Categoria: Geral

OS NOMES MAIS REGISTRADOS EM CARTÓRIO EM 2018

Dados fornecidos pelo Cartório local no início de 2018 mostram que, nos dois anos anteriores (2016/2017), os nomes mais registrados em Jales foram Miguel e Alice. O levantamento deste ano, que ainda não terminou, mostra que, em nível nacional, os nomes mais escolhidos foram Enzo Gabriel e Maria Eduarda. Deu no portal MSN:

Enzo Gabriel é o nome mais registrado em cartórios brasileiros em 2018. O estudo traz informações da Central Nacional de Informações do Registro Civil e foi divulgado pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP). Enzo Gabriel consta em primeiro lugar no Portal da Transparência do Registro Civil. O nome desbancou Miguel, o vencedor de 2017.

A pesquisa refere-se ao período até 18 de dezembro. Já o nome feminino mais escolhido pelos pais para seus pequenos foi outro composto: Maria Eduarda. Os nomes compostos, aliás, representam 28,3% do total de escolhas.

Os campeões de 2017 haviam sido Miguel e Alice. Neste ano, porém, Miguel caiu para a segunda colocação enquanto Alice ficou em nono no ranking geral e em terceiro no ranking feminino.

Quando o recorte é só para o estado de São Paulo, Miguel volta ao topo com 4.718 registros. Arthur, com 4.312, vem logo em seguida. Maria Eduarda e Alice também lideram nas escolhas para meninas.

Em outro levantamento, feito pela BabyCenter, Helena e Miguel foram os nomes mais escolhidos para bebês que nasceram em 2018.

Top 5 de nomes mais escolhidos no Brasil para meninos

1º – Enzo Gabriel (18.156 registros)

2º – Miguel (17.699 registros)

3º – Arthur (17.119 registros)

4º – João Miguel (16.049 registros)

5º – Heitor (14.025 registros)

Top 5 de nomes mais escolhidos no Brasil para meninas

1º – Maria Eduarda (15.760 registros)

2º – Maria Clara (14.170 registros)

3º – Alice (12.482 registros)

4º – Ana Clara (11.059 registros)

5º – Helena (10.573 registros).

JALESENSES TERÃO TREZE FERIADOS EM 2019, SEM CONTAR O CARNAVAL

O ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão divulga anualmente, através de publicação no Diário Oficial da União, uma portaria com os feriados nacionais e os pontos facultativos dos órgãos públicos federais para o ano seguinte. Neste ano, a portaria ainda não foi divulgada, mas os feriados e pontos facultativos serão os seguintes:

Confraternização universal feriado 1º de janeiro (3ª feira)
Carnaval ponto facultativo 5 de março (3ª feira)
4ª feira de cinzas ponto facultativo (até meio-dia) 6 de março (4ª feira)
Paixão de Cristo feriado 19 de abril (6ª feira)
Tiradentes e Páscoa feriado 21 de abril (domingo)
Dia mundial do trabalho feriado 1 de maio (4ª feira)
Corpus Christi ponto facultativo 20 de junho (5ª feira)
Independência do Brasil feriado 7 de setembro (sábado)
Nossa Senhora Aparecida feriado 12 de outubro (sábado)
Dia do Servidor Público ponto facultativo 28 de outubro (2ª feira)
Finados feriado 2 de novembro (sábado)
Proclamação da República feriado 15 de novembro (6ª feira)
Natal feriado 25 de dezembro (4ª feira)

Em Jales, de acordo com a Lei Municipal 1.122, de 13 de junho de 1979, são quatro os feriados municipais: Fundação da cidade – 15 de abril (segunda-feira); Corpus Christi –  20 de junho (quinta-feira); e Dia da Assunção de Nossa Senhora – 15 de agosto (quinta-feira). A Sexta-Feira da Paixão (19 de abril), é o quarto feriado municipal, mas isso não quer dizer muita coisa, pois a data também é feriado nacional.

Reparem, ainda, que o Corpus Christi é feriado em nível municipal e ponto facultativo em nível federal. Quatro feriados cairão no final de semana (sábado/domingo), enquanto outros quatro, que cairão em terças ou quintas-feiras, proporcionarão alguns feriados prolongados para o funcionalismo público.

Se o prezado leitor e a estimada leitora estiverem achando que é pouco, convém lembrar que, aqui no estado de São Paulo, temos o feriado de nove de julho, quando se comemora o Dia do Soldado Constitucionalista. Em 2019, o 09 de julho cairá numa terça-feira, o que poderá resultar em mais um feriado prolongado nos órgãos públicos.

MP DO PARANÁ ACUSA MÉDIUM DE ABUSAR DE FIÉIS EM SESSÕES DE MATERIALIZAÇÃO DE ESPÍRITOS

O caso do fazendeiro João de Deus vem tomando conta da mídia nas últimas semanas, mas ele não é o único médium que está enfrentando problemas com a Justiça. A notícia é do blog do Paulo Lopes:

O Ministério Público do Paraná denunciou (acusação formal) o médium Maury Rodrigues da Cruz (foto) de abusar de seguidores durante sessões de ectoplasmia (materialização de espíritos em pessoa). A Justiça aceitou a acusação e médium se tornou réu. O processo tramita em sigilo.

O engenheiro eletrônico Fernando da Costa Frazão, uma das vítimas, afirmou que Cruz, em sua estratégia de assédio, dizia estar “incorporado” de um espírito que em outra vida teve uma relação íntima com a pessoa participante da sessão.

“As sessões aconteciam na  madrugada e, algumas vezes, a gente se vai sozinho com o professor Maury”, disse Frazão, que frequentou o centro espírita de Cruz durante dois anos.

“Nas sessões, ele acaba te envolvendo, dizendo que você é especial (…), e, com o passar do tempo, essa intimidade começa a ser maior e ele vai querendo beijar, forçar um beijo, e isso é um pouco estranho.”

De acordo com a denúncia do MP, Frazão só se deu contra da fraude quando recebeu de Cruz um convite para morar com ele.

Cruz é diretor presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, com sede em Curitiba. Foi diretor do Museu Paranaense e professor.

Outra suposta denúncia, um empresário.  disse ter sido assediado por um “espírito” incorporado no médium quando este lhe pediu para colocar a mão no “baixo ventre”.

“Eu coloquei a minha mão mais ou menos embaixo do umbigo dele, e ele pegou a minha mão e colocou um pouco mais pra baixo. Tirei a mão dali meio que reagindo e ele começou a fazer um teatro de como se estivesse passando muito mal.”

A professora Gladiomar Saade de Castilhos, que trabalhou por 25 anos como voluntário do médium, disse que o seu filho também sofreu abuso sexual e, abalado, mudou-se para os Estados Unidos.

Há pelo menos 20 denúncias de pessoas que teriam sido abusadas por “espíritos” no centro de Cruz, mas o MP se restringiu as três mais recentes, dos últimos seis meses.

Em fevereiro de 2018, quando vazaram as primeiras denúncias, Cruz gravou um vídeo dizendo que ia recorrer judicialmente contra os difamadores.

“Eu tenho uma história de dignidade”, afirmou, sem entrar no mérito das denúncias.

O vídeo onde Maury fala sobre sua história de dignidade pode ser visto aqui.

FRANCESAS ADEREM AO MOVIMENTO “NO BRA” E COMEÇAM A DESCARTAR USO DE SUTIÃ

Parece que estamos vivendo uma segunda “revolução francesa”. Não bastassem os protestos dos tais coletes amarelos, agora temos esse movimento feminino em que as francesas prometem se livrar de seus porta-seios. Deu no DCM:

Nas redes sociais, as hashtags relacionadas aos movimentos ganham a cada dia mais popularidade desde que ícones pop, como a cantora Rihanna ou as atrizes Jennifer Lawrence e Emma Watson, tiveram a iniciativa de posar nos tapetes vermelhos sem sutiã. Da brincadeira #NoBraChallenge (desafio sem sutiã), descartar o acessório centenário por convicções feministas ou por uma questão de saúde conquistou as francesas.

Ironia do destino, foi na França que nasceu o soutien-gorge – como o acessório é chamado em francês, ganhando também o diminutivo soutif. A designer de espartilhos Herminie Cadolle propôs dividir suas criações em duas partes, com o objetivo de dar mais conforto às mulheres. A peça foi apresentada pela primeira vez na Exposição Universal de Paris, em 1889, sob o nome de Bien-Être (bem-estar).

Mas, longe de ser associada ao bem-estar, em 1904, a criação passou a ser comercializada com o nome de mantien-gorge, que ao pé da letra poderia ser traduzido como “retenção da garganta” em português. No entanto, de acordo com o Dicionário Histórico da Língua Francesa, de autoria de Alain Rey, a palavra gorge (garganta) seria um eufemismo para se referir aos seios.

Décadas se passaram e a peça se transformou conforme a moda de cada época, sem nunca se adaptar, de fato, ao conforto das mulheres. Ao contrário, o sutiã é frequentemente associado a uma forma de opressão do corpo feminino, sob a justificativa de evitar os efeitos da gravidade sobre os seios.

Não foi à toa que o sutiã foi utilizado como ferramenta de um célebre protesto de feministas, em 1968. Ao contrário da lenda, entretanto, as militantes da emblemática manifestação contra o concurso Miss America não queimaram sutiãs – um falso relato criado pelos jornalistas que cobriram o evento.

BRASIL É O 5o. COLOCADO EM RANKING SOBRE OS POVOS MAIS IGNORANTES DO MUNDO

Segundo a pesquisa, o problema da ignorância não está na falta de conhecimento, mas, principalmente, no fato de o ignorante ter certeza de que está certo a respeito de determinados temas sobre os quais, na verdade, ele está errado. A notícia é do UOL:

O Brasil ficou em quinto lugar na nova edição do ranking que mede o quanto os países têm noção equivocada sobre a própria realidade.

Chamada “Os Perigos da Percepção”, a pesquisa anual é realizada pelo instituto Ipsos. O estudo foi realizado em 37 países e se baseia em entrevistas com pessoas em cada um deles sobre o que elas acham sobre a realidade que vivem. A pesquisa então compara esta percepção com os dados oficiais. Quanto maior a diferença entre percepção e realidade, maior a “ignorância” da população –e por isso o ranking geral foi chamado originalmente de “índice de ignorância”.

A cada edição, o foco das perguntas é diferente –portanto os rankings anuais não podem ser comparados uns aos outros ou serem vistos como evolução–, mas o Brasil esteve entre os líderes de percepção equivocada em todos os anos em que a pesquisa foi realizada.

Em 2017, o país aparecia como o segundo país com menos noção sobre a própria realidade, atrás apenas da África do Sul. Um ano antes, ficou em sexto lugar.Na edição deste ano, o foco das perguntas tratou sobre temas relacionados à formação da população, imigração, segurança, criminalidade, comportamento sexual, violência sexual, saúde, economia, ambiente e outros temas.

Em 2018, o Brasil ficou atrás de Tailândia, México, Turquia e Malásia. Os lugares em que a população tem uma maior noção sobre a realidade em que vivem são Hong Kong, Nova Zelândia, Suécia, Hungria e Reino Unido.Essa falta de noção dos brasileiros sobre a própria realidade pode afetar até mesmo o funcionamento da democracia, segundo o ex-diretor de pesquisas do Ipsos, Bobby Duffy, autor do livro “The Perils of Perception: Why we’re wrong about nearly everything” (Os perigos da percepção: Por que estamos errados sobre praticamente tudo).

Em entrevista ao blog Brasilianismo, em setembro, Duffy indicou que candidatos extremistas tendem a se beneficiar da falta de noção da realidade.

Ele também explicou que o problema não é exatamente “ignorância”, como dizia a pesquisa originalmente, mas o fato de que as pessoas acreditam ativamente em coisas factualmente erradas.

“Quando as pessoas não têm conhecimento sobre algo, elas podem ser ensinadas. É mais difícil convencer pessoas que acham que sabem algo que na verdade está errado. Mudar a percepção das pessoas é mais difícil”, explicou.

CIENTISTA BRASILEIRA DESENVOLVE ‘CANETA’ QUE IDENTIFICA CÂNCER EM SEGUNDOS

Deu no portal de notícias da Band:

Uma cientista brasileira liderou os estudos para a criação de uma espécie de caneta que permite diagnosticar tumores em poucos segundos.

Lívia Eberlin trabalha como professora de química na Universidade do Texas; formada na Unicamp e pós-graduada nos Estados Unidos, ela acaba de ganhar uma bolsa de quase R$ 2,5 milhões da fundação norte-americana MacArthur, conhecida informalmente por premiar gênios de diferentes áreas, das artes a computação.

Tamanho reconhecimento veio graças a uma invenção com potencial de revolucionar o tratamento do câncer. Eberlin e sua equipe criaram um aparelho no formato de uma caneta que permite identificar em segundos se o paciente tem um tumor.

