Categoria: Política

JOSÉ ALENCAR MORRE AOS 79 ANOS EM SÃO PAULO

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu às 14h41 desta terça-feira, aos 79 anos, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, vítima de câncer. Ele foi internado ontem com quadro de suboclusão intestinal.

Segundo nota do hospital, Alencar teve falência múltipla de órgãos, em decorrência de um câncer na região abdominal. Ele enfrentava a doença havia mais de 15 anos, passou por 17 cirurgias e várias internações. Por conta do tratamento, ele decidiu que não concorreria às eleições em outubro, por considerar uma injustiça com os eleitores.

No aniversário da cidade de São Paulo, em 25 de janeiro, ele foi homenageado em cerimônia na Prefeitura de São Paulo, com presença da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula, do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Em novembro, após sofrer um infarto agudo do miocárdio, Alencar chegou a interromper o tratamento contra o câncer por alguns dias. De lá para cá, o sarcoma teve “progressão clara”, segundo o oncologista Paulo Hoff, da equipe médica responsável pelo ex-vice.

TUCANO JOTA ERRE CRITICA AUSÊNCIA DE PARINI NO EVENTO COM ALCKMIM, EM VOTUPORANGA

O vereador José Roberto Fávaro(PSDB) elogiou a atuação do presidente da Câmara, Claudir Aranda, que representou Jales no evento de sábado passado, em Votuporanga, quando o governador anunciou o início das obras de duplicação da rodovia Euclides da Cunha.

Em discurso, já no final da sessão desta segunda-feira, Jota Erre registrou a presença de Claudir no evento e, de outro lado, registrou também a ausência do prefeito Humberto Parini. Segundo o tucano, não havia nenhum representante do Executivo jalesense em Votuporanga, no sábado, o que, na opinião dele, foi algo lamentável.

Jota Erre é um brincalhão! Será que ele achava mesmo que o prefeito Parini iria dar o ar de sua graça em Votuporanga depois do “estelionato eleitoral”?

ESPECIATO NÃO GOSTOU DO ADIAMENTO DA VOTAÇÃO DE PROJETOS PARA VENDA DE IMÓVEIS

Na sessão da Câmara, desta segunda-feira, o vereador Luís Especiato manifestou algum descontentamento com o adiamento da votação dos projetos em que o prefeito Humberto Parini solicita autorização para vender oito terrenos da Prefeitura. Segundo o vereador, o pedido de adiamento feito pelo tucano José Roberto Fávaro é legítimo, mas eventuais novos adiamentos poderiam significar mera “frescura”.

Especiato justificou seu ponto de vista, alegando que o dinheiro arrecadado com a venda dos terrenos será investido na melhoria dos Distritos Industriais, conforme promessa feita pelo prefeito Parini na mensagem que acompanha os projetos. Caso todos os oito imóveis sejam vendidos, os cofres da Prefeitura serão reforçados em cerca de R$ 500 mil.

Não sei quais motivos teriam levado Jota Erre a pedir o adiamento, mas pode ser que o vereador tucano não tenha acreditado na promessa de Parini. E, caso tenha sido esse o motivo, ele fez muito bem. Afinal, apesar de prometer aplicar o dinheiro nos Distritos Industriais, Parini não incluiu nos projetos-de-lei nenhum artigo que garanta o cumprimento da promessa. E, conhecendo bem o prefeito, seria um pouco arriscado acreditar que o dinheiro vá ser mesmo investido nos Distritos Industriais.

RIVELINO QUER UMA REFORMA NA INCUBADORA DO JACB

Na sessão da Câmara, de hoje, o vereador Rivelino Rodrigues vai apresentar uma indicação ao prefeito Humberto Parini, solicitando que seja elaborado um orçamento para reforma e adequação do prédio público localizado no Conjunto Habitacional JACB, onde funcionava uma incubadora de pequenas empresas. Nas palavras do vereador, aliado do prefeito, o prédio, que foi praticamente desativado e abandonado pela administração Parini, poderia estar sendo utilizado para geração de empregos e renda.

Já escrevi sobre o caso da “incubadora” do JACB, de onde o prefeito Humberto Parini desalojou e continua desalojando empresas simplesmente para deixar as salas vazias, como essa da foto acima, que, segundo informações, estaria desocupada e abandonada há mais de dois anos. A política de geração de empregos do governo Parini consiste nisso: expulsar empresas de incubadoras, sem, no entanto, dar condições prá que novas empresas se instalem nas salas desocupadas. Foi assim no JACB, na Fepasa e no Centro de Economia Solidária “Fioravante Boldrin”.

O pedido de Rivelino vai ser apenas mais um que será jogado no cesto de lixo por Parini. Com certeza, o nosso prefeito-estudante vai ficar “estudando” a solicitação do vereador por, no mínimo, uns vinte meses, que é o tempo que lhe falta para descer a rampa.

GOVERNADOR DESMENTE FECHAMENTO DE DELEGACIAS

Geraldo Alckmim já desmentiu essa história em entrevista ao Tony Ramos, no Jornal do Povo, da Rádio Assunção, mas não custa reproduzir um trecho da notícia do DiarioWeb, que ouviu o governador ontem, em Votuporanga:

“O governador Geraldo Alckmin (PSDB) recuou e disse que nenhuma delegacia será fechada na região de Rio Preto. “Nós vamos manter todos os investigadores e escrivãos. Apenas em cidades de mil e dois mil habitantes não há necessidade de manter um delegado titular, como não tem juiz ou promotor”, afirmou Alckmin ao ser aplaudido pela plateia recheada de tucanos.
O governador afirmou que a partir do segundo semestre deste ano serão contratados mais 2,2 mil policiais militares. “Teremos, no mínimo, 11 policiais em cada cidade do Estado de São Paulo. Para municípios menores o número é suficiente”, afirmou Alckmin. Atualmente, há cidade com seis policiais apenas. De forma imediata, a região vai receber 80 novos policiais militares provenientes da contratação recente de outros 2,3 mil policiais. O governador anunciou ontem em Votuporanga a abertura de concurso para a contratação de 140 delegados da Polícia Civil.”

A notícia completa do DiarioWeb pode ser lida aqui.

PIB JALESENSE CONTINUA PROCURANDO CANDIDATO DE CONSENSO

E um grupo de empresários jalesenses esteve reunido novamente, na quarta-feira, sob a batuta do diretor da Antena 102, Wanderley Garcia, e do seu filho, João Luiz Canhada Garcia. O objetivo da reunião foi, mais uma vez, tentar unir o PIB jalesense em torno de uma candidatura de consenso para 2012, visando tirar o PT do poder.

Além dos empresários, representantes de entidades, formadores de opinião e até candidatos a candidatos foram convidados. Os participantes da reunião receberam a recomendação de não comentar o que foi discutido por lá, mas, como em política ninguém consegue guardar segredo por muito tempo, um dos convidados tratou de cometer algumas inconfidências na rede de relacionamento Facebook.

Particularmente, penso que nem é preciso tanto consenso assim prá derrotar o candidato que vier a ser “apoiado” pelo prefeito Humberto Parini à sua sucessão. Pelo que ouço nas ruas, acho que, se a oposição lançar três candidatos, o candidato do prefeito – seja lá quem for – vai ficar em quarto lugar. Mas a idéia do doutor Wanderley é válida. O problema vai ser convencer alguns pretensos candidatos a abrir mão de suas candidaturas.

Ah!, eu ia me esquecendo: a minha fonte me confidenciou que a administração Parini foi bastante “elogiada” durante a reunião.

E, por falar em Wanderley Garcia, que a essa hora deve estar apresentando o Improviso, na Antena 102, agora eu já estou na  Regional FM, onde apresento o Brasil & Cia. Mais tarde posto outras novidades.

FILHA DO PREFEITO PEDE EXONERAÇÃO DO CARGO QUE TINHA NA REDE FERROVIÁRIA FEDERAL

O Diário Oficial da União, edição de ontem, publicou a exoneração da filha do nosso prefeito, Maria Gabriela Alves Parini, do cargo em comissão que ela ocupava na inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal. O despacho assegura que a exoneração foi “a pedido”.

Como eu já escrevi aqui neste espaço democrático, enquanto a nossa punjante cidade comemorava, distraída, os seus sessenta e nove anos de fundação, no dia 15 de abril do ano passado, a filha do prefeito era presenteada com um empreguinho na Rede Ferroviária Federal. A RFF é vinculada ao Ministério dos Transportes, onde o deputado federal Valdemar da Costa Neto(PR) tem grande influência. Valdemar recebeu o “apoio” de Parini nas eleições de 2010.

E, para que não pensem que eu invento coisas, estou reproduzindo, abaixo, a publicação do Diário Oficial da União, Seção 2, página 48, edição de 25 de março de 2011: 

GABINETE DO MINISTRO

PORTARIA Nº 42, DE 24 DE MARÇO DE 2011 

O MINISTRO DE ESTADO DOS TRANSPORTES, no uso da competência que lhe foi subdelegada nos termos do inciso I, art. 1º, da Portaria Ministerial nº 1056, de 11 de junho de 2003, da Casa Civil da Presidência da República, resolve: Exonerar, a pedido, MARIA GABRIELA ALVES PARINI, CPF 327.735.728-74, do cargo em comissão, código DAS 101.2, da Inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. – RFFSA, em caráter de transitoriedade.
ALFREDO NASCIMENTO

PARINI NÃO APARECE NO EVENTO DE ALCKMIM PARA LANÇAMENTO DA DUPLICAÇÃO

O prefeito de Jales, Humberto Parini, não deu as caras no evento de hoje cedo, em Votuporanga, quando o governador Geraldo Alckmim anunciou o início das obras da duplicação da rodovia Euclides da Cunha. Ao contrário de Parini, os demais prefeitos das principais cidades da região – São José do Rio Preto, Mirassol, Votuporanga, Fernandópolis e Santa Fé do Sul – fizeram questão de marcar presença no oba-oba com o governador.

Não se sabe se Parini foi convidado, mas, se foi, ele deve ter desconfiado que sua presença no evento não seria muito bem recebida. Afinal, além de ter classificado a promessa tucana de duplicação da rodovia de “estelionato eleitoral”, Parini e seu fiel-escudeiro, Liberato Caldeira – e mais dois outros trapalhões, cujos nomes não me lembro – andaram tramando um movimento de “protesto” contra a suposta fraude eleitoral.

O problema agora é descobrir por onde andou o nosso prefeito neste sábado. O Carioca propôs um enquete:

(   ) Parini, mais o Caldeira e os outros dois trapalhões, resolveram fazer uma pescaria no Pantanal;

(   ) Parini e a primeira-dama aproveitaram esta bela manhã de sábado para visitar um pai-de-santo, em Fernandópolis;

(   ) Parini, mais o Shimomura, o Chaparim e a Marli foram prá Israel conhecer novas plantações de pinhão-manso;

(   ) Parini foi a Ribeirão Preto resolver um probleminha no encanamento do apartamento.

PEDRO CALLADO E O PSDB: CRÔNICA DE UMA FILIAÇÃO ANUNCIADA

Está aberta a temporada de contratações dos partidos locais. O ex-candidato a deputado federal pelo PSOL, Juliano Mattos, por exemplo, estaria prestes a fechar contrato com o DEM, de Flávio Prandi. Convenhamos, uma razoável guinada à direita.

Já o juiz aposentado Pedro Manoel Callado Moraes assinou, finalmente, a sua ficha de filiação ao PSDB de Jales, novidade que já estava sendo anunciada desde a semana passada, mas que somente agora se confirmou. Resta saber agora quais são os planos do PSDB para o doutor Pedro.

Há quem diga que ele poderia ser um bom vice para a Nice Mistilides, numa eventual parceria com o PTB. Ou para o Flá, numa possível dobradinha com o DEM. E há quem garanta que o ex-juiz está bem entrosado com o Garça, com quem poderia repetir as tabelinhas que já fazem na Santa Casa há muito tempo. Mas há quem diga também que o doutor Pedro teria condições – por que não? – de ser o cabeça-de-chapa, caso o PSDB decida lançar candidato próprio à Prefeitura de Jales.

A essa altura do campeonato, arriscar algum palpite sobre o que pretende o PSDB com a contratação do doutor Pedro, seria mero exercício de futurologia. O novo presidente do diretório tucano, Carlos Roberto Cardoso da Silva não é muito dado fazer o trivial, muito pelo contrário, ele sempre costuma pregar surpresas de última hora. Em 2004, por exemplo, ele estava no PL e já tinha tudo certo para ser o vice do petista Humberto Parini. Mas, no minuto final, Cardosão tomou o rumo do Jardim Paraíso e, para surpresa quase geral, acertou-se com o professor Rato.

MACETÃO SERÁ JULGADO NA QUINTA-FEIRA PELO TRE

Hoje estive no Pronto-Socorro para fazer algumas fotos e encontrei por lá o João Missoni, secretário de Planejamento e presidente do diretório municipal do PMDB. O João me disse que o Tribunal Regional Eleitoral marcou para o dia 31 de março, quinta-feira, o julgamento do vereador Luiz Henrique Viotto, o mais votado nas eleições de 2008, com mais de 2.300 votos.

Macetão está sendo processado pelo PMDB, por infidelidade partidária. Eleito pelo partido, ele desfiliou-se coisa de um ano depois das eleições, com o argumento de que estaria sendo perseguido pelos peemedebistas. João Missoni acredita que Macetão poderá perder a vaga de vereador, uma vez que o partido está requisitando o mandato para um suplente peemedebista, junto à Justiça Eleitoral.

Evidentemente que ninguém do PMDB vai confirmar, mas a iniciativa de processar o vereador foi do prefeito Humberto Parini que, incomodado com as frequentes críticas de Macetão ao seu governo, tratou de “estimular” o partido de João Missoni a tomar medidas contra o desafeto político.

1 315 316 317 318 319 327