NEM CUBA, NEM VENEZUELA: PAÍS QUE MAIS RECEBEU RECURSOS DO BNDES FORAM OS EUA

A matéria completa do jornal paranaense Gazeta do Povo, que inclui gráficos interessantes, pode ser lida aqui. Abaixo, um trecho:

Os financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obras de infraestrutura em países da América Latina e África, principalmente nos casos de países sob regimes ditatoriais, são o principal alvo dos questionamentos ao banco na famosa “caixa-preta” que o governo Bolsonaro exige que seja aberta. Mas, afinal, onde e por que o BNDES empresta recursos para operações no exterior?

O BNDES emprestou, entre 1998 e março deste ano (data de seu último balanço), US$ 10,499 bilhões para empresas brasileiras realizarem obras no exterior, na modalidade “exportação de serviços de engenharia” em 15 países da América Latina e da África. Desse total, US$ 6,862 bilhões já foram pagos pelos entes devedores, US$ 3,119 bilhões ainda estão dentro do prazo de pagamento e US$ 518 milhões estão atrasados, representando parcelas não pagas por Venezuela e Moçambique.

O financiamento é justificado pelo banco como uma forma de fomentar empresas brasileiras e gerar a entrada de mais recursos no país, uma vez que o BNDES desembolsa os recursos exclusivamente no Brasil, em reais, para a empresa brasileira, à medida que as exportações vão sendo realizadas e comprovadas. Quem paga o financiamento ao BNDES, com juros, em dólar ou euro, é o governo ou a empresa que importa os bens e serviços do Brasil, num negócio considerável rentável e estratégico para o banco.”

Mas o financiamento à exportação de serviços de engenharia é apenas uma fração de pouco mais de 25% do total de aportes do BNDES no exterior. A maior parte desses empréstimos vai para a exportação de bens de alto valor agregado – como aeronaves, ônibus e caminhões – de empresas brasileiras de grande porte.

No total, entre serviços de engenharia e bens, o banco financiou US$ 38 bilhões a 40 diferentes países nessas duas décadas. Desse montante, US$ 17,7 bilhões – ou 44% – foram destinados aos Estados Unidos.

15 comentários

  • Emprestar dinheiro aos americanos? Vergonha petista!

    Emprestar dinheiro para os EUA? Os petistas não tem vergonha de fazerem isso? Não foram os americanos que emprestaram dinheiro para os brasileiros?

  • mané

    Emprestar dinheiro aos americanos? Vergonha petista—-, seu Imbecil de uma lida neste texto::::EUA são maior destino de operações externas do BNDES.
    O site do BNDES apresenta o detalhamento de contratos de financiamento a exportações de engenharia brasileira para Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador, Gana, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Paraguai, Peru, República Dominicana, Venezuela.
    Segundo o banco, o país ou empresa importadora assume a responsabilidade de pagar o financiamento ao BNDES, com juros, em dólar ou euro. Por isso, os contratos de financiamento à exportação envolvem três partes: a empresa brasileira exportadora, o importador e o BNDES.
    A instituição financia exportações de engenharia brasileira para obras no exterior desde 1998. Os recursos envolvidos nessas transações são sempre liberados no Brasil, em reais, para a empresa brasileira exportadora. Além de serviços, o BNDES financia exportações de empresas brasileiras para mais de 40 países.
    Essas exportações referem-se a bens como aeronaves, ônibus e caminhões. Somando-se os financiamentos de bens e serviços, o maior destino dessas operações são os Estados Unidos (US$ 17 bilhões de 1998 a 2017). Em seguida, vêm Argentina (US$ 3,5 bilhões), Angola (US$ 3,4 bilhões), Venezuela (US$ 2,2 bilhões) e Holanda (US$ 1,5 bilhão)
    Os financiamentos à exportação costumam ser cobertos pelo Seguro de Crédito à Exportação (SCE), um dos mecanismos de garantia e mitigação do risco de crédito usado pelo BNDES – e também por outros bancos, públicos e privados – em operações de financiamento a vendas externas de bens e serviços brasileiros.
    As decisões quanto às condições de apoio à exportação e às garantias exigidas do importador (caso do SCE/FGE) são tomadas pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) e pelo Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações (Cofig), que são colegiados interministeriais nos quais o BNDES não tem direito a voto nem poder de decisão.
    O SCE é lastreado pelo Fundo de Garantia à Exportação (FGE). Ele funciona como todo seguro: cobra prêmios do país responsável pelo pagamento do empréstimo na medida do risco incorrido e, caso haja inadimplência do devedor, indeniza o financiador e busca recuperar o valor em atraso.
    As receitas do FGE – incluindo os prêmios pagos pelo importador – são transferidas para a conta única do Tesouro Nacional. Quando é necessário emitir alguma indenização por conta de um não pagamento ou atraso, os recursos precisam vir do Orçamento Geral da União (OGU).
    “É importante notar que o FGE é fundo contábil, amplamente superavitário”, destaca o BNDES em seu site. “Desde a criação do FGE, há 20 anos, até outubro/2018, foram arrecadados US$ 1,35 bilhão em prêmios e pagos US$ 388 milhões em indenizações (US$ 160 milhões para outros bancos), tendo recuperado US$ 18,9 milhões. Portanto, ainda que os recursos para cobertura de dívidas precisem transitar pelo OGU, eles são provenientes dos prêmios pagos pelos devedores do financiamento, como é a lógica de qualquer seguro.”

  • eu

    Emprestar dinheiro aos americanos? Vergonha petista——és da direita besta brasileira mas acho que tem pelo menos um pouquinho de inteligência para entendes estes textos:

    O BNDES nunca perdoou dívidas de nenhum país, de qualquer continente. O Banco não abre mão de créditos a que tem direito. Provavelmente, as acusações que se fazem ao BNDES nesse sentido se devem ao fato de que, no passado, em diferentes oportunidades, o Senado aprovou o perdão de dívidas de países africanos com o Brasil, mediante propostas do Ministério da Fazenda. Mas esses perdões de dívida não têm nenhuma relação com o BNDES.
    A origem das dívidas são operações de financiamento à exportação realizadas nas décadas de 1970 e 80, antes mesmo de terem sido criadas as linhas de financiamentos à exportação do BNDES.
    Foram operações realizadas com recursos do extinto Fundo de Financiamento às Exportações (FINEX), que passaram depois a integrar o Programa de Financiamento às Exportações (PROEX), que utiliza recursos diretamente do Tesouro Nacional e tem o Banco do Brasil como agente exclusivo da União. Portanto, não são financiamentos do BNDES. Entre os últimos países beneficiados, conforme resoluções do Senado promulgadas em setembro de 2016, estão: República Democrática do Congo, Zâmbia, Tanzânia e Costa do Marfim.

    18:03 19-06-2019
    Lucro do 1º trimestre de 2019 foi o maior da história do BNDES
    06:50 28-05-2019
    BOATO: Auditoria do TCU procura R$ 1,2 trilhão que ‘sumiu’ do BNDES
    18:50 18-04-2019
    Boato: BNDES financiou obras públicas no Peru
    12:53 27-12-2018
    Boato: O dinheiro usado para cobrir ‘calote’ de outros países vem dos nossos impostos
    12:19 20-12-2018
    Boato: O BNDES cobra juros mais baratos em financiamentos para outros países
    13:33 13-11-2018
    Boato: BNDES não pagou caminhões abandonados atribuídos a Eike Batista
    16:59 04-11-2018
    Fato: BNDES é o único banco brasileiro que divulga online todos os seus empréstimos

    • Brasileira

      É uma pena que td o que vc posta tem visão parcial… o trabalho de um jornalista e crítico político fica muito mais interessante quando consegue trabalhar um assunto de forma ampla e não partidária. Qualquer pessoa com um pouco de noção entenderá logo isso…

  • Fern@ndinho

    A JBS comprou a Swift americana com que dinheiro?

  • Os clientes do PT

    Eis a lista dos maiores devedores do BNDES
    1- Rede Globo 2- JBS Friboi 3- Grupo Odebrecht 4- Igreja Universal de Deus 5- Governo da Venezuela 6- Rede Record 7- – Governo da Angola 8- Governo da Cuba 9- Governo da Uruguai 10- Petrobras
    Essa lista explica muita coisa. Como por exemplo a Globo mete o pau em Bolsonaro e já a Record, puxa o saco e vive de boa com o presidente.
    Explica também os escândalos de propinas ao PT da JBS Friboi e Grupo Odebrecht. E os esquemas com os governos da esquerda da Venezuela, Angola, Cuba e Uruguai. Todos amigos!

    • É lamentável a capacidade que você tem para repercutir notícias mentirosas. Acho que você, que tenta se passar por uma pessoa bem informada, deveria checar em sites confiáveis as fake News que recebe no seu wattsapp. Essa tua lista de devedores é parte de uma fake divulgada em 2017 e que já foi desmentida por sites especializados, como o E-farsas e o Boatos.org (https://www.boatos.org/politica/globo-lista-devedores-bndes.html) e até pelo próprio BNDES. A lista com os 50 maiores tomadores de empréstimos do BNDES foi divulgada pelo próprio banco em janeiro deste ano e nela não aparece nenhum governo estrangeiro . Como qualquer pessoa razoavelmente bem informada sabe, o BNDES não empresta a países, mas a empresas brasileiras que são contratadas para realizar obras em outros países, desde que essas empresas se comprometam a utilizar, nessas obras, peças e materiais fabricados no Brasil. É um modo de estimular a nossa indústria e gerar empregos aqui no Brasil.

    • Rapizodia

      Devia ter feito lição de casa!

  • Que Vergonha

    Os Clientes do PT ficou feio este tapa de pelica. Agora não se intromete mais em assuntos , onde só elementos de QI elevado participam.
    VAI CHUPAR PREGO !!!!!!!!!!!

  • eu

    Na minha visão parcial ou imparcial de fatos políticos ou não o problema é exclusivamente de minha pessoa, sempre levando em conta o que leio, como leio e analiso . Não aceitando a intromissão de nenhum imbecil.
    O trabalho jornalistico geralmente é crítico e politico , sempre dependendo de sua visão ideológica, fato que podemos ser contra ou a favor, mas como um bom entendedor só podemos concordar ou não, conforme nossa visão ampla sobre o assunto, pois ninguém, isso também qualquer pessoa mesmo ela sendo de um imbecilidade vultuosa é dono da verdade, mesmo ela sendo uma sem noção, logo entenderá.

    • Brasileira

      Talvez faltou lições básicas de educação e bom senso … volta para o ciclo 1 ou no útero e começa td de novo … quem da coice tem medo de argumentos …

  • Os clientes do PT (2)

    Cardozinho
    Eu não sei se esta noticia é fake news pois está datada em 15/06/19 como fonte “o jornal Correio de Brasilia. Mas são motivo de indignação os financiamentos concedidos pelo banco para financiar obras de empreiteiras brasileiras em países com alto risco de crédito como Venezuela, Cuba ou Moçambique. As obras foram feitas por Odebrecht e Andrade Gutierrez, ambas apanhadas pela Operação Lava Jato. Temos uma CPI apurando isso”
    Nos últimos meses, o Tesouro Nacional já gastou mais de US$ 500 milhões para reembolsar o BNDES por causa dos calotes desses três países, já que é o garantidor dos créditos. E a conta deve aumentar muito a medida que os financiamentos bilionários de longo prazo forem vencendo.
    Sob o comando dos governos do PT, o BNDES despejou bilhões de reais nos frigoríficos JBS, Marfrig e Bertin, entre outras empresas. Joesley Batista, dono da JBS, reconheceu em delação premiada que pagou propina ao ex-ministro Guido Mantega para obter os aportes.

    • Como eu já disse, essa fake News é de 2017. É antiga e está sendo requentada porque ainda tem gente que acredita. E se você tivesse lido a notícia do Boatos.org teria visto que o jornal Correio de Brasília não existe. Em Brasília, existe o Correio Braziliense e o criador da fake certamente contou com a desinformação dos coxinhas e bolsominions para confundir. Quanto à indignação, ela é fruto da desinformação e das mentiras que as pessoas espalham principalmente no whatsapp.

    • Brasileira

      Talvez faltou lições básicas de educação e bom senso … volta para o ciclo 1 ou no útero e começa td de novo … quem da coice tem medo de argumentos …

  • eu

    A UM IGNORANTE. ACIMA:::::

    As ou Os 50 maiores devedores do BNDES:

    https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1086196654703824896/photo/1

    Nesta sexta-feira , o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou a divulgação de uma lista dos cinquenta maiores clientes do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDES) de 2004 a 2018. A medida foi uma das principais promessas do presidente após ganhar as eleições, quando afirmou que iria “abrir a caixa-preta” da instituição.
    Em primeiro lugar aparece a Petrobrás, com um gasto de 62,4 bilhões de reais, seguida pela Embraer (49,3 bi), Norte Energia (25,3 bi) e a Vale (24,8 bi). Em seguida vem a construtora Odebretch, um dos principais alvos da operação Lava Jato, com um valor de 18.1 bilhões de reais. A JBS, também envolvida em escândalos de corrupção, aparece na 20ª colocação, com 7,6 bilhões.
    Além das empresas e estatais, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Maranhão, Espírito Santo e Santa Catarina também aparecem na lista de maiores investimentos do banco. A lista completa de todos os anos pode ser acessada através do site da instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *