Categoria: Região

PALMEIRA D’OESTE: ANIMAL NA PISTA PROVOCA ACIDENTE COM MORTE. MOTORISTA ESTAVA EMBRIAGADO E FOI PRESO

notícias noroeste

Deu no portal Notícias Noroeste

Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual, uma família seguia de carro na rodovia no sentido São Francisco a Palmeira d’Oeste, quando um animal teria cruzado a pista e ao tentar desviar o motorista perdeu o controle da direção e capotou.

A passageira Claudelice Basílio Alves não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Além dela, havia outras três pessoas no carro. O motorista, José Maria Pereira Leandro, de 39 anos, e os passageiros, Ricardo Pereira Leandro, 26, e Axel Alves Venâncio, 19.

Segundo a polícia, foi feito o teste do bafômetro no motorista e constatado que ele estava embriagado. O motorista foi levado à delegacia de Jales (SP) e o delegado de plantão decretou prisão em flagrante por embriaguez ao volante. Ele foi encaminhado para a cadeia de Santa Fé do Sul (SP).

Os outros dois passageiros foram socorridos e encaminhados para a Santa Casa de Jales com ferimentos leves e já foram liberados.

PRISÃO DE EX-PREFEITO DE URÂNIA REPERCUTE NA IMPRENSA

A prisão do ex-prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza(PP), pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Repartição, repercutiu na imprensa regional (Diário da Região, Folha da Região, etc) e também em órgãos da chamada grande imprensa, como é o caso do Estadão, da Istoé, e do portal iG.

Depois de oito anos no poder, o ex-prefeito Saracuza parece estar atravessando seu inferno astral. Recentemente, foi alvo de uma ação civil pública ajuizada pelo MPF, que o acusa de malfeitos em um convênio de R$ 105 mil com o Ministério do Turismo para realização da “Festa Junina e Quermesse de Urânia” de 2009.

De acordo com a acusação do procurador Thiago Lacerda Nobre, Saracuza teria faltado com o “dever da honestidade” ao utilizar os recursos. Tudo indica que o ex-prefeito voltou a cometer o mesmo pecado e faltou com o “dever da honestidade” ao utilizar os R$ 400 mil da repatriação.

Abaixo, o vídeo com a reportagem da Priscila Mota para a 1ª edição do Tem Notícias, da TV TEM:

POLÍCIA FEDERAL PRENDE EX-PREFEITO DE URÂNIA E TRÊS EX-ASSESSORES

O ex-prefeito F.A.S., os amigos sabem, é Francisco Airton Saracuza(PP). A nota é da assessoria de Comunicação da PF de Jales:

A Polícia Federal de Jales/SP deflagrou na manhã desta quinta-feira, (30) a Operação Repartição, que investiga suspeita de desvios de recursos provenientes da repatriação do governo federal, que foram distribuídos a todos os municípios brasileiros no último dia útil do ano passado. Estão sendo cumpridos 4 mandados de prisão temporária [ex-prefeito, dois advogados (assessoria jurídica) e o ex-chefe de RH da prefeitura], 10 mandados de condução coercitiva e 7 mandados de busca e apreensão nas cidades de Urânia, Jales e Votuporanga/SP. Os mandados foram expedidos pela Justiça Estadual de Urânia/SP.

A PF descobriu que F.A.S., ex-prefeito de Urânia/SP, após tomar ciência do crédito de mais de R$ 400.000,00 nas contas da Prefeitura Municipal, provenientes do programa de repatriação de recursos federais, autorizou expediente extraordinário no setor de recursos humanos da prefeitura, no sábado, dia 31 de dezembro de 2016, último dia de seu mandato. Neste dia, apenas 12 servidores comissionados, de um total de 435 (entre comissionados, ativos e inativos), receberam aproximadamente R$ 300.000,00 a título de recisão trabalhista que foi autorizada pelo ex-prefeito.

Nestes pagamentos suspeitos, pagos a apenas alguns assessores próximos ao ex-prefeito, foram indenizadas férias e licenças-prêmio de até sete anos de trabalho. Dois ex-assessores jurídicos (F.A.P. e R.R.C.B.) receberam valores de acerto trabalhista de até R$ 62.000,00. Os 12 servidores beneficiados com as indenizações trabalhistas também receberam os salários de dezembro, décimo terceiro e férias proporcionais, o que não ocorreu com o restante do funcionalismo público municipal, que não recebeu sequer o salário do mês de dezembro e muito menos os valores relativos ao décimo terceiro.

Durante as investigações, os federais confirmaram que os 12 beneficiados com os pagamentos feitos no último dia de mandato, são, em sua maioria, filiados ao partido do ex-prefeito ou fizeram parte de sua coligação nas eleições de 2012. Analisando o histórico remuneratório dos ex-assessores, verificou-se que alguns deles tiveram até 400% de aumento salarial no período da administração do ex-prefeito. Além disso, os demais funcionários da prefeitura, mais de 400 pessoas, dentre eles os que recebem as menores remunerações, passaram dificuldades no final de ano em razão da falta do recebimento dos salários e décimo terceiro. Em alguns casos, tiveram que contar até com a ajuda financeira dos familiares.

A PF também apurou que os pagamentos sobre as verbas trabalhistas indenizadas, embora não fossem devidas aos ex-assessores, foram integralmente pagas, inclusive sobre períodos que, juridicamente já estavam prescritos. Alguns dos ex-assessores não tinham em seus assentamentos funcionais nenhum registro de faltas ou afastamentos ao trabalho no decorrer de quase 8 anos, mas os federais encontraram registros de viagens de alguns ex-assessores para o litoral brasileiro e para o exterior, como por exemplo Estados Unidos, com períodos de até 15 dias de duração. Esta condição (de ausência não registrada) fez com que eles tivessem fraudulentamente direito às indenizações recebidas.

Esta não é a primeira Operação que investiga suspeita de desvios de recursos provenientes da repatriação na região. No final de fevereiro, a PF de Jales deflagrou a Operação Catatau, que prendeu o ex-prefeito, a ex-tesoureira e o assessor da Prefeitura de Dolcinópolis/SP em razão de desvios relacionados aos recursos da repatriação recebidos do governo federal. Todos os envolvidos continuam presos preventivamente aguardando julgamento.

Como esta é a segunda operação policial da PF em que se verificou este tipo de desvio em municípios nos quais o prefeito não foi reeleito nem conseguiu eleger o candidato que apoiou, existe a possibilidade de que o mesmo esquema criminoso tenha sido utilizado em outros municípios. Casos pontuais, que por ventura sejam identificados, serão igualmente investigados pela Polícia Federal.

Somente o valor recebido a título de repatriação pelo município de Urânia/SP seria praticamente suficiente para pagar a folha integral dos 295 servidores ativos do município, porém apenas 12 servidores foram contemplados, enquanto os demais sequer receberam os salários do mês de dezembro. A operação foi batizada com o nome Repartição em alusão à repartição (divisão/distribuição) indevida de recursos públicos que ocorreu em uma repartição (órgão público).

O ex-prefeito F.A.S, os advogados F.A.P. e R.R.C.B. e o ex-diretor de RH do município de Urânia/SP, A.G.J., além dos outros 10 investigados que faziam parte dos servidores de confiança do ex-prefeito poderão responder, na medida de sua culpabilidade, pelos crimes de desvios de verba pública, peculato e associação criminosa com penas que podem chegar até 25 anos de reclusão. Os presos, após serem ouvidos pela autoridade policial, serão encaminhados às Cadeias Públicas de Santa Fé do Sul/SP e Guarani d’oeste/SP, onde permanecerão à disposição da Justiça Estadual de Urânia/SP.

AME DE JALES TERÁ MEGAMUTIRÃO DA SAÚDE PARA DIMINUIR ESPERA POR ATENDIMENTO

AME-ed

A notícia é do G1:

Um megamutirão de saúde, realizado em todo o Estado até o dia 25 de março, tem o objetivo de atender a aproximadamente 130 mil pessoas na capital paulista, Grande São Paulo, interior e litoral. Na região de São José do Rio Preto (SP) as atividades serão no Hospital Estadual João Paulo II e nos AMEs de Catanduva, Fernandópolis, JALES, Santa Fé do Sul, Rio Preto e Votuporanga.

De acordo com a assessoria de imprensa, esse será o maior mutirão de saúde da história de São Paulo. Organizado pela Secretaria de Estado da Saúde, o megamutirão irá envolver em todo o Estado cerca de 150 hospitais estaduais, centros de saúde e AMEs, que terão agendas extras para antecipar consultas, exames e cirurgias para os pacientes.

Esses atendimentos em várias especialidades foram previamente programados com as pessoas já inscritas em cada unidade, segundo a assessoria. A iniciativa também prevê ações preventivas.

Outro objetivo da ação é reduzir a espera por atendimento nos diferentes serviços da rede estadual, conforme a demanda e o perfil assistencial de cada unidade, assim como incentivar as pessoas a cuidarem da saúde. Os atendimentos do mutirão, que incluirão dois sábados, ocorrerão das 8h às 17h nas unidades.

BRIGA DE TRAVESTIS ACABA EM MORTE EM SANTA FÉ DO SUL

A notícia é do Diário da Região:

17327962_1443213845748565_61628568_nUma travesti morreu após ser esfaqueada por outra na noite de segunda-feira, 13, na avenida Navarro de Andrade, em Santa Fé do Sul.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu após uma discussão entre as duas em via pública. A funcionária pública Alex Alves de Brito (‘Lexia Famosinha’), 30 anos, foi atingida por dois golpes de faca efetuados por L.S.B., 22 anos, que confessou a autoria do crime. A vítima foi socorrida e encaminhada para a UPA da cidade, onde não resistiu e morreu. A autora dos golpes foi presa em flagrante e encaminhada à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul. 

De acordo com os relatos da autora à Polícia, as duas travestis vinham se desentendendo há algum tempo e na noite da segunda-feira, ela foi até o local, que fica ao lado de uma escola, brigar com a jovem.

Após ser ameaçada, L.S.B contou que efetuou golpes de faca em legítima defesa e deixou o local. Minutos depois, com a chegada da polícia, ela retornou e confessou o crime, sendo levada ao Plantão Policial.     

Segundo informações, uma testemunha que trabalhava próximo ao local relatou que o possível motivo da briga teria sido a disputa pelo “ponto” usado pelas duas para fazer programas e que na manhã da segunda-feira, L.S.B havia inclusive registrado um boletim de ocorrência contra a vítima por uma discussão no final de semana. O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher.

DOLCINÓPOLIS: JUSTIÇA DECRETA PRISÃO PREVENTIVA DE EX-PREFEITO E MANDA PRENDER EX-TESOUREIRA

E o Zé Colmeia foi solto. A notícia é da assessoria de Comunicação da PF:

A Justiça Estadual de Estrela d’Oeste/SP decretou a prisão preventiva do ex-prefeito de Dolcinópolis/SP, que estava preso temporariamente por cinco dias desde a última terça-feira (21). Na mesma decisão foram decretadas as prisões preventivas da ex-tesoureira e do ex-diretor de administração da prefeitura. Policiais federais e militares de Jales/SP e de Dolcinópolis cumpriram os mandados no início da noite desta sexta-feira, (24).

A Polícia Federal entregou ao Ministério Público Estadual relatório com parte das informações coletadas nos documentos apreendidos e nos depoimentos prestados pelos conduzidos na deflagração da Operação. O Ministério Público de Estrela d’Oeste/SP denunciou os investigados e representou pela conversão das prisões temporárias em preventivas e pela prisão de outros dois envolvidos nas investigações.

Um dos “laranjas” do esquema investigado, lavador de carros conhecido como “ZÉ COLMEIA”, teve sua liberdade concedida pela justiça e responderá o processo em liberdade. O ex-prefeito e o lavador de carros ficaram em silêncio e não prestaram nenhum esclarecimento na ocasião de suas prisões, mas a justiça entendeu que ZÉ COLMEIA não oferecia nenhum risco ao andamento das investigações.

Agora, a prisão do ex-prefeito, que era temporária por cinco dias, tornou-se preventiva, por tempo indeterminado, assim como da ex-tesoureira e do ex-diretor de administração da Prefeitura Municipal de Dolcinópolis. Os homens ficarão recolhidos na Cadeia Pública de Guarani d’Oeste/SP enquanto a mulher será conduzida até a Cadeia Pública de Nhandeara/SP onde permanecerão à disposição da Justiça Estadual de Estrela d’Oeste/SP.

DESVIO DE VERBA EM DOLCINÓPOLIS ERA FEITO NA BOCA DO CAIXA, DIZ PROMOTOR

prisão prefeito José Luiz

Um dos agentes que aparece na foto foi meu ex-colega de BB, de sorte que acompanhei a luta dele para ser aprovado no concurso da PF. E essa confusão toda com o ex-prefeito de Dolcinópolis acabou me proporcionando uma boa notícia: o depoimento que eu daria hoje à Polícia Federal, sobre um outro assunto, foi adiado.

Tive alguns problemas de saúde nos últimos dias e somente hoje – graças ao excelente atendimento que tive ontem na UPA de Jales – estou me recuperando. De sorte que, para mim, não ter que sair de casa, no momento, é uma boa notícia.

Um detalhe sobre o caso de Dolcinópolis, que nem todos os leitores do blog talvez saibam. O promotor Claiton Luís da Silva, de Estrela D’Oeste, é filho de um antigo comerciante aqui de Jales, por sinal, meu ex-vizinho. Claiton não é de dar moleza pra ninguém.

Na campanha eleitoral do ano passado, o promotor esteve pessoalmente em Dolcinópolis, acompanhado de alguns policiais, para investigar um churrasco “boca livre” que estaria sendo patrocinado por um dos candidatos a prefeito. O caso está tramitando na Justiça Eleitoral. 

Mas, vamos à notícia do G1. E quem quiser ver o vídeo é só clicar aqui:

O Ministério Público Estadual de Estrela d’Oeste (SP) identificou durante as investigações na Operação Catatau, que terminou com a prisão do ex-prefeito de Dolcinópolis (SP) nesta terça-feira (21), que eram feitos saques na boca do caixa de contas da prefeitura, o que para o MP não é comum.

“De acordo com a documentação apresentada, começamos a identificar também a possibilidade da realização de saques diretamente na boca do caixa de uma das contas da prefeitura de Dolcinópolis, o que para nós não é comum, geralmente os pagamentos são por transferências, depósitos, cheques, e há indícios de levantamento na boca do caixa em espécie por agentes públicos da prefeitura”, afirma o promotor Cleiton Luís da Silva.

A TV TEM tentou entrar em contato com a defesa do ex-prefeito, mas as ligações não haviam sido atendidas.

José Luiz Inácio de Azevedo foi preso em casa, em Porto Seguro (BA). A prisão é temporária, por cinco dias. O ex-prefeito de Dolcinópolis é investigado por desviar recursos públicos. O ex-prefeito mantem negócios em Porto Seguro, onde é dono de um restaurante, uma loja de conveniência e um lava rápido na cidade. “Foi possível localizar com ajuda da Polícia Federal da Bahia que ele estava na cidade e tinha estabelecimentos comerciais, provavelmente aproveitando o dinheiro desviado da prefeitura”, diz o delegado da Polícia Federal Cristiano Pádua da Silva.

Ele se mudou para a Bahia, no fim do ano passado, com a mulher, o filho e a empregada da família. Um assessor do ex-prefeito, que estava morando na antiga casa dele no município paulista, foi levado para a delegacia. A Polícia Federal cumpriu dez mandados de condução coercitiva na região noroeste paulista.

Os policiais federais de Jales (SP) chegaram cedo a Dolcinópolis, que tem pouco mais de dois mil moradores. Os agentes recolheram documentos na casa do ex-prefeito, na prefeitura e numa chácara que, segundo a polícia, também pertence a José Luiz Inácio de Azevedo.

Além de Dolcinópolis, outros mandados de busca e apreensão foram cumpridos em mais quatro cidades da região. As investigações começaram depois que o Ministério Público recebeu uma denúncia de desvio de verbas.

‘Notas fiscais fictícias’
“Recebemos da prefeitura de Dolcinópolis um grande número de notas fiscais, basicamente da segunda quinzena de dezembro e focamos a atenção nos dias 29 e 30 de dezembro, que coincidiram com recebimento de FPM e recursos da repatriação do governo federal e notamos ali um número grande de notas fiscais emitidas por supostos fornecedores, de oficinas mecânicas e outros fornecedores e a partir disso começamos investigar, eventual emissão de notas fictícias para justificar o desvio de recursos da repatriação e do FPM”, diz o promotor.

Um lavador de carros também foi preso. Ele é suspeito de agir como ‘laranja’, nas fraudes do ex-prefeito. Segundo as investigações, o homem , que mora em um bairro simples,  aparece como um dos donos de uma construtora e de uma empresa de consultoria, que prestavam serviços para prefeitura, durante o mandato do ex-prefeito.

“Ele seria um laranja, porque uma das empresas que está no nome dele tem capital social de mais de R$ 1 milhão e a função efetiva dele e encerador de carro de um posto de combustível”, diz o delegado.

O prefeito e os aliados nos supostos esquemas de corrupção podem responder por peculato, que é apropriação indevida de dinheiro público, associação criminosa e falsificação de documentos. A polícia pode pedir que  o ex-prefeito fique na cadeia até o julgamento do caso e ainda  o bloqueio de bens dele.

O ex-prefeito foi conduzido por policiais federais em voo de Porto Seguro até São José do Rio Preto (SP). O avião chegou ao interior de São Paulo por volta das 19h10. Do aeroporto, o ex-prefeito foi escoltado em viatura até Jales para ser ouvido pelas autoridades responsáveis pelas investigações. Ele, posteriormente, será conduzido a presídio da região de Jales onde permanecerá à disposição da Justiça Estadual.

PF DE JALES APREENDE 29.000 MAÇOS DE CIGARROS CONTRABANDEADOS DO PARAGUAI

A notícia é da assessoria de Comunicação da PF de Jales:

CIGARRO APREENDIDO 2Policiais federais de Jales/SP, em cumprimento a mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal de Andradina/SP, apreenderam na manhã desta quinta-feira (16), 29.000 maços de cigarros contrabandeados do Paraguai. A comerciante presa, iniciais A.P.D.P., 62 anos, residente em Pereira Barreto/SP já tinha antecedentes criminais pelo crime de contrabando e descaminho.

Os produtos foram localizados em uma loja no centro da cidade de Pereira Barreto/SP e na casa da comerciante. Ela foi presa em flagrante delito pelo crime de contrabando (artigo 334-A do Código Penal), com pena de até 5 anos de reclusão. A.P.D.P será apresentada à Justiça Federal de Andradina/SP para a realização de audiência de custódia.

JUSTIÇA JULGA IMPROCEDENTE AÇÃO CONTRA EX-PREFEITO DE DIRCE REIS E ADVOGADO

O ex-prefeito de Dirce Reis, Roberto Carlos Visoná, enviou e-mail informando que a Justiça de Jales julgou improcedente uma ação que o Ministério Público local  ajuizou contra ele e um advogado que prestou serviços à Prefeitura daquele município. Eis o inteiro teor do gentil e-mail:

Boa tarde caro Cardosinho,

Venho através deste compartilhar a sentença do meu processo, o qual você fez questão de divulgar em seu blog a algum tempo atrás(sic!).

Gostaria que você tivesse a decência de noticiar que o mesmo foi julgado improcedente.

Agora as “artes” do atual prefeito CRIDÃO não são mais do seu interesse?

Na imprensa, falta algo que se chama imparcialidade.

Um forte abraço!

Atenciosamente;

Roberto Carlos Visoná (Ex-Prefeito Municipal).

A notícia que este indecente aprendiz de blogueiro divulgou é de março do ano passado e pode ser lida aqui. E como sou moço preocupado com a imparcialidade do blog, passo agora a noticiar o que me pede o ex-prefeito:

visoná-2O juiz da 3ª Vara de Jales, José Pedro Nóbrega Curitiba julgou improcedente a ação ajuizada pelo Ministério Público contra o ex-prefeito de Dirce Reis, Roberto Carlos Visoná, e o advogado Adauto José de Oliveira, “assessor técnico de gabinete” daquele município entre janeiro de 2013 e maio de 2014. A sentença foi publicada pelo TJ ontem, 15/02.

A ação do Ministério Público foi ajuizada depois da apuração de uma denúncia da vereadora Aparecida dos Reis Rizzi(PSD). A acusação diz que Adauto foi nomeado por Visoná quando já exercia outro cargo público (“diretor de assuntos jurídicos”) na Prefeitura de Pontalinda. Ou seja, Adauto teria acumulado dois cargos públicos, o que é ilegal. E Visoná teria colaborado para a ilegalidade.

A ação, na verdade, já tinha sido julgada improcedente pelo juiz Fernando Antônio de Lima, do Juizado Especial, em janeiro de 2015, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), atendendo a um recurso do Ministério Público, determinou a anulação da sentença e a devolução do processo à Justiça de Jales. Na sentença de ontem, que julgou a ação improcedente, o juiz Curitiba concordou com fundamentos utilizados pelo juiz Fernando, repetindo, inclusive, trecho da sentença do colega.

Para Curitiba, apesar da acumulação ilegal de cargos, não teria ficado configurado os crimes de “enriquecimento ilícito” ou de “dano ao erário”, uma vez que o advogado, segundo as testemunhas, efetivamente prestou serviços à Prefeitura de Dirce Reis. Apenas uma testemunha – a vereadora denunciante, Cidinha Rizzi – deu depoimento diferente.

Outro detalhe levado em conta na decisão da Justiça de Jales foi o fato de a carga horária dos dois cargos de Adauto – o de Dirce Reis e o de Pontalinda – ser de 20 horas semanais. Ou seja, o advogado tinha como cumprir o horário de trabalho em ambas as prefeituras, sem nenhuma incompatibilidade.

A história, no entanto, não termina aqui. O Ministério Público, certamente, irá recorrer ao TJ-SP. Em resumo, é isso. Espero ter sido razoavelmente imparcial e decente.

JUSTIÇA FEDERAL MANDA PROCESSO CONTRA EX-PREFEITO DE URÂNIA PARA JUSTIÇA ESTADUAL

Enquanto a Justiça decide de quem é a competência para julgar, o tempo vai passando. A notícia é do jornal A Tribuna:

SARACUZA 2Cinco anos depois de o então procurador da República em Jales, Thiago Lacerda Nobre, ingressar com uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza, e o empresário Márcio José Costa – sócio da empresa Marcinho Costa Produções Artísticas Ltda – ainda não se sabe quem irá julgar o caso: a Justiça Federal ou a Justiça Estadual. Para um dos atuais procuradores da República em Jales – Carlos Alberto Rios Júnior – não há dúvida de que a competência para julgar o caso é da Justiça Federal.

Mas, para a juíza substituta da 1ª Vara Federal de Jales, Lorena de Souza Costa, o processo deve ser julgado pela Justiça Estadual de Urânia. Em decisão proferida no final do ano passado, a juíza declinou da competência de julgar a ação, uma vez que a União – “dona” dos recursos repassados à Prefeitura de Urânia, através do Ministério do Turismo, e utilizados supostamente de forma irregular – declarou formalmente seu desinteresse em participar do processo, apesar de tratar-se de um convênio federal. Diante da falta de interesse da União, a juíza decidiu que a ação deveria ser julgada pela Justiça Estadual.

O caso:

A ação proposta contra o ex-prefeito de Urânia em janeiro de 2012 é um desfecho do cerco promovido pelo Ministério Público Federal (MPF), contra a chamada “farra do turismo”. As investigações do procurador Thiago Lacerda Nobre, à época no MPF de Jales, resultaram, em 2011, no ajuizamento de nada menos que 31 ações contra prefeitos e ex-prefeitos da região, além de 43 intermediadores de shows artísticos. O caso do ex-prefeito de Urânia não está, no entanto, nessa conta, uma vez que foi ajuizado em janeiro de 2012.

De acordo com a acusação do procurador Thiago Lacerda Nobre, o ex-prefeito Saracuza e o empresário Marcinho Costa não teriam observado “o dever de honestidade” ao se utilizarem irregularmente de um artigo da Lei das Licitações que permite a contratação de shows artísticos por um instrumento chamado “inexigibilidade de licitação”. De acordo com o texto legal a inexigibilidade de licitação é permitida somente nos casos em que o contrato é firmado diretamente com o artista ou com seu empresário exclusivo, o que não teria sido o caso da contratação feita pela Prefeitura de Urânia.

Na ocasião, um convênio firmado entre o município e o Ministério do Turismo liberou R$ 105 mil para contratação de shows artísticos para a “Festa Junina e Quermesse de Urânia”. De acordo com a ação, o prefeito contratou, com esses recursos, a Banda Nashvile e a dupla sertaneja Gilberto e Gilmar. O MPF está pedindo a condenação dos dois acusados ao pagamento de multa, suspensão dos direitos políticos e ao ressarcimento integral dos danos supostamente causados ao erário público.

1 2 3 4 5 81