CASUARINA E LENINE – “EU QUERO É BOTAR MEU BLOCO NA RUA”

Nascido em Cachoeiro de Itapemirim(ES), Sérgio Sampaio era filho de um maestro de banda, Raul Gonçalves Sampaio, e primo do compositor Raul Sampaio Cocco, autor de “Meu Pequeno Cachoeiro”, música que concorreu (e perdeu) em um festival para escolha do hino de Cachoeiro de Itapemirim. Perdeu, mas, gravada por Roberto Carlos – o cachoeirense mais ilustre – se tornou muito mais famosa que a vencedora.

Aforamente o Raul pai e o Raul primo, foi outro Raul, o Seixas, quem abriu as portas de uma gravadora para o capixaba Sérgio Sampaio. Por sinal, pode-se dizer que Sampaio foi uma espécie de Raul Seixas sem grife. Eles até chegaram a compor duas ou três músicas juntos.

E, se o Maluco Beleza foi homenageado postumamente com o CD “Baú do Raul”, Sérgio também o foi, com o “Balaio do Sampaio“, no qual vários artistas – Zeca Baleiro, Luiz Melodia, Chico César, Erasmo Carlos, João Bosco e Zizi Possi, entre eles – interpretam suas músicas.

No livro “A Canção No Tempo”, os jornalistas Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello dizem que Sérgio Sampaio era uma figura exótica, que chamava a atenção pela magreza, o cabelão comprido e o comportamento bizarro. Dizem também que ele deixou várias composições, mas somente um sucesso: “Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua”.

Pode ser, mas eu me lembro que, nos anos 70, outras músicas interpretadas por Sampaio, como “Cala a Boca, Zebedeu” (de autoria do pai dele, seo Raul), “Viajei de Trem” e “Dona Maria de Lourdes” (nome da mãe dele), também fizeram relativo sucesso.

No vídeo abaixo, “Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua” é interpretada pelo Lenine, que canta ao lado de seu filho, o João Cavalcanti, vocalista do grupo Casuarina. Na verdade, ex-vocalista, uma vez que, no ano passado, João decidiu partir para um trabalho individual.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *