DONA IVONE LARA MORRE AOS 97 ANOS

A essa altura do campeonato, isso não faz muita diferença, mas há quem diga, que Dona Ivone tinha, na verdade, 96 anos. É que em 1932, quando tinha 10 anos a mãe dela aumentou sua idade em um ano, para que ela pudesse ingressar em um colégio interno. 

Dona Ivone era enfermeira – profissão que lhe garantiu o sustento e a aposentadoria – e trabalhou também como assistente social. Foi uma das primeiras mulheres a integrar a ala de compositores de uma escola de samba, um reduto predominantemente masculino. 

Em 1965, assinou o histórico samba enredo da Império Serrano, “Os cinco bailes da história do Rio”. Em 1978, ela já tinha músicas de sucesso gravadas por Clara Nunes, Roberto Ribeiro e outros, mas se tornou mais conhecida naquele ano, depois que Maria Bethânia e Gal Costa gravaram o samba “Sonho Meu“, uma das parcerias de Dona Ivone com Délcio Carvalho.

Assim como o ajudante de pedreiro Cartola, a enfermeira Ivone Lara só foi gravar o seu primeiro disco solo com mais de 60 anos, também em 1978. Como disse o jornalista Mauro Ferreira, “a obra sensível e feminina de Dona Ivone é símbolo de nobreza no reino do samba“. Vamos à notícia do UOL:

A sambista Ivone Lara, popularmente conhecida como Dona Ivone Lara, morreu aos 97 anos vítima de uma parada cardiorrespiratória, no Rio de Janeiro, na segunda-feira (16). A informação foi confirmada pelo UOL junto a familiares.

Internada há duas semanas no CTI da Coordenação de Emergência Regional, no Leblon, zona sul do Rio, a sambista teve uma piora no estado de saúde na tarde desta segunda. A cantora lutava contra uma infecção renal, com complicações causadas pela idade.

“Ela estava internada já há algum tempo, hoje teve uma queda brusca de pressão e, em seguida, uma parada cardíaca por volta das 22h”, explicou o neto André Lara em entrevista ao UOL, por telefone. Segundo Lara, ainda não há informações sobre o horário do velório, o que deve ser resolvido pela família somente na manhã desta terça.

Em agosto do ano passado, a cantora já havia sido internada no mesmo hospital com crise de hipoglicemia.

Dona Ivone Lara completou 97 anos na última sexta-feira (13). Conhecida como “Rainha do Samba” ou “Grande Dama do Samba”, Ivone é autora de sucessos como “Sonho Meu”, em parceria com Délcio Carvalho, e tem 19 discos gravados. O primeiro deles, “Sambão 70”, foi gravado em 1970, quando ela já tinha 49 anos.

Aos 56, Dona Ivone se aposentou e passou a dedicar-se exclusivamente à carreira artística. Suas músicas foram interpretadas por nomes importantes da música brasileira, como Maria Bethânia, Elba Ramalho, Criolo, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Arlindo Cruz, Adriana Calcanhoto e Zélia Duncan.

Se apresentou em países da África, Europa e da América Latina. Em 2002, recebeu o Prêmio Caras de Música na categoria Melhor Disco de Samba, com o CD Nasci para Sonhar e Cantar. Em 2012, a cantora e compositora foi homenageada pela escola de samba Império Serrano com o enredo: “Dona Ivone Lara: O enredo do meu samba”, que fazia alusão a um sucesso da artista.

No vídeo abaixo, uma das últimas regravações de “Sonho Meu“, com Dona Ivone Lara e alguns convidados:

 

2 comentários

  • A matriarca do samba só teve o seu nome reconhecido em vida porque foi uma sobrevivente de quase 100 anos,se tivesse morrido jovem jamais teria visto o seu talento e pioneirismo serem reconhecidos.

  • A música de Dona Ivone Lara expressa com perfeição a essência do samba,apesar da alegria típica do ritmo e certa esperança em suas canções,há sempre um traço de melancolia.Como já dizia Vinícius de Moraes,”O samba é a tristeza que balança” e o Caetano Veloso,”O samba é o pai do prazer,O samba é o filho da dor”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *