Categoria: Política

PROJETO PROPÕE 11 VEREADORES PARA JALES NA PRÓXIMA LEGISLATURA

Na próxima segunda-feira, a Comissão de Justiça e Redação da Câmara começa a analisar o projeto de Emenda à Lei Orgânica  01/2011,  que altera o número de vereadores no Legislativo jalesense, passando de 10 para 11 cadeiras. O projeto está assinado pelos vereadores Sérgio Nishimoto(PTB), Luis Especiato(PT), Luiz Henrique Viotto (Macetão-PSD), José Roberto Fávaro(PSDB) e Pérola Cardoso(PT).

A vereadora Tatinha, desde o início dessa discussão, posicionou-se pela manutenção do número atual, ou seja, 10 vereadores. Na enquete realizada pelo blog, 83% das 553 pessoas que responderam, se posicionaram contra o aumento. Pessoalmente, acho que a nossa população está bem representada com a eleição de 10 vereadores, mas, de outro lado, não vejo nada demais na alteração que está sendo proposta pelos cinco signatários do projeto.

Diferentemente de outras cidades – onde cada vereador tem direito a carro exclusivo, verbas prá isso e aquilo e mais quatro ou cinco assessores, tudo pago com o dinheiro do contribuinte – na Câmara de Jales não tem nada disso. Por lá existem apenas três ou quatro assessores, em cargos comissionados, e não será pelo acréscimo de um vereador que se precisará contratar mais assessores.

Por outro lado, os subsídios pagos aos vereadores de Jales são razoáveis, mas, considerando-se o que pagam outras Câmaras da região, podem ser chamados de modestos. Além disso, há muito tempo não se ouve falar em casos de corrupção na Câmara de Jales, coisa comum por aí. Quem não se lembra do caso da Câmara de Olímpia, que gastou mais de R$ 120 mil em um painel que não serve prá nada?  

Portanto, penso que é legítimo defender a manutenção do quadro atual, se isso de der apenas por uma questão de princípio. Tem gente que já acha muito 10 vereadores e isso precisa ser respeitado. No entanto, posicionar-se contra o aumento apenas com base no velho e surrado  discurso da economia de gastos e etc, pode soar demagógico, uma vez que o acréscimo de um vereador não vai causar nenhum abalo às finanças municipais.

EXECUTIVA ESTADUAL DO PSDB NÃO ACEITA FILIAÇÃO DE CLÓVIS VIOLA

Durma-se com um barulho desses! Acabamos de receber uma ligação do vice-prefeito Clóvis Viola comunicando que a Executiva Estadual do PSDB não teria aceitado sua filiação ao partido. Com essa, Clóvis permanece no PPS. A alegação do PSDB estadual para a não aprovação da filiação de Clóvis, segundo se comenta, seria o fato de o partido – leia-se Analice Fernandes – estar fechado com a provável candidatura do médico Paulo Mariani.

O que se pergunta é: como ficam os tucanos de Jales, diante dessa posição do PSDB estadual, que desautorizou as iniciativas tomadas por eles? Como fica o secretário estadual de gestão Júlio Semeghini, que abonou a entrada de Clóvis no PSDB? Acho que os tucanos locais precisam esclarecer melhor essa situação e, se for o caso, esclarecer também os boatos de que a negativa à filiação de Clóvis teria a participação do nosso premiado estadista. Aí, já seria o caso de o PSDB local pedir a unção dos enfermos, ou, se preferirem, a extrema-unção.   

TRIBUNA NA WEB: CLÓVIS VIOLA FILIA-SE AO PSDB

O repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, esteve ontem, à noitinha, no escritório político da deputada Analice Fernandes, onde o tucanato se reuniu para recepcionar a mais nova contratação do PSDB local, o vice-prefeito Clóvis Viola. Hoje, o Carioca pendurou na página eletrônica de A Tribuna, uma matéria sobre a reunião, onde ele conta que Clóvis esteve, durante a semana, com o governador Geraldo Alckmin e o secretário estadual de Gestão, Júlio Semeghini. A notícia de A Tribuna pode ser vista aqui. Certamente que, na edição impressa, de domingo, o Carioca trará mais detalhes sobre a ida de Clóvis para o PSDB.

Outra matéria interessante do Carioca pode ser vista e ouvida aqui. Trata-se de uma operação conjunta das polícias civis de Jales, Fernandópolis e Uberaba(MG), que resultou na prisão de uma quadrilha especializada em assaltos a sacoleiros. Fico duplamente feliz que isso tenha chegado ao final, porque um dos meus filhos está há quatro dias fora de casa, participando dessa ação.  

VEREADORES, PREFEITO E REPRESENTANTES DA OAB ESTIVERAM EM AUDIÊNCIA COM PRESIDENTE DO TRF-3a.REGIÃO

(por Roberto Timpurim)

Os vereadores da Câmara de Jales, Claudir Aranda (PDT) e Luís Especiato (PT), juntamente com o prefeito Humberto Parini, Carlos Alberto Expedito de Britto Neto, conselheiro estadual da OAB/SP, e Drª. Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho, conselheira federal da OAB e diretora adjunta da OAB/SP, estiveram juntos, em audiência, com o presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, desembargador Dr. Roberto Luiz Ribeiro Haddad, em São Paulo, nesta quarta-feira, 04 de outubro, às 14h30.

Na pauta da audiência, a construção da “Cidade Judiciária” a ser implantada em Jales. Na oportunidade os representantes de Jales fizeram breve explanação do projeto, que inclui a construção das sedes próprias da Justiça Federal, Ministério Público Federal, Fórum Estadual, Ministério Público Estadual, Vara do Trabalho, Ministério Público do Trabalho e Polícia Federal.

O projeto entregue ao presidente TRF, Dr. Haddad, contempla uma área total de 34.000 (trinta e quatro mil metros quadrados), doada pelos empresários Jamil Buchala, José Pedro Venturini e Henrique Lopes, da B.V.L.X. Empreendimentos Imobiliários Ltda.

Segundo os membros da comitiva, o desembargador Dr. Haddad se pronunciou favorável à construção e ao projeto da “Cidade Judiciária”. De acordo com o desembargador, caso o projeto estivesse pronto, seria possível, de imediato, incluí-lo no orçamento do TRF – 3ª Região de 2012.

AS “NOVIDADES” DO ÚLTIMO DIA PARA TROCA DE PARTIDO

Até onde eu sei, o super-secretário José Shimomura ainda não conseguiu um novo ninho, depois de – não se sabe por que – deixar o PT. Por outro lado, comenta-se que o locutor Carlos Augusto Talarico, o Maninho, e a servidora municipal Neusa Talarico, recém-nomeada para um cargo de chefia na Secretaria de Saúde, estariam sendo “convidados” a assinar a ficha de filiação do PT. Da mesma forma como foi “convidado” o Maurinho Enfermeiro, que gostaria de segurar seu emprego no Consirj.

Ontem, no escritório político da deputada Analice Fernandes(PSDB), na Rua Dois, fizeram festa para receber o vice-prefeito Clóvis Viola, que está deixando o PPS. Boatos dão conta de que o médico Paulo Mariane, que foi candidato a deputado estadual pelo PSB, também estaria indo para o PSDB. O DEM, do pré-candidato Flávio Prandi, e seus prováveis aliados, PV, PSB e PCdoB, também não estão parados, mas não estou autorizado a divulgar suas mais recentes filiações.

Rivelino Rodrigues, já se sabe, deixou mesmo o PPS e deve migrar para o PMDB. E, se Rivelino e Clóvis estão saindo do PPS, a vereadora Tatinha está chegando. Ontem à tarde, o próprio Clóvis incumbiu-se de colher a assinatura da vereadora na ficha de filiação do partido que ele está deixando. Aliás, diga-se que Clóvis está saindo mas deixa por lá o cunhado Alexandre Rensi e o filho Valentim Viola Neto.

Nos bastidores, comenta-se que o ex-vereador Francisco Gerez Garcia, o Paco, presidente do PP local, teria conseguido cerca de 40 novas filiações. No PTB, da Nice Mistilides, e no PDT, do Claudir Aranda, tudo transcorre sem grandes novidades. E o vereador Macetão, como já era de se esperar, está se filiando ao recém criado PSD, do prefeito Kassab.

Em Tempo: Júnior Rodrigues, sobrinho do Riva e possível candidato a vereador, também se filiou ao PMDB. E, segundo o João Missoni Filho, até ontem, pelo menos dezoito pessoas haviam se filiado ao partido,  espontaneamente, através da internet.   

DEPOIS DO PSD, TSE APROVA CRIAÇÃO DO PARTIDO DA PÁTRIA LIVRE – PPL

Pronto! Mais um partido pro Macetão tomar conta. Vejam a notícia do Correio do Povo, de Porto Alegre:

Mais um partido poderá disputar as eleições municipais de 2012: o PPL (Partido Pátria Livre). Nessa terça-feira, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deferiram, por unanimidade, o registro da legenda, que utilizará o número 54.

Por se tornar o 29º partido com registro na Justiça Eleitoral, o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski fez um comentário crítico sobre o sistema político-partidário brasileiro. “Estamos indo além do pluripartidarismo, estamos ingressando no hiperpartidarismo. É uma novidade que criamos no Brasil”, disse Lewandowski.

Como o partido cumpriu as exigências legais para obtenção do registro e não houve nenhum pedido de impugnação, a relatora Cármen Lúcia Antunes Rocha foi favorável à criação da nova sigla. Segundo a relatora, o PPL coletou 492.811 assinaturas certificadas pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) de 11 estados.

O pedido do PPL foi deferido a três dias do fim do prazo para criação de siglas que queiram disputar a sucessão municipal no próximo ano. O prazo termina sexta-feira (7), a um ano do pleito.

DEMOP PARTICIPAÇÕES CENTRALIZA VERBAS DE PARLAMENTAR

As denúncias do deputado estadual Roque Barbieri(PTB) sobre venda de emendas parlamentares estão aguçando a curiosidade de alguns jornalistas. Há algum tempo, estou sabendo que o Estadão anda de olho na Demop, pois o jornal andou ligando para alguns amigos aqui de Jales perguntando detalhes sobre a relação da empreiteira com a nossa Prefeitura. Em janeiro deste ano, escrevi alguma coisa sobre os contratos e contatos da Demop, que pode ser lido aqui. Mas vamos à notícia do Estadão, de ontem:

O deputado estadual Gilmaci Santos (PRB) destinou pelo menos R$ 1,2 milhão em emendas parlamentares para sete cidades do noroeste paulista onde não teve nenhum voto em 2010, e outra na qual teve apenas dois votos, algo pouco comum no meio político, pois o destino das verbas quase sempre são as bases eleitorais dos parlamentares.

As oito emendas objetivam a realização de “recapeamento asfáltico” e todas têm valor de R$ 150 mil, exatamente o limite legal máximo para que as prefeituras beneficiadas possam dispensar a licitação das obras.

Em todas as oito cidades (Aparecida D’Oeste, Ibirá, Itapura, Neves Paulista, Palestina, Paulo de Faria, Santópolis do Aguapeí e Uchoa) a empresa contratada para a realização do recapeamento asfáltico pertence ao mesmo grupo empresarial, o grupo Scamatti. As obras são feitas em sua maioria pela Demop Participações, mas também pela Métodos Administração de Obras.

As empresas têm sede em Votuporanga, também no noroeste paulista, a 537 km da capital, e atuam no recapeamento asfáltico de diversas cidades da região, como a própria Votuporanga, Jales, Icém, Araçatuba e Olímpia.

A Demop é alvo de um inquérito aberto pela Procuradoria Geral de Justiça em setembro do ano passado para apurar possível enriquecimento ilícito e improbidade administrativa em um contrato firmado entre a empresa e a Prefeitura de Olímpia. O contrato, de R$ 8 milhões, destinava-se à realização de recapeamento asfáltico na cidade. A representação que originou o caso foi feita por dois vereadores.

O Estado apurou que um dos incômodos do pivô da acusação da venda de emendas, deputado Roque Barbiere (PTB), era a destinação de emendas de Gilmaci Santos para seu reduto eleitoral. Barbiere é de Birigui, que fica na mesma região.

O deputado petebista também destinou R$ 130 mil para a realização de recapeamento asfáltico. O convênio foi assinado pelo governo do Estado com o município de Bastos, na região oeste. Na cidade, quem faz as obras de recapeamento também é a Demop Participações.

Outro lado: o deputado Gilmaci Santos afirmou que teve escritório político em São José do Rio Preto, na região noroeste, durante três anos e meio, até 2010. Ele disse que saiu de lá no ano passado para abrir espaço a outro candidato do PRB, Sebastião Santos, e por isso não foi votado nos municípios aos quais destinou emendas. “Mas eu já tinha o compromisso de mandar essas emendas para essas cidades”.

Sobre o fato de todas se destinaram a recapeamento, disse: “É o que os prefeitos pedem. O que a gente tem condição de mandar, manda”. Gilmaci afirmou que suas emendas têm valor máximo de R$ 150 mil porque “quando você divide, tem possibilidade de atender mais prefeituras”.

Ele sustentou não saber que as obras eram feitas pelo mesmo grupo. O Estado não conseguiu localizar os representantes do grupo Scamatti para comentar o caso.

VEREADOR É SUSPENSO POR DEZ DIAS APÓS TIRAR CAMISETA NO PLENÁRIO

Já pensaram se ele tivesse tirado as calças. Aí o caso já seria para cassação de mandato. A notícia está no portal da Gazeta de Maringá:

Os vereadores de Maringá aprovaram, durante sessão na tarde desta terça-feira (4), a suspensão por dez dias do vereador John Alves (PMDB), com início imediato. O pedido foi aprovado por unanimidade. Na sessão de quinta-feira (29), o parlamentar tirou a camiseta no meio do plenário, impedindo a votação do projeto que revogaria a exigência de um cadastro para a construção de casas geminadas. A informação foi confirmada pelo presidente da Casa, Mário Hossokawa (PMDB).

O pedido de suspensão foi feito pela Mesa Executiva da Câmara, que se reuniu na noite de segunda-feira (3), para avaliar o pedido de cassação do mandato de Alves, apresentado pelos vereadores de grupo de oposição. “Havíamos recebido um ofício para aplicar a pena máxima, mas a mesa decidiu pela suspensão temporária, que será levada para o plenário”, explicou o presidente do legislativo.

Mesmo com a suspensão de John, não será necessária a convocação do suplente, que só assume o cargo se um vereador for se ausentar da Câmara por um período superior a 120 dias. O parlamentar deixa de receber durante os dez dias.

“Aquele foi o único jeito que encontrei de fazer frear a discussão do meu requerimento. Sei que isso desagradou à população, mas esse é meu jeito e não tem como passar uma borracha. Gostaria de pedir desculpas às parlamentares e as pessoas que se sentiram ofendidas. Qualquer decisão que tomarem a respeito de minha atitude será aceito por mim e não recorrerei”, disse o vereador John Alves durante sessão na tarde desta terça.

RIVELINO CONFIRMA SAÍDA DO PPS E DIZ QUE TEM CONVITES DO PMDB E DO PSDB

O vereador Rivelino Rodrigues confirmou ao repórter Tony Ramos, no Jornal do Povo, da Rádio Assunção, agora na hora do almoço, que protocolou junto ao Cartório Eleitoral o seu pedido de desfiliação do PPS, na última sexta-feira, 30. 

Rivelino argumenta que não pretende mais candidatar-se a vereador e, caso ficasse no PPS, não teria espaço para disputar um cargo majoritário, de vice ou de prefeito, uma vez que Clóvis Viola está mesmo disposto a ser o candidato do partido ao cargo de prefeito.

Rivelino revelou, também, que ainda não decidiu em qual partido irá se filiar. Ele disse que recebeu convites do PMDB, através do presidente do partido, João Missoni Filho, e do PSDB, por meio do tucano Luiz Carlos Floriano, diretor do Centro “Paula Souza”, onde Rivelino é professor.

CARDOSÃO REPRESENTA JALES EM REUNIÃO E SOLICITA HOSPITAL REGIONAL PARA JALES

Na sexta-feira passada, a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembléia Legislativa de São Paulo reuniu-se em Fernandópolis, para discutir o Orçamento Estadual de 2012 e ouvir as demandas da região. Já houve um tempo em que essas reuniões eram realizadas em Jales. Em Fernandópolis, a reunião começou com algum atraso, pois faltou energia elétrica no prédio da Câmara. Bem feito prá eles!

Presentes, os deputados Itamar Borges(PMDB), Orlando Bolçone(PSB), Mauro Bragato(PSDB) e José Zico Prado(PT), todos membros da tal Comissão. Presentes também, prefeitos e vereadores da região, além de cidadãos comuns. Fernandópolis, a anfitriã, reivindicou várias coisas, incluindo câmeras de monitoramento, para melhorar a segurança. Houve também quem pedisse mais verbas para as Santas Casas da região, etc.

O amigo leitor já deve estar se perguntando, a essa hora, se o nosso premiado estadista esteve por lá, certo? Claro que ele não esteve!  Nosso prefeito é um homem ocupado! Jales foi representada pelo presidente do PSDB local, o ex-vereador Carlos Roberto Cardoso da Silva, que, para não deixar passar em branco, aderiu à nova onda da cidade e reivindicou um hospital regional para Jales.

Então, se tudo correr bem, para 2012 teremos uma extensão da UFSCar, uma unidade do Instituto Federal de Tecnologia e um Hospital Regional.

Post Scriptum: escrevi o post acima hoje pela manhã, com base em texto do Diário Oficial do Estado. Por um questão de justiça, devo acrescentar que o presidente do Legislativo, Claudir Aranda(PDT), também esteve em Fernandópolis, representando nossa cidade, conforme release distribuído pela assessoria de imprensa da Câmara, agora à tarde. Além de Claudir e Cardosão, estiveram por lá, conforme demonstra a foto ao lado, a nossa sempre elegante  dirigente regional de Ensino, Marlene Medaglia Cavalheiro Jacomassi, e a Célia Sílvia Bochio Belão, também da Diretoria de Ensino de Jales.   

1 387 388 389 390 391 424