trazer-lhes comida. Vamos enviar-lhes balões”, garante Kevin.

PROFESSOR QUE FOI A PROTESTO CONTRA ISOLAMENTO E A FAVOR DA INTERVENÇÃO MILITAR MORRE COM SUSPEITA DE COVID

O professor parecida bem saudável há um mês. A notícia está pendurada no portal da revista Fórum:

No dia 19 de abril, Angelo Antônio Cavalcante Martins, professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), foi a um protesto bolsonarista em Maceió que pregava o fim das medidas de isolamento social e pedia, entre outras coisas, por uma intervenção militar e um novo AI-5.

Na manifestação, feita no Dia do Exército, Martins estava vestido de verde e amarelo, como a maioria dos manifestantes, não usava máscara e desrespeitava o decreto estadual que, desde março, proibia aglomerações.

No domingo passado (17), menos de um mês após o ato, o professor faleceu com suspeitas de Covid-19.

Segundo pessoas próximas, Martins adoeceu cerca de uma semana antes de falecer e procurou uma unidade de saúde da capital alagoana quando já estava com sintomas avançados, como febre e falta de ar.

A Associação de Docentes da UFAL confirmou a morte do professor e informou que o sepultamento de Martins foi realizado no último domingo de “forma bastante reservada, devido à suspeita de contágio da Covid-19”.

Até a noite desta terça-feira (19), o Ministério da Saúde havia registrado 4.054 casos de Covid-19 no em Alagoas e 224 óbitos em decorrência da doença no estado.

VEREADOR QUE ERA CONTRA O ISOLAMENTO MUDA DE OPINIÃO APÓS PERDER O PAI PARA A COVID

A notícia é do UOL:

Pouco mais de um mês após defender a abertura do comércio no início da pandemia do novo coronavírus no Pará, o vereador de Belém Sargento Silvano (PSD) teve dez pessoas da família infectadas com a covid-19. O pai dele, o aposentado Francisco Rodrigues Lopes, de 65 anos, não resistiu e morreu ontem, entrando para a estatística que contabiliza 1.330 óbitos pela doença no estado.

A defesa pelo fim do isolamento social ocorreu em 27 de março, em uma rede social. O vereador escreveu que, em um mês, “todos” iriam ver que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “tinha razão” sobre a abertura imediata do comércio como medida para “preservar os empregos”.

Depois da defesa ao presidente, neste período, dez pessoas da família do vereador adoeceram, incluindo ele, a esposa e os filhos. O pai ficou 32 dias com a covid-19, sendo 22 internado e 14 sob respiração mecânica.

Ao ter a família atingida pelo novo coronavírus, o vereador mudou a postura. Em 20 de abril, ele publicou nas redes sociais: “Isso não é uma gripinha (sic), como disse o Bolsonaro. O presidente mente para o povo brasileiro. Bolsonaro perdeu o meu respeito! Falo de tudo que tenho sofrido com minha família nesses últimos dias”.

Em entrevista ao UOL, Sargento Silvano confirmou que agora defende o isolamento social. Para ele, não adianta preservar os empregos se a pessoa “não vai levar nada” ao morrer com a doença.

“Agora defendo o lockdown. Meu pai, por exemplo, construiu um patrimônio, mas quando foi enterrado não levou nem a roupa do corpo. Foi enterrado no lençol do hospital e em um saco”.

MORRE EM CAMPINAS DEPUTADO QUE ASSUMIU VAGA DE LUIZ FLÁVIO GOMES, FALECIDO EM ABRIL

Ele ficou apenas 45 dias no cargo. A notícia é do portal A Cidade ON, de Campinas:

O deputado federal de Campinas Luiz Lauro Filho (PSDB) morreu nesta segunda-feira (18). Ele tinha 41 anos e estava internado desde a madrugada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Centro Médico, após sofrer uma parada cardíaca em sua casa.

Segundo informações da família, o parlamentar passou mal na sua casa por volta de 2h e foi levado ao hospital, onde foi reanimado e passou por um procedimento para a colocação de dois stents. No entanto, ele acabou não resistindo.

Luiz Lauro é sobrinho do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB). O prefeito cancelou uma transmissão ao vivo que faria em suas redes sociais hoje, às 14h30, para falar de medidas de combate ao novo coronavírus. Ele deixa dois filhos. 

Luiz Lauro Ferreira Filho nasceu em Campinas em 10 de junho de 1978. Publicitário de formação, foi eleito deputado federal por São Paulo nas eleições de 2014, ainda no PSB.

Nas eleições de 2018, não consegui se reeleger, terminou como suplente. Em dezembro de 2019, já no PSDB, assumiu o mandato após a licença Jefferson Campos. Em abril de 2020, foi efetivado deputado federal com a morte de Luiz Flávio Gomes. 

EX-GOVERNADOR DA PARAÍBA MORRE DEZ DIAS DEPOIS DA ESPOSA, AMBOS DE COVID-19

A notícia é do UOL:

O ex-governador da Paraíba Wilson Braga morreu na noite de ontem, aos 88 anos, em um hospital particular da capital João Pessoa. Ele estava internado desde 1º de maio e teve resultado positivo para covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A morte do ex-governador acontece dez dias após sua esposa, a ex-deputada federal Lúcia Braga, também morrer em decorrência da covid-19.

Wilson e Lúcia Braga deram entrada no Hospital Nossa Senhora das Neves em 1º de maio. Segundo o último boletim médico do ex-governador, do último sábado (16), ele estava intubado com quadro clínico grave. Ele também apresentava insuficiência renal e fazia hemodiálise.

Por ser um caso de covid-19, não houve velório. Apenas familiares puderam acompanhar o sepultamento na manhã de hoje com o caixão fechado.

O atual governador do estado, João Azevêdo (Cidadania), usou as redes sociais para lamentar a morte de Braga.

“É com muita tristeza que recebemos a notícia do falecimento do ex-governador Wilson Braga, que não resistiu às complicações da covid-19. Há poucos dias já havia perdido a sua esposa, Lúcia Braga, também vítima da doença”, escreveu Azevêdo.

PRESA POR CAUSA DO CABELO, MODELO É ABSOLVIDA DEPOIS DE CUMPRIR UM ANO E OITO MESES

Deu no DCM:

O Tribunal de Justiça de São Paulo absolveu, nesta quarta-feira (13/5), a dançarina Bárbara Querino de Oliveira, condenada no dia 10 de agosto do ano passado por roubo a carro. Negra, Babiy foi reconhecida pelos cabelos por vítimas brancas em dois processos e ficou presa 1 ano e 8 meses. Agora, está definitivamente inocentada das acusações.

Em sua decisão, o desembargador Guilherme Souza Nucci considerou que não havia elementos suficientes no processo para a condenação de Bárbara, que recebera pena de cinco anos e quatro meses de prisão. O processo permaneceu sete meses no TJ antes da decisão, prevista inicialmente para outubro de 2019.

Segundo ele, o reconhecimento de Bárbara aconteceu em circunstâncias pouco esclarecidas, por meio de um grupo no WhatsApp no qual estava um delegado. “Os ofendidos reconheceram Bárbara em razão de seu cabelo, circunstância, no mínimo, peculiar, sobretudo pela ausência de traços diferenciais no cabelo da referida acusada”, explica o magistrado.

O crime teria acontecido no dia 10 de setembro de 2017, às 14h30, na cidade de São Paulo, quando um casal teve o veículo Honda Civic roubado. No mesmo momento, Bárbara estava trabalhando no Guarujá, cidade no litoral paulista e distante 95 quilômetros da capital. Ela tinha postagens nas redes sociais que confirmavam a versão.

Uma das vítimas do roubo disse que havia reconhecido Bárbara com “100% de certeza” a partir de uma única fotografia, mostrada por policiais civis do 99º DP (Campo Grande). A identificação com base em uma única foto, chamada de show-up, costuma causar reconhecimentos falsos — que acontecem com maior frequência em casos de vítimas brancas reconhecendo suspeitos negros.

Durante o julgamento, a vítima hesitou. Ao ver Bárbara pessoalmente, apontou com “80% de certeza” que ela era uma das assaltantes, com base na altura, no cabelo e na cor da pele de Bárbara. A juíza considerou que a falta de certeza da vítima não permitiria a condenação da modelo.

PM BOLSONARISTA QUE DEFENDIA FIM DO ISOLAMENTO MORRE DE COVID

A notícia é do G1:

Um policial militar de Guarujá, no litoral de São Paulo, morreu devido a complicações causadas pelo novo coronavírus nesta quinta-feira (14). O cabo Ricardo Valentim da Silva, de 47 anos, atuava no 21° Batalhão da Polícia Militar e, por meio de postagens nas redes sociais, defendia o fim do isolamento social adotado por conta da pandemia.

Segundo informações apuradas pelo G1, Ricardo faleceu após passar mal e ser internado no Hospital Santo Expedito, em Santos, onde foi diagnosticado com Covid-19 poucos dias depois de ter chegado ao local. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa da Polícia Militar.

Nas redes sociais, Ricardo se posicionava contra as medidas de isolamento social adotadas pelas autoridades públicas. Um vídeo compartilhado de forma pública em seu perfil criticava a decisão do infectologista David Uip de não revelar os medicamentos usados em sua recuperação ao contrair a doença, em abril.

Nas redes sociais, familiares, amigos e a comunidade de Guarujá repercutiram e lamentaram a morte do policial, que deixou esposa e um filho. “Estamos sem chão, vivendo um pesadelo”, lamentou uma familiar em uma das homenagens. “Não consigo nem pensar como ficaremos sem você, a diversão da nossa família”, completou.

Em outra publicação, uma amiga da família diz que faltam palavras para descrever o luto. “Palavras me faltam nesta hora, mas queremos lembrar [de você] assim, como uma pessoa incrível”, diz. “Aonde nos encontrávamos era uma festa. Ainda estou sem acreditar”, lamenta.

FAMÍLIA ABRE CAIXÃO EM VELÓRIO NA BAHIA E CINCO PESSOAS SÃO CONTAMIDAS POR COVID-19

Deu no portal Notícias ao Minuto

A família de uma vítima de Covid-19 abriu o caixão durante o velório na cidade de Cairu, baixo-sul da Bahia, contaminando outras cinco pessoas.A morte foi registrada na última quinta-feira (7) por síndrome respiratória aguda grave na Santa Casa de Valença, hospital do município vizinho.

Como havia suspeita de Covid-19, o caixão saiu lacrado da unidade hospitalar. A família, contudo, resolveu abrir o caixão durante o velório, mesmo com recomendações contrárias da secretaria municipal de Saúde de Cairu.

Na segunda-feira (12), saiu o resultado do exame feito pelo Laboratório Central da Bahia que confirmou que a vítima tinha sido contaminada pela Covid-19.

Diante da confirmação, a prefeitura decidiu realizar testes rápidos em todas 12 pessoas que participaram do velório. Mas encontrou resistência em parte da família, que não aceitava o diagnóstico de Covid-19 da vítima.

Até então, a cidade não havia registrado casos de infectados com pelo novo coronavírus. Após convencer os familiares, a prefeitura realizou os testes em 12 pessoas e identificou que cinco delas estavam com Covid-19.

Em nota, a Prefeitura de Cairu informou que a família da vítima recebeu “todas as informações para realização do sepultamento seguro, bem como das normas sanitárias indicadas pelos órgãos responsáveis”.

SOCIALITE QUE CRITICAVA ISOLAMENTO MAS PERMANECIA ISOLADA MORRE DE COVID-19, NO RIO

A falecida foi uma das mais belas (e elegantes) mulheres do high society brasileiro. Uma das curiosidades sobre a vida dela foi revelada no início dos anos 2000 e comprova uma tese de Nelson Rodrigues: a de que brasileiro é chegado na cunhada. O pai do filho mais velho de Lourdes não era seu marido – Álvaro Catão – mas sim o cunhado, Francisco Catão.

Apesar de criticar o isolamento social, a socialite estava isolada em seu apartamento. Há alguns dias, ela disse à colunista Hildegard Angel que “estou aqui bem quietinha, isolada, pois não quero ir para o hospital”. Para evitar riscos, não fazia pedidos para entrega via delivery e não deixava nem o jornal entrar no apartamento.

Segundo Hildegard, “a única presença externa no apartamento eram as duas acompanhantes, que se revezavam”. Lourdes e Hildegard – que teve um irmão assassinado pela ditadura militar – tinham posições ideológicas bem diferentes, mas, não obstante isso, eram muito amigas.

A notícia abaixo não explica quando ela foi internada, mas parece que tudo aconteceu muito rapidamente. Reparem que no sábado à tarde Lourdes fazia propaganda do churrasco do Bozo e no domingo à noite ela já era contabilizada como mais uma vítima da Covid-19.

A notícia é da coluna Luxo, do Jornal do Brasil:

Depois da Vanja Chermont de Brito e da Gilda Saavedra, o coronavírus tirou dos salões cariocas, esta semana, a bela e lendária Lourdes Catão, sucessora da irmã Helena Gondin na condução do livro Sociedade brasileira, bíblia do society carioca. Lourdes morava no classudérrimo edifício Biarritz, na Praia do Flamengo, onde recebia as amigas em um jardim interno cheio de charme.

Lourdes era uma cidadã do mundo, viveu em Paris, Nova York, Santa catarina, na Urca, até chegar ao apartamento térreo no Flamengo. Em NY, ganhou fama como decoradora de interiores, embelezando as casas das locomotivas locais. Foi casada com o caixa-alta Álvaro Catão, era mãe da Bebel Klabin. 

Lourdes completou 93 anos outro dia, em março. Mas aparentava 70, no máximo. 

 

MP VAI INVESTIGAR PASTOR QUE ESTÁ VENDENDO FEIJÃO QUE “CURA” COVID-19

Deu no Brasil 247:

O Ministério Público Federal encaminhou notícia-crime ao Ministério Público de São Paulo pedindo investigação por suposto crime de estelionato cometido pelo pastor Valdemiro Santiago de Oliveira, da Igreja Mundial do Poder de Deus. Pelas redes sociais, o líder religioso anunciou sementes de feijão com ‘poderes para curar a covid-19’”, aponta reportagem do Estado de S. Paulo.

Sem citar explicitamente pagamentos, o “pastor” utilizou o termo ‘propósito’, no qual o usuário faria um ‘propósito’ pelo feijão. A Procuradoria afirmou que, apesar do ‘disfarce linguístico’, o intuito de Valdomiro era levar fiéis a pagarem valores para obter as sementes ‘mágicas’, visto que elas só seriam entregues àqueles que exibirem comprovante de pagamento. Os ‘propósitos’ anunciados pelo Pastor Valdemiro eram de R$ 100, R$ 500 e R$ 1 mil.

“O uso de influência religiosa e da mística da religião para obter vantagem pessoal (ou em benefício da entidade Igreja Mundial do Poder de Deus), mediante artifício (consistente na indução em erro das vítimas, mediante abuso do poder religioso), sem resultado (pois não há evidência conhecida de cura da covid-19 por intercessão de alguma divindade nem por ingestão ou plantação de feijões mágicos) está claro pelo contexto da gravação e pela finalidade do noticiado de auferir vantagem indevida”, afirmou a Procuradoria.

1 2 3 4 212