CEI DA FALSIDADE IDEOLÓGICA: PREFEITURA DIVULGA NOTA À IMPRENSA

A Prefeitura de Jales distribuiu, na manhã desta sexta-feira, nota à imprensa onde contesta o pedido de abertura da CEI da Falsidade Ideológica. Nem vou perder tempo contestando as mentiras que estão colocadas sobre a vereadora do PT. Mas, vejam vocês o nível de alguns professores universitários. É a segunda vez que o professor Léo Huber – chefe de gabinete do prefeito e, muito provavelmente, o autor das mal-traçadas que reproduzo abaixo – grafa a expressão “caçar o mandato” assim mesmo, com o cê cedilha. Tenho apenas o terceiro colegial, mas, desde o ginasial, aprendi com o saudoso professor José Camargo a diferença entre “caçar” e “cassar”. Vamos à Nota:  

Nota a Imprensa:

CEI DA CERTIDÃO.

 Considerando a criação de mais uma CEI na Câmara Municipal de Jales, em consideração aos jalesenses, tomamos a liberdade de reproduzir a conclusão do inquérito policial sobre o assunto de emissão de Certidão Negativa da Prefeitura em benefício de instituição tradicional de Jales. Sobre o assunto o inquérito policial concluiu que não houve “… prática de falsificação de documento público…, nem tampouco certidão ou atestado ideológicamente falsos”. Nesta segunda parte da conclusão o inquérito policial lembra que para tal falsidade ocorrer, seria necessário “… o dolo específico” o que é previsto, ainda segundo o inquérito, pelo Art. 299 do Código Penal.

Sobre a intempestiva mobilização dos vereadores de oposição em propor a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o assunto da Certidão dois anos após a emissão desta, da qual já tinham conhecimento por igual período e, considerando que a data da finalização do inquérito foi no dia 04 de Fevereiro de 2011, tudo sugere que vereadores estavam na “espreita” do resultado do Inquérito Policial. Como este frustrou as expectativas de alguns, imediatamente protocolaram o pedido de criação da CEI.

            Os interesses envolvidos na criação desta nova CEI, nem sempre são publicáveis, mas não custa lembrar que a vereadora do PT há tempos se declarou inimiga pessoal do Prefeito e que não descansará enquanto não caçar seu mandato. Tal determinação sugere que recursos estranhos podem também ser utilizados, inclusive esta CEI. A ira da vereadora tem a ver com a negativa do Prefeito em não atender sua chantagem de torná-la Presidente da Câmara Municipal de Jales no exercício de 2009. Caso o Prefeito não a atendesse esta não devolveria no prazo combinado recursos financeiros que sobraram na câmara a tempo da Prefeitura saldar compromissos financeiros já programados, o que poderia tornar o Prefeito inelegível.

Ainda em torno desta mesma CEI, na última semana o Prefeito foi procurado pelo irmão do vereador Henrique Vioto, que em troca da retirada de sua assinatura no pedido da CEI, exigia documento escrito, assinado e reconhecido firma onde o Prefeito se comprometesse a retirar da justiça o processo de cassação de seu mandato por infidelidade partidária por desfiliar-se do partido pelo qual foi eleito. Como se fosse pouco, o irmão em nome de Vioto, pediu também participação no governo, o que na prática poderia significar a indicação de alguém da confiança do Vereador, possivelmente o próprio irmão, em cargo de livre nomeação. Evidentemente o Prefeito não atendeu a mais esta chantagem.

            O empresário jalesense que necessitava da Certidão expedida, e que agora querem questionar, representa instituição de referência, tradição e respeito. Este se empenhou seriamente em convencer os vereadores de desistirem da CEI, mas, mesmo diante das evidências da ausência de crime também não foi atendido. Infelizmente o que observamos são interesses menores influenciando a ação política de vereadores. Normalmente estes se escondem atrás de bandeiras como zelo do bem público, defesa dos interesses do município e do povo de Jales. São bandeiras nobres com as quais o Prefeito tem compromisso efetivo, mas que não podem servir de esconderijo para interesses particulares, que, como diz o filósofo Locke, muitas vezes são inconfessáveis.

            A ação inconseqüente de alguns vereadores gera graves prejuízos à administração municipal e aos interesses da cidade, criando obstáculos para o desenvolvimento de Jales.

13 comentários

  • BX

    E pra manter o Claudir Aranda, o Especiato e o Riva, o que o prefeito faz?? Será que ele não dá um ´´cala-boca´´ neles, com cargos ou participação nos lucros da maracutaia?

    Que o macetão e a vereadora tatinha são dois pilantras não se discute, só estão querendo ferrar o prefeito por que não foram incluidos no esquema, mas tem muita gente dentro daquela câmara que tá merecendo ter o mandato ´´cassado´´

  • BX, você precisa se informar melhor. A vereadora Tatinha tinha um Escort 95 quando entrou na política, em 2000, e continua com o mesmo Escort 95. Ela foi professora 30 anos, sem máculas em seu currículo.Tem filhos trabalhando na polícia e na justiça e não faria coisas que pudessem envergonhá-los. O prefeito a acusa de uma chantagem, mas, na verdade, ele é quem a estava pressionando para assinar um documento em que a Câmara abriria mão do que a Prefeitura lhe devia. A vereadora Tatinha não tem empresas prestando serviços na área pública, não participa de “esquemas”, não faz tráfico de influência, nem comprou apartamentos em nome de parentes. Talvez fosse melhor vc repensar o termo “pilantra”.

    • A afirmação do(da?) bx é grave. Pilantra significa: pessoa vigarista, que aplica golpe nos outros, sempre querendo tirar proveito das pessoas.
      Cabe representação para dar conseqüência, entre as possíveis, a retratação.
      Abraço fraterno.

  • Cardoso, assino em baixo da tua nota.Alias, mais um bunda mole que não se identifica.

  • Minela

    Porque discutir ce cedilha? Pelo que li a nota tem conteúdos que merecem mais atenção do que um ç. Porque te calas?. Em todo caso, creio que devem saber a diferença entre os dois “caçar”.Possivelmente, como a vereadora não consegue cassar o prefeito com dois esses, ela procura caçar o prefeito com ce cedilha.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Le

    Tatinha é tao querida…complicado ter o nome vinculado com pessoas desse caracter,procure outras formas de fazer algo por jales e se afaste dessa prodidao que é PT(95% SAO PILANTRAS)e da politica…falta pouco p/o Adeus ao parini e ao Pt nessa cidade UFAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  • Le

    PODRITAO….”Ç”

  • “Minela”, o fato de você ter utilizado um computador da prefeitura para escrever seus gracejos e o fato de fazê-lo utilizando como pseudônimo o nome de uma pessoa conhecida, mostra bem porque defende o prefeito e o quanto você é covarde e sem caráter. Caso você não saiba, os IPs dos computadores da Prefeitura são conhecidíssimos.

  • Conheço a tatinha desde a minha 5ª série (uns 15 anos no mínimo) e a última palavra que definiria ela é pilantra! Aos que não gostam dela, ao menos respeitem sua história como educadora.

  • marcos silveira

    Realmente está ficando indigesto alguns comentários que tenho lido nesse blog. Defendo a livre expressão no meio democrático, mas também defendo o bom senso, e que por sinal está faltando à muitos que aqui tem se mnifestado. Seria muito mais adulto termos nossa participação IDENTIFICADA e se não tivermos coragem, ou se simplesmente não queremos, vamos nos ater aos argumentos sólidos e verdadeiros. Se houve realmente uma certidão que não expressava a verdade, com certeza o responsável precisa arcar com as consequências. Isso é o mínimo que esperamos dos nossos governantes. Quanto às acusações à veredora Tatinha, que ridículo dizer sem ter maiores argumentos. Agora, se indicarem algo concreto, eu também serei contra seus atos, mas até lá, insisto para que essa mulher de fibra continue na política sim, e porque não no PT? Afinal, alguém precisa moralizar aquele antro.

  • Bom dia camarad@s!
    Os comentários deveriam passar por aprovação do blogueiro antes de ser publicados. Nada demais, torne públicos os critérios. Palavras de baixo calão, etc…
    Outra questão é o anonimato. Primeiro, sejamos claros, ele não existe em razão da identificabilidade existente. Mas o direito à privacidade, direito a expressar-se sem exposição pública, através de perfil “fake” ou como alguns preferem, pseudônimos, vem acompanhado de maior responsabilidade sobre o que se escreve ou diz. Uma afirmação que venha a ferir a imagem de outrem deve ser assinada, ou não deve ser publicada pois a responsabilidade civil passa a ser do blogueiro. Desculpe se me alonguei, mas a idéia é contribuir.
    Abraço fraterno a tod@s e Parabéns pelo Blog, tá ficando muito bom!

  • Bom dia camarad@s!

    Os comentários deveriam passar por aprovação do blogueiro antes de ser publicados. Nada demais, torne públicos os critérios. Palavras de baixo calão, etc…
    Outra questão é o anonimato. Primeiro, sejamos claros, ele não existe em razão da identificabilidade existente. Mas o direito à privacidade, direito a expressar-se sem exposição pública, através de perfil “fake” ou como alguns preferem, pseudônimos, vem acompanhado de maior responsabilidade sobre o que se escreve ou diz. Uma afirmação que venha a ferir a imagem de outrem deve ser assinada, ou não deve ser publicada pois a responsabilidade civil passa a ser do blogueiro. Desculpe se me alonguei, mas a idéia é contribuir.

    Abraço fraterno a tod@s e Parabéns pelo Blog, tá ficando muito bom!

  • marlala

    Enquanto os bens dos politicos não forem confiscados observando o que possuia um politico na sua candidatura e o que adquiriu apos a mesma, até mesmo regiões lotadas por cidadãos idoneos serão ferozmente atacadas pela corrupção.

    Acorda cidadão brasileiro!
    (art. 5° XI CRFB )

Deixe uma resposta para marlala Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *