EMPRESA DE EX-VEREADOR VENCEU LICITAÇÕES DE R$ 1 MILHÃO EM SP

Esse assunto da venda de emendas parlamentares está ficando cada vez mais palpitante. E o seo Chico Melfi não vai gostar da notícia abaixo, mas ela está no portal iG. Só me resta reproduzir:

Apontado como operador do suposto esquema de venda de emendas na Assembleia Legislativa de São Paulo, o ex-vereador de Nhandeara Fabrício Menezes Marcolino é sócio de uma construtora que arrebanhou, entre 2010 e 2011, ao menos R$ 1,1 milhão em verbas estaduais para reformas e construção de prédios em nove municípios do interior paulista. Fabrício é dono de 50% do capital social da empresa Andreossi Construções e Empreendimentos Ltda, da qual ficou sócio em abril de 2009.

Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, o ex-vereador – que atualmente preside o PTN de São José do Rio Preto – foi citado por testemunhas ouvidas pela Corregedoria-Geral da Administração (CGA) como pagador de comissões em dinheiro para o ex-deputado José Antonio Bruno (DEM), o Zé Bruno. O próprio ex-deputado, que nega o recebimento de propina, atribuiu a Fabrício o papel de lobista na Casa e elo entre deputados e prefeitos.

A maioria das licitações vencidas pela Andreossi foi homologada em 2011, quando o ex-vereador já estava sendo investigado formalmente. Após o escândalo do emendotudo na Assembleia de São Paulo, o Ministério Público Estadual decidiu desarquivar um inquérito civil que apura a atuação de Fabrício na contratação de sua própria empresa para obras de reforma da creche municipal de Floreal.

As obras, realizadas em 2010 ao custo de R$ 139.870,86, foram financiadas com recursos de indicação parlamentar aprovada em 2009. Segundo o promotor Evandro Ornelas Leal, o inquérito que apurou a denúncia de licitação fraudulenta será reaberto por causa das novas denúncias envolvendo Fabrício. “São fatos novos que justificam a reabertura”, disse Leal.

O inquérito em Nhandeara foi aberto em 2010 depois que o empresário José Laércio da Silva contou ao promotor que recebeu o “aviso” de que não poderia participar da licitação porque a obra já estava prometida a Fabrício. “Foi o que o prefeito e um vereador da cidade me falaram na época, mas depois eles negaram tudo”, disse Silva, que representava uma das três empresas que estavam participando da licitação por carta-convite.

O promotor lembrou que após a denúncia a prefeitura suspendeu a licitação, que foi reaberta dois meses depois e vencida pela Andreossi.

Fabrício não foi localizado pela reportagem. Em entrevista anterior ao jornal O Estado de S. Paulo, ele negou que atue como lobista de emendas na Assembleia e prometeu ajuizar ação de calúnia, injúria e difamação contra os denunciantes. 

NOVIDADES DO FACEBOOK: PARINI ANUNCIA O ‘BLOG DO ESTADISTA’

Agora que o Steve Jobs resolveu partir deste para um mundo melhor, tem gente nova aderindo às modernidades do mundo virtual. Acabo de receber um e-mail do Carioca, dando conta de que o nosso grande estadista teria aderido à rede social Facebook. Agora só me falta ele sair cantando por aí aquele velho sucesso do rei Roberto Carlos: “eu quero ter um milhão de amigos…”

Mas essa não é a pior parte da notícia. Consta que o prefeito já teria utilizado o Facebook para anunciar ao mundo a outra grande  novidade: já está em fase de elaboração o seu blog pessoal, onde ele, segundo se comenta, pretende enumerar suas inumeráveis obras. E o Poletto, sempre atento, já lançou uma interessante pergunta: quem será o ghost-writer do prefeito? O Pica-pau?

E eu, cá, também já me faço uma pergunta cuja resposta é óbvia: quem ficará encarregado de moderar os comentários? a primeira-dama, é claro! A charge lá de cima é do talentoso Frank, do jornal A Notícia.

PREFEITO RETIRA DOAÇÃO DE CAMPO DA FEPASA. PLANO DE CARREIRA DOS PROFESSORES TAMBÉM ESTÁ FORA DA PAUTA DESTA SEGUNDA-FEIRA

Pois é, agora o amigo Marco Antonio Poletto já pode ficar mais tranquilo. Nosso premiado estadista mandou retirar da pauta de votações da Câmara os projetos de lei que autorizavam a doação do famoso campo da Fepasa para a Justiça Federal e a Procuradoria Federal. Resta saber se o super-secretário José Shimomura aprovou a iniciativa do prefeito.

Por outro lado, as professoras da rede municipal, que por três ou quatro vezes lotaram a Câmara à espera da votação do novo Plano de Carreira e Remuneração delas, vão poder, finalmente, ficar em casa nesta segunda-feira, vendo a novela. É que o projeto – segundo disse o presidente da Câmara, Claudir Aranda, em entrevista ao Jornal do Povo – foi retirado da pauta da sessão ordinária programada para hoje. Os vereadores resolveram esperar as respostas da Prefeitura e do Instituto Municipal de Previdência, sobre o impacto financeiro do novo Plano de Carreira.

Na verdade, está faltando apenas a resposta da Prefeitura. O Instituto, através do seu superintendente, Francisco Valdo de Albuquerque, já havia respondido na semana passada. Um trecho da resposta: “informamos que fizemos um estudo do impacto atuarial que irá criar neste Instituto os benefícios para os professores, se o projeto de Lei Complementar 05/2011 for aprovado, e chegamos à conclusão que será muito grande (o impacto), já que irá aumentar o déficit técnico, que hoje já é enorme”.

E a resposta do poeta Chico Valdo termina com um conselho aos vereadores e uma previsão pouco otimista sobre o futuro da Previdência Municipal: “sugerimos que seja feito um estudo técnico em relação ao projeto, para que este Instituto não fique inviabilizado”.  Mais claro, impossível!

SETOR DE COMBUSTÍVEIS ENCABEÇA ACUSAÇÕES DE CARTEL

E agora, vamos a uma notícia do portal Jus Brasil:

A prática de cartel pelos postos de combustíveis é o tipo de denúncia que mais chega à Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça. Há mais de 150 investigações em andamento sobre o setor e a SDE recebe uma média de quatro denúncias por semana, mais de 200 casos por ano. No ano passado, 25% das comunicações que chegaram à SDE pelo Clique Denúncia foram referentes a cartéis formados por revendedores de combustíveis.

O Clique Denúncia é um formulário eletrônico disponível no site do Ministério da Justiça, por onde qualquer pessoa pode oferecer informações que permitam o combate às condutas lesivas à concorrência. O interessado não precisa se identificar. Se as informações forem relevantes, a Secretaria inicia a investigação.

“Preços iguais não são o suficiente para punir a conduta, é necessário que outros fatores, como provas diretas que podem ser atas de reunião com fixação de preço ou escutas telefônicas com autorização judicial sejam apurados para garantir a condenação”, explica Ana Paula Martinez, diretora do Departamento de Proteção e Defesa Econômica. 

COMBUSTÍVEIS VARIAM SÓ R$ 0,02 NOS POSTOS DE JALES

Matéria escrita por este aprendiz de blogueiro para o jornal A Tribuna demonstra que, entre os  postos de combustíveis de Jales, praticamente não existe concorrência. Pelo menos naquilo que se refere aos preços dos combustíveis, que, segundo a pesquisa que fiz, variam apenas R$ 0,02 por litro. A gasolina, por exemplo, é vendida a R$ 2,779 nos postos “bandeira branca”, e a R$ 2,799 nos postos “bandeirados”.

Isso significa que o consumidor que optar por um posto “bandeira branca” para encher o tanque (45 litros) do carro vai economizar apenas R$ 0,90. Em São José do Rio Preto, o consumidor que fizer a mesma opção poderá economizar até R$ 20,00 ao reabastecer um tanque de 45 litros. Abaixo, os preços praticados pelos 18 postos de combustíveis de Jales: 

Estabelecimento

Gasolina

Etanol

Diesel

Espacial Auto Posto – Avenida Paulo Marcondes

2,779

1,979

1,949

Auto Posto Bernardo – Avenida Paulo Marcondes

2,779

1,979

1,949

Posto Petrobom – Avenida Paulo Marcondes

2,779

1,979

1,949

Posto Ipê – Avenida Maria Jalles – Jd. Oiti

2,779

1,979

1,949

Posto Avenida – Avenida João Amadeu

2,779

1,979

1,949

Posto Fórmula Um – Avenida Alfonso R. Molina

2,779

1,979

1,949

Posto San Siro(ex-Brasil) – Avenida Francisco Jalles

2,779

1,979

1,949

Posto N.Sra. Aparecida – Rua Prof.Rubião Meira

2,779

1,979

1,949

Auto Posto Maloni – Marginal Ayrton Senna da Silva

2,779

1,979

1,949

Auto Posto Paraíso – Rua Prof. Rubião Meira

2,790

1,990

1,980

Posto BR – Avenida João Amadeu

2,798

1,998

1,978

Auto Posto Ale – Avenida Paulo Marcondes

2,799

1,995

1,969

Posto Morumbi – Avenida João Amadeu

2,799

1,997

1,998

Auto Posto Pupim – Avenida João Amadeu

2,799

1,999

1,999

Posto Alvorada – Avenida João Amadeu

2,799

1,996

1,969

Posto Modelinho – Avenida Alfonso Rossafa Molina

2,799

1,999

2,000

Posto Arapuã – Avenida Arapuã

2,799

1,999

1,959

Posto Texaco – Rua Nova Iorque

2,799

1,999

1,990

 

HOMEM TEVE CABEÇA QUEBRADA E OLHOS FURADOS NO SUL DE MINAS

Normalmente, não gosto de postar esse tipo de notícia. Mas ela nos chega através da mesma fonte do post anterior, o portal Hoje em Dia, de Minas Gerais,  e talvez sirva de reflexão para o que disse o senador Reditario. Será que as famílias dos dois sujeitos da notícia ainda merecem receber R$ 802,60, por mês? E a família do cara que foi assassinado, vai receber alguma coisa?

A polícia de São Lourenço, no Sul de Minas, prendeu na noite de quarta-feira (5) dois homens suspeitos de matar Francisco dos Santos, de 44 anos. O corpo foi encontrado por moradores do Bairro Porto Alegre, em um campo de futebol. O crime foi cometido com requintes de crueldade. A vítima teve a cabeça quebrada, os olhos furados e pedaços de madeira enfiados no nariz.

A dupla foi presa no mesmo bairro onde houve o assassinato. João Luiz Sales Estocler, de 28 anos, estava com as mãos sujas de sangue e o comparsa dele, Rodrigo Paula Guimarães, de 19 anos, também tinha respingos de sangue na roupa. Os dois confessaram o crime, acontecido após uma discussão, mas não revelaram o motivo da briga.

SENADOR PROPÕE CHICOTADAS PARA PRESO QUE NÃO TRABALHAR

A notícia é do meio da semana, mas nunca é tarde para republicá-la, uma vez que o senador com nome esquisito continua sendo muito criticado por setores da imprensa e por defensores dos direitos humanos. Claro que não é o caso de se sair distribuindo chicotes nas penitenciárias, mas, deixando os exageros um pouco de lado, parece-me que o senador verbalizou o que muita gente pensa. Vamos à notícia do portal Hoje em Dia:

O senador Reditario Cassol (PP-RO) defendeu nesta quinta-feira (6), da tribuna do Senado, o fim do auxílio-reclusão para os condenados que estiverem cumprindo pena e a adoção da pena de chicotadas contra os presos que se recusarem a trabalhar nos presídios. Ele alega que “pilantras, vagabundos e sem-vergonha” recebem um tratamento melhor do que os trabalhadores brasileiros.

“Nós temos de fazer o nosso trabalho, ilustre presidente e nobres senadores, modificar um pouco a lei aqui no nosso Brasil, que venha favorecer, sim, as famílias honestas, as famílias que trabalham, que lutam, que pagam impostos para manter o Brasil de pé“, defendeu. “E não criar facilidade para pilantra, vagabundo, sem-vergonha, que devia estar atrás da grade de noite e de dia trabalhar, e quando não trabalhasse de acordo, o chicote voltar, que nem antigamente”, defendeu.

Suplente de seu filho, o ex-governador de Rondônia Ivo Cassol, que está licenciado, Reditario questionou o “desamparo” dos parentes das vítimas, enquanto o governo – segundo ele – gastar por ano “mais de R$ 200 milhões do orçamento para sustentar a família dos presos que cometeram crime hediondo, crime bárbaro”.

O vagabundo, sem-vergonha, que está preso recebe uma bolsa de R$ 802,60 para seu sustento. Mesmo que seja auxílio temporário, a prisão não é colônia de férias”, protestou. No seu entender, a pessoa condenada por crime grave deve sustentar os dependentes com o trabalho nas cadeias. Ele comparou a situação aos trabalhadores desempregados que, “além de tudo isso, muitas vezes é assaltado, tem a casa roubada e precisa viver recluso atrás das grades de sua própria casa”.

Em aparte, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), disse que compreendia a “indignação” do colega, mas que, em nenhuma hipótese, aprovaria a utilização do chicote, “porque seria uma volta da Idade Média”.

E você, prezado leitor, o que acha?

 

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Haddad recebe representantes de Jales para tratar sobre Cidade Judiciária”

Folha Regional: “Bombeiros utilizam retroescavadeira para resgatar criança de 2 anos em um buraco em São João de Iracema”

Jornal de Jales: “Vara Federal não sai de Jales, garante presidente do TRF”

A Tribuna: “Liminar suspende processo seletivo da Prefeitura”

Na Folha Noroeste o destaque ficou por conta da viagem que uma delegação de jalesenses fez a São Paulo para tratar da chamada “Cidade Judiciária”. Os representantes de Jales foram recebidos em audiência pelo presidente do Tribunal Regional Federal, Roberto Haddad. Outras manchetes: “Moriah FM é a 2a. mais ouvida na internet entre as emissoras de Jales”; “Carlos Cardoso, presidente do PSDB, reivindica hospital regional para Jales”. Na coluna Folhageral, o editor Roberto Carvalho informa que o TJ-SP condenou o ex-prefeito de Paranapuã, Cláudio Pereira da Silva, o Caju, a devolver R$ 12,6 mil aos cofres públicos, devidamente atualizados.

A Folha Regional destacou a operação realizada pelo Corpo de Bombeiros para salvar uma criança de apenas 02 anos, que havia caído em um buraco perfurado na obra de construção de um posto de saúde no município de São João de Iracema. Outras manchetes: “Secretário Estadual de Saúde visitou AME de Jales”; “Paranapuã realizará leilão em prol da Santa Casa de Jales”; “Parini reivindica espaço empresarial”. Na coluna Ella, as lentes do talentoso fotógrafo Marcos Oliveira revelam toda a sensualidade da belíssima jovem Larissa Fernandes. E ela disse que gosta de ouvir música, navegar na internet, conhecer novos lugares e sair com os amigos.

O Jornal de Jales, que está circulando neste domingo com um caderno  especial  comemorativo aos seus 40 anos de fundação, destacou, em matéria de capa, que o desembargador Roberto Haddad encantou-se com a idéia da “Cidade Judiciária” que uma comitiva de jalesenses foi levar até ele, durante a semana. Outros assuntos trazidos pelo JJ: “Diretor Técnico do Iamspe faz vistoria dos serviços em Jales”; “Policiais de Jales prendem quadrilha que rouba sacoleiros”. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior noticiou que, embora os tucanos de Jales insistam em colocar seu nome como prefeiturável, o juiz aposentado Pedro Callado não está nem aí e já estaria se preparando para instalar seu escritório de advocacia em Fernandópolis. 

No jornal A Tribuna, o principal destaque foi a liminar concedida pela justiça de Jales, que atendeu a um pedido do Ministério Público e suspendeu a contratação de alguns empregos públicos através de processo seletivo, aberto pela Prefeitura de Jales. Outras manchetes: “Concurso realizado em 2004 pode ser anulado”; “Depois de filiado, Clóvis é recusado pelo PSDB”; “Metade dos vereadores quer aumento de cadeiras”. “DIG de Jales vai a Uberaba prender ladrões de sacoleiros”. Na coluna Enfoque, o jornalista Paulo Reis Aruca argumenta que a candidatura de Paulo Mariani a prefeito, pelo PSDB, poderia ser um plano “B” armado por Parini e Cia, para o caso de o petista Luís Especiato não decolar.  

AÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DE JALES FOI DESTAQUE EM JORNAIS DE MINAS GERAIS

A ação da polícia civil de Jales, que, em conjunto com a polícia de Uberaba, prendeu quatro meliantes especializados em assaltar ônibus de sacoleiros, foi destaque nos sites de notícias e nos  jornais  mineiros. Abaixo, a notícia do portal Megaminas. Destaque também para a capa do Jornal da Manhã, de hoje:

Uma ação conjunta das polícias Civil de Uberaba e Jales, no interior de São Paulo, resultou na prisão de uma quadrilha que praticava assalto a ônibus. Três dos quatro suspeitos detidos na manhã desta sexta-feira (07) foram presos em Uberaba. Eles mantinham residência fixa na cidade e agiam no interior de São Paulo. A investigação durou quatro meses. O alvo dos bandidos eram sacoleiros que voltavam do Paraguai ou da capital paulista.

Segundo a polícia, a quadrilha teria praticado no início deste ano três roubos a ônibus de comerciantes na região de Jales, no interior de São Paulo. Em dois dos assaltos eles teriam levado mais de R$100 mil em dinheiro e mercadorias. “Um dos caras se infiltrava no ônibus como passageiro e depois faziam o assalto”, explica o delegado Civil, Sebastião Biasi.

Os mandados de prisão foram cumpridos pela Polícia Civil de Jales. Foram apreendidos com um dos suspeitos documentos falsificados e equipamentos para a clonagem de cartões de crédito. Eles instalavam câmera no interior de caixas eletrônicos para copiar senhas de clientes. Em Uberaba, o grupo também teria cometido outros crimes. O quarto suspeito de integrar a quadrilha foi preso na cidade de Monte Santo de Minas, no Sul de Minas Gerais. Todos eles serão levados para a penitenciária de Jales.

1 1.301 1.302 1.303 1.304 1.305 1.459