GILBERTO GIL – “PESSOA NEFASTA”

Um dia desses, uma ouvinte do “Brasil & Cia” – o programa musical que apresento aos domingos, na Regional FM – mandou um recado pedindo para tocar “Pessoa Nefasta”, do Gilberto Gil, e dedicá-la ao Bozo.

Achei bem a propósito, mas, em verdade, quando Gil compôs “Pessoa Nefasta”, em 1984, o Bozo ainda nem tinha iniciado sua carreira de deputado medíocre, de modo que a música não foi inspirada na figura com aura de besta que ocupa o Planalto. Não se pode descartar, porém, uma premonição, pois a canção, incrivelmente contemporânea, tem a cara do Bozo.

Quando “Pessoa Nefasta” foi lançada, no LP “Raça Humana”, espalhou-se o boato de que ela teria sido inspirada em Paulo Maluf – que, convenhamos, era bem melhor que o Bozo – mas Gil desmentiu. Educado que é, Gil garantiu que não pensara em ninguém especificamente, mas admitiu que a música poderia se referir à categoria dos “políticos nocivos”.  

Mas não é somente aos “políticos nocivos” que se deve a canção. Deve-se também a dois bandidos que tinham assaltado Gil. Eis a explicação do compositor:

“Eu havia sido assaltado e, sem dúvida alguma, o fato influiu na minha criação: ‘Pessoa Nefasta’ foi pra eles. Eram dois e, armados, nos imobilizaram, ficaram nos encarando, ameaçaram estuprar minha mulher e poderiam ter me matado, porque eu discuti com eles. É pro tipo de espírito deles que eu falo na letra, de sonoridades agressivas, toda no imperativo, como se dita por uma mãe de santo, um padre, um sacerdote, um guia espiritual, um exorcista: como um ‘vade retro, Satanás’. ‘Pessoa Nefasta’ é uma canção de exorcismo.”

Eu bem que tentei postar um vídeo com o Gil cantando “Pessoa Nefasta” ao vivo, mas não está disponível. Estou postando, então, a versão original:

1 comentário

  • sem resumir

    quis fazer um agrado ao movimento punk, sem nunca ter sido, copiando The Clash e Billy Idol, lendo Bob Cuspe… e nas demais faixas imita sem dó Bob Marley nos reggaes…. e pesa a mão no funk americano com o baixo no talo, irregular mas muito bom, tenho até hoje… um disco bem comercial, pra tocar no rádio mas vale a pena… destaco Tempo Rei, Vamos Fugir e A Raça Humana…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *