ROBERTO CARLOS – “FORÇA ESTRANHA”

“Força Estranha” está completando 40 anos em 2018. Composta por Caetano Veloso e lançada pelo Roberto Carlos em 1978, essa música já foi regravada por artistas como Cauby Peixoto, Gal Costa, o próprio Caetano e até sertanejos como Bruno & Marrone. A releitura mais recente é de Ana Carolina (aqui) no show “Ensaio de Cores“, que virou DVD.

A música foi composta, no entanto, especialmente para Roberto Carlos. É uma homenagem à figura do cantor, descrevendo os motivos que o fazem cantar, juntamente com alusões à sua vida. Quando recebeu a música, Roberto Carlos pediu permissão a Caetano para fazer uma alteração: o acréscimo das palavras “no ar” logo após o verso “por isso essa força estranha”.

A alteração foi aprovada na gravação de Roberto, mas Caetano não a incluiu em suas versões da canção. Porém, toda vez que Caetano canta a música em seus shows, a plateia se encarrega de acrescentar o tal “no ar”, como se pode ver (e ouvir) aqui.

Força Estranha não foi a única composição de Caetano dedicada ao Rei. Antes, ele já tinha feito “Como Dois e Dois“(1971) e “Muito Romântico“(1977). A primeira foi gravada por Roberto nos Estados Unidos, para evitar problemas com a ditadura, já que a letra critica, de forma sutil, a falta de liberdade de expressão existente no Brasil, à época.

“Como Dois e Dois” ficou muito conhecida, também, na voz de Gal Costa. E “Muito Romântico” mereceu versões inspiradas do grupo Cidade Negra (aqui) e do cantor/compositor Oswaldo Montenegro.

No vídeo abaixo, uma das versões ao vivo de “Força Estranha”, com Roberto Carlos:

 

4 comentários

  • O Roberto Carlos gravar três canções de Caetano Veloso é quase um milagre.Pra isso acontecer,o compositor baiano teve que adaptar o seu estilo intelectualizado ao padrão sentimental e simples do ”Rei” (o Caetano disse que fez outras que ele não gravou).
    Eu diria que o Caetano atingiu o objetivo pela metade,as músicas tem uma aura popular,mas tem algumas citações e imagens que fogem ao padrão-romântico do ”Rei”.

  • O Gilberto Gil tentou ser gravado por Roberto Carlos enviando lhe ”Se eu quiser falar com Deus” e ”Era Nova”,as músicas não receberam a chancela do eterno rei da jovem guarda e da música romântica.Chico Buarque e Tom Jobim também mandaram músicas para o Roberto e foram rejeitadas.
    Como se vê,Roberto Carlos não faz média com a elite da MPB,ele só grava músicas que sintonizam com o seu universo particular,isto prova que o artista só dá certo quando mantém a sua verdade e autenticidade.

  • RC

    Gente, é a mesma coisa ficar falando de:
    Garrincha, Tostão, Gerson, Pelé.
    Hi já chega desse cara xarope.
    Até a Rede Globo colocou ele de segunda feira, às 23 hs, pra ninguém assistir.

  • Jaleense

    e Roberto homenageou Caetano compondo e cantando “de baixo dos caracóis dos seus cabelos”… tudo é música, erudito ou popular, sacro ou profano… se naquela época as patrulhas ideológicas soubessem, pirariam…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *