HOMEM QUE TENTOU MATAR DESAFETO NO JARDIM AMÉRICA É CONDENADO A 3 ANOS E 6 MESES DE RECLUSÃO

O Tribunal do Júri de Jales, sob a presidência da juíza Maria Paula Branquinho Pini (foto), da 4ª Vara, reuniu-se nesta terça-feira, 06, para o julgamento de M.H.F.Q., vulgo “Marcinho Tatto”, por tentativa de homicídio.

O crime ocorreu na tarde do dia 1º de outubro de 2017, depois de uma discussão em um churrasco realizado na casa de Marcinho. Jayr, a vítima, deixou o local após a discussão, mas, quando já estava em sua casa, foi interpelado pelo acusado que, depois de atirar uma vez, foi contido por populares.

O tiro atingiu Jayr no braço esquerdo e no abdômem, ferindo-o de leve.  Marcinho, em depoimento à Justiça, alegou ter atirado em legítima defesa, já que segundo ele, Jayr teria partido em sua direção com uma faca. A tese da legítima defesa não foi, no entanto, levada em conta por não ter sido devidamente comprovada.

No julgamento de hoje, os jurados consideraram Marcinho culpado do crime de tentativa de homicídio por motivo fútil e, ao final, a juíza aplicou a pena de três anos e seis meses de reclusão em regime inicial fechado, sem direito de apelar em liberdade.

No próximo dia 13 de dezembro, o Tribunal do Júri volta a se reunir, dessa vez para julgar o jovem “Pipoca”, que, numa movimentada madrugada, na Avenida João Amadeu, também em outubro do ano passado, atirou três vezes contra o suposto namorado de sua ex-companheira. Um dos disparos atingiu a vítima que, ferida de leve, conseguiu chegar dirigindo até a UPA, onde foi socorrida. 

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *