GUILHERME ARANTES – “MEU MUNDO E NADA MAIS”

Nascido em 28 de julho de 1953, o pianista, compositor e cantor Guilherme Arantes está completando 65 anos de idade neste sábado. Ele começou sua carreira, profissionalmente, em 1973, como tecladista e vocalista do grupo Moto Contínuo. Em 1975, Guilherme deixa o grupo e parte para a carreira solo, gravando seu primeiro disco em 1976.

De lá para cá, colecionou sucessos, cantados por ele mesmo ou por artistas como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Roberto Carlos, Gal Costa e Elis Regina, com quem ele manteve um rápido namoro. Nos anos 80, Guilherme Arantes colocou 12 músicas em primeiro lugar nas paradas de sucesso e bateu recorde de arrecadação de direitos autorais, superando artistas do primeiro time, como Chico Buarque e Gilberto Gil.

Em toda sua carreira, Guilherme Arantes já teve 27 músicas de sua autoria incluídas em trilhas sonoras de novelas. Em 1969, enquanto Neil Armstrong se preparava para deixar suas pegadas na Lua, Guilherme – àquela altura com apenas 16 anos – fazia “Meu Mundo e Nada Mais“, música que só foi gravada em 1976 para a trilha sonora de “Anjo Mau”.

Depois de aparecer na novela, a música não parou de tocar, catapultando Guilherme rumo ao sucesso. O próprio artista conta que, de início, as rádios só tocavam “Meu Mundo e Nada Mais” de madrugada, mas, depois de alguns dias, “viralizou” e tocava em todos os horários, em todas as emissoras.

Na novela, a música tocou 530 vezes, segundo contagem de Guilherme, que acompanhava a telelágrimas ao lado da avó, Iracema. “Foi um massacre”, avalia o compositor. No vídeo abaixo, uma das versões “ao vivo” mais recentes de “Meu Mundo e Nada Mais”:

2 comentários

  • O hitmaker Guilherme Arantes,que era pop demais pra ser MPB e também tinha um verniz-pop demais para ser roqueiro,acabou formando o bloco do eu sozinho.Sua música ganhou um certo status depois que Elis Regina e Maria Bethânia gravaram músicas suas.Tua obra está sendo reavaliada e gravada sem preconceitos,é o tempo fazendo justiça.

  • E o cantor,com sua pinta de galã de auditório (e que sofria com isso),chegou a sentir inveja de Zé Ramalho,ele achava que para ser um compositor sério e de respeito teria de ser feio.Talvez ele tivesse uma ponta de razão,Chico Buarque era a única exceção entre os artistas da linha de shows que tinha beleza,talento e prestígio na mesma proporção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *