Categoria: Política

O BRASIL DOS IMBECIS NÃO TEM LIMITES

Deu no Tijolaço:

É inacreditável que a ex-presidente Dilma Rousseff tenha de publicar uma nota, em seu site, esclarecendo a morte de seu animal de estimação, um cachorro labrador de 12 anos de idade.

Mais inacreditável que um deputado “impixista” tenha feito contra ela uma denúncia por crueldade com os animais pelo fato de que o animal tenha sido sacrificado (como milhares de outros são)  por orientação de um veterinário, em estado avançado de duas doenças comuns entre cães (displasia coxo-femural, que impede, progressivamente, o animal de andar e até de se levantar, e  mielopatia degenerativa, ambas incuráveis e que, em fase final provocam dores intensíssimas).

Ainda mais inacreditável que o senhor Rodrigo Janot tenha aceito a denúncia enviado o caso para a Justiça Federal do Distrito Federal que, por sua vez, mandou-o às autoridades policiais do Distrito Federal.

Continue a série do “acredite se quiser” – porque nem o tal deputado Ricardo Izar acreditou – e fique sabendo que ele foi chamado a depor e confirmar a acusação. “Não acreditava nunca que iria para a frente. Essas denúncias de maus-tratos de animais que faço nunca continuam. Talvez por ser a Dilma, essa foi”, disse  à Gazeta do Povo.

É a este ponto que chegou o Estado Policial no Brasil. Criminalizar, por conveniência política, um gesto doloroso que dezenas de milhares de pessoas já tiveram de autorizar para seu animal de estimação.

Quem sabe também não mandam para o Dr. Moro e os “convictos” da Força Tarefa.

Aqui, a Justiça não se entregou ao autoritarismo. Entregou-se também ao ridículo.

PESQUISA CUT/VOX POPULI APONTA QUE TEMER SÓ TEM 3% DE APROVAÇÃO

O ex-urubólogo Alexandre Garcia faz parte dos 3% que aprovam o governo Temer. Deu no Brasil 247:

Pesquisa CUT-Vox Populi divulgada nesta sexta-feira, 10, mostra que para 84% dos brasileiros, o Brasil está na direção errada. Só 3% dos brasileiros avaliam positivamente o desempenho de Temer como presidente – 76% avaliam negativamente.

As piores avaliações estão no Nordeste (83%), região que vem sofrendo fortemente com os efeitos da crise, cortes nas políticas públicas sociais, com a falta de investimentos e de uma política econômica que favoreça o investimento e a ampliação do crédito à produção e ao consumo. Temer também tem uma péssima avaliação entre os jovens (76%) e adultos (77%), que mais sofrem com o desemprego e a falta de oportunidades.

E o reflexo desse cenário é que do universo pesquisado, apenas 2% – índice menor do que a margem de erro da pesquisa que é de 2,2% – acham que a vida melhorou desde que Temer assumiu a presidência. Para 59% a vida está a cada dia pior. Outros 38% disseram que nada mudou e 1% não sabe ou não respondeu.

“A ponte para o futuro de Temer, que deveria, segundo a apresentação no site do PMDB, preservar a economia brasileira e tornar viável o desenvolvimento do país, está gerando só aumento da fome e desemprego, do gás, das contas de luz e da gasolina, além de lucros e benefícios para os empresários que financiaram o golpe”, diz o presidente da CUT, Vagner Freitas.

O diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, concorda com a avaliação do presidente da CUT. Segundo Coimbra, “a pesquisa mostra que a grande maioria da população não aprova o governo e rejeita sua agenda”.

Ele lembra que, depois do golpe, “não durou nem 30 dias a esperança de que o governo Temer pudesse trazer alguma melhora para o País”.

“De lá para cá, o que era ruim piorou”, concluiu Coimbra.

A nova rodada da pesquisa CUT-VOX foi realizada em 118 municípios. Foram entrevistados 2000 brasileiros com mais de 16 anos de idade, residentes em áreas urbanas e rurais, de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior, em todos os segmentos sociais e econômicos.

A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

ZANETONI COBRA INFORMAÇÕES SOBRE ESCOAMENTO DE ÁGUA NO JARDIM ALVORADA

A foto acima – que mostra como ficam as ruas do Alvorada depois de uma chuva –  eu tomei emprestada do facebook do vereador Deley. E a notícia é da assessoria de imprensa da Câmara:

Na noite de ontem (6), em Sessão Ordinária, o vereador João Zanetoni (PSB) apresentou um requerimento questionando a Prefeitura sobre quais providências já foram tomadas para evitar que a água invada o Jardim Alvorada. Ele também indagou quando será instalado um sistema completo de captação de água nos bairros Jardim Alvorada, Nova Jales I e Nova Jales II.

“Nesse fim de semana, aconteceu o mesmo problema, com maior dano ainda. A terra já estava molhada e essa erosão alcançou as ruas, casas e ainda causando o assoreamento do Córrego do Açude”, falou Zanetoni. 

O vereador Vanderley Vieira – Deley (PPS) ressaltou a necessidade de melhorar a captação de água na região: “Estive lá hoje e vi o lamaceiro que está naquele bairro. É de dar dó. [Terra] É devido à construção de um novo bairro. Mas nós, como vereadores, temos que fiscalizar quando for fazer o escoamento de água, quando for fazer o asfalto, a tubulação, para que as águas que vêm do Nova Jales I, junto com as do Nova Jales II não invadam totalmente o Jardim Alvorada”.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e encaminhado ao Poder Executivo, que tem até 15 dias úteis para enviar resposta ao Legislativo. Todos os requerimentos e suas respostas ficam disponíveis ao público no site da Câmara Municipal (www.jales.sp.leg.br).

O JORNALISMO BRASILEIRO, POR UM JORNALISTA

Trecho do artigo “O acerto de contas da mídia com ela mesma“, do jornalista Luís Nassif:

Em qualquer grande país, há um grande jornal de centro-esquerda, outro de centro-direita, mas ambos respeitando integralmente a notícia. O respeito à notícia faz parte das qualidades intrínsecas do jornalismo, como gelar é função da geladeira, cozinhar do fogão. A geladeira pode ter mil badulaques. Mas sua qualidade intrínseca é de gelar. Os veículos podem ter linhas políticas distintas. Mas sua qualidade intrínseca é bem informar.

Tudo isso foi deixado de lado. Agora se tem esse desafio inglório de divulgar pesquisas para tentar explicar ao leitor que o jornalismo pátrio é o remédio contra as fakenews.

Que jornalismo? O que anunciou a invasão das FARCS no Brasil, os dólares de Cuba remetidos em garrafas de rum, a ficha falsa de Dilma, o respeitado assessor que não passava de um pequeno estelionatário, o esgoto diário e semanal despejado sobre o país durante tanto tempo?

Por trás do macartismo enlouquecido, praticou-se toda sorte de jogadas. E, como não existe Estadista na mídia, permitiu-se, nesse período, a consolidação final do poderio da Globo.

Enquanto jornais transformavam blogs em seus adversários preferenciais, a Globo abocanhava parcelas cada vez maiores da publicidade das estatais.

Hoje se tem essa situação humilhante, dos jornais equilibristas. Na reportagem, denúncias contra Michel Temer, para impedir a desmoralização final dos veículos. Nos editoriais, apoio, para impedir o corte de publicidade.

Ainda vai levar algum tempo para perceberem que os maiores defensores do jornalismo foram os jornalistas que denunciaram essas distorções monumentais, que acabaram por liquidar com a credibilidade do jornalismo pátrio. Mas que só conseguiram externá-las longe dos jornais. O pluralismo dos anos 90 tinha se transformado em muralha intransponível.

VEJA REABRE CAMPANHA DO MEDO CONTRA LULA

Eles demonizaram o Lula, propagaram o ódio, criaram o Bolsomito, e agora estão com medo. A notícia é do Brasil 247:

A menos de um ano das eleições presidenciais, a revista Veja, da Editora Abril, reabriu a campanha do medo contra Lula, na linha Regina Duarte.

Diante da pesquisa Ibppe que mostra o ex-presidente Lula com 35% e o deputado Jair Bolsonaro com 15%, enquanto as forças alinhadas com o golpe de 2016 continuam incapazes de produzir um candidato competitivo, a revista Veja retrata Lula e Bolsonaro como extremistas e faz um apelo por um nome de centro.

Bolsonaro, de fato, é um extremista e é o resultado da campanha de ódio plantada pelo PSDB e por meios de comunicação como Veja contra Lula. 

Lula, no entanto, foi presidente por oito anos, deixou o cargo com 87% de aprovação, batendo recorde mundial, e é quem representa o verdadeiro centro da política nacional.

“A experiência de seus oito anos de governo comprova que ele sempre atuou como um fator de contenção de atritos entre as classes sociais e promoveu um ciclo de desenvolvimento em que todos progrediram. Tanto ricos como pobres, embora estes tenham maior gratidão e também uma melhor compreensão da falência do sistema político brasileiro e da importância de Lula para conduzir o País a um novo ciclo de paz e progresso”, diz o jornalista Leonardo Attuch, no artigo O Brasil caminha para o impasse político.

É por isso mesmo que ele cresce, refaz alianças e se consolida como o favorito para devolver ao Brasil a democracia que foi roubada pelo golpe.

TIQUINHO QUER SABER MOTIVOS QUE LEVARAM AO FECHAMENTO DO MUSEU MUNICIPAL

Mais de seis anos depois do fechamento do Museu Histórico de Jales, que funcionava no prédio do Espaço Cultural “José Carlos Guisso”, o vereador Tiquinho resolveu questionar, com ligeiro atraso, o atual prefeito sobre os motivos que teriam levado nossa Prefeitura a fechar o tal Museu.

Os questionamentos deveriam ter sido encaminhados ao ex-prefeito Humberto Parini. Ou então à ex-primeira-dama Rose Parini. Foi ela quem, em março de 2011, mandou esvaziar o Museu para que fosse realizada naquele espaço a exposição “Hiroshima e Nagasaki Nunca Mais”.

As peças, documentos, quadros e fotos que compunham o acervo do Museu (incluindo uma foto que registra o Luiz Carlos Seixas e a Leninha Baitelo recebendo um prêmio pela música “Mulher de Malandro”, vencedora de um festival) foram amontoados em uma sala localizada nos fundos da Biblioteca Municipal.

A exposição “Hiroshima e Nagasaki” durou alguns dias. Quanto ao Museu, “Nunca Mais”.

1 2 3 4 5 295