Categoria: Política

BOLSONARO SE VACINA CONTRA SUPOSTAS “NOVAS REVELAÇÕES” SOBRE O ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO

Deu no Brasil 247:

Tudo indica que o clã Bolsonaro será atingido por novas revelações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, nos próximos dias. Isso porque o próprio Bolsonaro se vacinou contra o que está por vir, ao dizer que novas armações estão sendo preparadas por adversários, insinuando que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, poderia acusar alguém de sua família pelo brutal assassinato. A atitude de Bolsonaro gerou certa perplexidade, no meio jornalístico.

“Ora, um presidente que diz coisas definitivas sobre um assassinato —vêm aí novas armações contra mim—, mas não define muito bem as coisas, não precisa de imprensa ou de gente malévola para se enrolar. Bolsonaro tropeça na própria língua. Parece atormentado pela síndrome do que está por vir. E o país se pergunta: O que só Bolsonaro sabe sobre o caso Marielle?”, questionou Josias de Souza, em sua coluna no Uol.

Percepção semelhante foi a do jornalista George Marques, que comentou sobre a vacina de Bolsonaro em seu twitter:

O que parece certo é que o clã em breve terá que voltar a dar explicações sobre o caso, que tem relação direta com as milícias apadrinhadas pela família Bolsonaro.

APAE DE JALES E AVCC SÃO BENEFICIADAS COM EMENDA DO DEPUTADO ITAMAR BORGES

A notícia é da assessoria de imprensa do deputado:

O deputado Itamar Borges destinou emenda parlamentar para a AVCC – Associação de Voluntários de Combate ao Câncer, por meio da Prefeitura de Jales, que será usada para a aquisição de um veículo. E para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Jales – APAE, no valor de R$ 100 mil, para a aquisição de veículo, equipamentos e mobiliários. A liberação foi feita em 09 de dezembro, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes. 

“Iniciativa importante que fortalece o município e beneficia diretamente a população, que mais precisa de atenção”, destaca o deputado Itamar Borges, ao comemorar a conquista.

Na oportunidade, também foram firmados convênios de mais de R$ 12 milhões com entidades de 193 municípios. Serão beneficiados ações e projetos voltados a crianças, jovens e idosos e as instituições poderão realizar obras de melhorias ou comprar veículos e equipamentos.

O governador João Doria, a secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, realizaram a assinatura com o preito Flá. O evento foi acompanhado pelo chefe de gabinete do deputado Itamar, Carlos José Zigart, e pelas assessoras Mara Amaral e Marcia Fonseca.

“Ações sociais transformam a vida e a realidade de crianças, adolescentes e idosos e contribuem para a criação de um mundo mais justo e igualitário. O apoio a entidades sociais e assistenciais é uma das marcas mais fortes dos meus mandatos, além de ser uma das causas que eu defendo e acredito, é um trabalho fundamental para os cidadãos que mais necessitam de ajuda e se encontram em situação de vulnerabilidade”, finaliza Itamar Borges.

PREFEITO DE CIDADE DO MARANHÃO BAIXA PREÇO DA CARNE POR DECRETO

Eis aí uma boa sugestão para o nosso prefeito Flá Prandi. Além de baixar o preço da carne, ele bem que podia aproveitar o decreto para revogar a lei da oferta e procura. A charge é do Lute e a notícia é do Conjur:

O prefeito Francisco Clidenor Ferreira do Nascimento (Cidania), de Lagoa Verde, no interior do Maranhão, decidiu baixar o preço da carne na canetada.

O decreto 040/2019 estabelece que os açougues da cidade voltem a cobrar o preço anterior à alta do produto.

O documento estabelece que a carne bovina com osso deve custar R$ 12 e a desossada ,R$ 15.

O decreto foi publicado no último dia 6 de dezembro e entrou em vigor no mesmo dia.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o secretário de Fazenda e Planejamento do município, Geyson Monteiro Aragão, disse que prefeitura estuda enviar aos açougues uma nova tabela de preços por ofício.

Aragão revelou que é cultural na cidade a prefeitura intervir no preço da proteína animal. Segundo ele, a administração local tentará um acordo para que o produto seja mais barato ao menos no final de ano.

TSE CASSA MANDATO DA SENADORA SELMA ARRUDA, CONHECIDA COMO ‘MORO DE SAIAS’

A notícia é da Agência Brasil:

Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (10) cassar o mandato da senadora Selma Arruda (Podemos-MT) por abuso de poder econômico e caixa dois nas eleições do ano passado. Conhecida como Juíza Selma, a parlamentar aposentou-se da magistratura e concorreu ao cargo pelo PSL.

Com a decisão, novas eleições para o cargo deverão ser convocadas pela Justiça Eleitoral de Mato Grosso, cuja data ainda será definida. A cassação também atinge o primeiro e o segundo suplentes, Gilberto Possamai e Clerie Fabiana. A parlamentar pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar suspender a cassação. 

Em abril, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Mato Grosso cassou o mandato da senadora pela suposta omissão de R$ 1,2 milhão na prestação de contas da campanha do ano passado. Porém, Selma Arruda e seus suplentes recorreram ao TSE.

Na terça-feira (3), ao iniciar o julgamento do recurso da parlamentar, o relator, ministro Og Fernandes, votou pela cassação da chapa por entender que houve diversas irregularidades na campanha, como recebimentos e despesas “por dentro e por fora” que não constaram na contabilidade, além de propaganda e gastos fora do período eleitoral.

DATAFOLHA: BRASILEIROS CONFIAM MAIS EM LULA DO QUE EM BOLSONARO

A maioria da população considerou justa a soltura do ex-presidente Lula no início de novembro, aponta a mais recente pesquisa Datafolha, que ouviu 2.948 pessoas em 176 municípios, entre os dias 05 e 06 de dezembro.

De acordo com o levantamento, 54% dos entrevistados entendem que a libertação do petista foi justa, enquanto 42% a consideram injusta. Os que não souberam dizer se a soltura foi justa ou injusta são 5%. Entre os que apoiam o governo Bolsonaro, 30% consideram a soltura de Lula justa.

O Datafolha questionou os entrevistados sobre se eles confiam nas declarações de Lula. 25% disseram que confiam sempre, enquanto 36% afirmaram confiar às vezes. Já os que não confiam nunca no que Lula diz são 37% dos entrevistados.

Por outro lado, a pesquisa constatou um elevado grau de desconfiança em relação a Jair Bolsonaro: 43% disseram que nunca confiam no que Bolsonaro diz, enquanto 37% responderam que só confiam de vez em quando. Já os que confiam sempre são apenas 19%.

A pesquisa mostra que os nordestinos (71%), os pobres (63%), os negros (62%), os jovens (61%) e as mulheres (56%) são os que mais confiam em Lula. Entre os ricos, apenas 38% confiam no ex-presidente.

LEI DO RJ QUE LIMITA JORNADA DE TRABALHO DE ENFERMEIROS EM 30 HORAS SEMANAIS É INCONSTITUCIONAL

A notícia diz respeito aos enfermeiros do Rio de Janeiro, mas nos remete ao que aconteceu aqui em São Paulo.

Os prezados leitores devem estar lembrados que no estado de São Paulo também foi aprovada uma lei que diminuía a jornada de trabalho dos profissionais da enfermagem. Analice Fernandes, nossa ilustre conterrânea, foi a autora da lei, pela qual ela foi, inclusive, homenageada pela Câmara de Jales com uma moção de aplausos. 

Quando a lei – que tramitou em tempo recorde – foi aprovada pela Assembleia, em dezembro de 2018, o assunto obteve ampla divulgação, mas…. Mas, em janeiro deste ano, uma das primeiras medidas do recém-empossado governador João Dória foi VETAR a lei de Analice.

A nova lei traria um impacto financeiro de R$ 4,5 bilhões por ano nas despesas dos estabelecimentos de saúde do estado. Segundo estudos apresentados ao governador, somente as entidades sem fins lucrativos, como é o caso da Santa Casa de Jales, teriam um aumento de R$ 2,2 bilhões em suas despesas, o que provocaria demissões e extinção de leitos hospitalares.

O veto não mereceu, no entanto, a mesma atenção da imprensa, de modo que, para os desinformados, a lei de Analice estaria valendo. Não está! Mas, vamos à notícia sobre a lei aprovada no Rio de Janeiro, publicada pelo Consultor Jurídico:

O Estado não pode legislar sobre jornada de trabalho, porque o tema é de competência privativa da União. Com base neste entendimento, o Supremo Tribunal Federal declarou inconstitucional a Lei 8.315/19, do Rio de Janeiro, que trata da jornada de trabalho de profissionais de enfermagem.

A norma instituiu pisos salariais para diversos profissionais de enfermagem (auxiliares, técnicos e enfermeiros). A lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio e promulgada pelo governador Wilson Witzel, em março.

No Supremo, a lei foi questionada pela Confederação Nacional de Saúde, que sustentava que a lei trazia risco de demissões e de extinção de postos de trabalho. Isso porque aumentaria os custos para os estabelecimentos. 

Em junho, o ministro Alexandre de Moraes já havia suspendido trechos da lei. O julgamento foi encerrado no plenário virtual em novembro, por 6 votos a 4. Seguiram o relator os ministros Luiz  Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio, Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Votaram pela constitucionalidade os ministros Rosa Weber, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Celso de Mello.

DATAFOLHA: BOLSONARO TEM A PIOR AVALIAÇÃO ENTRE OS PRESIDENTES ELEITOS APÓS O REGIME MILITAR

Com informações da Folha de S. Paulo:

Os números do Datafolha divulgado hoje indicam que Bolsonaro chega ao fim do primeiro ano no cargo com avaliação pior do que a recebida por alguns de seus antecessores no mesmo período do mandato.

Ao final do seu primeiro ano de mandato, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) era aprovado por 41% da população, enquanto Lula (PT) alcançou 42% e Dilma Rousseff (PT) obteve 59% de aprovação a essa altura do primeiro mandato.

Somente Michel Temer (MDB) e Itamar Franco, que não foram eleitos, chegaram ao fim do primeiro ano com reprovação maior do que a de Bolsonaro agora. Um ano após assumir o lugar de Dilma, o ex-presidente Temer era reprovado por 61%.

De outro lado, a pesquisa aponta que reprovação a Jair Bolsonaro parou de crescer, em razão de uma melhoria nas expectativas econômicas. Enquanto a taxa de aprovação oscilou de 29% para 30%, a reprovação, que cresceu de 30% para 38% na pesquisa anterior, dessa vez ficou em 36%, dentro da margem de erro. Para 56% dos entrevistados, Bolsonaro não se comporta adequadamente.

A pesquisa mostra, ainda, que a percepção dos brasileiros a respeito do combate à corrupção pelo governo Bolsonaro piorou bastante em dois meses. A aprovação do desempenho do governo nesse quesito caiu de 34% para 29%, enquanto a desaprovação subiu de 44% para 50%. Ou seja, metade dos brasileiros já não botam a atuação da dupla Bolsonaro/Moro na área do combate à corrupção.

O Datafolha mostra, também, que Bolsonaro não está, na opinião da maioria dos entrevistados, colaborando para melhorar a imagem do Brasil no exterior. Para 39%, a imagem do país piorou, enquanto para 25% a imagem continua na mesma. Já o bloco dos que acham que melhorou contabiliza 31%.

Em dezembro de 2003, no fim do primeiro ano do mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 53% achavam que seu governo tinha contribuído para melhorar a imagem do país no mundo e somente 7% diziam que ela tinha piorado.

A análise do Datafolha permite concluir que o “gado bolsonarista” – aquele grupo de brasileiros que aprovam cegamente o governo e confiam em tudo o que Bolsonaro diz ou faz – está, atualmente, em 14% da população. A maioria do “gado” está na região Sul e é formada por homens brancos com boa situação financeira.

1 2 3 389