Categoria: Política

BASTIDORES DA POLÍTICA INDICAM UNIÃO ENTRE DOIS PREFEITURÁVEIS

Fontes bastante confiáveis me garantiram, hoje, que pelo menos dois dos três prefeituráveis da foto vão estar juntos nas disputas eleitorais de outubro. As negociações estariam bastante adiantadas, pois eles estão conscientes de que, se a oposição sair muito dividida para a disputa, correrá  riscos  desnecessários.

Consta que as instâncias superiores dos partidos envolvidos já estão cientes das costuras que estão sendo feitas por aqui e deram sinal verde para o prosseguimento das negociações. O problema vai ser contornar os interesses de outros partidos que pretendiam emplacar os vices de ambos os candidatos.

Nos próximos dias, poderemos ter novidades, mas elas, segundo minhas fontes, somente serão divulgadas no momento oportuno. Final de abril, talvez.

DEPUTADO CARLÃO CONQUISTA R$ 600 MIL PARA CONSTRUÇÃO DO TERMINAL RODOVIÁRIO DE VALENTIM GENTIL

Eu não sou fã de tucanos, mas nós temos que reconhecer quando um político é competente e trabalhador. Parece ser o caso do deputado Carlão Pignatari. Todos os dias chegam notícias da atuação do deputado. Essa, por exemplo, chegou hoje:

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) conseguiu a liberação de R$ 600 mil para a construção de um terminal rodoviário para a cidade de Valentim Gentil.

O prefeito do município, Adilson Segura, acompanhado do presidente da Câmara Municipal, José Carlos dos Santos, e da vereadora, Marlene Ribeiro Marin, esteve no gabinete do deputado Carlão Pignatari na tarde da última quarta-feira para agradecer o empenho do parlamentar junto ao Governo do Estado.

“Fico agradecido pela conquista do deputado Carlão, pois com esses recursos vamos construir um terminal rodoviário para nossa cidade”. A atual estação rodoviária de Valentim funciona no antigo terminal ferroviário, um local que dificulta o acesso de ônibus.

Adilson acrescentou que o deputado Carlão não mede esforços para ajudar Valentim Gentil e, sempre que solicitado, coloca-se à disposição para levar as reivindicações dos valentim-gentilenses.

CÂMARA REJEITA SETE PROJETOS DE MACETÃO

Pelo visto, é só o começo! A Câmara Municipal de Jales rejeitou, na sessão de segunda-feira, sete projetos apresentados pelo atual presidente Luiz Henrique Viotto. Eu não perco meu tempo lendo os projetos do Macetão, mas, pelo que ouvi dizer, eles acrescentariam o nada à coisa nenhuma. Os projetos  foram todos rejeitados por 8 votos contrários e um favorável (o do Macetão, naturalmente). O placar só não chegou a 9 x 1, porque a vereadora Pérola, ocupando temporariamente a presidência, não pode votar.

Segundo o vereador Especiato, os projetos foram rejeitados porque  apenas serviriam à estatística do presidente. Eles teriam sido propostos somente com o objetivo de levar o autor ao posto de vereador com mais projetos apresentados, sem importar se trariam ou não algum benefício à população. Por outro lado, Especiato aproveitou para dizer que o presidente Macetão teria devolvido, irregularmente, um projeto de autoria dos outros nove vereadores, que reduz o poder do presidente e transfere algumas decisões à Mesa Diretora da Câmara.

Mas, voltando aos projetos do Macetão, duro mesmo foi ter que ouvir os discursos do vereador do PSD. Eu ouço por dever de ofício, mas, prestar atenção ao que esse rapaz diz, é pura perda de tempo. Prolixo e demagogo, Macetão, mais uma vez, repetiu sua cansativa cantilena em defesa da  transparência e da moralidade, como se ele fosse uma vestal ou o juiz do planeta, dono absoluto de todas as virtudes.

Em meio ao seu discurso demagogo, Macetão repetiu várias vezes, que, em fevereiro, a Câmara economizou 5,2% com a folha de pagamento dos funcionários comissionados. Para confundir a cabeça de quem estava ouvindo, ele disse que essa economia de 5,2%, na Prefeitura, significaria R$ 2 milhões. No entanto, ele, em momento nenhum citou quanto significava para a Câmara, em valores, os 5,2% economizados por ele. Pois eu digo: deve ser algo em torno de R$ 600 reais.

No rádio, apertado pelo repórter Tony Ramos, ele gaguejou para dizer que a “economia”, supostamente feita por ele, poderia chegar, ao final do ano, em R$ 9 ou R$ 10 mil. Conhecendo bem o Macetão, é bom duvidarmos desses valores. Mas, mesmo que seja essa a “economia”, o demagogo deveria ter dito que, para chegar a ela, a Câmara gastou, em janeiro, cerca de R$ 20 mil em verbas indenizatórias. Entenderam a matemática do Macetão? Para, supostamente, “economizar” R$ 10 mil ao longo de 12 meses, ele gastou R$ 20 mil de uma vez só.

Macetão, repito, é um demagogo barato. Para quem não sabe, ele começou a carreira de vereador prometendo “apoio” à deputada Analice Fernandes, depois fez a mesma promessa ao Itamar Borges e ao Carlão Pignatari; trabalhou, nas eleições, para uma deputada do Partido Verde, cujo nome não me lembro, e, ultimamente, anda “assessorando” um outro deputado, cujo nome também esqueci. Enfim, a vocação do vereador Macetão para a demagogia, a rasteira e o mimetismo político é algo que merecia um estudo.

Ah!, eu ia me esquecendo: para mostrar que ainda não abandonaram totalmente o presidente, os demais vereadores, na mesma sessão de segunda-feira, aprovaram um projeto do Macetão, que dá o nome do senhor Pedro Lessi a uma estrada rural. Assim, não poderão ser acusados algum delito.

DEMÓSTENES TORRES, O PALADINO DA ÉTICA, DESAPARECEU DA MÍDIA

Sempre que surge algum escândalo envolvendo o PT ou o governo Dilma, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) é o segundo ‘defensor da moralidade’ a ser entrevistado pela Globo (o primeiro é sempre o senador tucano, Álvaro Dias, do Paraná). Mas, agora, parece que o moralista juramentado quedou-se silente. Vejam a notícia do jornal Correio do Brasil:

Nenhuma manchete na Folha ou no Estadão. Nenhum comentário no Jornal Nacional da TV Globo. Nenhuma chamada de capa na Veja. Mistério! Será que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), assíduo frequentador da mídia nativa, morreu ou encontra-se desaparecido? Como “paladino da ética”, o líder dos demos não tem nada a falar sobre a Operação Monte Carlo da Polícia Federal?

Na quarta-feira passada, agentes da PF efetuaram a prisão de Carlos Augusto Ramos, o famoso Carlinhos Cachoeira. Um dos maiores mafiosos do país, o bicheiro explorava uma rede de caça-niqueis e de cassinos ilegais em cinco Estados brasileiros. Apenas em Goiânia e Valparaíso, nas cercanias de Brasília, os seus cassinos rendiam cerca de R$ 3 milhões por mês.

Com base nos documentos apreendidos e em 200 horas de escutas telefônicas, a Operação Monte Castelo concluiu que Carlinhos Cachoeira possuía forte influência na política goiana. Ela mantinha jornalistas na sua folha de pagamento, contava com uma rede de espionagem ilegal e nomeou vários integrantes para a área de segurança (segurança!) do governo tucano de Marconi Perillo.

Além disso, os grampos autorizados pela Justiça revelaram várias conversas do mafioso com o “ético” Demóstenes Torres, líder do DEM no Senado. De acordo com as investigações, em julho do ano passado Carlinhos Cachoeira deu um generoso presente de casamento para o senador goiano: uma cozinha completa. Há indícios também de financiamento ilegal de campanhas eleitorais.

A notícia completa, do Correio do Brasil, pode ser lida aqui. Já em outro Correio – o Braziliense – Demóstenes diz que ligou 298 vezes para o bicheiro, tentando resolver uma questão amorosa. Veja a versão dele, aqui.

FICHA LIMPA ATINGE CINCO PREFEITOS DA REGIÃO

O nosso premiado prefeito foi destaque no Diário da Região, neste final de semana. A notícia cita, no entanto, apenas um dos três casos em que Parini já foi condenado em segunda instância. Abaixo, um trecho do que foi publicado pelo Diarioweb:

Pelo menos sete prefeitos e potenciais candidatos à chefia do Poder Executivo na região estão barrados pela lei da Ficha Limpa, impedidos de disputar eleições por oito anos. O número pode ser bem maior, já que o Diário levou em consideração neste levantamento apenas condenações por improbidade, com suspensão dos direitos políticos, pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Estão inelegíveis, de acordo com a lei complementar 135/2010, os prefeitos de Jales. Humberto Parini (PT); de Pontes Gestal, Ciro Antonio Longo (PSDB); de Cardoso, João da Brahma de Oliveira e Silva (DEM); de Ouroeste, Nelson Pinhel (PTB) e de Dolcinópolis, Onivaldo Batista (PSDB), além dos ex-prefeitos de Mirassol, Edilson Garcia Coelho (PR) e de Valentim Gentil, Liberato Caldeira (PP). Dos prefeitos, Brahma, Pinhel e Batista poderiam tentar a reeleição.

Dentre os prefeitos da região enquadrados pela Ficha Limpa o que administra a maior cidade é Humberto Parini, condenado por improbidade em agosto de 2009 por fraude e dispensa de licitação na contratação de mão de obra para execução de guias e sarjetas no município.

Segundo o Ministério Público, Parini teria direcionado uma carta-convite no valor de R$ 70,4 mil para empresa criada especialmente para vencer a disputa. “As provas coligidas em juízo demonstram que, sob sugestão do corréu Humberto Parini, criou-se uma empresa por pessoas inexperientes na prestação de serviços de mão de obra em construções e edificações, para se beneficiarem de contratos administrativos”, escreveu o desembargador Francisco Vicente Rossi no acórdão que condenou Parini com base no artigo 12, inciso II, da Lei de Improbidade Administrativa. “O conluio entre os réus sobejamente brilha nos autos”, considerou o desembargador.

Procurado na última semana para se manifestar sobre o assunto, Parini estava em viagem. O secretário de Comunicação de Jales, Chico Melfi, afirmou que o processo em questão está em grau de recurso no Superior Tribunal de Justiça, e que por estar no segundo mandato o prefeito não é candidato nas eleições deste ano

A notícia completa, do Diarioweb, pode ser lida aqui.

VEREADOR TUCANO ACUSADO DE COMANDAR QUADRILHA É CASSADO

A notícia é do portal Terra:

Preso desde agosto de 2011 pela acusação de comandar uma quadrilha que roubava café na região de Caconde, no interior de São Paulo, o vereador e ex-presidente da Câmara, Luis Fernando Almeida de Moraes (PSDB), teve seu mandato cassado na tarde de sexta-feira, depois de uma sessão que durou cinco horas.

A Comissão Processante concluiu que ele quebrou o decoro parlamentar ao, supostamente, se envolver no roubo de café. Ao ter sido – e continuar – preso, Moraes feriu a integridade política da Câmara, segundo a comissão.

Ainda conforme o relatório final, ele descumpriu a função de fiscalizador ao comprar e vender café sem pagar impostos. O vereador também é acusado de utilizar o aparelho celular da Câmara para conversar com outros envolvidos no crime.

Moraes teve o mandato cassado por 7 votos a 1. O vereador e os demais integrantes da suposta quadrilha são acusados roubarem 104 sacas de café, avaliadas em R$ 40 mil.

SERRA SOBE 9 PONTOS E LIDERA VOTO EM SP, DIZ DATAFOLHA

A notícia é do portal iG:

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (3) mostra o pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, em primeiro lugar entre as intenções de voto do eleitorado paulistano. Dias após anunciar sua candidatura, ele tem 30% das intenções, segundo a pesquisa. Em relação ao levantamento anterior, de final de janeiro, Serra subiu 9 pontos porcentuais. Em segundo lugar ficou Celso Russomanno (PRN), com 19%, com avanço de 2 pontos. Fernando Haddad, do PT, tem 3%, caindo 1 ponto sobre a pesquisa anterior.

Segundo o levantamento, a terceira colocação entre as intenções de voto ficou com Netinho de Paula (PCdoB), com 10%, um ponto a menos do que no final de janeiro. Em quarto está Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, com 8%, estável ante a pesquisa anterior. Soninha Francine (PPS) tem 7%, registrando queda de 2 pontos nas intenções de voto, e está empatada com Gabriel Chalita (PMDB), que também tem 7%, um ponto a mais do que em janeiro.

A notícia completa, do iG, pode ser lida aqui.

E POR FALAR EM CONTAS DESAPROVADAS…

Como já foi amplamente divulgado (veja aqui), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, na quinta-feira (01/03), que os políticos com contas desaprovadas não poderão concorrer nas eleições municipais  previstas para outubro deste ano. Ainda não sei quais os efeitos que a decisão do TSE produzirá aqui em Jales, mas, à primeira vista, pelo menos uma pseudo candidatura pode estar indo para o vinagre.

O ex-PSOL Juliano Matos, que foi “candidato” a deputado federal, em 2010, parece não ter acertado suas contas com a Justiça Eleitoral. Vejam isso:

PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº 9615-36.2010.6.26.0000
ORIGEM: JALES-SP
RELATOR: DESEMBARGADOR PENTEADO NAVARRO
INTERESSADO(S): JULIANO VALERIO MATOS MARIANO OU
JULIANO VALERIO DE MATOS MARIANO – Nº 5030

DECISÃO: DESAPROVARAM AS CONTAS. V.U.

SENADO TEVE PAUTA AGITADA

Neste sábado, no bar do Clube do Ipê – por sinal, muito bem conduzido pelo trio Neca, Rui e Roberta – tivemos mais uma movimentada sessão do senadinho. Até o “senador” Pedro Callado, que andava meio ausente das sessões, apareceu por lá. E ele reapareceu lançando idéias que pregam a união das várias correntes partidárias que adornam o cenário político  local.

Para o doutor Callado – que escreveu belíssimo artigo, para A Tribuna, sobre o jornalista Paulo Aruca – já está na hora de os políticos jalesenses se unirem em nome dos interesses da cidade, que, na opinião dele, são muito mais importantes que os interesses deste ou daquele grupo político.

O imaginário e inimaginável arco de alianças do doutor Callado inclui até o PT e o PSDB, possibilidade que agitou a sessão do senadinho. “Por que não? Afinal, a cidade ainda depende – e muito – tanto do apoio do governo federal (PT), como também do governo estadual (PSDB)”, argumentou o “senador”.         

ALCKMIN LIBERA R$ 9 MILHÕES PARA CONSTRUÇÃO DE FORUM EM ILHA SOLTEIRA

E, de quebra, o governador ainda anunciou a liberação de recursos para a construção de 300 casas populares. Mas, casas populares mesmo! Dessas que a prestação não passa de R$ 100,00. E quem mandou a notícia foi a assessoria de imprensa do deputado Carlão Pignatari(PSDB):

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) acompanhou o governador do Estado, Geraldo Alckmin, em visitas que fez a várias cidades da região Noroeste, no último sábado (dia 25). A comitiva de Alckmin esteve nas cidades de Guararapes, Lavínia e Ilha Solteira.

Em Ilha Solteira, o governador liberou recursos para diversas obras, entre as quais R$ 9.269.527,96 para a construção do prédio do Fórum, que contará com três varas judiciais. O pedido desses recursos foi feito pelo deputado Carlão Pignatari ainda em 2011. Na oportunidade, o deputado reivindicou R$ 56 milhões de verbas para execução de obras no município de Ilha Solteira. O Fórum de Ilha Solteira funciona numa antiga escola e não atende satisfatoriamente à demanda da população.

Na cidade, o governador ainda inaugurou as obras da primeira fase da revitalização da Avenida Brasil, com a construção de uma ciclovia; a reformulação interna do Centro Ilhense de Eventos e Convenções e visitou o Hospital Regional, para o qual também anunciou a liberação de recursos da ordem de R$ 4 milhões para obras da pediatria e maternidade e aquisição de equipamentos, a pedido do Frei Francisco, juntamente com o deputado Carlão Pignatari.

Alckmin anunciou ainda construção de 300 casas populares e R$ 250 mil para construção da sede da Orquestra Popular Caipira de Viola “Urubupungá”. O presidente da Orquestra, Antonio Carlos Rocha, entregou a documentação a Alckmin e solicitou o apoio de Carlão para a liberação dos recursos.

1 336 337 338 339 340 387