A “caneta”, quando em contato com o tecido humano, libera uma minúscula gota de água. As substâncias químicas presentes nas células vivas se movem, então, para a gotícula, que é sugada para análise.

O aparelho funciona ligado por um tubo a um equipamento chamado espectrômetro de massas, que realiza uma espécie de raio x das moléculas, analisando diversas características, como peso, estrutura e composição.

Nos experimentos conduzidos por Lívia, essa “impressão digital química” permite que os médicos descubram em segundos, durante a cirurgia, se o tecido analisado é saudável ou um tumor. Uma análise padrão desse tipo pode levar até duas horas.

“Em várias cirurgias de câncer o que se faz é: você retira o tecido, faz uma biópsia, manda para o patologista e você tem que esperar o resultado”, explica Lívia. “Nossa visão dá a possibilidade para o cirurgião de fazer a análise dentro do paciente, antes mesmo de remover o tecido. Ou seja, de imediato.”

“A esperança é que a gente consiga reduzir a ocorrência de uma segunda cirurgia, já que o cirurgião poderá retirar [todo o tumor] de uma vez só”, acrescentou a cientista brasileira.

FILHA DE JOÃO DE DEUS DIZ QUE FOI ABUSADA PELO PAI DESDE OS 10 ANOS

O assunto é o João de Deus, mas reparem na parte amarela da capa. Deu no portal MSN:

Em entrevista exclusiva à revista VEJA, Dalva Teixeira, de 49 anos, relata o calvário pessoal que enfrentou com seu pai, o celebrado médium João de Deus, que mantém um centro de curas espirituais em Abadiânia, no interior de Goiás.

Depois que uma série de mulheres começou a denunciar o médium por assédio sexual, o que resultou num pedido de prisão preventiva, Dalva Teixeira prestou depoimento sigiloso no Ministério Público de Goiás.  A VEJA ela relatou que começou a ser abusada pelo pai aos 10 anos de idade. “Meu pai é um monstro”, diz.

Dalva conheceu o pai aos 9 anos de idade, quando deixou a casa da mãe, que vivia na zona rural, e foi morar com João de Deus na cidade para continuar os estudos. Aos 10 anos, os abusos começaram.

Os abusos aconteciam em casa, no carro e durante viagens. Essa foi a rotina de Dalva até completar 14 anos, quando ficou grávida de um funcionário de João de Deus. Dalva conta que, com a gravidez, pretendia ir embora da casa do pai, mas quando lhe contou o acontecido o médium teve uma reação colérica e a espancou. Dalva perdeu o bebê e carrega cicatrizes da agressão até hoje. 

FILHA ACUSA JOÃO DE DEUS DE ASSÉDIO SEXUAL E PEDE INDENIZAÇÃO

Parece que o John of God andou bolinando até a própria filha. Deu no DCM:

Após inúmeras denúncias a João de Deus por assédio sexual, Dalva Teixeira, filha do médium, revela que foi estuprada pelo próprio pai. Por motivo de segurança, ela está escondida e é representada pelo advogado Marcos Bocchini num processo movido neste ano, que corre sob sigilo em Goiás.

Segundo fontes da revista Marie Claire, Dalva foi estuprada pelo pai quando ainda era menor de idade e hoje pede uma indenização de R$ 50 milhões numa ação judicial de reparação por danos morais sofridos em razão de estupro continuado.

Sabrina Bittencourt, ativista social pelos direitos humanos e Doutora Honoris Causa por seu trabalho humanitário pela UCEM – Universidad del Centro, no México, é quem está em contato com a filha do líder espiritual. Segundo ela, Dalva está protegida e vive escondida. Autorizada pelo advogado a falar em nome de Dalva em entrevista exclusiva à Marie Claire, Sabrina diz que os filhos de Dalva entraram com um processo contra o próprio avô em 2017 para tentar atenuar o sofrimento da mãe, mas foram coagidos – na mesma época – a gravar um vídeo desmentindo a acusação de abuso.

A ativista está articulando a proteção de Dalva e do advogado de defesa juntamente a organismos de direitos humanos internacionais. Foi Sabrina quem ajudou a denunciar os casos de abuso sexual cometido pelo líder religioso Sri Prem Baba (divulgados em 30 de agosto pela revista Época), e tem focado seus esforços nas investigações das denúncias contra João de Deus. Morando fora do Brasil, a goiana Sabrina conta que tem fugido, de país em país, por medo de represálias.

1 2 3 4 189