4 comentários

  • Eleitor do Fra

    Está é a turma do Bozo ao invés da apagarem o fogo jogam mais gasolina

  • Paulo

    O circo pegou fogo

  • O laranjal termina na rachadinha do PSL

    Como sempre os políticos brigam feio pela presidência do partido. Sempre brigaram pelo poder com xingamentos, vaias, puxadas de tapete, traições, etc. Mas nunca ficamos sabendo. Só boatos. Agora a palhaçada está nos jornais.
    A crise, que vem se alastrando nas denúncias sobre o esquema de candidaturas laranjas nas eleições de 2018, ganhou proporções ainda maiores quando foi revelado um áudio do deputado Delegado Waldir chamando Jair Bolsonaro de “vagabundo”.
    Bolsonaro tirou o presidente para colocar seu filho. Ele manda no partido Tem a “caneta”! Negociou com os deputados do partido. Tirou os dissidentes. Os partidários do governo não param de brigar entre si. O poder subiu a cabeça. Sempre foi assim. FHC, Lula e Temer mandavam no seu partido. Menos Dilma, é claro!
    O pacto é o de sempre: haverá dinheiro para que todos continuem nas tetas do governo. Enquanto isso, a elite política e econômica se fazem de sonsos como que o assunto não fosse com eles. Nós, quem votamos vamos pagar a conta.
    Somos os patéticos desse show de horrores. Como sempre!

  • Do PT ao PSL. Só mudou a origem do dinheiro!

    Depois do PT que era´uma super potencia partidária pois recebia propina de todos os “lados”. Agora, temos o PSL onde vários grupos brigam pelo dinheiro do governo para mamar.
    Certamente o que está em jogo é o controle do partido, que se tornou uma superpotência após eleger 52 deputados no ano passado e angariar a maior fatia dos recursos públicos destinados às siglas.
    Apenas neste ano, o PSL deve receber R$ 110 milhões de fundo partidário. O PSL abriu um processo disciplinar contra ao filho do presidente, Eduardo Bolsonaro e mais 18 deputados da ala ligada ao presidente Bolsonaro. Pouco depois de serem notificados, porém, eles conseguiram na Justiça uma liminar para evitar punições.
    Não virou nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *