APROVADA EMENDA QUE VEDA NOMEAÇÃO DE SERVIDOR CONDENADO POR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara Municipal:

Foi aprovada, em Sessão Ordinária (8), a Proposta de Emenda à Lei Orgânica 1/2019, proibindo a nomeação de cidadão ou servidor público para ocupar cargos em comissão na administração pública direta e indireta que tenham sido condenados por atos de prática de violência doméstica e familiar contra a mulher.

O projeto, de autoria dos vereadores Luiz Henrique Viotto – Macetão (PP), Claudecir dos Santos – Tupete (DEM), Tiago Abra (PP) e Adalberto Francisco de Oliveira Filho – Chico do Cartório (MDB), veda a nomeação dos indivíduos condenados nos termos da Lei Federal 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). Os vereadores justificaram no documento que “se a pessoa pratica atos lesivos contra a mulher, com certeza não reúne requisitos de lisura e higidez de conduta para bem desempenhar seu papel de representação da população”. 

O vereador Macetão falou sobre a importância da proposta: “As mulheres de nosso país passam por atrocidades familiares. Isso, de forma alguma, pode passar despercebido pelos poderes públicos. Estamos fazendo isso para virar uma política pública. Com a aprovação desta lei, o cidadão que bate em mulher não vai poder assumir um cargo público. A Câmara de Jales, votando essa emenda, está dando um passo fundamental, mostrando que nós somos contrários a qualquer violência contra a mulher”. 

A Proposta de Emenda à Lei Orgânica foi aprovada por unanimidade e será promulgada pela Mesa da Câmara Municipal.

CÂMARA DE JALES APROVA REPÚDIO CONTRA JAIR BOLSONARO

A Câmara de Jales aprovou, na sessão ordinária de ontem, uma moção de repúdio contra o presidente Jair Bolsonaro. A moção, de autoria dos vereadores Tupete e Macetão, foi aprovada por unanimidade, sem que nenhum vereador tivesse utilizado a tribuna para defender Bolsonaro.

Essa foi a segunda moção de repúdio proposta contra o Bozo na Câmara de Jales. A primeira, também de autoria de Macetão, foi apresentada logo no início de fevereiro, por conta da extinção do Ministério do Trabalho, mas foi rejeitada pela maioria dos vereadores.

A segunda – essa que foi aprovada ontem – teve como mote a comemoração do golpe militar de 1964, proposta por Bolsonaro. A moção de Macetão e Tupete diz que a proposta do Bozo gerou imediato repúdio de órgãos ligados à defesa dos direitos do cidadão, incluindo a Defensoria Pública da União, que ajuizou ação civil pública para impedir a comemoração.

A moção cita, também, um comunicado da Procuradoria dos Direitos do Cidadão, segundo o qual, “festejar a ditadura é festejar um regime responsável por graves crimes de violação aos direitos humanos”. O comunicado diz ainda que a iniciativa de Bolsonaro “soa como apologia à prática de atrocidades massivas e, portanto, merece repúdio social e político”.

Macetão e Tupete mencionaram, por fim, alguns números da ditadura militar, que incluem a morte e/ou desaparecimento de pelo menos 464 pessoas e mais de 6.000 casos de tortura.

Não custa lembrar que, em Jales, uma família sepultou simbolicamente o filho – Ruy Carlos Vieira Berbet, leia sobre ele aqui – desaparecido durante o regime militar, cujo corpo não foi localizado.

DIVERSOS EVENTOS E ATIVIDADES MARCARAM PRIMEIRA EDIÇÃO DA SEMANA DA SAÚDE

A programação da “1ª Semana da Saúde” incluiu uma caminhada pelo centro da cidade, no sábado. A notícia é da Secretaria Municipal de Comunicação:

Após uma semana intensa de atividades que marcaram a primeira edição da Semana da Saúde, realizada entre 1º e 6 de abril, pela Prefeitura de Jales, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, um grande evento foi promovido na manhã do sábado, para marcar o encerramento das atividades que contaram com programação intensa visando a prevenção e diagnóstico de doenças.

As equipes da Saúde ofereceram para a população diversos serviços que o setor proporciona: averiguação da pressão arterial; exame do dextro, exame de sangue realizado com um aparelho digital para medir a quantidade de glicose na corrente sanguínea; avaliação antropométrica, que são as medidas primárias (utilizadas isoladamente) como peso, estatura, dobras cutâneas e circunferências, e as medidas secundárias (combinadas) como Índice de Massa Corporal (IMC), peso ideal, somatória de dobras cutâneas, entre outros.

Tudo isso aconteceu em três diferentes pontos da cidade. No dia 1º, as Unidades de Saúde do Roque Viola, Paraíso e Jardim América realizaram as ações na igreja do Jardim São Judas Tadeu  (Paróquia São José Operário).  No dia 2, foi a vez das unidades do Jacb, Arapuã e Novo Mundo promoverem atividades na igreja do Arapuã (Comunidade Nossa Senhora Aparecida) e na quarta-feira, as ESFs do Jardim Municipal, Oiti e São Jorge seguiram com as intervenções no salão do CCI (Centro de Convivência do Idoso) do Jardim São Jorge, ao lado da unidade de saúde.

“O evento teve como finalidade informar para população os serviços ofertados pela rede de atenção básica e conscientizar a importância da prevenção na manutenção da saúde. O sucesso foi tão grande que a Semana da Saúde entra para o calendário oficial de eventos da cidade, sempre na semana que antecede o Dia Mundial Saúde, celebrado no dia 7 de abril”, enfatizou a secretária municipal de Saúde, Maria Aparecida Moreira Martins.

JORNAL DE JALES: BISPO DÁ PUXÃO DE ORELHAS EM VEREADORES QUE NÃO COMPARECERAM À CONFERÊNCIA DO IDOSO

No Jornal de Jales deste domingo, um dos principais destaques foi a inauguração da Unidade de Reintegração Social de Jales. Segundo a notícia, com a inauguração ocorrida na quarta-feira, 03, a Comarca de Jales passa a integrar uma das 76 unidades no Estado de São Paulo, sendo uma das poucas a contar com dois programas incluídos no sistema: o Programa de Penas e Medidas Alternativas e o Programa de Atenção ao Egresso da Família. De acordo com o jornal, a unidade de Jales conta com oito colaboradores para o atendimento e já conta com 123 assistidos nos dois programas, enquanto outros 286 aguardam a oportunidade de serem atendidos.

O jornal está destacando, também, que a epidemia de dengue já chegou a Jales com força, depois de dois anos de ausência. A reportagem diz que, com 628 notificações até o dia 28 de março, Jales passou a ser um dos 20 municípios do noroeste paulista a entrar em situação de epidemia de dengue. Do total notificado, foram confirmados 101 casos autóctones, que são aqueles contraídos dentro do município, e outros 13 importados de cidades vizinhas. A coordenadora da Equipe Municipal de Combate às Endemias, Vanessa Luzia da Silva Tonholi, teme que esses números possam aumentar bastante nos próximos dias.

A posse da nova diretoria da OAB-Jales e a informação de que o fim do exame da Ordem – prometido por Bolsonaro durante a campanha – não deverá ocorrer; o Programa Balde Cheio, da Embrapa, que reconheceu o trabalho do ex-diretor da CATI de Jales, Braz Valdir Tomaz; o início do Jales Rodeio Show, programado para a quinta-feira, 11; e o julgamento de primeira instância dos três acusados de desviar recursos do Hospital de Amor, cujas penas ultrapassam, no total, 90 anos de reclusão, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o bispo diocesano de Jales, dom Reginaldo Andrietta, lamentou a ausência de vereadores na Conferência Municipal do Idoso, realizada no dia 28 de março, no Centro Pastoral. Em sua homilia, durante a missa de domingo passado, o bispo disse aos presentes na Catedral que nenhum dos 10 vereadores compareceu ao importante encontro. Depois do puxão de orelhas, o bispo disse esperar que, na Conferência Municipal da Saúde – que teria início no dia seguinte – os ilustres representantes do povo pudessem dar o ar de suas respectivas graças.

100 DIAS DE GOVERNO: BOLSONARO TEM A PIOR AVALIAÇÃO DA HISTÓRIA, SEGUNDO DATAFOLHA

Isso é só o começo. Deu no Brasil 247:

Prestes a completar 100 dias no cargo, Jair Bolsonaro tem a pior avaliação já registrada para um presidente em início de mandato. Segundo o instituto Datafolha, 30% dos brasileiros consideram o governo de Bolsonaro ruim ou péssimo, índice semelhante ao daqueles que consideram ótimo ou bom (32%) ou regular (33%). Bolsonaro perde para Dilma, Lula, FHC e Collor.

“Os petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, alvos frequentes de críticas do atual presidente, eram mal avaliados apenas por 10% e 7% da população ao fim dos primeiros três meses do governo”, aponta a reportagem de Igor Gielow, sobre a pesquisa.

“Nesses primeiros meses, Bolsonaro viveu diversos episódios de desgaste político: a investigação sobre milícias envolvendo o gabinete de seu filho Flávio na Assembleia do Rio, as candidaturas de laranjas de seu partido, os entrechoques entre militares e a ala do governo sob influência do escritor Olavo de Carvalho, a crise no MEC, a troca de farpas com o Congresso e a dificuldade no encaminhamento da reforma da Previdência. A economia segue em ritmo lento, e a taxa de desemprego subiu em relação ao trimestre passado —está em 12,4%”, diz ainda o jornalista.

A pesquisa também capta um sentimento de frustração generalizado. “Para 61% dos ouvidos, Bolsonaro fez menos do que se esperava no exercício do cargo. Já 13% consideram que ele fez mais, enquanto 22% avaliam que ele fez o que era esperado”, aponta Gielow. “O comportamento do presidente, que se envolveu em polêmicas como a divulgação de um vídeo pornográfico para criticar o que seriam abusos nas ruas durante o Carnaval, é avaliado como correto por 27% dos ouvidos.”

JALESENSE LUIZ CARLOS SEIXAS VAI LANÇAR CD NO TEMPLO DA MPB

O jalesense radicado em Ourinhos, Luiz Carlos Seixas se prepara para lançar um CD com seu parceiro musical, o ourinhense Toninho Breves. O CD “Depois do Fim” – com 12 canções da dupla – será lançado oficialmente no dia 27 de junho, na Casa do Choro, um templo sagrado da MPB, no centro velho do Rio de Janeiro.

Com letras de Seixas e melodias de Toninho, o CD tem participações especialíssimas das cantoras Iara Ferreira, Ana Luiza e Amélia Rabello e do maestro Cristovão Bastos, co-autor, entre outras coisas, de “Todo Sentimento”, com Chico Buarque.

O trabalho foi produzido pelo violonista Glauber Seixas, filho de Luiz Carlos, que já tocou com Gilberto Gil, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho, entre outros.

Eu sua juventude, aqui em Jales, Seixas – filho de um dos primeiros farmacêuticos da nossa cidade, o seo Bernardino Mendes Seixas – ganhou festivais de música, como compositor. Nos anos 80, ele teve duas músicas gravadas pelo Toquinho, já sem o Vinícius. Por sinal, Seixas decidiu aprender violão depois de ver o histórico show que Toquinho, Vinícius e Marília Medaglia fizeram no Cine Jales, em 1972.

No vídeo abaixo, a música “Depois do Fim“, que deu nome ao CD. Cantada pela Amélia Rabello, a música tem o acompanhamento de Toninho Breves (violão), Glauber Seixas (violão solo) e Marcus Thadeu (pandeiro). Vale a pena ouvir:

A TRIBUNA: MAIORIA DOS PRÉDIOS DA PREFEITURA NÃO POSSUI ALVARÁ DO CORPO DE BOMBEIROS

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca a falta de alvará dos bombeiros na maioria dos prédios pertencentes à Prefeitura de Jales. De acordo com a matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, enquanto centenas de empresas privadas estabelecidas em Jales são visitadas pela fiscalização do Corpo de Bombeiros e impelidas a promover dispendiosas adaptações para atender às exigências da legislação, o município de Jales simplesmente ignora essas mesas exigências. Praticamente nenhum prédio sob a responsabilidade da Prefeitura possui o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) ou o CLCB (Certificado de Licença do Corpo de Bombeiros).

Destaque, também, para a segunda condenação da médica S.R.Q.L., aqui de Jales, que foi acusada de descumprir o horário de trabalho na ESF “Zilda Arns”, do Jardim Novo Mundo. Contratada pela Prefeitura para trabalhar 40 horas semanais, a médica – segundo relatório da Polícia Federal, que investigou as atividades da profissional durante três meses – deixava a unidade para tratar de assuntos particulares, mas assinava a folha de ponto normalmente. Sentença do juiz Nóbrega Curitiba condenou a médica a devolver R$ 161,4 mil aos cofres públicos. Antes, ela já tinha sido condenada à pena de dois anos de reclusão, substituída por prestação de 700 horas de serviços à comunidade.

A inauguração da Unidade de Atendimento de Reintegração Social de Jales, que funcionará no Centro Cultural “Edílio Ridolfo”; a realização do Circuito Sesc de Artes, que reuniu centenas de pessoas na Praça do Jacaré, no domingo passado; a condenação a mais de 90 anos de prisão dos três ex-funcionários acusados de desviar recursos do Hospital de Câncer; a conquista do curso de Medicina pela Unifunec de Santa Fé do Sul; e a decisão do TCE, que condenou a ex-prefeita Nice Mistilides a devolver o dinheiro gasto com viagens em 2014, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação dando conta de que a Prefeitura de Jales convocou, na semana passada, os dois candidatos que foram aprovados para o cargo de fiscal tributário do município em concurso público realizado no final de 2017. Os dois candidatos foram à Justiça com um Mandado de Segurança para reclamar que as vagas para as quais tinham sido aprovados estavam sendo ocupadas irregularmente por outras pessoas. O juiz da 1ª Vara de Jales, Eduardo Henrique de Moraes Nogueira, que julgou o caso, deu razão aos dois candidatos e determinou que o prefeito Flá Prandi providenciasse a posse imediata de ambos. 

DIVULGAÇÃO DE ÁUDIOS SOBRE POSSÍVEL ATAQUE A ESCOLA ASSUSTA MIRANDÓPOLIS

A notícia é da Folha da Região:

O pânico tomou conta da população de Mirandópolis (SP), após a divulgação de áudios nas redes sociais sobre um possível ataque a uma escola particular da cidade. Por esse motivo, a Polícia Civil divulgou uma nota de esclarecimento informando que realmente existe uma investigação em andamento envolvendo um aluno de 15 anos, mas que até o momento não foram encontradas provas concretas que confirmem que ele estava planejando esse ataque.

Segundo Silvio Marinho Gimenes, delegado responsável pelo caso, a investigação começou na terça-feira (2) e o aluno já foi ouvido pela polícia ao lado dos pais.

No depoimento, o adolescente alegou que a postagem que fazia alusão ao ataque ocorrido na escola Raul Brasil, no dia 13 de março, em Suzano (SP), era uma brincadeira de mau gosto.

Segundo informações o adolescente está afastado da escola e teve o celular apreendido pela polícia. No aparelho foram encontradas mensagens de cunho nazista e homofóbicas.

TRIBUNAL DE CONTAS MANDA NICE DEVOLVER DINHEIRO GASTO COM VIAGENS

Em sentença proferida na quarta-feira, 03, a conselheira do Tribunal de Contas do Estado(TCE), Sílvia Monteiro, julgou irregulares as despesas com viagens realizadas em 2014 e condenou a ex-prefeita Nice Mistilides a devolver a quantia de R$ 67,1 mil aos cofres da Prefeitura de Jales. De acordo com o relatório do TCE, a ex-prefeita recebeu, em 2014, R$ 96,5 mil em adiantamentos para gastos com viagens, mas a grande maioria dessas viagens não foi devidamente explicada.

Não bastasse a falta de explicação para as viagens, a ex-prefeita somente devolveu os valores não utilizados depois de alguns meses, em flagrante desrespeito à lei. “As devoluções dos valores não utilizados pela prefeita se deram somente ao final do exercício, bem como somente após a sua cassação, ocorrida em 17 de fevereiro de 2015”, registrou o relatório do TCE.

Ainda segundo o relatório, “a chefe do Executivo manteve, portanto, durante meses e injustificadamente, dinheiro público em suas mãos, no valor total de R$ 29.298,37, em flagrante prejuízo ao erário”. O relatório registrou ainda, que a Secretaria de Fazenda – que deveria ter tomado providências para cobrar a devolução das sobras de viagem, mas não o fez – era comandada pela senhora Angélica Colombo Boleta, nora da então prefeita.

Para a conselheira Sílvia Monteiro, as justificativas apresentadas pela defesa da ex-prefeita não foram suficientes para afastar as irregularidades e impropriedades constatadas na realização de despesas com o dinheiro público. “Por todo o exposto, julgo irregulares as despesas com viagens, condenando a responsável a devolver aos cofres públicos o valor de R$ 67.101,63, devidamente atualizado até a data do efetivo recolhimento”, diz a sentença.

Obs.: Nice gastou quase R$ 200 mil em viagens nos dois anos e quarenta e oito dias em que administrou a cidade, mas poderia ter gasto mais, não fosse a diligente atuação do juiz Fernando Antônio de Lima. Ela já tinha gasto R$ 75 mil nos primeiros cinco meses de 2014, quando o juiz recomendou ao TCE uma auditoria nas viagens da prefeita. Nos sete meses seguintes, os gastos não chegaram a R$ 30 mil.

          

1 4 5 6 7 8 1.274