A TRIBUNA: “NA PREFEITURA NÃO TINHA NINGUÉM COM A GARRA E A CAPACIDADE DE TRABALHO DA ÉRICA”, DIZ PARINI

No jornal A Tribuna deste final de semana, destaque para o relatório final da chamada CEI da “Farra no Tesouro”. Assinado pelo vereador Bismark Kuwakino, relator da CEI, o relatório diz que os desvios praticados pela ex-tesoureira Érica Cristina Carpi foram facilitados pela negligência de secretários, contadores, controladores internos e dos auditores do Tribunal de Contas. Com relação ao prefeito Flá Prandi e aos ex-prefeitos Humberto Parini, Nice Mistilides e Pedro Callado, o relatório não aponta negligência e diz que eles apenas confiaram excessivamente na ex-tesoureira. Em seu depoimento, Érica disse que os desvios não teriam acontecido se prefeitos e secretários tivessem guardado suas respectivas senhas, ao invés de entregar a ela.

Ainda sobre a tal “Farra no Tesouro”, matéria do repórter Alexandre Ribeiro informa que a suspensão da divulgação do relatório da Sindicância Interna realizada para apurar responsabilidades no caso da ex-tesoureira, teria partido da Secretaria de Administração. A administração alega que o relatório deveria abranger todo o período em que Érica trabalhou na Secretaria de Fazenda, ou seja, de 2005 a 2018, e não apenas os seis últimos anos. O repórter informa ainda que, na realidade, o motivo para a não divulgação do relatório pode ser outro: a Sindicância teria concluído que, além da negligência de secretários e contadores, a omissão dos prefeitos também teria contribuído para os desvios da ex-tesoureira.

O imbróglio entre a Prefeitura e a ACIJ, por conta da “queima de estoque” promovida por uma loja de confecções da cidade; o início da vacinação contra a gripe; a megaoperação que mira fraudes no vestibular de medicina em Fernandópolis; a representação levada ao Ministério Público pelo vereador Tiago Abra, que pede a regularização dos prédios públicos que funcionam sem alvará; e a resposta do ex-controlador interno da Prefeitura, Ricardo Junqueira, que está sendo acusado de negligência no caso da “Farra no Tesouro”, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para o depoimento do ex-prefeito Parini à CEI da Câmara, onde ele afirma que “na Prefeitura não tinha um único outro servidor com a garra e a capacidade de trabalho que a Érica tinha”. Na página de opinião, o advogado Gustavo Balbino escreve sobre Educação Ambiental, enquanto a crônica do blogueiro Hélio Consolaro traz o título “Gastaram 80 balas num preto” e trata, é claro, do músico Evaldo Rosa, assassinado por soldados do exército no Rio de Janeiro. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para os 70 anos do comerciante Onivaldo Simioli, o melhor intérprete de “Meu Endereço”, da dupla César e Paulinho.

12 comentários

  • Atitude Jales

    Ou seja funcionários recebiam para confiar e não para exercer sua atividade proposta kkkk e prefeiturinha de casinha que brincavam de branca de neve o seus anões…..

  • DELAÇÃO

    Este final de semana vai ser um inferno camionetas,motos, carros, o maior barulho de som escapamento noias manguacas etc nas ruas avenida etc ajuda aí comando, comandante pelo amor de Deus

  • Irmão da célula

    Uma verdadeira pizza de mentiras, acho que o Bismarck acabou com a carreira dele com este relatório, volte para a igreja irmão,deixa isso que não é pra você!Me arrependi de ter colocado você nesta, achei que por sua religião e sua história você jamais iria fazer isso, de qualquer forma paz para você irmão!

  • EITA…JALAO ex centro de regiao hoje infelizmente eh uma cidade aonde a administraçao estah FALIDA…prova estah aih .(como disse o DELEGADO que estah cuidando da(OPERAÇAO FARRA DO TESOURO), disse que a prefeitura do JALAO era uma bagunça….Pelo jeito o contador NUNCA NESSES ANOS TODOS NUNCA FEZ UM BALANÇO, porque abaixo do prefeito estah o contador, seria ELE que teria que mostrar p/ o prefeito como andava as finanças da prefeitura, juntando todas as entradas e saidas/despesas de dinheiro de todos os setores(inclusive do setor que a ERICA trabalhava). Qualquer pai de familia sem querer jah faz sua contabilidade: seria + e – e no fim saberah se estah no AZUL ou no VERMELHO. MAS parece-me que os contadores da JALAO que cuidaram dessa parte na prefeitura nunca fizeram isso…nao sei se foi por falta de capacidade ou era jah tudo combinado com as RAPOSAS que tomam conta do galinheiro(a ERICA ao meu ver, sempre foi uma laranjinha). P.S. infelizmente o ultimo politico de garra e que se preocupava com crescimento da JALAO chamava Dr. ROBERTO ROLLEMBERG.

  • Ficou bem para todo mundo. Enfim, uma pizza saborosa!

    Já era sabido que esta CEI dos vereadores ia virar uma pizza porque os vereadores não sabem investigar e nem querem. São despreparados pois não foram eleitos para isso. Alem disso, eles não tem dispositivos legais como a PF tem, por ex.
    Aliviar as cabeças dos ex prefeitos e do atual prefeito, deve ter sido um consenso politico entre os partidos. Até que ponto a omissão dos prefeitos é crime?
    A defesa de Parini foi ridícula pois foi com ele que tudo começou. Ou seja, com ele — ela “aprendeu” a roubar!
    Colocaram a culpa, na negligencia dos secretários, contadores, controladores internos e até, dos auditores do Tribunal de Contas. Mas quem são essas pessoas? A CEI não apontou! Negligencia é crime? Não sei.
    Não vamos perder tempo com isso e vamos esperar o relatório da PF que através desta investigação descobriu o escândalo do seguro.

  • Pelo o que dá pra entender , a Érica tinha em mãos todas as chaves do galinheiro, tornando-se assim a raposa- mor, mas será que a raposa- mor não teria ficado tbem responsável pela distribuição das galinhas entre o resto do bando de raposas? Falta em Jales um caçador de RAPOSAS

  • Então a Érica ficava com todas as chaves do galinheiro,? Era a raposa-mor do galinheiro, deveriam investigar se ela estava distribuindo galinhas para o resto do bando de raposas. Jales tem que contratar um caçador de raposas.

  • CEI que não SEI

    Já tem outra pizza ( digo CEI) no forno. Se depender do puxa-saco mor do prefeito, lá vem outro relatório fajuto por aí

  • JOSUE

    CERTA VEZ OUVI EM UMA FILA BANCARIA,QUE NA PREFEITURA HAVIA UMA EQUIPE DE FUNCIONARIOS QUE ORQUESTRAVAM,MANIPULAVAM OS PREFEITOS CONFORME ELES QUERIAM,PRA REALIZAR OS QUE ELES DESEJASSEM,QUE MUITOS ASSINAVAM DOCUMENTOS SEM LER,INCLUSIVE PARA PREJUDICAR FUNCIONARIOS,EU FUI VITIMA DE UMA PORTARIA,READAPTANDO PERMANENTE A MOTORISTA SEM PERCAS SALARIAIS O SR, JOSUE …….INAPTO A DIRIGIR,ASSINOU SEM LER POR CONFIAR NO FUNCIONARIO,COMO SOU MOTORISTA INAPTO A DIRIGIR,ALGO ESTÁ ERRADO,MAS DEUS É BOM ESTÁ LIMPANDO MUITA COISA,QTO ESSA CEI SEM COMENTARIOS,EU JÁ SABIA.DEUS ABENÇOE JALES.

  • JOSUE

    COM CERTEZA CONCORDO EM GRAU E NUMERO QUE O SR EXMO EX PREFEITO PARINI DIZ,ERICA TINHA UMA COMPETENCIA,UMA GARRA,UMA CAPACIDADE,QUEM VAI DISCORDAR ?PARA ENGANAR TANTA GENTE TEM QUE SER EXTREMAMENTE QUALIFICADA,PARABENS DR PARINI JALES AGRADEÇO POR SEU DEPOIMENTO ESCLARECEDOR,TEMOS QUE ENGOLIR E DIGERIR MAIS ESSA,DEUS ABENÇOE JALES.

  • Ex

    Ei pessoal… essa pratica de lançar a maior na folha de pagamento é usada na maioria das prefeituras, e por ordem dos chefes do executivo, é uma maneira de formar caixa 2 para pagar agua, luz, passagens e etc. de aliados de campanha. Devido a forma de lançamento segregado por departamento fica bem difícil a conferencia pelos auditores do tribunal que na maioria das vezes não tem muita experiência em RH.
    Se conferirem a folha de pagamento pelo AUDESP esta está 100% correta, mais nos empenhos “contabilidade” os valore são outro. (é só perder um tempinho e navegar o portal transparecia”.

  • TRUMPH

    Seria o PROFESSOR falando de sua ALUNA?

    ou será que o ex prefeito esqueceu de tomar sua medição diária?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *