SEGUNDO PESQUISA, JOVENS ESTÃO DEIXANDO DE OUVIR RÁDIO

A notícia é do blog do Nassif:

radio-dialPesquisa realizada pelo Núcleo de Tendências e Pesquisa da Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Famecos/PUC-RS), analisou o comportamento e os interesses de jovens com idades de 18 a 34 anos. Entre os questionamentos levantados pela pesquisa está a relação do jovem com a mídia.

A procura por informações não é a preocupação principal dos jovens das regiões Sul e Sudeste. Nesses locais, games e festas são os assuntos que mais chamam a atenção. Os meios de comunicação tradicionais também perdem seu espaço entre o público. Segundo o projeto, revista, rádio e televisão são os veículos menos utilizados pelos jovens.

De acordo com o levantamento, apenas 3,2% dos entrevistados escutam rádio. A região Norte é o local com mais incidência, chegando a 4%. O Sudeste e o Centro-Oeste apresentam os menores índices, totalizando 2,7%. No Sul, 3,2% dos jovens declararam que acompanham o meio radiofônico.

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) e divulgada no começo de 2015, 8% da população brasileira escuta rádio pelo celular. A criação de aplicativos facilitou a estabilização do meio de comunicação entre os jovens.

Para o professor de comunicação Luciano Klöckner, da Famecos, a questão principal sobre a permanência do rádio como um dos veículos tradicionais está relacionado ao lado comercial. “O rádio vive um momento de transição. Além dos jovens, os idosos devem ter uma programação especial, uma vez que eles pertencem a faixa etária que mais cresce no Brasil”.

10 comentários

  • anonimo

    Essa notícia é ótima, porque as ditas cujas Fms só pensam em tocar esse sertanojo universitário, achando que rádio é só pra jovens esquecendo que os adultos tbém ouvem rádio, mas não gostam dessa baboseira, excelente notícia.

    • Lenha da fogueira

      Estou plenamente de acordo. Para agravar, destaca-se a forte presençpa da internet com suas poderosas redes sociais, que parecem fazer verdadeira lavagem cerebral nas pessoas, alienando-as do mundo real. Ainda sobre o desinteresse pelo rádio, a questão de uns quinze dias, enviei email no contato de uma das rádios FM de Jales reclamando justamente da programação, predominantemente serteneja (se é que o que se toca pode ser tido e entendido como sertanejo), mas até ai, entendo que a questão pode envolver interesses econômicos, mas o pior são os irritantes intervalos comerciais, repletos de vinhetas barulhentas, recheadas ainda com gritos e outras coisas mais); a continuar assim, não são só as pessoas da faixa etária citada na pesquisa que deixarão de ouvir rádio. Lastimável.

  • Radiouvinte

    A péssima programação cultural tem afastado os jovens e os adultos do radio. É só lixo “sertanejo”. A boa música, desapareceu do rádio, principalmente no Estado de São Paulo, onde a ignorancia deita e rola.

  • Chega de Sertanojo

    A mediocridade, a incultura e a desinformação grassam no radio regional. Ninguem aguenta mais tanto sertanejo. E o pior: todas a radios da região fazem a mesma coisa e tocam as mesmas porcarias.

  • Saudoso

    Ouvir rádio pra quê? Só toca porcaria!

  • Thiago

    Juro que tento sintonizar as rádios de Jales mas não tenho paciência pra tanta propaganda, pra cada 10min de música tem 30min de propaganda, ao passo que se você colocar um pendrive vai ouvir suas músicas favoritas, sem interrupções.

  • anonimo

    Quem oferece ainda alguma opção pra que o ouvinte mais adulto possa acompanhar o rádio, são as Ams, mas o que é mais triste nisso tudo, e eu posso dizer com toda segurança é que o investidor, na sua grande maioria só anuncia nas Fms e se não tem a preocupação de observar qual o retorno que isso tem trazido, uma vez que elas só seguem uma linha, só prá ilustrar aqui em Jales tem uma emissora que já traz o prato feito, o locutor não tem nem autonomia de conduzir o programa, tá mais pra um boneco na frente do microfone do que um pra um apresentador.

  • Sou testemunha

    Bom dia Cardosinho,
    Eu escutava muita radio aqui em Jales, a antiga antena 1 é um exemplo. na época do Rafa, Gil carreira , Harley. Tinhamos opções. e agora não por culpa dos locutores que são sobreviventes a falta de cultura da sociedade. não podemos acordar escutando Sertanejo e sair a noite escutando sertanejo. fora o horário sertanejo. E não precisa ser rock não. agora te pergunto Cardosinho é melhor Namorar escutando ventos de maio do Lô Borges ou Bruno e Marrone? depois o chifre cresce e o povo fica nervosinho.

  • resumo da ópera

    os donos de emissoras recebem jabás (geralmente em forma de viagens ao exterior) das gravadoras, dos empresários (investidores) dos pseudo cantores, bandas, duplas… e retribuem como se o setlist fosse escolhido pelos ouvintes… com a internet aconteceu a segmentação, cada um ouve aquilo que gosta, sem locutor enchendo o saco pra comprar remédio que emagrece… sem locutor semianalfabeto e sem dicção no noticiário…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *