CHEGA A SÃO PAULO MUSICAL SOBRE ZECA PAGODINHO. FILHO DE JALESENSE É UM DOS MÚSICOS DO ESPETÁCULO

Notícia publicada pelo UOL, nesta quarta-feira, 11, está destacando a chegada a São Paulo – depois de temporada de sucesso no Rio de Janeiro – do musical “Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba”, que conta de forma irreverente a vida e obra de Jessé Gomes da Silva Filho, que todo mundo conhece como Zeca Pagodinho.

O detalhe é que entre os músicos da peça está o violonista Glauber Seixas (o primeiro à esquerda, na foto acima), filho do jalesense Luiz Carlos Seixas – radicado há anos em Ourinhos – e neto de um dos primeiros farmacêuticos de Jales, Bernardino Mendes Seixas.

Glauber – que é compositor e atua também na direção musical da gravação de CDs – vive no Rio de Janeiro desde 2007 e já atuou em shows com Maria Bethânia, Diogo Nogueira, Maurício Carrilho, Cristóvão Bastos, Gilberto Gil (ao lado) e outros. Paulo César Pinheiro, um dos maiores compositores do país, o considera um dos melhores violonistas da nova geração.

Ao jornal Biz, de Ourinhos, Glauber declarou que “participar de um musical é sempre um desafio. Ele ressaltou, também, que a participação no musical proporcionou conhecimento de detalhes da vida de Zeca. “Ele foi feirante, garçom, anotador de jogo do bicho…”, afirmou Glauber. De seu lado, Zeca diz que “eu já vi a peça três vezes e sempre me emociono”.

A estreia da peça, em São Paulo, está marcada para o próximo sábado, no Teatro Procópio Ferreira. O musical vai além de uma simples biografia. Ele retrata a vida de Zeca em dois atos, onde o artista é interpretado por dois atores diferentes.

No primeiro ato, Zeca é apresentado como um sujeito simples, de Xerém, apaixonado por samba. No segundo, ele encontra a fama, mas sem se esquecer de suas origens.

A notícia do UOL, completa, pode ser lida aqui.

2 comentários

  • Luiz Carlos Seixas

    Cardosinho, vi o musical em 2017, no Rio de Janeiro. Nesse ano eles rodaram as capitais e algumas grandes cidades do Brasil antes de chegar a São Paulo nesse fim de semana. Como o espetáculo conta com dezenas de pessoas (músicos, atores, técnicos…) só em grandes casas, como o Teatro Procópio Ferreira na capital paulista. Coincidentemente, o sr. Bernardino Mendes de Seixas, conheceu o Procópio Ferreira por volta de 1954, ali mesmo no Bixiga, onde o seu neto Glauber Seixas estará atuando nas próximas semanas. Sobre o espetáculo vou repetir o que disse ao término da apresentação: está pronto para que uma rede de TV o transforme num musical de fim de ano – basta gravar com algumas câmeras e encurtar na edição para caber no tempo da TV, que é diferente do tempo no Teatro. Está perfeito! Muito inspirado e competente. Além do Zeca jovem, adulto e pessoalmente em inserções de vídeo, tá todo mundo lá: Monarco e a nata do samba. Recomendo a todos com a confiança que antigamente se anunciava no serviço de alto-faante: “satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”. Quem não gostar, me mande o número da conta bancária que eu reembolso o ingresso.

  • O legal é que o Zeca Pagodinho teve a sua vida narrada em forma de musical estando vivo,ele pode conferir sua persona no palco.A maioria dos musicais-tributos acontecem depois que o artista já saiu de cena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *