Categoria: Política

DANIELA MERCURY RESPONDE A PROVOCAÇÃO DE BOLSONARO

O primeiro carnaval da Era Bozozóica ficará marcado pelas homenagens e manifestações de carinho dedicadas ao ex-presidente Lula e pelo repúdio ao Bozo que, em várias capitais, foi homenageado com coros como “Ei Bolsonaro, vai tomar no c…!”.

Ficará marcado, também, pela resposta classuda e definitiva da cantora Daniela Mercury à provocação que o desocupado e beligerante Bozo fez a ela e ao Caetano Veloso.

Caetano – que já polemizou com gente bem mais intelectualizada que o Bozo, como o falecido Paulo Francis, por exemplo – ainda não respondeu e talvez nem o faça. Já a mulher de Caetano, a Paula Lavigne, postou um vídeo com milhares de pessoas mandando o Bozo ir tomar naquele lugar que não toma sol.

Abaixo, a impagável responda da Daniela:   

“Sr. Presidente, sinto muito que não tenha compreendido a canção ‘Proibido o Carnaval’, que defende a liberdade de expressão e é claramente contra a censura. Mas acho que isso nem vem ao caso aqui porque percebo que há uma distorção muito grave sobre a lei Rouanet. Parece que ela ainda não foi compreendida. Por isso, me coloco à disposição para explicar como funciona o passo a passo dessa lei.

Aproveito para tranquilizá-lo. Usei muito pouco de verba pública de impostos da lei Rouanet em cada projeto que tive aprovado. Para que o senhor entenda, cada desfile de trio sem cordas (sem cobrança de ingresso, de graça para os foliões), custa cerca de 400 mil reais. Em 20 anos, Eu tive apoio (TUDO DENTRO DA LEI) de cerca de um milhão de reais de verba de impostos da lei Rouanet. 1 milhão em 20 anos, ressalto!!! Dá cerca de 50 mil reais por ano, se assim dividirmos.

Considere, sr. Presidente, que eu comecei o movimento de trios sem cordas, de graça para o público, há 21 anos. Eles custaram, por baixo, cerca de 10 milhões de reais! Se tive cerca de 1 milhão de verba pública nesses 20 anos, isso significa que o restante (9 milhões) paguei ou do MEU BOLSO diretamente ou com o patrocínio de empresas privadas.

Em 35 anos de carreira, fiz muitas apresentações de graça no Brasil, bancadas do meu bolso. Essa fake news sobre a lei Rouanet criada na eleição não pode continuar sendo usada para desmerecer o trabalho sofrido e suado dos artistas brasileiros. A arte, além de tudo, tem um valor imensurável e o retorno do nosso trabalho para a sociedade, para o turismo, para a economia é gigante. Para que compreenda melhor, apenas com 1 ano do sucesso ‘O Canto da Cidade’ (uma música “famosa” minha), Salvador ganhou 500 mil turistas a mais.

Mais um exemplo: eu tenho cerca de 50 milhões de reais de retorno de mídia espontânea em cada carnaval de Salvador. Esse retorno, a partir de minhas apresentações (6 horas por dia cantando e dançando sem parar nem para comer – somadas a mais 5 horas prévias de preparação – e mais 2 horas pós apresentação para recuperação da voz e do corpo – durante 6 dias seguidos) traz uma valorização gigantesca para a imagem da cidade, do Estado e do país. Tudo isso estimula o turismo e turbina a economia.

Tenho visto que estimular o turismo é um objetivo do senhor. Não se engane: trabalhamos muito. Quando se ataca a arte de um país, quando se ataca os “artistas” brasileiros, se ataca a alma do povo desse país. Mereço respeito pelo que sou, pelo que represento e pelo que faço constantemente pela sociedade brasileira em diversas causas, não apenas na arte. Reitero aqui a minha disposição de conversar com o senhor e com sua equipe sobre a lei Rouanet. Se assim desejar, irei com minha esposa, que é também minha empresária, até Brasília para conversar com o senhor sobre o assunto. Abraços e feliz carnaval.”

Ass.: Daniela Mercury Verçosa.

BOLSONARO ATACA CAETANO VELOSO E DANIELA MERCURY

Deu no Brasil 247:

Depois de atacar a Educação, Bolsonaro volta agora suas baterias no Carnaval contra os artistas do país, as artes e a cultura nacional. Num tweet na manhã desta terça-feira de Carnaval (5), ele atacou Caetano Veloso e Daniela Mercury afirmando que eles sequer são artistas e acusando-os falsamente de viveram às custas da Lei Rouanet.

“Esse tipo de ‘artista’ não mais se locupletará da Lei Rouanet”. O presidente da República referiu-se a dois dos mais relevantes artistas do país como “dois ‘famosos'”. É uma retaliação ao videoclipe “Proibido o Carnaval” lançado no início de fevereiro.

No seu tweet, Bolsonaro divulga a gravação de um artista cujo nome é omitido com uma marchinha de ataque aos dois artistas e que começa com o cantor anunciando: “Essa marchinha vai para o nosso querido Caetano Veloso e nossa querida Daniela Mercury… chupa!”. O refrão da marchinha é o ataque mentiroso aos dois: “Ê ê ê ê ê, tem gente ficando doida sem a tal Lei Rouanet”.

Nem vamos perder tempo vendo a marchinha do artista anônimo. Vejamos Caetano e a Daniela, no vídeo que é uma amostra da alegria de boa parte do povo brasileiro:

VEREADOR PINTINHO SUGERE PROJETO PARA DESTINAR PARTE DO LUCRO DA SABESP A ENTIDADES DE JALES

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara:

O vereador Vagner Selis – Pintinho (PRB), em Sessão Ordinária (25), apresentou uma indicação solicitando que a Prefeitura encaminhe à Câmara um projeto de lei que vise celebrar convênio de cooperação com o Estado de São Paulo, via Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp, nos termos do texto da Lei nº 3.268/2007, que autorize a Sabesp a fazer doações financeiras equivalentes a 2% do montante de seu lucro operacional alcançado na área territorial de Jales.

No documento, Pintinho sugeriu que 1% seja destinado à Santa Casa de Misericórdia de Jales, 0,5% à APAE de Jales e 0,5% ao Projeto Corpo e Mente em Movimento – SACRA.

Segundo Pintinho, o convênio é importante, pois a APAE e o SACRA enfrentam dificuldades principalmente para cobrir a folha de pagamento dos funcionários e os repasses obtidos via deputados não podem ser destinados para esse fim.

O vereador justificou que os recursos recebidos pelas instituições citadas não são suficientes para cumprir com seus objetivos e o PL poderá atenuar essas dificuldades financeiras. Um convênio de cooperação semelhante foi aprovado no município de Fernandópolis.

A indicação foi lida em Sessão e encaminhada ao prefeito.

ATOR ZÉ DE ABREU SE AUTODECLARA PRESIDENTE DO BRASIL

Depois do Guaidó, parece que a moda está pegando na América do Sul. A notícia é do Catraca Livre, do Gilberto Dimenstein:

Ator da Globo, José de Abreu se autoproclamou Presidente do Brasil na noite desta segunda-feira, 25, deixando as redes sociais em alvoroço.

Já cansado com o recém-nascido governo de Jair Bolsonaro (PSL), Zé de Abreu aproveitou o embalo de sua proclamação para fazer diversos anúncios para este novo País.

“A partir de hoje, eu sou o autodeclarado Presidente do Brasil. Igual fizeram na Venezuela. Lula está nomeado chefe da casa civil, militar e religiosa do Brasil”, escreveu o ator no Twitter.

Por volta das 4 horas da manhã, depois de passar horas tentando conseguir o apoio do Grupo de Lima, Zé de Abreu tuitou: “Meus caros concidadãos, vamos dormir! Amanhã será um dia de luta para incrementar a presidência. Boa noite. Fiquem em paz. E, se der, façam sexo antes.” 

Eis algumas propostas do Zé de Abreu:

 – Mexer na aposentadoria dos mais pobres só depois de extinguir a aposentadoria de filhas de militares e juízes que fingem ser solteiras, como é o caso da Maitê Proença;

 – Mudar a capital do país para o Nordeste;

 – Proibir o hino para menores de 18 anos;

 – Proibir que os troncos de árvores sejam pintados de branco;

 – Garantir que a nossa bandeira jamais será laranja.

SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO REPUDIAM INSTRUÇÃO DO MEC COM SLOGAN DA CAMPANHA DE BOLSONARO

Antes da notícia, devo dizer que o ministro olavista Vélez Rodrigues – que o Alexandre Garcia acha um gênio – já voltou atrás hoje. Ele está dizendo, agora, que a cantoria do hino será voluntária e retirou do seu comunicado a parte que recomendava a leitura do slogan do Bozo. Deu no Brasil 247:

O Ministério da Educação (MEC) enviou ontem para todas as escolas do País um e-mail pedindo que seja lida uma carta aos alunos, professores e funcionários com o slogan da campanha de Jair Bolsonaro: “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos.” O comunicado recomenda ainda que todos estejam “perfilados diante da Bandeira do Brasil” e seja tocado o Hino Nacional. Por último, pede que as escolas filmem as crianças nesse momento e enviem os vídeos ao governo. 

Segundo relata o jornal Estado de S.Paulo, a medida provocou reações no meio educacional e entre pais de estudantes. O Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed) disse, em nota, que a ação fere não apenas a autonomia dos gestores, mas dos entes da Federação. 

“O ambiente escolar deve estar imune a qualquer tipo de ingerência político-partidária”, disse o Consed. Para o órgão, o Brasil precisa, “ao contrário de estimular pequenas disputas ideológicas na Educação, priorizar a aprendizagem”.

A secretaria de Estado do governo de Pernambuco também rechaçou a medida. Veja a nota abaixo: 

1 2 3 4 5 352