RAQUEL DODGE PARALISOU INVESTIGAÇÕES SOBRE FAMÍLIA BOLSONARO PARA TENTAR SEGUNDO MANDATO

Do DCM, com informações da Folha de S.Paulo:

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, segurou por mais de 120 dias investigações sobre supostas funcionárias-fantasma da família de Jair Bolsonaro (PSL), enquanto tentava garantir um segundo mandato como chefe do Ministério Público Federal.

A indicação do titular da PGR é feita pelo próprio presidente. Os papéis só foram desengavetados e enviados de volta à primeira instância na terça-feira passada (3), depois do nome de Dodge ter perdido força na disputa. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Um dos casos investigados é o de Nathalia Queiroz, que trabalhou no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, em Brasília, entre dezembro de 2016 e outubro de 2018. Ao mesmo tempo, atuou como personal trainer no Rio de Janeiro.

Ela é filha de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL) que se tornou o centro das investigações contra o filho do presidente após serem identificadas movimentações milionárias em sua conta.

PF INVESTIGA MÉDICO DE JALES QUE TERIA COMPRADO VAGA PARA FILHO NO CURSO DE MEDICINA DA UB

Segundo notícia do portal Região Noroeste, um médico de Jales – J.F.Q. – estaria sendo investigado pela Polícia Federal, sob suspeita de ter comprado uma vaga para o filho no curso de medicina da Universidade Brasil, de Fernandópolis. A Universidade, como se sabe, foi alvo da operação Vagatomia, que, além da compra de vagas, apura fraudes contra o FIES e o PROUNI.

O médico, que atende em uma clínica no centro de Jales, teria emitido dois cheques – um no valor de R$ 15 mil e outro no valor de R$ 65 mil – como forma de pagamento pela vaga do filho. O rapaz, que acabou obtendo vaga no curso, ficou classificado na posição 618 no vestibular deste ano da UB, que oferecia apenas 205 vagas.

De acordo com o Região Noroeste, o médico – através de mensagens via WhatsApp – negou a compra da vaga para o filho, cujo nome não foi divulgado. No entanto, gravações mostram que dois homens entram na clínica do médico para receber dois cheques como forma de pagamento pela vaga.

A notícia diz, ainda, que as informações sobre o caso são da Polícia Federal de Jales.

Em tempo: abaixo, reportagem sobre o assunto, exibida ontem pelo Fantástico:

BANDIDOS QUE ASSALTARAM FAZENDEIRO EM NAVIRAÍ(MS) SÃO PRESOS EM JALES

A notícia está pendurada no portal Midiamax:

Sete suspeitos foram presos após renderem e manterem refém a família de um fazendeiro na madrugada deste sábado (7) em Naviraí, 360 km de Campo Grande. Os bandidos deixaram quase R$ 500 mil de prejuízo para a vítima e três dos integrantes vieram do Ceará para cometer o crime. Eles foram presos em Jales (SP).

Conforme informações da Polícia Civil, a família foi rendida por volta das 4h30 e um dos bandidos estava armado com revólver. A vítima, um fazendeiro que não teve a idade informada, chegou a entrar em luta corporal com um dos suspeitos e acabou sendo ferido com coronhadas na cabeça.

Os suspeitos foram carregando joias, dinheiro, cheques e uma caminhonete SW4, que usaram para fugir. Após a fuga da quadrilha, a família conseguiu comunicar a polícia.

O SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª DP de Naviraí identificaram inicialmente quatro envolvidos no crime. Dois tinham a função de cuidar da polícia durante o roubo, enquanto os outros dois “estudaram” a rotina da família para fazer os levantamentos.

As investigações também apontaram que três dos suspeitos eram do Ceará e haviam alugado um táxi para ir para o Nordeste. Em parceria com a polícia de São Paulo, o trio foi preso em Jales, interior de SP. Parte dos bens roubados foram recuperados pelo polícia.

JORNAL DE JALES: DELEGADO SECCIONAL DESMENTE “ALÍVIO” A RAPAZ DETIDO APÓS PERSEGUIÇÃO POLICIAL

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete desta afirmação do delegado da Polícia Federal, Cristiano Pádua, dando conta de que os pais de alunos que compraram vagas no curso de medicina da Universidade Brasil, de Fernandópolis, poderão ser responsabilizados. O delegado disse, em entrevista coletiva, que uma segunda fase das investigações está começando para apurar até onde vão os malfeitos descobertos pela operação Vagatomia, que resultou na prisão dos donos da faculdade e mais 18 pessoas. O delegado regional da PF, Marcelo Ivo de Carvalho, disse que essa foi uma das maiores investigações do país sobre fraudes no financiamento estudantil.

O jornal está destacando, também, entrevista coletiva do delegado seccional de Jales, Charles Wiston de Oliveira, na qual ele desmentiu o suposto favorecimento ao filho de um empresário local, que foi preso pela Polícia Militar, sob suspeita de estar dirigindo embriagado, mas liberado em seguida pelo delegado de plantão. O caso repercutiu nas redes sociais depois que o rapaz postou vídeo dizendo que, apesar de ter bebido e quase atropelado um policial, teve sua situação “aliviada” porque a polícia conhece sua família. O doutor Charles explicou que o delegado de plantão agiu corretamente ao liberar o rapaz, porque não houve como comprovar que ele estaria embriagado.

A decisão da Câmara, que contrariou o parecer desfavorável do Tribunal de Contas e aprovou, por unanimidade, as contas da Prefeitura, relativas ao exercício de 2015; a Feira da Uva e do Mel, programada para o próximo final de semana; a inauguração da reforma da quadra do Colégio XV de Abril, com a presença de atletas campeões de basquete; a inauguração da unidade do Bensaúde em Jales; o convênio assinado pelo prefeito Flá, que irá liberar R$ 754 mil para reforma do Teatro Municipal; e o afastamento, após investigações da Polícia Civil de Jales, de um vereador e dois funcionários da Câmara de Aspásia, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que a performance do vereador Tupete(DEM), na sessão da Câmara do dia 26 de agosto, teria causado constrangimento aos colegas. Visivelmente alterado, segundo o colunista, Tupete usou a tribuna da Câmara para se oferecer ao prefeito Flá como substituto do secretário de Agricultura, Hilário Pupim, que está licenciado para tratamento de saúde. Não contente com o que dissera durante a sessão, Tupete ainda insistiu, nos bastidores, para ser entrevistado pelo repórter Assis Duarte, a quem repetiu as coisas confusas que já tinha dito na tribuna. 

MARIENE DE CASTRO E ALMÉRIO – “ESPUMAS AO VENTO”

Tenho um amigo, o Tinhoso, que – assim como o Odair Brassolati, da Transportadora Zero Hora – é fã ardoroso do Fagner. De modo que ele, certamente, preferiria ver e ouvir “Espumas ao Vento” com o Raimundão. Eu, porém, não estou nem aí para as preferências do Tinhoso, um assíduo frequentador dos bailes da terceira idade.

Assim, vou preferir mostrar aos frequentadores deste modesto blog uma versão mais recente de “Espumas ao Vento”, com dois artistas menos conhecidos. Um deles chama-se Almério, o bigodudo da foto acima. Filho de família pobre, ele nasceu no banheiro da casa humilde em que seus moravam, em Altinho, no sertão de Pernambuco.

Há alguns anos, Almério deixou Caruaru(PE), para onde havia se mudado, e desembarcou no Rio de Janeiro. Apadrinhado por Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, aquecia a plateia, cantando antes do show “Grande Encontro”. No ano passado, ele ganhou o prêmio de revelação do ano, na 29ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”.

A outra é a baiana Mariene de Castro. Vocacionada para a música desde criança, quando, ainda em Salvador, estudou canto, ela começou a carreira atuando como backing vocal de Carlinhos Brow, Márcia Freire e do grupo Timbalada. Em 1996, excursionou pela França, cantando em mais de 20 cidades, sendo aclamada pela crítica francesa e comparada – pasmem! – à diva Edith Piaf.

Mariene tem três CD’s de estúdio e outros dois gravados “ao vivo”, sendo um deles – chamado “Ser de Luz” – totalmente dedicado ao repertório de Clara Nunes, com quem muita gente a acha parecida. Não por acaso, ao prestar homenagem a Clara, no carnaval deste ano, a Portela arrepiou a arquibancada ao colocar Mariene na Comissão de Frente (ao lado), como se fosse a Sabiazinha.

Mariene e Almério estão cantando juntos desde 2017, no show “Acaso Casa”, que virou CD, lançado ontem, sexta-feira. O CD gravado “ao vivo” inclui 19 das 26 músicas do show, entre elas, “Espumas ao Vento”.

“Espumas ao Vento” ficou conhecida quando Fagner a gravou, em 1997. Antes, porém, ela já tinha sido gravada pelo forrozeiro Flávio José, num ritmo bem mais agitado. A música é de autoria do compositor pernambucano Accyoli Neto, falecido em outubro de 2000, aos 50 anos, vítima de um aneurisma cerebral.

Antes do aneurisma, Accyoli já tinha passado por maus bocados. Em 1993, ao voltar de Maceió(AL) para Recife(PE), ele sofreu um acidente que deixou-lhe várias sequelas e causou-lhe uma profunda depressão. Mesmo deprimido, ele continuou compondo, sendo “Espumas ao Vento” desse período.

Vamos ao vídeo:

A TRIBUNA: MEC FOI ALERTADO SOBRE POSSÍVEIS FRAUDES NO CURSO DE MEDICINA DE FERNANDÓPOLIS, MAS NÃO TOMOU PROVIDÊNCIAS

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca que a Polícia Federal já teria identificado pelo menos 100 alunos que compraram vaga no curso de medicina da Universidade Brasil, de Fernandópolis, mas a expectativa é de que esse número pode ser bem maior e incluir até mesmo estudantes que já se formaram e estão atuando no mercado de trabalho. A PF vai concentrar esforços para identificar estudantes que financiaram seus estudos irregularmente, através do FIES, ou que conquistaram bolsas de estudos do Prouni. Os estudantes e pais que participaram das fraudes deverão responder por crimes cujas penas, somadas, poderão chegar a 18 anos de reclusão.

Ainda na seara do escândalo envolvendo a Universidade Brasil, que já resultou na prisão de pelo menos 20 pessoas, o jornal está informando que o Ministério Público Federal (MPF) de Jales requisitou a instauração de um inquérito policial para investigar a atuação de servidores do Ministério da Educação, que, por omissos, contribuíram para as fraudes cometidas pela Universidade. Em ofício enviado ao atual ministro da Educação, o procurador da República em Jales, Carlos Alberto Rios Júnior, ressalta que vem alertando o MEC desde abril de 2018 sobre possíveis fraudes, sem que, no entanto, o órgão tenha tomado qualquer providência.

O afastamento de um vereador e dois funcionários da Câmara Municipal de Aspásia, que estão sendo investigados pela Polícia Civil de Jales; a prisão do chapeiro de um carrinho de lanche da praça “Euphly Jales”, que, entre um X-Salada e outro, vendia drogas a alguns consumidores; a assinatura do convênio relativo ao MIT, para reforma do Teatro Municipal; o projeto que autoriza a Prefeitura de Jales a deixar de pagar multa e juros por atraso nos repasses devidos ao Instituto Municipal de Previdência; e a nova estimativa do IBGE, divulgada na semana passada, que calcula a população de Jales em 49.107 habitantes, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que o Tribunal de Contas do Estado(TCE) já analisou as contas da Prefeitura de Jales, relativas ao exercício de 2017, e emitiu parecer favorável à aprovação delas. O TCE destacou que, no primeiro ano do prefeito Flá, conseguiu eliminar o déficit orçamentário e reduziu sensivelmente o déficit financeiro. Na página de opinião, o doutor Valmor Bolan escreve sobre a internacionalização da Amazônia, enquanto o historiador Marco Antônio Poletto escreve sobre a participação de dona Maria Leopoldina na Independência do Brasil. No caderno social, destaque, como sempre, para a coloridíssima coluna do Douglas Zílio.

CRIVELLA “BEIJA” BOLSONARO EM PUBLICAÇÃO DE THIAGO LACERDA CONTRA A CENSURA

A notícia é do UOL:

Thiago Lacerda engrossou a lista de famosos que criticaram a censura do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), à HQ baseada nos Vingadores com um beijo gay, à venda na Bienal do Livro. O ator publicou uma montagem de Crivella beijando o presidente Jair Bolsonaro.

“A escória enrustida… Canalhas! Cretinos! Fascistas autoritários! Não passarão!”, desabafou o global. Ele ainda elogiou o youtuber Felipe Neto, que comprou 14 mil livros com temática LGBT para distribuir gratuitamente na Bienal.

“Que grande exemplo deu Felipe Neto… Bravo, garoto! Resistiremos à estupidez, à ignorância e ao retrocesso primitivo dessa gente Criminosa que ‘assalta’ o país nesse momento!”, escreveu Thiago Lacerda com a tag #censuranuncamais.

Artistas apoiaram o protesto de Thiago Lacerda. “O Rio de Janeiro ruindo nas nossas cabeças, o país pegando fogo e esses patéticos senhores gastando tempo com censura e obscurantismo”, comentou Luis Lobianco. Outros seguidores criticaram: “A mamata acabou”. E houve quem debochou: “Que ousadia! Que falta de respeito! Faz de novo?”.

JUSTIÇA PRORROGA AS 11 PRISÕES TEMPORÁRIAS NO ESCÂNDALO DA UNIVERSIDADE BRASIL

A Justiça Federal acatou o pedido da Polícia Federal de Jales e prorrogou todas as onze prisões temporárias dos investigados presos durante a Operação Vagatomia por mais cinco dias. Outras onze pessoas continuam com prisões preventivas decretadas e dois investigados continuam foragidos.

A Operação Vagatomia, da PF e do Ministério Público de Jales, desarticulou, na terça-feira (3), esquema de fraudes no Fies, Prouni e Exame Revalida, e também de venda de vagas no curso de medicina na Universidade Brasil, em Fernandópolis. 

O dono da universidade, José Fernando Pinto da Costa, de 63 anos, e o filho dele foram presos durante a operação. No total a Justiça expediu 22 ordens de prisão (11 preventivas e 11 temporárias). Até este sábado (7), 20 pessoas no total já tinham sido presas e duas continuavam foragidas. 

Na sexta-feira (6), um dos cofres apreendidos na residência de um dos investigados foi aberto por um especialista em cofres. Relógios de luxo, joias e dólares foram localizados e apreendidos pela Polícia Federal. 

Quatro moradores de Rio Preto foram presos, três na cidade, sendo Aurélia Sousa Ferreira, Paulo Marques e Murilo Ferreira de Paula. Em um dos apartamentos, os detidos jogaram celulares e laptops pela janela do oitavo andar, mas os equipamentos foram recuperados pela polícia. 

Foi preso ainda o médico de Rio Preto Frank Ronaldo Soares, de 43 anos,  dono da empresa Ammed, que estava em São Paulo. Frank é suspeito de captar alunos para o Revalida, sobre o qual recaem indícios de irregularidades.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, destaque para o convênio que o prefeito Flá Prandi assinou na quinta-feira, 05, com o governo de São Paulo, que irá garantir o repasse de R$ 754 mil para as obras da reforma do Centro Cultural Dr. Edilio Ridolfo que abriga o Teatro Municipal. Logo após a assinatura do convênio, o prefeito Flá ressaltou que, com a reforma do Centro Cultural, a cidade terá mais uma oferta de lazer e entretenimento, com segurança e conforto para a população. “A última vez que o Centro Cultural passou por reforma e adequação foi em 2010. Depois disso, nada mais foi feito, nem mesmo pintura daquele espaço”, afirmou o prefeito.

Destaque, igualmente, para as investigações da Polícia Civil de Jales, que resultaram no afastamento de um vereador e de dois servidores da Câmara de Aspásia. A matéria informa que a Polícia Civil representou junto à Justiça da Comarca de Urânia pelo afastamento das funções públicas do vereador e primeiro secretário da Mesa Diretora, do Contador e do Assessor Jurídico da Câmara de Aspásia, em virtude de irregularidades e crimes praticados nos anos de 2017 e 2018, cujas investigações começaram a partir de denúncia de outro vereador. Os investigados estão proibidos de acessar as dependências da Câmara Municipal de Aspásia.

Na coluna FolhaGeral, o mitológico redator-chefe Roberto Carvalho, também conhecido pelo epíteto de Neco, comenta que os vereadores de Jales rejeitaram por unanimidade, na sessão de segunda-feira, 02, o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que reprovou as contas do exercício de 2015 da Prefeitura Municipal. O colunista lembra que Jales teve três prefeitos em 2015 – Nice, Callado e Tiquinho – e registra que, segundo comentários de bastidores, os nobres edis jalesenses rejeitaram o parecer do TCE por entenderem que as falhas apontadas nas contas de 2015 não eram tão graves para justificar a punição aos três ex-prefeitos.

1 2 3 4 5 6 1.327