BOA NOTÍCIA: BEIJOQUEIRO ITAMAR BORGES RECUPERA CADEIRA NA ASSEMBLÉIA

Deu no site de notícias Correio Santa Fé, ontem:

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Superior Tribunal Federal) concedeu liminar favorável ao recurso de Uebe Rezeck, que havia sido condenado em processo da lei de “ficha limpa”, o que tirava os votos do partido e, consequentemente, diminuía uma vaga do PMDB para a Assembleia Legislativa, vaga essa que seria atribuída ao Itamar Borges.

Com essa decisão, o STF já comunicou ao Tribunal Superior Eleitoral (Brasília) e ao Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo, solicitando a diplomação de Uebe Reseck como primeiro suplente do PMDB ao cargo de Deputado Estadual de São Paulo.

Significa dizer que os votos atribuídos ao candidato Uebe Rezeck são devolvidos ao partido, garantindo a 5ª vaga de deputado ao PMDB, fato que coloca novamente Itamar Borges como eleito para ocupar essa 5ª vaga de deputado estadual.

Assim, está garantida a diplomação de Itamar como deputado eleito e sua posse, numa das 94 cadeiras da ALESP, no próximo dia 15 de março.

“ESPOSA DE MENTIRINHA” TEM ANISTON E SANDLER

A primeira impressão ao assistir a comédia “Esposa de Mentirinha” é a de se tratar de uma ação entre amigos, em que atores, roteiristas, produtores e o próprio diretor são velhos conhecidos que se juntaram para divertir o público e a si mesmos. Primeira e última impressão, aliás, tendo em vista a calorosa química do elenco, as improvisações bem-humoradas no roteiro e, claro, a ficha corrida dos participantes da produção.

Danny (Adam Sandler) é um cirurgião plástico que, depois de ser desprezado por sua noiva quando era um rapaz feio, muda de visual e passa a ser um mulherengo canalha. Em suas conquistas, ele percebe que as mulheres tendem a ceder a homens casados, maltratados pelas esposas megeras e à beira do divórcio.

Por isso, o rapaz anda para todos os lugares com uma aliança falsa para usar em seus golpes. Porém, quando Danny conhece Palmer (a modelo Brooklyn Decker), e por ela se apaixona, deve encontrar uma esposa de mentira para não passar por mentiroso.

É nesse contexto que entram em cena Katherine (Jennifer Aniston), assistente do cirurgião, divorciada, com dois filhos, a performática Maggie (Bailee Madison, de “Entre Irmãos”) e o manipulador Michael (Griffin Gluck). Os confrontos do quinteto darão sabor ao filme.

Embora a história seja uma coleção de lugares comuns e previsível desde o início, a maior qualidade de “Esposa de Mentirinha” está nos diálogos e nas situações em que os personagens são jogados. Mas, sem dúvida, trata-se do humor costumeiro de Sandler, com suas flatulências e insinuações sexuais, e de Aniston, com suas frases prontas e sarcasmo light. Um filme para a família.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

TERCEIRIZAÇÃO MEIA-BOCA

Na sessão de segunda-feira passada, o vereador Luís Especiato, ao defender a terceirização da Facip, argumentou que o dinheiro público deve ser aplicado em Saúde, Educação, Asfalto, etc. E a certa altura do seu inflamado discurso, o vereador petista argumentou que a Prefeitura precisava acabar com a prática de – dois meses antes da Facip – deslocar boa parte da sua mão-de-obra e do seu sucateado maquinário unicamente para preparar o recinto de exposições “Juvenal Giraldelli”.

Especiato está coberto de razão. A Prefeitura não deveria mesmo continuar investindo recursos públicos, nem tampouco disponibilizando pessoal, máquinas e caminhões para a Facip, quando existem tarefas mais importantes para serem cumpridas. Principalmente agora que a Feira foi “terceirizada”. Mas o que estão fazendo esses servidores municipais capinando em volta do recinto de exposições e esses caminhões e máquina, no portão de entrada da Facip?

Pois é, e enquanto a Prefeitura se ocupa em preparar o recinto para a BX Promotora de Eventos, ouço o vereador Jota Erre reclamar, no rádio, que esteve no Almoraxifado para solicitar reparos em uma estrada rural, mas foi informado de que aquele setor não dispunha de máquinas para realizar o serviço. No Distrito Industrial I, um empresário me informa que solicitou reparos na Avenida Industrial, já que o acesso à sua empresa está quase impossível, mas também recebeu a resposta padrão: a Prefeitura não tem máquinas disponíveis.

Como se pode notar, a teoria, na prática é outra.

AVENIDA PAULO MARCONDES

E já que estamos falando em buracos, que tal esses aí da Avenida Paulo Marcondes. Eles ficam um pouquinho adiante da Transportadora Conde Ltda. Em 2008, quando o prefeito Parini disputava a reeleição, a Prefeitura providenciou o recapeamento de um bom trecho da Avenida Paulo Marcondes. E o serviço, executado pela empreiteira CBR Ltda, de Santa Fé do Sul, ficou muito bom. No entanto, por algum detalhe que escapa à minha compreensão, o recapeamento parou a cerca de 200 metros do final da avenida. Será que custava ir um pouco mais adiante?

RUA BENEDITO ARTUR PERESI

O homenageado, Benedito Artur Peresi, deve ser bisavô da minha amiga Tamara Dienefer Peresi, competente e talentosa professora da rede municipal de Ensino, que se casou no sábado passado. A Tamara é filha do Benedito Romildo Peresi e da dona Olinda, que são ouvintes do Brasil & Cia. Aliás, o Peresi foi meu colega de colegial e era fã do maestro Ray Conniff, que, por sinal, tinha uma única filha, também chamada Tamara.

Bem, mas o que eu quero mostrar mesmo é a situação deplorável da Rua Benedito Artur Peresi, que fica ali pertinho do IEP – Instituto Educacional Profissionalizante, no Jardim Guarani. E vejam que a Rua Benedito Artur Peresi tem um padrinho forte: o vereador Luís Especiato, que, em 2007, apresentou uma indicação ao prefeito Parini, solicitando o recapeamento daquela via. Em 2008, Especiato reiterou o pedido, mas novamente não foi atendido.

Em novembro de 2010, cansado de esperar, Especiato solicitou ao Executivo que o informassem por quais motivos, afinal de contas, seus pedidos não foram atendidos. E a Prefeitura respondeu que ainda estava providenciando recursos financeiros para executar o recapeamento. Agora, raciocinem comigo: se nem o Especiato, defensor incondicional e quase único do governo Parini, está sendo atendido, imaginem os demais vereadores.

FACIP 2011: VEREADOR JOTA ERRE QUESTIONA COBRANÇA POR ESPAÇOS

Na sessão da Câmara de segunda-feira, o vereador José Roberto Fávaro, o Jota Erre(PSDB), apresentou um pedido de informações ao prefeito Humberto Parini e ao empresário Osvaldo Costa Júnior, o Bexiga, dono da BX Promotora de Eventos Ltda.  Em seu pedido, Jota Erre quer saber por que os valores cobrados das entidades estão tão altos neste ano. E aproveitou para perguntar o que a Prefeitura está fazendo para auxiliar as entidades filantrópicas que sempre participam da Facip.

Para exemplificar, o vereador tucano citou dois casos. Segundo ele, no ano passado o Lions Club de Jales pagou R$ 5 mil para explorar a sua tradicional barraca na Facip e, neste ano, a BX Ltda estaria cobrando R$ 19.600,00 pelo mesmo espaço. O outro caso nós já relatamos aqui no blog: a BX estaria exigindo R$ 5 mil do Nipo Jalesense pela utilização do Pavilhão “Massaharu Nagata”, onde o clube realiza, há uns 40 anos, a famosa “Festa do Arroz”. Registre-se que o Pavilhão foi construído pela colônia japonesa. 

Durante a discussão do requerimento de Jota Erre, o vereador Luís Especiato(PT), a pretexto de defender o governo Parini, desfiou, mais uma vez, o seu discurso pró-terceirização. Segundo Especiato, a administração municipal tem que se preocupar com Saúde, Educação, Emprego e por aí afora. Mas quem é contra a terceirização? Que eu saiba, ninguém! O que se discute é a maneira como a terceirização foi feita. Por decreto. Sem nenhuma transparência. Decidida a portas fechadas, sabe-se lá sob que condições. Ou será que o Especiato foi convidado prá participar das “discussões” que redundaram na terceirização via decreto? Duvido!

DILMA EXCLUI PDT DE REUNIÃO COM LÍDERES ALIADOS

E a presidenta Dilma dá mais uma demonstração de que, com ela, o buraco é mais embaixo. Vejam a notícia do site Congresso em Foco, veiculada agora há pouco:

A presidenta Dilma Rousseff está reunida, no Palácio do Planalto, com 15 líderes de partidos da base aliada na Câmara. Dilma excluiu da lista de convidados o líder do PDT na Casa, Giovani Queiroz (PDT-PA). Ao todo, nove deputados do partido do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, votaram contra a proposta que elevou o salário mínimo para R$ 545.
 
No encontro, segundo as lideranças, Dilma deve agradecer pela votação maciça da base ao salário mínimo e pedir apoio à correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5%. Uma medida provisória está para ser enviada ao Congresso reajustando a tabela em percentual inferior aos 6,46% reivindicado pelos sindicalistas.

Segundo o senador Paulo Paim (PT-RS), a presidenta admitiu na semana passada retomar as negociações com as centrais, mas só após o envio da proposta à Câmara. Com a MP, a faixa de isenção do IR deve passar de R$ 1.499 para R$ 1.566.

LÉO HUBER DIZ QUE VOTAÇÃO DOS ALIADOS DE PARINI ATRAPALHA LIBERAÇÃO DE VERBAS

O assunto já foi abordado em matéria do jornal A Tribuna, mas vale a pena repetir. Léo Huber, o chefe de gabinete do prefeito Humberto Parini, colocou no papel aquilo que todo mundo já desconfiava: a pífia votação alcançada pelos deputados do PT e outros aliados do prefeito Parini, nas eleições de 2010, aqui em Jales, estaria criando dificuldades extras para a liberação de recursos federais pleiteados pela nossa cidade.

Foi isso que Huber afirmou no memorando 103/2011, que ele enviou à Câmara em resposta ao questionamento que alguns vereadores fizeram a respeito dos dois viadutos prometidos por Parini na campanha eleitoral de 2008.

Como se sabe, nas eleições de 2010, os candidatos a deputado federal pelo PT obtiveram, todos juntos, apenas 1.770 votos em Jales. Já os candidatos a deputado estadual ficaram com menos ainda: apenas 1.500 votos. Em ambos os casos, votações ridículas. Registre-se que, depois das eleições, não se tem notícia sobre a vinda de algum deputado do PT a Jales. Há uns quinze dias, o deputado federal Devanir Ribeiro, que vinha frequentemente a Jales, esteve em Fernandópolis, mas, até onde se sabe, não deu o ar de sua graça por aqui.

O gabinete do deputado Devanir Ribeiro, em Brasília, era praticamente uma embaixada de Jales, onde o prefeito Parini recebia tratamento vip, sempre muito bem ciceroneado pela simpática Graça, uma eficiente assessora do deputado. E o que o deputado ganhou com isso? 131 votos! Isto é, quase nada.

E isso tem explicação: durante a campanha eleitoral, o nosso prefeito não se empenhou em pedir votos para Devanir. Muito pelo contrário! Ele preferiu destacar alguns de seus principais assessores para pedir votos pro mensaleiro Valdemar da Costa Neto(PR). E o que é pior: com apenas 186 votos em Jales, Valdemar também ficou descontente com o “apoio” do prefeito.

Outro que parece ter ficado descontente é o deputado federal Arlindo Chinaglia(PT). Ele foi um dos deputados que mais deu respaldo aos pleitos de Parini, em Brasília. Quando era presidente da Câmara Federal, o terceiro cargo mais importante da República, Chinaglia pegou um avião em Brasília e veio a Jales para apoiar Parini, àquela altura disputando a reeleição. E qual foi a retribuição do prefeito? Quase nenhuma! Chinaglia obteve, em Jales, parcos 183 votos. Consta que, depois das eleições, Parini ainda teve coragem de passar pelo gabinete de Chinaglia e, segundo fontes, teria ouvido de um assessor do deputado uma pergunta inesperada:

 – O senhor tem certeza de que está no lugar certo? – teria perguntado o assessor ao nosso prefeito.

Deve ser por isso que até o Léo Huber, o mais próximo assessor do prefeito, já está admitindo que o Ibope de Parini, em Brasília, não é dos mais altos.

POLÍCIA PRENDE FORAGIDO DA JUSTIÇA

A notícia está no site Região Noroeste e nem é tão importante assim. Mas algumas pessoas que morrem de inveja do glorioso Corinthians estão insistindo para que eu a republique. Então, aí está ela:

Paulo Flausino Guedes, de 30 anos, foi preso nessa terça-feira por policiais militares da Força Tática de Fernandópolis

Guedes era procurado pela Justiça com base no artigo 351 do Código Penal, que dispõe sobre promover ou facilitar a fuga de presos.

Depois de um mandado expedido pelo juiz Maurício Ferreira Fontes, Paulo foi localizado pelos policiais na Rua Itália, no Parque das Nações, em Fernandópolis.

Ele foi encaminhado ao Plantão Policial e levado para a Cadeia Pública de Estrela D’ Oeste.

CIDINHA CAMPOS

Nos últimos dias, pelo menos três pessoas – o Chico Melfi, o Célio e a Márcia – me mandaram o vídeo com o famoso discurso da Cidinha Campos, na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. Por conta desse discurso, em março do ano passado a Cidinha virou um fenômeno nas redes sociais, como o Twitter e o Facebook, além do Youtube, com repercussão inclusive em outros países de língua portuguesa, como Portugal, Moçambique e Angola.

Os mais novos talvez não saibam, mas, ao contrário do que o vídeo deixa transparecer, Cidinha Campos já foi uma moça delicada e de fala suave. Mas sempre foi muito corajosa. Nos anos 70, as tardes de domingo eram preenchidas pelo programa Flávio Cavalcanti, na extinta TV Tupi, onde a Cidinha Campos – ao lado de outras figuras como o maestro Erlon Chaves, o Sérgio Bittencourt, o Clécius Ribeiro e a Márcia de Windsor – era uma das juradas. Ela era uma das encarregadas de julgar os calouros que apareciam no programa. Alcione e Emílio Santiago, por exemplo, foram revelados pelo programa Flávio Cavalcanti.

Antes do programa Flávio Cavalcanti, ela já havia participado de novelas, mas só ficou mais conhecida em 1967, como uma das protagonistas do humorístico “Família Trapo“, da TV Record. No rádio, ela fez de tudo, inclusive jornalismo esportivo. No dia em que Pelé fez o milésimo gol, Cidinha Campos o entrevistou no gramado, uma coisa impensável para uma mulher, naquela época.

Na política, ela começou em 1990, como deputada federal. Em 1992, Cidinha Campos denunciou a máfia do INSS, que terminou com algumas pessoas – inclusive juízes – na cadeia. Em 1998, ela foi eleita deputada estadual no Rio de Janeiro e depois reeleita em 2002 e 2006. Em 2010, Cidinha foi novamente reeleita. Já o deputado José Nader, a quem ela espinafra no vídeo, não conseguiu a reeleição. Se você ainda não viu o vídeo, vale a pena ver. São só 7 minutos.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

1 1.087 1.088 1.089 1.090 1.091 1.126