CAETANO VELOSO E MARIA BETHÂNIA – “TRISTEZA DO JECA”

Você está com um tempinho disponível? Então veja o vídeo abaixo. Nele, Caetano Veloso e Maria Bethânia cantam “Tristeza do Jeca”. E, no final, tem uma palhinha de dona Canô, a centenária mãe dos dois irmãos baianos.

“Tristeza do Jeca” – uma toada que canta as mágoas de um matuto apaixonado – surgiu em Botucatu, em 1918, mas foi em 1922 que ela se popularizou por todo o interior paulista e ganhou o país, tornando-se um dos maiores clássicos da nossa música sertaneja.

Filho de modestos lavradores, o autor da música – Angelino de Oliveira – era um humilde tocador de violão e guitarra portuguesa. Nascido em 1888, ele morreu em abril de 1964, três dias após completar 76 anos.  

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

E, daqui a pouco, eu estarei Regional FM, onde todos os domingos – das 10 às 14 horas – apresento o Brasil & Cia, com o melhor da MPB.

7 comentários

  • Putz

    Só faltava esta …
    Não bastasse estes dois chatos “politicamente corretos “, lá vem a Da Canô, geriatricamente correta , iniciando uma carreira de cantora , musicalmente correta …
    Parece que no Brasil só existem baianos, cariocas, cachaça e selva amazônica…
    Viva São Paulo…

  • antonio inacio da costa

    Poxa,cardosinho!fiquei muito feliz em voce dizer, “da nossa musica sertaneja” Esta vendo? no mundo sertanejo tambem tem coisa muito boa.Que tal de vez em quando tocar, Milionario e Jose Rico, na regional fm, no horario das 10.00 as 14.00hr Ha’? Desculpe a liberdade amigao.

    • Preclaro Inácio, com relação a música, gosto de muita coisa, inclusive de música sertaneja raiz, como é o caso de “Tristeza do Jeca”. E gosto também de algumas coisas que o Milionário e o Zé Rico cantam. “Lembranças”, por exemplo, ficou muito bonita com eles.

  • Marcia Santos

    Muito bom d.Canô tem razão, muita velha e bonita rsrsrs

  • Márcia

    Passei um bom tempo ouvindo essas musicas do seu blog
    Simplesmente amei!!! e digo Obrigada!

  • Essa dupla Milionário e qualquer coisa funciona muito bem num Bordel,se bem que, a voz do José rico é ou era um fenômeno,mas o repertório…

  • A música genuinamente caipira sempre me deu urticária(A pseudo-caipira nem se fala),com o passar do tempo,ouvindo-as (algumas) eu sinto uma espécie de nostalgia até agradável,deve ser saudade do meu pai,e de uma época onde tudo era mais simples.Viva Cascatinha e Inhana e João pacífico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *