JORNALISTA ACUSADO DE QUEBRA DE SIGILO ESTEVE EM JALES

Poucas pessoas ficaram sabendo, mas o jornalista Amaury Ribeiro Júnior, que ficou famoso durante a campanha eleitoral de 2010, acusado que foi de suposto envolvimento na quebra do sigilo fiscal de Verônica Serra, filha do  ex-candidato a presidente, José Serra, esteve em Jales, em agosto de 2009.

Naquela ocasião, Amaury Ribeiro Jr ainda trabalhava nos jornais O Estado de Minas e Correio Braziliense, e deslocou-se de Belo Horizonte até a nossa cidade para realizar investigações que embasaram a publicação de matéria sobre o diretor da Petrobrás e sócio da empresa jalesense Implalife, Diego Hernandes.

Este aprendiz de blogueiro teve a oportunidade de conversar com Amaury que, acompanhado do também jornalista Paulo Reis Aruca, de A Tribuna, buscava informações sobre entidades jalesenses que recebiam recursos da Petrobrás para desenvolver projetos com crianças e adolescentes em situação de risco.

A  matéria sobre o suposto crescimento patrimonial do ex-sindicalista Diego Hernandes foi publicada pelo Correio Braziliense alguns dias depois, e mereceu indignado desmentido da Petrobrás.

Aos 44 anos, Amaury Ribeiro Júnior  não é um jornalista qualquer. Em 20 anos de jornalismo, ele já recebeu três prêmios Esso e quatro prêmios Wladimir Herzog, além de ser membro do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. Atualmente na TV Record, ele já foi repórter especial do jornal O Globo e da revista Istoé.

Em setembro de 2007, bem antes de vir a Jales, Amaury foi baleado em um bar na cidade de Ocidental, em Goiás, quando ele realizava investigações para o Correio Braziliense, sobre homicídios ligados ao narcotráfico no entorno de Brasília. Aos tiros, ele sobreviveu. Certamente que sobreviverá também à acusação da quebra de sigilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *