HOSPITAL DE AMOR JALES REALIZOU O PRIMEIRO PROCEDIMENTO COM NOVA TÉCNICA RADIOTERÁPICA

Da assessoria de imprensa do Hospital de Amor:

O Hospital de Amor Jales dá mais um importante passo na sua história como instituição referência no tratamento do câncer. Na última terça-feira, dia 8, a equipe de radioterapia atendeu o primeiro paciente utilizando uma técnica recém-implantada na unidade, o IMRT – “Intensity – Modulated Radiation Therapy”.

A física médica responsável, Laís Bueno da Silva, explica que a técnica representa um dos mais importantes avanços da história da radioterapia e que o procedimento é um aperfeiçoamento do tratamento que já é oferecido aos pacientes, visando à redução dos efeitos colaterais a curto e longo prazo pela redução da toxicidade relacionada ao tratamento.

“O conjunto de equipamentos adquirido proporcionou a implementação da técnica de tratamento que consiste em uma melhor distribuição de dose da radioterapia, pois permite a administração de altas doses de radiação no tumor, consequentemente, aumenta a possibilidade de controle da doença e reduz a dose da radiação entregue aos tecidos e órgãos saudáveis ao redor da área do tumor”, explicou a médica.

A gerente da unidade, Camila Venturini, explica que, desde a autorização da compra do conjunto de equipamento que permite o uso da técnica, em agosto de 2019, foram realizados vários trâmites que demandaram tempo, como importação, instalação, implementação e testes de segurança até que tudo estivesse pronto para o tratamento dos pacientes. Inclusive, que o controle de qualidade é uma das fases mais importantes do processo.

“O planejamento realizado no computador deve ser verificado através do controle de qualidade. Essa tarefa é realizada pelo profissional do físico médico diretamente no aparelho de tratamento. Nessa etapa eles comparam o que foi planejado com o que realmente está sendo realizado pelo aparelho. O teste é feito antes do tratamento de todos os pacientes que passarão pela técnica”, explicou Camila.

O radioncologista, Dr. Rubem Andrade, explica que a técnica vai oferecer melhorias às possibilidades de tratamento ao paciente. “Como a técnica de IMRT pode reduzir os danos aos tecidos normais, podem ser utilizadas doses maiores para tratar tumores localizados próximos aos órgãos de risco e estruturas críticas importantes, como por exemplo, tumores pélvicos e de cabeça e pescoço”.

PROJETO

A gerente administrativa, Camila Venturini, conta que em novembro de 2018 foi entregue um ofício a deputada estadual Analice Fernandes, no qual expressava a necessidade dos equipamentos para a instituição, bem como os benefícios desta nova técnica de tratamento.

“Ficamos contentes quando vemos um projeto se concretizar e principalmente em saber, que milhares de pessoas serão beneficiados com essa nova técnica. Agradeço em nome de todos os nossos pacientes, a todos que contribuíram para essa conquista”, finalizou a gerente.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *