“NÃO TENHO MEDO DA MORTE, TENHO MEDO DA DESONRA”

Reproduzo abaixo, o Editorial do portal eletrônico Sul21, do Rio Grande do Sul, sobre o ex-vice-presidente José Alencar:

“Morreu José Alencar, o homem que abriu as portas à luta para o entendimento e o apoio do empresariado nacional e talvez o vice-presidente mais amado da história do Brasil.

Extremamente religioso, José Alencar não temia a morte. Operado 15 vezes entre 1997 e 2011, ele deu lições de vida e de dedicação às causas públicas.

Empresário que teve sua carreia construída com o esforço de seu trabalho e de sua dedicação, José Alencar nunca esqueceu sua origem e nunca menosprezou o valor do trabalho. Mesmo tendo apoiado o golpe militar de 1963, não titubeou no apoio a Lula e ao PT, quando foi convidado para integrar a chapa lulista à presidência da República, em 2002.

Mesmo sem conhecê-lo pessoalmente, Lula convenceu-se de que deveria convidar José Alencar para integrar sua chapa, pois ele era um empresário “saído do nada” que havia conquistado sucesso e que jamais esquecera sua origem. Alencar não recusou o apelo e abriu as portas para que Lula pudesse ser ouvido pelo empresariado nacional, sempre receoso do “perigo petista”.

Tendo ocupado a presidência da República por mais de 500 dias, José Alencar foi o vice-presidente que ocupou por mais longo tempo a presidência interina do Brasil. Não obstante tenha sido sempre um crítico contundente da política de juros altos do Banco Central, José de Alencar nunca se insurgiu contra o governo Lula nem conspirou contra ele. Pelo contrário, jogou sempre no mesmo time, somando esforços e promovendo o entendimento entre o capital e o trabalho no governo do país.

Morreu um homem digno.

Que ele sirva de exemplo a todos nós.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *