ACIJ E FÓRUM DA CIDADANIA QUEREM MAIS AÇÕES PARA GERAÇÃO DE EMPREGOS

Em entrevista radiofônica, o presidente da ACIJ, Alexandre Rensi, brandiu números sobre o emprego em Jales que demonstram o péssimo desempenho de nossa cidade nesse quesito.

Por sinal, há muito tempo que este modesto blog vem publicando, mensalmente, os números do emprego formal em Jales e mostrando que a nossa performance, nos últimos cinco anos, é uma das piores da região.

Um dia desses, conversei com um dos empresários que, durante a campanha, participou do programa radiofônico de Nice, prometendo trazer sua indústria de confecções de Araçatuba para Jales. Ele me disse que, passados quase seis meses da nova administração, não foi procurado por ninguém da equipe da prefeita.

Vamos, então, à notícia enviada pela assessoria de imprensa da ACIJ: 

No período em que o país ainda vive uma fase de pleno desenvolvimento com falta de mão de obra em quase todos os segmentos, Jales continua caminhando na contra-mão, sem qualquer perspectiva de reverter essa situação, a não ser que sejam adotadas algumas medidas emergenciais para atrair novas empresas e criar incentivos para as que já existem.

É uma situação constrangedora, como afirmou o presidente da Associação Comercial e Industrial e do Sindicato do Comércio Varejista, Alexandre Rensi, mostrando números que colocam Jales abaixo de municípios menores, como Santa Fé do Sul, Estrela d’Oeste e Ouroeste.

De janeiro a maio deste ano, Jales teve um aumento de apenas 116 novos empregos, enquanto em Santa Fé do Sul esse aumento foi de 136, em Estrela d’Oeste de 185, em Ouroeste de 397, em Fernandópolis de 581 e em Votuporanga de 706.

Somando o mesmo período (janeiro a maio) nos últimos três anos, os números continuam muito desfavoráveis para Jales que só não perdeu para Estrela d’Oeste e Santa Fé do Sul. Jales gerou apenas 715 novos empregos, contra 556 em Santa Fé do Sul, 408 em Estrela d’Oeste, 816 em Ouroeste, 2.436 em Fernandópolis e 2.890 em Votuporanga.

Esses números foram apresentados por Rensi na última terça-feira, dia 25, durante mesa redonda no programa Antena Ligada, mediado pelo diretor da emissora Wanderley Garcia e que teve ainda a participação do presidente do Fórum da Cidadania, Carlos Alberto Britto Neto. A prefeita Eunice Mistilides Silva foi convidada, mas não compareceu.

Rensi e Britto atribuem esse crescimento quase insignificante á falta de iniciativas que possam promover o desenvolvimento, atraindo novas empresas e ao mesmo tempo criando condições para viabilizar as que já estão instaladas.

A ausência da prefeita foi criticada quando os participantes do encontro lembraram que a comunidade, através dos seus diversos segmentos e instituições pode contribuir, mas é preciso a participação da administração municipal que é a responsável pela

execução das ações que possam ser propostas e aprovadas. Para isso a sociedade tem que ser ouvida também nessa questão fundamental para a melhoria da qualidade de vida da população. 

Mais uma vez foi sugerida a criação de um conselho de desenvolvimento, para discutir e planejar essas ações, como já existiu em outros períodos, trazendo resultados significativos  para o crescimento do município.

“Se alguma coisa não for feita, corremos sério risco de entrarmos logo em um processo de estagnação, enquanto o resto do país se

12 comentários

  • Anônimo

    Jales já esta em processo de estagnação a muito tempo atras…..Uma cidade com quase 50 mil habitantes gerar somente 116 empregos em 6 meses….Isso porque não foi publicado o numero de demissões que acho que deve ter sido maior que o índice de emprego!!!…………Jales precisa urgentemente de industrias famosas de grande porte, para fortalecer a economia do município e com isso chamar atenção de novos investidores para jales! Com isso melhora em tudo na cidade, tanto no setor industrial, como no comercio e assim a cidade vai se desenvolvendo!………….OBS: SE CONTINUAR DO JEITO QUE ESTA, DAQUI UNS TEMPOS NÃO VAI EXISTIR MAIS JOVENS EM JALES, POIS ESTÃO INDO TODOS EMBORA A PROCURA DE EMPREGO!

  • ZÉ CAPETA

    Como disse a “MULHER MACHO”, o forum da cidadania e a ACij, nao cancelaram o segundo debate durante as eleições, para nao prejudicar a Ungida foge da raia. Taí. Agora Guenta Coração…… O que eles querem agora, recuperar o tempo perdido, mas só foram seis meses….!!! corre que o buraco vem aí!!!!!

  • Osmar Gabriel

    Cardosinho!!!

    Voce e testemunha que em varios artigos que escrevi para o Jornal de Jales, a minha preocupação sempre foi o desenvolvimento de nossa cidade, que continua estagnada, ou seja, parada no tempo. Muitas brigas politicas que tem desviado o foco principal do nosso desenvolvimento, principalmente na industria e comercio, que com certeza tivesse um programa de desenvolvimento bem elaborado com certeza ja teriamos colhendo os frutos. O povo precisa de empregos, renda. Até que enfim. Pelo jeito estão começando a ficar preocupados, inclusive a ACIJ, que alias o meu amigo e competente Alexandre Rensi esta demonstrando tbem sua preocupação. Embora um pouco tarde, tenho a certeza que se deixarmos as “vaidades politicas” de lado, caminharemos com certeza para uma Jales cada vez melhor.

  • Pagador de Impostos

    tão queremdo tirar a ecopav e deixar mais de 100 funcionarios desempregados , isso que è esforço total da prefeita

  • GARNIZÉ

    Enquanto isso ela estava viajando

  • Carlos Eduardo

    Boa noite,cardosinho sou de Jales mas atualmente moro em Rio Preto,ouvi um novo progama na antena com Vanderlei,Carlos Alberto e Rensi,neste periodo teve varios prefeito, nunca vi este Rensi como presidente da Associaçao Comercial tentar tazer alhuma empresa para Jales,visto que ‘e da familia de politicos ,este forum da cidadania ‘e muito importante desde que nao seja PARTIDARIO logo este senhor dono da radio o que de importante fez pela cidade.Fica aqui meu protesto.

  • Pit Bull

    Se “mexer” é preciso !!!

    REPRODUZINDO COMENTÁRIO :

    Pit Bull
    26 março 2013 às 19:00
    Lamentável e preocupante, são visíveis outros possíveis fechamentos de lojas, principalmente, de pequeno e médio porte, é o que predomina nosso comércio.

    Os Parques Industriais, carentes de infra-estruturas , muitos terrenos nas mãos de pessoas com único objetivo de exploração imóbiliária, entra/sai prefeitos e não vemos ação de retomada dessas área , não há uma política de incremento industrial – incentivo fiscal, programa de marketing , mala direta, visitações a polos industriais e feiras industriais, mostrando o potencial regional e o baixo custo da mão de obra, etc…

    O desenvolvimento sócio-econômico de uma cidade se mede pela ousadia e criatividade do seu governante. A inércia é o resultado do desemprego ; quando muito , um ínfimo crescimento . A falta de opção profissional leva, principalmente, nossos jovens ao êxodo urbano , buscando alternativas de trabalho em cidades progressistas , colaborando para a fragilidade do processo econômico.

    Passou da hora do poder executivo e entidades representativas buscarem junto as lideranças do Comércio e Indústria do Estado o apoio necessário para elaboração e orientação de estratégias na implementação de uma política capaz de oferecer ao empresariado a oportunidade de investimento.

  • GARNIZÉ

    Pit Bull, você descreveu perfeitamente o quadro do emprego que se mostra em nossa cidade

  • Lelito

    Fernandópolis sempre na nossa frente.

    http://www.regiaonoroeste.com/portal/materias.php?id=48907

    Manifestantes irão invadir Prefeitura para entregar carta de reivindicações para Ana Bim

  • GARNIZÉ

    Essa dupla Nice/Ana Bim é do barulho hein

  • JOÃO DA TOCAIA

    Elas poderiam até tocar um bar de sócias tamanho o entrosamento entre as duas

  • BATIMAH

    Enquanto a cidade tiver a politica suja pra não ajudar na criação de emprego e trazer novas empresas e somente depender de trabalhar pra Patrão/Chefe folgado onde só sabe explorar funcionario e pagar uma merreca essa cidade vai continuar a mesma coisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *