A TRIBUNA: JUSTIÇA DE JALES MARCA PARA ABRIL O LEILÃO DE BENS DO EX-PREFEITO PARINI

No jornal A Tribuna deste domingo, destaque para decisão da Justiça, que determinou o leilão de bens do ex-prefeito Humberto Parini para pagamento de uma multa que ele deve à Prefeitura. O primeiro leilão foi marcado para 17 de abril e, caso não apareçam interessados, o segundo leilão ocorrerá no dia 30 de abril. A multa é por conta de uma ação em que o MP acusou Parini de utilizar irregularmente os recursos repassados ao município em 2009 por conta dos royalties do petróleo. O detalhe é que a própria Justiça reconheceu que o uso irregular dos recursos não causou nenhum prejuízo ao município, mas, mesmo assim, aplicou a multa que, em 2016, beirava os R$ 40 mil. Além disso, O MP está cobrando R$ 742 mil de Parini, relativos a outra ação na qual ele foi condenado – aí sim – por prejuízos causados ao erário público.

Destaque, igualmente, para a sentença do juiz Fernando Antônio de Lima, do Juizado Especial de Jales, que condenou um advogado por litigância de má-fé em uma ação de danos morais contra a empresa de telefonia Vivo S.A. A ação dizia que uma cliente da Vivo – e do advogado – teria perdido tempo com reclamações sobre a mudança de seu plano de telefonia móvel, mas, segundo a sentença do magistrado não houve perda de tempo produtivo por parte da moça. Na sentença, o juiz registra ter percebido, em algumas ações, “a adoção de métodos espúrios na incessante busca por danos morais”.

O questionamento do vereador Macetão sobre a esdrúxula classificação de Jales no tal prêmio Município Verde Azul; o cadastramento obrigatório da biometria, que recomeçou no Cartório Eleitoral de Jales; a terceira incursão da empresa Proposta Ltda na Justiça de Jales para cobrar dívidas da Prefeitura local, relativas à coleta de lixo nos anos 2014/2015; a aula inaugural do curso de Direito da Unijales, que foi ministrada pelo desembargador aposentado e ex-deputado federal Régis de Oliveira; e a reunião do prefeito Flá Prandi com seu secretariado para discutir as metas dos próximos dois anos, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, escrita por este aprendiz de blogueiro, a informação de que a ex-tesoureira Érica Carpi pediu – e a Justiça concordou – para mudar de endereço, alegando, entre outras coisas, a preservação de sua integridade física e intelectual. Na página de opinião, o prefeito Flá Prandi escreve artigo sobre sua eleição para a presidência da AMA, enquanto o blogueiro Hélio Consolaro escreve sobre Brumadinho. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para a formatura do engenheiro agrônomo Gustavo Nogueira, filho do João Oscar Nogueira e da Silvânia, funcionária da Sabesp.  

2 comentários

  • Anonimo

    Sobre UM VEREADOR estar manifestando sobre o Projeto de Lei que discutia sobre a Zona Azul nao ter passado na Câmara de Vereadores, já foi provado o contrário, inclusive sendo aprovado por unanimidade por todos os parlamentares.Já na última Sessão ordinária (04/02) foram apresentados DUAS INDICAÇÕES: Indicação Nº 3/2019 – Solicita do Executivo a reconsideração da cobrança da taxa de estacionamento aos aposentados, nas vagas reservadas a estes, da zona azul de Jales e Indicação Nº 5/2019 – Solicita do Executivo, caso não haja a possibilidade definitiva de isenção, no mínimo que se faça a liberação do pagamento da taxa na primeira hora de estacionamento para os idosos, nas vagas reservadas a estes, da zona azul de Jales. Ou seja, querem alteração da taxa da Zona Azul tão somente aos IDOSOS. Nos demais termos da Lei os Vereadores estão muito felizes.

  • FÃ DO MANSUELI

    O unico que não paga a zona azul é o fusca NOVO do empresario .PODE ISSO ARNALDO ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *