Categoria: Política

POLÍCIA INVESTIGA SUPOSTO CRIME DE INJÚRIA CONTRA PREFEITO FLÁ

O site do Ministério Público Estadual registrou, dia desses, a instauração de um inquérito policial para apurar crime de injúria em que o prefeito Flá Prandi(DEM) aparece como vítima.

De acordo com informações obtidas pelo blog, o caso envolve uma página do Facebook que, segundo sua própria definição, “tem o compromisso de levar até você, nosso espectador, informação de credibilidade em tempo real, sem vínculo partidário ou político”.

Apesar de “apartidária” e “apolítica”, a página tem se dedicado a publicar críticas ao prefeito. O diabo é que a linha que separa a crítica da injúria e da difamação é algo muito tênue e o prefeito, possivelmente, se sentiu ofendido por alguma publicação da página.

Por exemplo: há alguns dias, a página criticou o empréstimo de R$ 11 milhões obtidos pela Prefeitura junto à Caixa Econômica Federal, afirmando que o prefeito “vai sair com dinheiro no bolso e deixar uma dívida ao município de milhões de reais“, o que poderia ser interpretado como uma insinuação de que Flá vai ficar com parte do dinheiro.

E não é só isso: consta, ainda, que o prefeito teria procurado a Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrências visando averiguar supostas ofensas praticadas por um personagem muito conhecido em nossa cidade, também no Facebook.

O personagem em questão – um servidor aposentado – vem publicando, há algum tempo, postagens em que o prefeito é comparado ao boneco Pinóquio. A gota d’água, porém, foi uma publicação em que Flá aparece atrás de grades, sugerindo que o prefeito poderá ser preso antes de terminar seu mandato.

LAVA JATO BLINDOU PAULO GUEDES E FINGIU NÃO VER REPASSE PARA EMPRESA DE FACHADA

Para os amigos, tudo; para os inimigos, a lei. Vai ver, o Guedes – tal qual o Onix – pediu desculpas também. Deu no Brasil 247:

“A Lava Jato descobriu que uma empresa do atual ministro da Economia, Paulo Guedes, fez pagamento a um escritório de fachada, suspeito de lavar dinheiro para esquema de distribuição de propinas a agentes públicos no governo do Paraná”, revela o jornalista Fábio Fabrini, em reportagem publicada na Folha de S. Paulo.

“A força-tarefa da operação em Curitiba apresentou denúncia sobre o caso em abril de 2018 e não incluiu Guedes ou outros representantes de sua empresa no rol de acusados. Na época, o agora ministro integrava a pré-campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República”, prossegue ainda o jornalista.

“Os responsáveis por outras duas companhias que destinaram recursos ao mesmo escritório suspeito foram presos, denunciados e viraram réus de ação penal aberta pelo então juiz Sergio Moro”, diz Fábio Fabrini. Já Guedes não foi incomodado. Questionado pela reportagem, ele não conseguiu justificar o repasse.

O repasse de R$ 560,8 mil foi feito em 2007 pela GPG Consultoria, de Guedes, à Power Marketing Assessoria e Planejamento, operada por um assessor do ex-governador Beto Richa (PSDB-PR).

MACETÃO QUESTIONA PREFEITURA SOBRE NOTA ZERO EM ARBORIZAÇÃO NO PROGRAMA MUNICÍPIO VERDEAZUL

Da assessoria de imprensa da Câmara:

O vereador Luiz Henrique Viotto – Macetão (PP), em Sessão Ordinária (12), apresentou um requerimento questionando a Prefeitura por qual motivo Jales recebeu nota zero no quesito arborização urbana, na primeira etapa do Programa Município Verde e Azul (PMVA), da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Macetão justificou que a primeira etapa é considerada uma simulação da classificação final do PMVA, divulgada ao fim de cada ano. Jales já foi destaque no programa em administrações anteriores.

“Nós precisamos reverter o desgaste da Terra. Uma das formas é com o replantio. As cidades devem estar bem classificadas no PMVA para receber recursos do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos). Porque Jales está com essa nota zero? Será que a gente não consegue plantar árvores aqui?”.

Macetão indagou qual é o atual programa municipal de arborização, se a Prefeitura tem fiscalizado o cumprimento da Lei 3.674/2009, que obriga as concessionárias de automóveis e motocicletas a plantar uma árvore a cada unidade vendida e se a Prefeitura tem alguma ação prevista para melhorar a avaliação no quesito arborização, até o fim do ano.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e encaminhado ao Poder Executivo, que tem até 15 dias úteis para enviar resposta ao Legislativo.

NOVA MEDIDA PROVISÓRIA PERMITE QUE TRABALHADOR TIRE FOLGA NO DIA DO PRÓPRIO ENTERRO

Do site Sensacionalista:

A medida provisória da “Liberdade Econômica” aprovada na semana passada avança ainda mais sobre os direitos trabalhistas brasileiros. Foi liberado o trabalho aos domingos para todas as categorias profissionais sem direito a adicional por hora trabalhada. O trabalhador terá direito a uma folga remunerada a cada quatro semanas.

Hoje o Senado vota mais alguns destaques da MP, como a que permite que o trabalhador tenha um dia de folga em caso de morte, mas só quando for a dele mesmo. Se entrar em coma, terá os dias descontados.

A única forma de faltar sem ser descontado para ir a um enterro de parente é morrendo também.

MADALENAS ARREPENDIDAS

A essa altura, o Fagner já deve estar arrependido, também, de ter feito música pro imparcial Sérgio Moro. A matéria é da Veja:

Danilo Gentili costumava inflamar a tropa bolsonarista com suas piadas e pregações marcadas pelo antipetismo e grande afeição às ideias do presidente. Por essa fidelidade, ganhou uma boa recompensa: em 30 de maio, Bolsonaro se tornou o primeiro chefe do Executivo a aceitar ser entrevistado por Gentili em seu programa, The Noite, no SBT.

A conversa rolou em clima de camaradagem. Mas o humor bolsonarista mudou depois que Gentili iniciou uma escalada de críticas ao presidente, principalmente em razão da decisão de indicar o filho Eduardo ao posto de embaixador em Wash­ing­ton. Em 17 de julho, seis dias após essa intenção vir a público, o humorista afirmou na TV que achava boa a iniciativa, porque seria um “Bolsonaro a menos para atrapalhar o governo”.

E exibiu montagem de Eduardo com um boné em que se lia “make mamata great again”(“tornar a mamata grande de novo”), trocadilho com um slogan de Donald Trump. Eduardo reagiu, eles trocaram farpas pelo Twitter e o exército bolsonarista nas redes sociais se inflamou contra o apresentador.

O episódio acabou por engrossar a lista de celebridades arrependidas do apoio dado ao presidente. Um dos mais barulhentos fãs de Bolsonaro na época das eleições, o roqueiro Lobão pulou fora da tropa em meados de maio — fazendo também um grande barulho em torno disso. “Não tem capacidade intelectual para gerir o Brasil”, declarou em uma entrevista.

De uns tempos para cá, passou a chamar o presidente de “Bolsomico” e se dispôs até a trabalhar pelo impeachment. Mais discreto, o cantor Fagner — que diz ter apoiado Bolsonaro porque desejava “mudança” — assumiu publicamente o arrependimento em entrevista ao programa Conversa com Bial, da Globo, em junho. “Parece que ele continua na campanha. Passa uma impressão de amadorismo”, afirmou.

Em meio aos desiludidos famosos, há um contingente de anônimos que também expressam seu descontentamento nas redes sociais e inspiram os memes de perfis no Twitter como Jair Me Arrependi (140 300 seguidores) e Bolsominions Arrependidos (95 600).

A desilusão encontra eco em pesquisas — na última, feita em julho pelo Datafolha, 61% responderam que Bolsonaro “fez pelo país menos do que se esperava”. Assim como Gentili, não estão achando mais graça alguma no governo.

GLOBO GOLPISTA ALERTA: BOLSONARO PODE MATAR O AGRONEGÓCIO

Ontem foi o ex-ministro Blairo Maggi – maior produtor de soja do mundo – quem disse que Bolsonaro pode destruir o agronegócio. Hoje é a vez da Globo – que ajudou a criar o ambiente de ódio que levou o Bozo ao poder – concluir que sua criatura é uma ameaça ao agronegócio. Deu no Brasil 247:

Em editorial publicado neste domingo, o jornal O Globo avalia que Jair Bolsonaro representa uma grande ameaça para o agronegócio brasileiro. 

Segundo o texto, Bolsonaro “desdenha de países que, nos últimos dez anos, repassaram US$ 1 bilhão dos seus cidadãos — a fundo perdido — para projetos sustentáveis, cujos únicos beneficiários são comunidades nas quais a presença do Estado brasileiro é rarefeita”.

O texto diz, ainda, que o presidente “critica em linguajar tosco chefes de Estado da Alemanha, França e Noruega, entre outros, por seus apelos à preservação ambiental, insinuando uma suposta conspiração contra a soberania brasileira.”

“Sem projeto alternativo, consistente, o governo se limita a renegar a Ciência, a desdenhar de debates e a estimular o desinvestimento externo. É política pouco inteligente. A incontinência retórica de Bolsonaro está criando um risco amazônico para o agronegócio, hoje responsável por 26% do Produto Interno Bruto.”

CARTUNISTA FRANCÊS COLOCA BOLSONARO DEFECANDO NA BANDEIRA DO BRASIL

A charge é sem graça e de mau gosto, mas as bobagens que o Bozo fala são piores ainda. Deu no DCM:

Nicola Tabary publicou a charge no Hebdo de Charente-Maritime.

O primeiro balão diz:

“Não é bom o Sr. Bolsonaro fazer cocô em todos!!”

No desenho, o presidente responde:

“Sim! É bom!! Porque eu cago um dia sim e outro não para preservar o meio ambiente e o planeta!”

Essa é a imagem de Bolsonaro no exterior.

“NUNCA TIVEMOS UM IDIOTA TÃO COMPLETO NO PODER”

Do jornalista Leandro Fortes, em seu blog:

O fato é que não há como ignorar Bolsonaro. Obviamente, não por conta de ele ser presidente ou emanar alguma autoridade: nunca, na história desse País, tivemos um idiota tão completo no poder.

A questão é mais sensorial do que, digamos, realista. 

Na trapaça mais recente, Bozo estampou aquela carona avermelhada nas telas de toda parte para dizer que, no governo, o PT colocou 10 mil médicos cubanos, no Brasil, para montar células de guerrilha, deduz-se, comunista.

Ele está cercado, sempre, de uma entourage que dá risadinhas e gritinhos histéricos, um séquito de imbecis motivados.

De perto, em close, Bolsonaro é ainda mais asqueroso. As falas vêm de um boca pequena mas monstruosamente desarmônica, de onde se espera sempre emanações com hálito de fezes, sua narrativa preferida.

Perdido nas poucas conexões neurais que ainda lhe restam, o presidente rumina as ideias como um boi que, ao invés de capim, mascasse vísceras. O resultado é um fluxo pavoroso de estupidez pastosa, radioativa.

Aos poucos, embora de forma ainda envergonhada, os repórteres que o cercam começam a demonstrar certo incômodo profissional.

“O senhor tem provas?”, pergunta o rapaz, já na esquiva, ciente que mula irritada dá coice para todo lado.

Bozo não precisa de provas, na verdade, as despreza, por inúteis à sua jornada. Na cara congestionada, a pergunta lhe ativa a bílis negra, a boquinha convulsionada se enrola num torvelinho de língua, restos de dentes, lábios secos.

Os olhos se aproximam entre si, dão ao quadro geral uma aparência franca, cristalina, de demência. 

De novo, ele defeca, antes de fugir.

1 2 3 375