O PÃO NOSSO DE CADA MERENDA

Em entrevista ao Antena Ligada, o vereador Luís Especiato, relator da CEI da Merenda, deu uma singela explicação para o aumento sui generis na quantidade de refeições servidas no segundo semestre de 2008 e no primeiro semestre de 2009. Segundo Especiato, a média de refeições subiu, naquele período, porque a empresa Gente Ltda passou a utilizar mais pães na merenda. Pão com presunto, alface e tomate, pão com carne moída, pão com mortadela, pão com salsicha, pão com doce de leite, etc.

O milagre da multiplicação dos pães, uma justificativa que atenta contra a nossa mediana inteligência, nem foi uma idéia original de Especiato. Na verdade, ela consta do depoimento das duas nutricionistas da empresa, ouvidas pela CEI. Além de inventarem essa desculpa esfarrapada, ambas as nutricionistas negaram que tivessem dado alguma ordem para fraudar a quantidade de merendas servidas. Cá entre nós, alguém aí acreditava que elas pudessem dizer algo diferente?

A história dos pães não resiste, no entanto, a uma investigação superficial. Em novembro de 2008, um relatório da nutricionista do município, Ellis Ângela Guedes de Moura, manifestava estranheza com relação à quantidade de refeições servidas em uma escola. Em outubro daquele ano, a escola registrou a presença média de 209 alunos, enquanto a média de refeições foi, absurdamente, de 437.

Questionada, Paula Marques, a mesma nutricionista que agora defende a tese dos pães, justificou os números dizendo, naquela época, que “o aumento de alimentos preparados foi necessário devido à utilização do balcão térmico, onde a distribuição da porção pelos alunos e as sobras eram maior”Não se falou em pão! muito pelo contrário, falou-se em arroz: a empresa disse que a utilização do balcão térmico causou um aumento diário no consumo de arroz.

No entanto, a nutricionista da prefeitura não aceitou a justificativa. Em um relatório de 27/11/2008, ela anotou que “duas maneiras diferentes de distribuir refeição para um mesmo público, os mesmos alunos atendidos diariamente, não deve provocar esta alteração tão significativa no número de refeições servidas”. Além de desmentir a versão do milagre dos pães, o relatório demonstra que os problemas da merenda não começaram em 2010, como algumas pessoas querem fazer crer.     

A 5a. CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

O blog A Saúde Que Temos-O SUS Que Queremos, que trata dos assuntos da Saúde, publicou matéria do amigo Murilo Pohl sobre a 5ª Conferência Municipal de Saúde, onde, conforme já noticiado aqui neste espaço,  tivemos um acidente com uma criança. O prefeito Humberto Parini não compareceu à Conferência. Eis alguns trechos da matéria:

A etapa municipal da 14ª Conferencia Nacional de Saúde em Jales foi concluida neste sábado 2 de julho. Foi precedida de pré conferencias locais, organizadas conforme as áreas de abrangência das ESF urbanas, juntas duas a duas e tambem foi feita uma específica para a Zona Rural e outra pré para os trabalhadores, onde foram eleitos os delegados. 

Sentimos a ausência do Nobre Alcaide na Cerimônia de Abertura. Mas ela não foi lamentada, evitou constrangimentos desnecessários e nos possibilitou ouvirmos a fala firme e coerente do ainda Vice-Prefeito Clóvis Viola.

Ficamos depois todos a pensar no imenso simbolismo dos incidentes e do acidente… Não fosse a existencia dos Programas Federais e Estaduais, o que teria acontecido na Conferencia Municipal de Saúde de Jales ? Terá sido mero acaso que justamente o Clayton Campos, tão perseguido, ele e sua esposa, pelo Nobre Alcaide fosse um dos protagonistas, um dos “Anjos de Guarda” ?

A matéria completa – por sinal, muito interessante – poderá se lida aqui.

EM ALAGOAS, PADRE SE RECUSA A CELEBRAR CASAMENTO DE NOIVA SEM CALCINHA

Deu no portal de notícias Conta Outra:

Padre Jonas Mourinho, 68 anos, responsável pela paróquia ‘Sagrada Família’ no Bairro do Vergel, localizado na periferia de Maceió em Alagoas, surpreendeu os 230 convidados de uma celebração de casamento religioso ao cancelar o evento devido à ausência de vestimenta íntima da noiva.

Padre Jonas já não havia gostado de notar o imenso decote nas costas do vestido de noiva da professora Enislene Alcântara, de 25 anos. Imediatamente após sua chegada no altar, quando se colocou de frente para o noivo o padre percebeu que o decote traseiro da moça permitia ver o derrière absolutamente desnudo.

Neste instante o padre solicitou que a noiva acompanhasse uma ministra da eucaristia até a sala de sacristia para averiguação. A ministra confirmou a suspeita do padre e o informou sobre o veredito. Depois de comunicar aos pais dos nubentes a decisão, Padre Jonas foi até ao altar avisar aos convidados que o casamento não seria realizado, pois a noiva ‘não estava respeitando o altar sagrado’.

Padre Jonas informou que é uma profanação a pessoa subir ao altar sem vestimentas íntimas. Ele ainda disse que a ministra da eucaristia havia notado que a noiva estava totalmente depilada na região pubiana, o que para o pároco é um flerte com a pedofília.

Segundo Padre Jonas “os pêlos pubianos marcam a transição entre a infância e a vida adulta, portanto retirá-los seria realizar apelo pedófilo para a prática sexual”. A noiva confirmou que estava sem calcinha e disse que se o padre notou este detalhe é porque “ao invés de celebrar ele estava pensando em ‘taradice’ comigo”.

DEPUTADO MENSALEIRO “APOIADO” POR PARINI É ACUSADO DE COMANDAR ESQUEMA DE PROPINAS NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES

A presidenta Dilma Rousseff afastou, no sábado, quatro integrantes da cúpula do Ministério dos Transportes, por conta de denúncias veiculadas pela revista Veja deste final de semana. Entre os afastados, está o diretor-geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot. E adivinhem que está sendo acusado de comandar o esquema de corrupção no Ministério dos Transportes? Ele mesmo! O deputado  mensaleiro Valdemar Costa Neto(PR).

Segundo a denúncia da Veja, Valdemar Costa Neto, que foi um dos principais personagens do escândalo do Mensalão, usava o gabinete do diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot, para discutir superfaturamento de preços e o que se convencionou classificar de “pedágio político”.

Valdemar, vocês se lembram, é aquele deputado que, nas eleições do ano passado, recebeu o apoio do prefeito Humberto Parini. Com a conversa fiada de que o deputado seria o “cara” que liberaria  verbas para construção de dois pontilhões, Parini escalou alguns de seus principais assessores para convencer o eleitorado jalesense a votar em Valdemar. O resultado nas urnas não foi dos melhores: Parini e seus assessores não conseguiram nem pífios 200 votos pro mensaleiro.

Apesar dos pesares, a notícia não é tão ruim assim para o nosso prefeito. Quem sabe agora, com o afastamento dos corruptos do PR, a presidenta Dilma – que já estava de olho no Ministério dos Transportes há algum tempo – não resolva liberar a construção de algumas obras, incluindo os dois pontilhões do Parini.

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “MPF move ação civil contra dez advogados por abusos na cobrança de honorários”

Folha Regional: “Duas pessoas morrem em acidente no trevo de Urânia”

Jornal de Jales: “Juiz nega bloqueio de bens do prefeito e assessores no caso da merenda terceirizada”

A Tribuna“Negado o bloqueio dos bens de acusados”

A Folha Noroeste destacou matéria da assessoria de imprensa do Ministério Público Federal, sobre a abertura de ação civil pública contra dez advogados que atuam na área previdenciária. Outras manchetes: “Começam na 3ª. feira, em Jales, os 55º Jogos Regionais do Interior”; “Aprovado projeto que concede anistia de multas e juros”;  “Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes de Jales prende dois traficantes”. Na coluna FolhaGeral, o editor diz que, na hipótese de o vice-prefeito Clóvis Viola vir a assumir o comando da administração, o PSDB poderá ser convidado a participar do governo municipal.

Na Folha Regional, além dos detalhes sobre o acidente que causou a morte de um casal uraniense, destaque também para a construção da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, de Jales, cujas obras, segundo o jornal, seguem em ritmo acelerado. Outras manchetes: “Custo da merenda escolar em Jales é menor que a média regional”; “Família ganha indenização por falha no resultado em exame de AIDS”; “Secretário da Habitação autoriza construção de casas populares em Santa Salete”. Na coluna Ella, o fotógrafo Marcos Oliveira demonstrou, mais uma vez, grande talento ao registrar a beleza da adolescente Mariana da Silva Gomes.

No Jornal de Jales, o destaque foi a decisão do juiz da 1ª Vara, Eduardo Henrique de Moraes Nogueira, que negou o bloqueio dos bens dos acusados no caso da merenda escolar. O jornal ressaltou também que, segundo o Tribunal de Contas, o preço da merenda em Jales é o menor da região. Outras manchetes: “Jalesense é bicampeão da Olímpiada de Matemática”;  “Medalhista Olímpico valoriza Jogos Regionais”. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior relata que a advogada Ana Paula Hummel Vieira, que defende o prefeito Parini, “tem inabalável confiança de que o processo da Facip 97 será revertido”.

A Tribuna destacou o caso da merenda escolar e noticiou que o juiz da 1ª Vara Judicial negou o bloqueio dos bens dos acusados, que havia sido solicitado pelo Ministério Público. O jornal deu destaque também para ação que o MPF está movendo contra dez advogados de Jales. Outras manchetes: “Acidente no trevo de Urânia mata casal”;  “Tráfico usa rádio para vigiar a Polícia em Jales”;  “Confirmada 3ª morte por leishmaniose em Jales”; “Jogos Regionais: evento terá atrações locais na cerimônia de abertura”. Na coluna Enfoque, o jornalista Paulo Reis Aruca faz uma análise do escândalo da merenda escolar e da atuação dos vereadores integrantes da CEI que investiga o caso.

NOVIDADE: CEI DA MERENDA VAI TERMINAR EM PIZZA

Pelo menos, ninguém ficará com fome! Ontem, dia 1º. de julho, era o último prazo para que o relator da CEI da Merenda Escolar, Luís Especiato, apresentasse o seu relatório final sobre tudo o que foi “investigado” pela Comissão. Nós, os simples mortais, só vamos ter conhecimento das conclusões do Especiato depois do dia 15, quando a Câmara voltará a se reunir e, possivelmente, providenciará a leitura do tal relatório.

No entanto, já existem fortes indícios de que as conclusões de Especiato serão mesmo aquelas que todo mundo já previa: o prefeito Parini deverá ser apresentado como um administrador competente, sério e probo. Quanto à merenda, inclusive à contagem de refeições, nenhuma irregularidade. Se brincar, as merendeiras que denunciaram as fraudes ao Ministério Público – e que confirmaram as denúncias à CEI – é que serão apontadas como culpadas.

Resumo da ópera: mais uma palhaçada!

CONFERÊNCIA DE SAÚDE NÃO TINHA NENHUM MÉDICO

Algumas coisas só acontecem em Jales! Segundo relatos, durante a Conferência Municipal de Saúde, que estava sendo realizada hoje, aconteceu um acidente com uma criança que se machucou ao cair de um muro alto. Procurou-se, então, alguém que pudesse dar um atendimento à criança, enquanto não chegava o Samu, e aí descobriu-se o inusitado: não tinha um único médico participando da Conferência que tratava da Saúde. 

EM IPUÃ(SP), MAIS RECLAMAÇÕES CONTRA CONCURSO DO INSTITUTO SOLER

Vira e mexe, chegam comentários para um post publicado no dia 31/05, que trata de um concurso realizado pelo Instituto Soler em Birigui(SP). Como se trata de um post já um pouco antigo, creio que poucos visitantes se dão ao trabalho de ler tais comentários. E além dos comentários, também chegam e-mails de pessoas que não querem se expor. 

Ontem, por exemplo, chegou um e-mail, enviado para a caixa de contatos do blog, e também um comentário. Ambos narram alguns problemas no concurso realizado pelo Instituto Soler em Ipuã(SP). Não sei se é verdade a afirmação feita pelo candidato sobre a substituição do edital, mas, se for, trata-se de algo incomum e grave. Mais uma vez, repito que não tenho nada contra o Instituto. Apenas acho que tenho a obrigação de registrar a preocupação das pessoas que participam desses concursos. Abaixo, trechos do comentário de ontem:

Mais uma dessa instituição
01 julho 2011 às 14:43

Na minha cidade eles alteraram o edital (conteúdo programático no dia da prova), é lógico que eles fizeram questão de tirar do site o primeiro edital, e não admitiram o “erro” deles pois avisei-os assim que verifiquei o erro, eu e mais pessoas fizemos o recurso e a resposta deles depois de 10 dias foi: “O conteúdo Programático consta do Edital Publicado no endereço eletrônico http://www.institutosoler. com.br”

Mas eles esqueceram que a internet deixa rastros, no site do PCI concurso ainda aparece o primeiro edital, com o conteúdo de matemática completamente diferente do que aparece no site dessa instituição. Não sei se o erro foi só do instituto ou da prefeitura da minha cidade, creio que seja das duas partes, mas de qualquer forma eles falharam e muuuuuuuuuito em mais um concurso.

Estou indignado, pois estudei todos os dias e o dia inteiro para no dia da prova não cair nada do que eu tinha me preparado. Isso é uma vergonha!

Vejam também o que foi publicado sobre o mesmo concurso no blog Matemática e Afins. É só clicar aqui.

A CRÔNICA DO PASCOALINO – “JABOR, O BOM”

O amigo Pascoalino S. Azords agora deu prá puxar o saco do Arnaldo Jabor. Leiam a crônica que foi publicada há alguns dias, no jornal O Debate, de Santa Cruz do Rio Pardo, a terra do Ricardo Madalena:

Jabor, o bom

(“Jabor, o melhor”, talvez fosse um título mais adequado, mas não resisti à oportunidade de homenagear um personagem de Ziraldo, Jeremias, o bom)

Arnaldo Jabor, quem diria, se tornou uma grife. Eu não entendo como a Academia Brasileira de Letras ainda não levou aquele bundão branco (de quem tomou muito Leite Ninho quando era criança) para ocupar uma de suas disputadas cadeiras.

Arnaldo Jabor hoje é certeza de casa lotada, em Salvador ou General Salgado. Mas nem sempre foi assim. Durante três décadas ele tentou o sucesso como cineasta de curta e longa metragem. Pois nem colocando Vera Fischer e Sonia Braga peladas num mesmo filme, com trilha sonora de Tom Jobim e Chico Buarque, Jabor conseguiu agradar tanta gente como hoje, sozinho e vestido. É impressionante: quanto mais economiza celulóide, mais sucesso faz esse Jabor!

Em 1991, ele estreou como cronista da Folha de S. Paulo, onde escreveu por 10 anos. Mas foi a partir dos comentários sarcásticos no Jornal da Globo que Jabor virou celebridade, como Xuxa, Angélica e Ana Maria Braga.

Em 2001, Arnaldo Jabor mudou-se para O Estado de S. Paulo, onde assina uma crônica semanal. De três em três anos, ele junta essas crônicas num livro que deve ser lido até em Irapé.

Se cantasse, Jabor faria shows nas grandes casas de espetáculo das capitais e feiras agropecuárias do interior. Como escreve, sua sina é outra: palestras, noites de autógrafo e certames literários. Arnaldo Jabor sabe cobrar por uma palestra de 50 minutos. Em Sorocaba, a meia entrada para estudante com carteirinha custava R$ 80,00 em abril deste ano. Os ingressos são quase todos vendidos com antecedência, pois ninguém quer perder a chance de parecer inteligente na sua cidade gastando menos de 100 reais.

Jabor é sucesso garantido, em Curitiba ou Timburi. Por ironia do destino, hoje ele ganha a vida falando em salas de cinema desativadas ou convertidas em igrejas, auditórios e teatros entregues às baratas. Cachê no bolso do blaser do Jabor, público satisfeito saindo do show direto para uma pizza – em Sorocaba ou Canitar. O Brasil é grande, pode haver alguma diferença de uma cidade para outra – na honestidade da pizza.

Mas, qual é mesmo o grande hit do Jabor? Qual é a “Festa no meu ap.” desse carioca que, pelo corte do cabelo, mais parece jogador da seleção argentina? O melhor número do Jabor, o seu texto mais espontâneo, acontece quando ele resolve

psicografar o Nelson Rodrigues – sem pagar direitos autorais, senão não seria tão inteligente como aparenta e ninguém duvida que seja.

“Estou de saco cheio; vou telefonar para o Nelson Rodrigues para ver se ele me dá alguma luz, lá do céu”. Esta é a primeira linha da crônica do Jabor para o jornal O Estado de S. Paulo de 2/10/2001.

“Nelson! – berrei… Há quanto tempo! Liguei pra você, mas o celular celeste disse que você estava fora da área”, escreveu Jabor um ano depois, no primeiro parágrafo da sua crônica de 11/6/2002.

Na sua última obra prima, Jabor brinca com o fato de Nelson Rodrigues ter sido rotulado como puxa saco do regime militar, com quem negociou, sem sucesso, a liberdade de seu filho preso nos porões da ditadura. “Outro dia, o Nelson Rodrigues baixou em mim. De vez em quando, eu o psicografo. É impressionante como escrevo rápido quando o espírito de Nelson me toma”. (O Estado de S. Paulo de 7/6/2011).

É de se perguntar: Arnaldo Jabor lotaria esses salões perfumados se não escrevesse para um grande jornal? Jabor em forma é uma orquestra capaz de embalar bailes de debutantes sem música. Jabor na ponta dos cascos é um bispo que lota estádios sem precisar posar de despachante de Deus. Mas é também o senhor de grandes, gigantescos silêncios.

Arnaldo Jabor é um cara sabido e petulante, o que não é pouco nos dias de hoje. É parceiro da Rita Lee e trabalha na Globo, como o Bozó, aquele personagem do Chico Anísio. Autor de cinco best sellers (mais do que Mário Palmério e Juan Rulfo publicaram, juntos) Jabor já pode até esnobar um convite da Academia, se igualando assim a ninguém menos que Carlos Drummond de Andrade.

Eu desconheço a biografia familiar desse jovem de 70 anos, bem nascido na cidade do Rio de Janeiro. Mas, certamente, ele também tem os seus motivos pessoais para silenciar diante da preferência declarada do jornal em que escreve por certas candidaturas durante o período eleitoral.

Nos anos ímpares, dispensado da tarefa de espinafrar o Lula, Arnaldo Jabor recarrega as baterias. Quando não tem eleição, ele flana de férias psicografando Nelson Rodrigues com um talento invejável. É lido e admirado de Sarutaiá a Santo Antonio do Aracanguá; o que, no Brasil, é para uns poucos – como Roberto Carlos, por exemplo.

PREFEITURA DE JALES VAI DAR NOVA ANISTIA AOS DEVEDORES DE IMPOSTOS

Pelo jeito, a ordem na Prefeitura é arrecadar. Afinal, pode ser que o Chaparim e o Ronaldo ainda tenham algumas verbas rescisórias ou férias para receber. E já que é urgente que se arrecade um dinheirinho a mais, nada melhor, então, do que cancelar juros moratórios e conceder uma anistia de multas aos devedores de impostos municipais.

Nesta sexta-feira, a Câmara Municipal estará reunida em sessão extraordinária, a partir das 09:00 horas, para aprovar, em regime de urgência, o projeto de lei n. 0083/2011, que concede anistia de multas e cancela juros moratórios dos débitos tributários e não tributários inscritos em dívida ativa. E, para que os contribuintes em atrasos se sintam mais tentados a pagar suas dívidas, nosso benevolente prefeito está propondo que se dê um desconto de 100% àqueles que pagarem seus débitos à vista.

Já aqueles que optarem por pagar suas dívidas em suaves parcelas, poderão ser beneficiados com um desconto de 70% no valor das multas e dos juros devidos. Não será a primeira vez que Parini apela prá esse tipo de expediente, na tentativa de obter um reforço para os combalidos cofres da viúva. Em junho de 2009, a Câmara aprovou uma Lei idêntica, mas a arrecadação, naquela oportunidade, ficou abaixo dos valores esperados pelo czar das finanças municipais, Rubens Chaparim.

Um dos contribuintes que se benefeciou com a lei de 2009, foi a Instituição Soler. No inquérito que investigou a emissão de uma certidão de débitos em favor da Instituição, o prefeito Parini disse ao delegado que cuidou do caso, que a Prefeitura e a empresa fizeram uma “compensação de créditos”, mas, de verdade, a empresa aproveitou-se da anistia e pagou a dívida em parcelas.

1 1.104 1.105 1.106 1.107 1.108 1.211