BEBÊ DE 2 MESES QUE FALA SURPREENDE CAMPONESES NA NICARÁGUA

Será o fim dos tempos? A notícia está no portal Terra:

Um bebê de dois meses deixou seus pais espantados quando, depois de tomar leite, pronunciou as primeiras palavras em uma comunidade camponesa da Nicarágua, informou a imprensa nesta quarta-feira. “A primeira palavra que falou foi para mim; disse mamãe”, relatou Isabel Mendoza ao El Nuevo Diario.

“As palavras que disse foram mamãe, papai, ‘pipe’ (menino)”, afirmou a mulher. O pai, Antony Huete, contou que seu filho, que possui o mesmo nome dele, pediu-lhe uma vez “água, água”. A avó materna do menino, Rosa Álvarez, contou que no início não dava crédito a esta história, até que ouviu o bebê dizer “água”. “Pediu água ao pai”, relatou.

O caso insólito ocorreu na comunidade de El Palmar, no município costeiro de Tola, departamento de Rivas, perto da fronteira com a Costa Rica. O jornal afirmou que alguns moradores temem que isto seja um sinal de que o fim do mundo se aproxima. “Estou um pouco confusa, porque o pastor diz que é normal, mas eu digo que é um sinal do fim dos tempos”, afirmou Enriqueta Mendoza, uma das vizinhas do casal.

“É algo inacreditável, assombroso, nunca visto”, expressou, por sua vez, José del Carmen Pérez, que afirmou que o bebê se comporta de modo estranho e “olha feio para as pessoas“. “A Bíblia fala que nos últimos tempos veríamos coisas que jamais acreditaríamos”, disse o pastor evangélico da aldeia, Saúl Gutiérrez.

ATÉ MORTOS “ASSINARAM” FICHA DE CRIAÇÃO DO PSD DE KASSAB

Começou bem o partido fundado pelo Kassab. Vejam a notícia do portal Último Segundo:

Partido em fase de criação capitaneado pelo prefeito paulistano, Gilberto Kassab, o PSD usou a assinatura de quatro pessoas mortas na lista de apoiamento para a fundação da sigla em Santa Catarina. O iG teve acesso ao relatório produzido pelo chefe do cartório da 49ª Zona Eleitoral do Estado, Ângelo Eidt Pasquale. Segundo o documento, 140 assinaturas “não tiveram a autencidade comprovada”.

Os indícios de fraude foram identificados nos municípios de Jupiá, Novo Horizonte e São Lourenço do Oeste, que fica a cerca de 600 km de Florianópolis. Em maio deste ano, o governador catarinense Raimundo Colombo anunciou que deixaria o DEM rumo ao PSD. Ontem, o iG já havia revelado que a Justiça Eleitoral solicitou a instalação de um inquérito policial para investigar uma série de irregularidades na documentação do novo partido de Kassab.

 Segundo o chefe do cartório da 49ª Zona Eleitoral, os quatro mortos usados pelo PSD tinham domicílio eleitoral São Lourenço do Oeste. “Quatro eleitores falecidos “assinaram” apoio ao PSD: Ivo Pavan Libardoni (morto em 3.7.2009), Hermino Joacir Cacciatori (morto em 1º.10.2008), Affonso Martignago (morto em 21.9.2009), João Dall Pont (morto em 21.3.2010), Diva Lucena Libardoni (morta em 28.11.2008)”, escreveu Pasquale.

Ainda de acordo com o relatório, seis assinaturas de eleitores de Jupiá não puderam ser comprovadas. Em Novo Horizonte, outras 11 não foram consideradas verdadeiras. Contudo, a maior parte dos problemas ocorreu em São Lourenço do Oeste: “(…) vislumbra-se que dos 130 nomes de eleitores lourencianos apresentados, apenas, e tão somente, 7 assinaturas tiveram sua autenticidade confirmada (5,38 %)”, descreve o relatório.

Observação do aprendiz de blogueiro: a notícia fala em “quatro eleitores falecidos”, mas relaciona cinco.

E POR FALAR EM “LARANJAS”: PF PRENDE OITO POR FRAUDES EM LICITAÇÕES NA PARAÍBA

O filme é antigo e cheio de reprises. Tanto que você vai achar que já viu essa notícia há alguns dias, mas não viu. Ela é de hoje e está no G1:

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (15) uma operação para desarticular uma quadrilha suspeita de usar empresas fantasmas para fraudar licitações em 35 cidades da Paraíba. Foram expedidos pela Justiça nove mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de bens dos envolvidos.

A ação, denominada “Operação Gasparzinho”, ocorre em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal. A investigação começou a partir de denúncias de que empresários usavam empresas de fachada, em nome de “laranjas”, para fraudar licitações, sonegar impostos e ocultar bens. Cinco empresas investigadas são suspeitas de receber R$ 23,4 milhões de várias prefeituras nos últimos quatro anos.

A quadrilha, diz a CGU, também obtinha documentos fantasmas ilegais que eram usados nas fraudes.

Os presos responderão por formação de quadrilha, fraudes à licitação, falsificação de documento, sonegação de tributos e lavagem de dinheiro.

NOTÍCIAS DO GABINETE

Vejam como o nosso premiado estadista, Humberto Parini, está bem assessorado. Ontem, colocaram no ar um blog com críticas à vereadora Tatinha. O endereço indica que o titular do blog seria um rapaz conhecido pelo apelido de Picapau. Provavelmente, ele está apenas sendo usado. Aliás, ele gosta de ser usado. O Picapau atende pelo nome de Ronaldo Maschetti e trabalha no Fundo Social de Solidariedade, ao lado da nossa doce e generosa primeira-dama. Ele é proprietário de uma daquelas duas empresas que “funcionavam” no mesmo endereço e foram constituídas com o objetivo de fraudar licitações na Prefeitura de Jales.

Hoje, o gabinete do prefeito andou disparando uma mensagem, também com críticas à vereadora, e pedindo que ela fosse divulgada. Usar o email do gabinete para enviar esse tipo de mensagem só pode ser obra de alguma pessoa pouco inteligente, o que me remete à primeira-ministra. Como sou moço civilizado, vou facilitar a vida dos dois sabujos da primeira-dama. O blog do Picapau pode ser acessado aqui. E a mensagem enviada pelo gabinete está aí abaixo. Observem que os dois sabujos têm futuro na literatura.  

Vereadora Tatinha fez uma reportagen na radio local, comunicando que a rua de sua casa não ha nenhum varredor, dizendo que o serviço da ecopav é de péssima qualidade, e o que é pior é que a reportagen foi feita após ela conversar com duas varredeira na porta de sua propria casa, apos ouvir a noticia fui na rua de sua casa confirmar o fato, se era verdade que sua rua estava mesmo suja, e notei que a noticia não era verdade, por isso tirei algumas fotos por volta das 18 horas e como podem notar nas fotos a rua esta limpa, exeto algumas folhas que caem com o vento, e se notarem ainda a nossa reclamante não tem nem uma cesta para colocar o lixo de sua propria casa deixando o mesmo jogado na sua calçada para os cães distrassarem, agora notem tambem que sua casa tem matos e gramas na rua e calçada, isso não é coisa de varredor de rua capinar e sim de um jardineiro. O resto as fotos falam os detalhes de sua reclamação, agora pelo que eu entendi o motivo de sua reclamação maior é as folhas das arvores que caem durante os ventos, será que ela é contra a natureza e quer que cortem todas as arvores das cidade, ou é só para fazer graça e querer se aparecer com suas palavras no radio.
Verifiquem as fotos que foram tiradas as 18 horas e a mesma rua foi varrida as 10 horas da manhã.

110 PESSOAS DAS ÁREAS DE ENFERMAGEM E FISIOTERAPIA TRABALHARÃO NOS JOGOS REGIONAIS

(por Ilson Colombo)

Alunos e professores da Unijales, e profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Jales terão a missão de dar total apoio de primeiros socorros nas vinte e quatro praças esportivas em todas as 24 modalidades oficiais da competição. Médicos também serão envolvidos no atendimento no local dos jogos e nos plantões das Unidades de Saúde.

Na manhã de segunda feira, 13 de junho, o Comitê Organizador dos JRs., se reuniu com a chefe de gabinete da Secretaria de Saúde, Patrícia Albarelo Ribeiro Oliveira, e as coordenadoras dos cursos de Enfermagem, Gisele Lauer Murta Góbi, e de Fisioterapia, Josi Luiza Boton Nunes, da Unijales para acertar o formato do atendimento. Além do material humano empregado no atendimento aos atletas, o Comitê Organizador terá a disposição ás estruturas da Santa Casa de Jales, Pronto Socorro, Samu, Secretaria de Saúde e da Clinica Escola da Unijales. Os atletas chegam a Jales no dia 5 de Julho.

MACETÃO FOI TENTAR RECURSOS EM SÃO PAULO

(por Roberto Timpurim)

No último dia 10, o vereador e vice-presidente da Câmara Municipal, Luiz Henrique Viotto (sem partido) esteve na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP). 

Sua viagem foi motivada pela necessidade de conseguir recursos financeiros para serem investidos na infruestrutura urbana, principalmente, na recuperação da pavimentação asfáltica do município de Jales. 

Segundo ele, “as ruas do Jardim Oiti e Pires de Andrade encontram-se intransitáveis e causam transtornos e prejuízos para os motoristas e pedestres”, ressaltou. 

Nesse sentido, Macetão solicitou R$ 200 mil para o deputado estadual pastor Adilson Rossi (PSC). O deputado se comprometeu a providenciar verbas estaduais para serem repassadas ao município, em especial, à Secretaria Municipal de Obras.

PARINI AINDA ESTÁ ATRÁS DE PONTILHÕES

O prefeito Humberto Parini, ao que parece, ainda acredita na possibilidade de conseguir os dois pontilhões prometidos na campanha eleitoral. Vejam a notícia divulgada hoje, pelo portal Santa Cruz News, de Santa Cruz do Rio Pardo:

Prefeito de Jales é recebido no Dnit por Ricardo Madalena

Esteve esta semana, na Sede do DNIT em São Paulo, o Prefeito do Município de Jales, o Sr. Humberto Parini, pedindo a intervenção do Superintendente, o Engº Ricardo Madalena, para viabilizar os recursos necessários para a realização de duas transposições sobre a linha férrea. 

Ricardo Madalena, comentou que os projetos já foram aprovados, agora precisa locar recursos no orçamento para atender as necessidades desta importante obra para a cidade de Jales. 

Assim como tem feito com vários prefeitos de cidades do Estado de São Paulo que o tem procurado Ricardo Madalena foi muito atencioso com o prefeito de Jales que saiu otimista da reunião de que seu pedido será atendido.

O amigo visitante deve estar se perguntando por que essa notícia foi sair lá em Santa Cruz do Rio Pardo. É simples: o Santa Cruz News deve ser um desses sites a serviço de políticos, que se disfarçam de portais de notícias. Ricardo Madalena, o superintendente do Dnit, é um político lá de Santa Cruz do Rio Pardo, ligado ao PR, do mensaleiro Valdemar Costa Neto.  

WAMBERTO CARNEIRO, O MARREKINHO, FALECE EM RIO PRETO

Recebi uma ligação, agora a pouco, do amigo Saulo Nunes da Silva, dando conta do falecimento do Wamberto de Oliveira Carneiro, o Marrekinho, hoje à tarde, em São José do Rio Preto. Ultimamente, Marreko vinha enfrentando o agravamento do diabetes, que, entre outras coisas, deixou-o quase sem a visão. Ele foi casado com a professora Abigail Carneiro, que trabalhou no Anglo. Era um exímio cozinheiro e, como mestre-cuca, preparou uma das mais famosas peixadas já degustadas no Clube do Ipê. Era também um amante da boa música. Em 1998, o Wamberto e o Saulo me presentearam com o livro “A Canção no Tempo”, uma obra sobre a história da MPB, que releio de vez em quando.

Marreko foi um dos maiores corretores de café do Brasil. Ganhou muito dinheiro, mas não guardou. Morou muito tempo por aqui, e, após o fim da época áurea do café, trabalhou como fotógrafo do Jornal de Jales. Depois, mudou-se para São José do Rio Preto, onde trabalhou na assessoria de imprensa da Prefeitura, durante os oito anos do ex-prefeito Edinho Araújo. Com a eleição de Edinho para a Câmara Federal, Wamberto continuou na sua assessoria, trabalhando no escritório político do deputado, em Rio Preto.

O corpo do Wamberto Carneiro está sendo trasladado para Jales, onde será velado e sepultado.

PROFESSOR LÉO HUBER “EXPLICA” MERENDA NA RÁDIO MORIAH

Acabo de ouvir o professor Léo Huber, na rádio Moriah. É risível ouvir esse pessoal tentando explicar a história da merenda. Léo apegou-se a um erro do Ministério Público na qualificação do prefeito Humberto Parini, para tentar desqualificar as acusações. Eu concordo que o MP exagerou um pouco, mas, cá entre nós, isso é normal. No caso “Carroça” e no caso da “CPI das Praças”, por exemplo, o promotor carregou na tinta, acusando-nos de uma série de malfeitos, inclusive dando a entender que tínhamos agido com o objetivo de auferir vantagens financeiras. Estamos condenados, mas não ficou comprovado nenhum roubo. Mas, repito, estamos condenados em segunda instância, por desobediência à Lei das Licitações, o que não é pouco.

Despreparado, o professor Léo Huber não soube explicar porque o número de merendas aumentou de 662.000 (2006), para 1.055.000 (2007). Se tivesse estudado um pouquinho o caso, ele teria tirado isso de letra: a terceirização da merenda começou em maio/2006, quando já tinha transcorrido boa parte do ano letivo, daí a diferença para 2007. Na verdade, o inexplicável aconteceu em 2008, ano eleitoral, quando o número de alunos diminuiu e a quantidade de merendas servidas subiu para 1.455.000, ou seja, 400.000 merendas a mais que o ano anterior. A preços de hoje, isso significa uma diferença de R$ 608 mil. Isso é que precisa ser bem explicado.

Enquanto o professor Léo Huber procura uma resposta prá isso, que tal revermos o vídeo do Fantástico sobre as investigações feitas em algumas prefeituras, envolvendo o tema “merenda escolar”:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

VEREADORES TENTAM “BLINDAR” PARINI USANDO HONESTIDADE DA PROFESSORA ÉLIDA

O assunto “merenda escolar” dominou a parte final – as chamadas Explicações Pessoais – da sessão da Câmara de ontem. Os vereadores Luís Especiato e Pérola Cardoso, ambos do PT, utilizaram a Câmara para criticar o Ministério Público e defender a administração municipal, sustentando suas teses, principalmente, no trabalho e na honestidade da professora Élida Barison.

Eu assessorei a professora Élida Barison, na Secretaria Municipal de Educação, durante um ano. Posso testemunhar tratar-se, a professora Élida, de uma pessoa honestíssima, incapaz de utilizar-se de um centavo público em proveito pessoal. Só para citar um exemplo: apesar de ter um carro público à sua disposição, a professora Élida sempre preferiu usar o seu carro particular para percorrer as escolas. Raramente ela utiliza o carro da secretaria. Portanto, todos nós lamentamos que o nome da professora Élida esteja envolvido em histórias que falam de “máfia” ou “esquemas”.

No entanto, também é lamentável que os vereadores se utilizem da honestidade e do trabalho sério da secretária de Educação, como escudo para proteger pessoas não tão sérias quanto a professora. Aliás, não somente os vereadores, mas também o prefeito Humberto Parini, em entrevista ao Antena Ligada, citou a honestidade da professora para defender-se. O prefeito teria feito melhor se, ao invés de usar a secretária como escudo, explicasse porque não tomou providências quando começaram a chegar os primeiros relatórios da nutricionista do município, narrando irregularidades. Por sinal, exatamente por não ter sido omissa, o nome da nutricionista não consta da relação de “mafiosos”.

1 1.332 1.333 1.334 1.335 1.336 1.429